luz | Blog Telhanorte

Valorize a decoração com iluminação embutida em móveis planejados

nichos-quarto-infantil-luz-embutida

| Decoração

 

Grande aliada de arquitetos e designers, a iluminação embutida na marcenaria deixou de ser apenas funcional e ganha ares decorativos nos móveis planejados

 

Seja por efeito estético ou para fins de serviço, a iluminação embutida em móveis planejados é tendência entre arquitetos e designers. Usar luzes na marcenaria pode valorizar e muito o seu projeto, além de tornar sua vida mais fácil e ainda garantir uma economia no seu bolso.

Seja para ajudar na concentração durante o trabalho ou estudo, facilitar a busca de uma peça dentro do guarda-roupa ou simplesmente para dar destaque a um objeto decorativo na estante, o LED nos móveis é uma ótima opção e traz um toque de cor e personalidade.

Conversamos com a designer de interiores e lighting designer Ana Paula Cunha, do escritório Angra Design, que falou sobre os modelos mais adequados para serem embutidos na marcenaria e onde são mais recomendados: “O importante é pensar o que você deseja valorizar naquele móvel ou decoração complementar a ele”, afirma Ana Paula. Ela ainda respondeu algumas dúvidas comuns que podem surgir quando o assunto é iluminação em móveis planejados. Confira!

 

Qual tipo de luz pode ser aplicada na marcenaria?

Spots, fita LED e perfil LED são os mais recomendados, porém, o perfil LED necessita de um reator para garantir seu funcionamento, enquanto os spots e a fita podem ter a fiação embutida nos próprios fios das tomadas, sem nenhuma exposição que prejudique a estética no local aplicado.

 

armário-cozinha-luz-embutida

Armário com iluminação embutida sobre a bancada. Projeto das designers Ana Paula Cunha e Grace de Paula do escritório Angra Design (Foto: Henry Lopes / Divulgação)

 

A aplicação de luz embutida em móveis planejados tem um bom custo-benefício?

Por ter um preço baixo tanto para a compra quanto para a instalação, os spots, fitas e perfil LED são acessíveis para todos. A manutenção necessária é pouca, além de proporcionar menor custo na conta de energia elétrica. Considerando todos esses pontos, embutir iluminação na marcenaria vale a pena.

 

nicho-tv-luz-embutida

Nicho para TV com iluminação embutida. Projeto das designers Ana Paula Cunha e Grace de Paula, do escritório Angra Design (Foto: Ale Rodrigues / Divulgação)

 

Luz fria ou quente: como escolher a mais adequada?

Primeiramente, devemos pensar no uso que será feito dessa iluminação. A luz quente traz uma sensação de aconchego, então é ideal para ambientes de descanso ou mesmo para compor a decoração, como na cabeceira da cama, em uma estante com livros ou em outros itens decorativos. Se a ideia é aumentar a concentração, seja para estudar ou trabalhar, invista na luz fria. Vale também para guarda-roupas, gavetas, cabideiros e acima de bancadas na cozinha. Assim você pode trabalhar, limpar, cozinhar e procurar objetos com facilidade.

 

cabeceira-cama-luz-embutida

Cabeceira de cama com iluminação embutida ao redor. Projeto das designers Ana Paula Cunha e Grace de Paula do escritório Angra Design (Foto: Henry Lopes / Divulgação)

 

Quais móveis podem receber iluminação embutida?

Qualquer tipo de móvel pode ter iluminação aplicada em seu interior, mas é preciso considerar com atenção alguns materiais específicos. Em móveis de madeira ou MDF, a instalação profissional é simples e pode ser feita dentro de casa. O marceneiro perfura e estrutura o móvel e o eletricista faz a instalação. Já em móveis com pintura em laca — tipo de acabamento que dá cor ao móvel, podendo ser fosca ou brilhante — é necessário um planejamento prévio com o designer, que orientará o marceneiro sobre o corte antes mesmo da pintura, evitando-se assim rasgos e avarias no material.

 

armário-cozinha-luz-embutida

Armário com iluminação embutida sobre a bancada. Projeto das designers Ana Paula Cunha e Grace de Paula, do escritório Angra Design (Foto: Henry Lopes / Divulgação)

 

Por que embutir luz na marcenaria?

Há muitos motivos para o uso de móveis com iluminação embutida. Por exemplo, ter uma luz agradável traz um clima mais intimista ao local enquanto se assiste a um filme e na cabeceira da cama pode realçar um bom revestimento da parede ou mesmo garantir que o quarto não fique em breu total durante a noite.

Em ambientes como a cozinha, ter uma luz acima da bancada facilita o preparo de alimentos, sem que haja sombras atrapalhando as atividades domésticas.

 

armário-cozinha-luz-embutida

Armário de cozinha com iluminação embutida. Projeto das designers Ana Paula Cunha e Grace de Paula do escritório Angra Design (Foto: Henry Lopes / Divulgação)

 

Colocando as ideias em prática

Agora que você já sabe o necessário para iniciar o seu projeto de móveis planejados, confira como tirar suas ideias do papel e visite o setor de iluminação em nossas lojas físicas ou no site da Telhanorte, para encontrar o modelo ideal para a sua casa.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Telhanorte (@telhanorte)

 

Por Camila Alexandrino | Edição de Vinicius Marques

Luminária para leitura noturna: dicas e modelos

como-usar-luminarias-de-piso-x-dicas-para-escolher-a-ideal-luminaria-leitura

| Decoração

 

Quer colocar uma luminária para leitura noturna na sua casa? Conheça modelos e dicas para escolher a melhor lâmpada e posição

 

Gosta de ler à noite? Então você precisa de uma luminária para leitura noturna para ter momentos confortáveis e relaxantes. Além de se atentar ao design da luminária, é necessário também considerar a funcionalidade, eficiência e conforto visual que a lâmpada fornecerá, para evitar problemas de visão.

Seja para colocar no quarto, no home office ou no seu cantinho especial para leitura de livros, continue lendo e confira dicas e modelos que separamos para você.

 

Sugestão de matéria: Confira em nosso blog 6 Tipos de Luminárias e 6 Dicas para Montar um Home Office

 

Modelos de luminária para leitura noturna 

Os modelos de luminárias variam bastante, sendo assim muito fácil de encontrar o ideal para o seu ambiente. O material, a cor, o formato vão desde os mais tradicionais, até os mais modernos, com desenhos geométricos de ferro ou acabamento metálico. 

Para escolher o mais adequado, pense na configuração do ambiente. Será um cantinho na sala com uma poltrona? A mesa do home office? Na cabeceira da cama? Com a ideia em mente, você pode decidir o melhor modelo de luminária noturna. 

Separamos algumas opções disponíveis no site da Telhanorte para te inspirar na escolha. Confira!

 

1. Luminária temática de parede

É cinéfilo de carteirinha e gosta de peças com design que fazem referência à sétima arte? A luminária em formato de rolo de câmera é um exemplo de peça temática. Além do modelo de rolo de câmera, você também encontra outras opções de desenho que se ajustam à proposta de iluminação e decoração. As luminárias temáticas combinam com decorações mais divertidas, descoladas e modernas, como paredes coloridas e placas decorativas, mostrando um pouco da personalidade do dono do espaço.

DICA: na hora da compra, confira se o tamanho do fio é ajustável ou não para fixar a luminária na posição adequada para a leitura.

 

luminaria-moderna-leitura-quarto-jovem-juvenil-infantojuvenil-arandela-rolo-filme-lampada-luz-amarela

Arandela Rolo De Filme Carambola Linha Bright Preto E27 40 W (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

 

2. Luminária de chão

As luminárias para leitura noturna de chão, também chamadas de coluna, têm um poder decorativo incrível e são ideais para ficar ao lado de poltronas tradicionais ou das do tipo “costela com puff”. A maioria dos modelos tem um design minimalista e são feitas de ferro ou alumínio. O acabamento da pintura é outro diferencial. 

Coluna-E27-preto-e-cobre-e-cobre-City-Spot-Line

Coluna E27 preto e cobre e cobre City Spot Line (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Você pode escolher entre modelos coloridos, de acabamento metálico ou as cores tradicionais e neutras como preto ou branco. Se você gosta de um toque retrô, as luminárias de chão com formato de spot são perfeitas e combinam com vários tipos de decoração. Por ser uma peça alta, a distribuição da luz é melhor, além de garantir a proteção das lâmpadas. Outra vantagem é que este modelo não exige furos na parede e pode mudar de lugar facilmente. 

Coluna-E27-preto-e-cobre-Oxford-Spot-Line

Coluna E27 preto e cobre Oxford Spot Line (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Luminária de mesa

A luminária para leitura de mesa pode ser bem aproveitada tanto na mesa do home office, quanto na cabeceira da cama. Isso porque os modelos são ajustáveis, com o braço flexível, e permitem direcionar a luz de acordo com a posição de leitura. Mesmo de tamanho menor que a luminária de chão, o design dos modelos de mesa também ajuda a compor a decoração.

 

Luminária-de-mesa-E27-preto-e-cobre-City-Spot-Line

Luminária de mesa E27 preto e cobre City Spot Line (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Sugestão de leitura: Vai montar um home office? Siga 6 dicas funcionaisDicas para um home office organizado e bem decorado

 

4. Luminária de garra

A luminária para leitura noturna de garra é uma opção versátil, pois pode ser levada para outras partes da casa e ser fixada onde for mais adequado. Assim, se a ideia for deixar a decoração mais clean e com poucos elementos, você pode manter a luminária guardada e utilizá-la apenas quando precisar.

Luminária-Versaty-garra-de-aço-E27-40W-pretaBronzearte

Luminária Versaty garra de aço E27 40W pretaBronzearte (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Melhor tipo de lâmpada para leitura

Escolher um modelo bonito de luminária, que combine com a sua decoração, é só o primeiro passo. O tipo de lâmpada colocado na luminária tem um papel fundamental para preservar a saúde dos seus olhos. As lâmpadas ideais para as luminárias de leitura são as de LED e as fluorescentes. Se para você o momento de leitura é relaxante, opte pela luz amarela, que relaxa e não cansa os olhos. Já a luz branca é mais recomendada para um espaço de leitura que exija mais concentração e foco.

A luminária de LED para leitura é a mais utilizada, pois essa lâmpada não esquenta, permitindo leituras longas com conforto e, além disso, menores gastos de energia. As fluorescentes também são boas opções, principalmente para leituras de estudo. Por isso, evite as lâmpadas incandescentes e as halógenas, que naturalmente esquentam mais e tendem a queimar com maior facilidade.

 

Posição da luminária para leitura

A posição da luminária para leitura noturna também deve ser respeitada, para evitar problemas em sua visão ao longo do tempo. Esse tipo de desconforto não demora para aparecer quando o tipo de luz está inadequado e a luminária está posicionada a uma distância muito próxima. 

O ideal é posicionar a luminária a 50 cm de distância do livro, seja na mesa ou em sua mão. É fácil ajustar qualquer um dos modelos de luminárias que mostramos acima. Com uma trena, você a mantém na posição certa para ler por várias horas. 

 

poltrona-costela-puff-luminaria-coluna-lampada-sala-estar-moderno

Sala de estar com poltrona costela com puff e luminária coluna (Foto: Loja Salab / Reprodução)

 

Gostou das dicas? 

Com as dicas acima, você pode escolher o melhor design de luminária para leitura noturna. Confira as opções de Abajures, Cúpulas e Luminárias de Mesa que a Telhanorte tem para você e as condições de entrega para todo Brasil.

Precisa de outros itens de Iluminação? Confira a categoria completa e faça seu pedido online!

 

 

Edição de Vinicius Marques e Murilo Bonício

O que é sanca de gesso e qual seu principal uso?

sanca-aberta-gesso-iluminacao-apartamento-fita-led-spot

| Decoração

Definição, tipos, recomendações e instruções de como instalar e limpar sancas de gesso. Inspire-se com alguns exemplos

 

Primeiramente, vamos entender: o que são sancas de gesso? São molduras de gesso usadas para dar um acabamento no ponto de encontro entre as paredes e o teto de um cômodo. Muito utilizadas no passado para decoração, principalmente de salas e dormitórios, as sancas de gesso acabaram caindo em desuso, até mesmo por gerarem um custo adicional nas obras. Entretanto, de uns tempos para cá, elas voltaram renovadas e cheias de charme, proporcionando, além de beleza, muita funcionalidade!

 

O que são sancas de gesso

Sala com sanca de gesso iluminada (Foto: Viva Decora / Reprodução)

 

Sancas de gesso: a aposta da vez!

As sancas de gesso deixaram de ser uma simples moldura decorativa para o teto e se tornaram grandes aliadas de arquitetos que desejam projetar iluminação residencial, dos mais diversos estilos. Além de serem ótimas opções para corrigir algum tipo de imperfeição que possa haver no teto, elas trazem para a casa um ar de elegância e sofisticação, quando estão integradas a luminárias embutidas e plafons.

Devido à sua versatilidade, a sanca se adéqua bem entre diferentes estilos de decoração, transitando do moderno ao clássico e do discreto ao ousado, de acordo com a personalidade do morador. 

 

Para que servem as sancas de gesso?

Entre as utilidades das sancas de gesso estão: 

 

3 tipos de sanca de gesso para se inspirar

Vamos agora conhecer um pouco mais sobre os diferentes tipos de sancas de gesso.

 

1. Sanca de gesso aberta

O projeto que utiliza esse modelo de sanca tem uma abertura na parte central, com fechamento nas laterais. Devido ao formato, proporciona ao ambiente uma iluminação mais intimista e difusa. As luzes são instaladas nos vãos e, dessa forma, acabam por refletir para dentro do ambiente, no centro do teto, criando uma iluminação indireta e direcionada

Esse tipo permite que você crie diversos desenhos no teto, como ondas, faixas e relevos diversos, dando um ar criativo ao ambiente. Aposte nelas em tetos de quartos e salas.

 

sanca-gesso-aberta

Sanca de gesso aberta em formato espiralado (Foto: atmosphericzone / Reprodução).

 

Leia também: Iluminação direta, indireta e difusa

 

2. Sanca de gesso fechada

Esse modelo de sanca de gesso não possui aberturas para a colocação da iluminação, que fica externa e feita por luminárias com pontos de luz centrais ou com auxílio de spots. Dessa forma, cria-se uma iluminação direta. O rebaixamento do teto é criado apenas no contorno, onde ele se encontra com as paredes.

Ideal para quem opta por uma decoração mais clássica. Contudo, é possível se utilizar da imaginação e instalar sancas dos mais variados formatos, desde as que seguem um estilo provençal até as que tem como premissa as linhas retas e simples do minimalismo.

 

sala-com-sanca-de-gesso-fechada

Sanca de gesso fechada em sala (Foto: Remodelista / Reprodução)

 

3. Sanca de gesso invertida

Apresentando semelhanças à sanca de gesso aberta, difere-se pela abertura que é direcionada às paredes. Logo, o rebaixamento ocorre somente no centro do teto – o que faz a sensação de rebaixamento do teto ser mais proeminente. Como o sistema de iluminação também está escondido, proporciona uma iluminação indireta no ambiente. A luz, nesse caso, reflete para as paredes. 

Um ótimo efeito que esse tipo de sanca proporciona, juntamente com a iluminação,  é o de deixar as cortinas iluminadas.

 

sanca-invertida-gesso-iluminacao-teto-sala-estar-luz

Sanca de gesso invertida em sala de estar (Foto: LC Gesso / Reprodução)

Como instalar uma sanca de gesso?

Agora é hora de aprender como instalar a sanca de gesso. Nossa recomendação é que você escolha um bom profissional, especializado na aplicação desses materiais. Isso é importante, porque estamos falando de um processo complexo, dentro de uma obra que precisa ser realizada com segurança. Dessa forma, optar por quem sabe o que está fazendo é sempre a melhor opção! 

Mas se você acha que está preparado para o desafio, acompanhe o passo a passo da instalação a seguir. 

Você irá precisar dos seguintes materiais:

-Gesso em pó;

– Gesso cola;

– Água; 

– Lixa; 

– Trena; 

– Estopa; 

– Arame;

– Finca pinos; 

– Pinos para gesso;

– Moldura de acabamento. 

 

Passo-a-passo

1º passo: verificar se o teto está nivelado. Caso ele não esteja, a sanca terá que acompanhar o teto e será tirada a diferença na parede. Caso o teto esteja nivelado, o nível do quanto será rebaixado dependerá se a sanca é aberta, fechada ou invertida;

2º passo: tire as medidas, faça as marcações para o corte das placas. Depois de feito os cortes, as placas serão colocadas no teto com a ajuda de pinos e fixadas com arames;

3º passo: depois de fixada a base, prepare a moldura de acabamento com arames e deixe-a presa à base pelos mesmos. Confira o nível da moldura;

4º passo: preencha os buracos aparentes com gesso cola. O acabamento final é feito com gesso em pó;

5º passo: aguarde o tempo de cura, ou secagem, antes de dar o acabamento final. Normalmente esse processo de cura varia de quatro a sete dias, dependendo da temperatura do ambiente;

6º passo: após seca, passe massa corrida, aguarde a secagem, faça o lixamento e limpe, retirando todo o resíduo de pó;

7º passo: por fim, faça a pintura, utilizando tinta específica para gesso.

 

Como limpar a sanca de gesso

Pode parecer complicado, mas a limpeza e manutenção da sanca de gesso é muito simples. Por ficar localizada no alto, é necessário o uso de uma escada ou uma vassoura macia com o cabo longo, própria para a limpeza de tetos. Se utilizar a escada, use um pincel, um espanador ou até mesmo uma flanela limpa. Jamais utilize pano molhado, úmido ou qualquer tipo de produto. 

O gesso é um material delicado e frágil, portanto evite se apoiar nele quando for fazer a limpeza, para que não quebre. 

 

Leia também: Como colocar gesso em casa: escolhendo o modelo certo

 

As sancas de gesso possuem formatos e possibilidades infinitas, por isso o valor delas varia. Se precisar, busque um profissional para te ajudar a calcular. Conte com a gente e, sempre que precisar, consulte um dos nossos profissionais especializados nos serviços Ajuda ao Vivo e Projete-se.

Na Telhanorte você encontra gesso e outros materiais de construção para fazer esse e outros trabalhos com a qualidade e a durabilidade que você espera! Aproveite para fazer sua compra online e receba seu pedido no conforto de casa!

 

Edição de Murilo Bonício e Vinicius Marques

Como colocar spots de luz na iluminação da casa

iluminacao-embutida-spot-sanca

| Iluminação

Aprenda como colocar spots de luz e escolher a opção ideal de acordo com a necessidade de iluminação do cômodo e o estilo de decoração

 

A iluminação é um fator fundamental para a casa como um todo, mas ela não é a mesma para todos os cômodos, variando entre uma iluminação direta, indireta ou difusa. Um peça que vem se destacando nessa categoria são os spots. E você sabe como colocar spots de luz para compor a decoração?  

Os spots de luz valorizam o ambiente e são usados para fazer uma iluminação direcionada que valoriza pontos específicos do ambiente, sem perder eficiência. 

Outra vantagem é poder aproveitar seus diversos formatos para criar um projeto de iluminação personalizado que combine com a proposta de decoração. Para acertar no passo a passo de como colocar spots de luz na decoração da sua casa, você deve:

– Definir o projeto de iluminação

– Escolher o formato dos spots

– Planejar o posicionamento das peças

– Estudar a necessidade de luz de cada ambiente

– Combinar o tipo de spot com a decoração

 

Dicas de como colocar spots de luz

Quando as lâmpadas estão posicionadas corretamente, a luz se distribui adequadamente e ilumina de forma homogênea o cômodo. Quem escolhe os spots de luz para criar um projeto de iluminação, pode seguir as dicas abaixo para acertar na escolha e no posicionamento das peças:

 

Veja também: Iluminação direta, indireta e difusa: saiba tudo!

 

1. Definir o projeto de iluminação

O primeiro passo de como colocar spots de luz é definir o projeto de iluminação da casa. Cada cômodo pode usar um formato diferente de spot para se adequar ao projeto ou ser o mesmo para todos os cômodos.

Nesse planejamento, também é definido o posicionamento dos spots, pois isso influencia na preparação que será necessária no teto ou forro. Outro detalhe do planejamento é para quais pontos as luzes serão direcionadas. Como os spots são utilizados para criar uma iluminação mais focada, eles podem valorizar:

 

Iluminação da área externa

Além de planejar a iluminação interna da casa, é importantíssimo dar atenção a iluminação externa, principalmente quem mora em casa.

Nos apartamentos, as varandas com ou sem área gourmet também devem ser incluídas no projeto de iluminação. As lâmpadas podem ser fluorescentes ou de LED (que economizam energia) ou mais amareladas para iluminar sem exigir muito das vistas. 

 

Iluminação colorida

Os spots de luz também podem ser usados para criar uma iluminação secundária com uma cor diferente. A cromoterapia utiliza os espectros de cor como meio terapêutico para harmonizar e criar ambientes mais aconchegantes e relaxantes.

Então a iluminação central pode ter luz branca e os spots de luz secundários podem ter lâmpada ou fita de led colorida. Algumas cores utilizadas e suas propriedades são:

– Verde: equilíbrio de diminuição do estresse;

– Azul: efeito calmante e tranquilizante;

– Vermelho: aumenta a vitalidade e a energia;

– Amarelo: estimula o aprendizado e o sistema nervoso central;

– Laranja: aumenta a disposição e o aprendizado.

Dica: crie um projeto de iluminação dupla nos quartos e banheiros da casa.

 

2. Escolher o formato dos spots

O próximo passo de como colocar spots de luz é escolher o formato do spot. Os principais formatos de spot são:

O spot de luz quadrado é bastante versátil e pode ser usado embutido nas sancas de gesso do teto, em prateleiras, móveis ou sem embutir no teto. Se encaixa nos projetos de salas, banheiros e quartos. O acabamento das peças quadradas podem ser metálicos ou claros para ficarem invisíveis seja no modelo exposto ou embutido.

 

luz-spot-embutida-quadrado-sala-de-estar-iluminacao

Sala de estar iluminada com spots de luz quadrado (Foto: www.blog.iluminim.com.br/Reprodução)

 

O spot de luz de LED ganhou espaço pela eficiência energética da lâmpada. Por isso, são perfeitos para a iluminação central, mas também funcionam para a iluminação direcionada. Podem ser usados em projetos de bancadas de cozinhas, de áreas gourmet que precisam de iluminação durante a preparação dos alimentos ou de salas de estar.

 

spot-luz-led-quarto-iluminacao

Quarto de casal iluminado com spot de luz de LED Foto: www.doutorluz.com.br/Reprodução)

 

O spot de trilho é outra novidade que combina com as decorações modernas e contemporâneas. Os bocais dos spots ficam presos em tubos cilíndricos que são montados no tamanho e no design desejado. Uma grande vantagem do trilho é poder movimentar os spots dentro do espaço, e também direcionar os bocais para iluminar partes específicas. Para fazer a estrutura é preciso contratar uma mão de obra especializada.

 

spots-de-luz-direta-ikea

Spots de iluminação direta (Foto: Ikea/Reprodução)

 

O spot de luz embutido é aquele modelo que fica dentro da sanca de gesso aberta ou invertida. A estrutura dele não fica aparente e a luz pode ser mais ou menos intensa de acordo com a necessidade. Podem compor a iluminação interna do closet, da cabeceira da cama ou de um corredor de forma discreta. 

 

sala-de-estar-jantar-com-spot-embutido

Sala de estar e jantar com spot embutido na parede e no teto (Foto: Energilux / Reprodução)

 

3. Planejar o posicionamento das peças

Ao longo do tópico acima, citamos diversos posicionamentos para os spots de luz. Escolher o posicionamento das peças de spot é fundamental para comprar a quantidade correta ou projetá-la com precisão.

Alguns exemplos de onde os spots podem ser posicionados são:

– nos cantos, aproveitando as aberturas da sanca de gesso;

– em cima do sofá;

– direcionado para a mesa do jantar;

– destacando uma parede com quadros;

– em cima do balcão da cozinha;

– na cabeceira da cama;

– na bancada do banheiro, etc.

 

Veja mais em: Iluminação: Deu na telha renovar? Tem na Telha!

 

4. Estudar a necessidade de luz de cada ambiente 

Apesar de os spots serem utilizados com o propósito de fazer uma iluminação direcionada, não quer dizer que esse tipo de iluminação seja menos eficiente. Por exemplo: na sala de estar onde você recebe pessoas, faz sentido a iluminação ser mais intensa e clara, portanto, os spots podem ser distribuídos para iluminar bem.

Nos quartos, a iluminação pode ser dupla com uma parte dos spots com luz intensa e outra, acima da cabeceira, por exemplo, com lâmpadas mais fracas ou coloridas. Dessa forma, estude cada cômodo — cozinha, banheiro, corredores, varandas, quartos, salas, etc — para adaptar os spots a necessidade de iluminação. 

 

5. Combinar o tipo de spot com a decoração

O ponto principal de como colocar spots de luz é combiná-los com a decoração. Os spots de trilho, por exemplo, são muito utilizados nas decorações de estilo industrial com o trilho móvel e na cor preta. Mas eles também podem ser adaptados às decorações mais clássicas em cores mais claras.

Os spots quadrados podem ser embutidos nas decorações minimalistas, cuja proposta é um espaço sem muitas interferências visuais. Assim, ao colocar spots de luz na sua casa, você vai unir: funcionalidade, acabamento da peça e posicionamento.  

 

Qual é a distância entre spots de luz?

Agora você já sabe planejar como colocar spots de luz na decoração da sua casa, escolher os modelos certos e analisar a necessidade de luz de cada espaço. Mas qual é a distância ideal entre spots de luz? 

Via de regra, a distância ideal entre um spot é outro é de 60 a 75 cm, ficando distantes de 15 a 20 cm da parede. A distância pode variar também dependendo do tipo de lâmpada. As de LED não produzem calor, ao contrário das lâmpadas dicroicas que geram calor e aquecem a superfície. 

Na dúvida, contrate a ajuda de um profissional para marcar a distância correta no projeto.

 

Leia também: Fita de LED: como usar na iluminação e decoração?

 

Compre seus spots de luz online

Gostou das dicas de como colocar spots de luz? Essa peça vai valorizar a decoração e também criar uma decoração funcional, eficiente e econômica para sua casa.

Na Telhanorte temos uma categoria completa de Spots para área interna e externa da casa, além de mais opções de iluminação como plafons, arandela Interna, luminárias de teto, luminária de embutir e mais.

Aproveite as ofertas do site e faça seu pedido online para receber no conforto de casa!

 

Edição por Veronicca Fernandes

Aprenda em 7 passos como projetar iluminação residencial

lampadas-luminaria-luz-pendente-projetar-estudo-iluminacao-casa-ambientes-comodos-teto

| Decoração

 

Fundamental para a experiência que você tem com o seu lar, a luz correta gera conforto, segurança e praticidade. Saiba como projetar iluminação residencial

 

Por mais que algumas pessoas a vejam, de forma equivocada, como um mero detalhe, a iluminação é uma características que mais agrega valor a uma casa. Ela é vital para que você consiga realizar todo tipo de atividade — como ler, estudar, cozinhar, comer, etc.

Mas, mesmo reconhecendo que a luz traz todos esses benefícios, como projetar uma iluminação residencial que atenda ao seus objetivos da melhor forma?

Por ser uma dúvida bastante frequente, no texto de hoje, vamos falar justamente sobre isso com várias dicas.

 

Como projetar iluminação residencial? Aprenda em 7 passos

Uma casa com iluminação bem projetada pode conferir, sem dúvidas, um conforto único para quem reside nela. Mas isso, ao mesmo tempo, requer alguns cuidados especiais já no momento do projeto de construção ou de reforma.

É por isso que vamos apresentar, a seguir, os 7 passos de como projetar iluminação residencial. Confira!

 

como projetar iluminacao residencial

(Foto: Unsplash / Divulgação)

 

1. Pense na iluminação desde o começo

Como adiantamos, é necessário que você pense na iluminação desde o início da reforma ou construção. Isso não só facilita a execução como ajuda a evitar gastos excessivos. Como os diferentes tipos de cômodos requerem vários tipos de iluminação, é importante levar a discussão à frente desde o começo.

Além disso, é vital que, durante esse momento, você também pense no objetivo que pretende cumprir dentro de cada cômodo da sua casa. Estudar as dimensões de cada ambiente, e ter isso em mente com clareza, afeta diretamente no tipo de iluminação a ser escolhido.

 

2. Conheça os tipos de iluminação

Por falar em tipos de iluminação, você deve ter em mente que há 3 principais:

 

Direta

Como o próprio nome já diz, é aquela que incide diretamente sobre algum ponto específico. Como quando um abajur ilumina parte da sua cama ou mesa de cabeceira.

Indireta

A indireta, por sua vez, é aquela bastante comum em forros de gesso. Amplamente utilizada em ambientes mais intimistas, este tipo de luz reflete na superfície e se distribui pelo ambiente.

Difusa

Por fim, a luz difusa é o tipo de iluminação que distribui uniformemente a luz pelo ambiente. Opção equilibrada, ela é muito utilizada em banheiros, quartos e salas.

 

Sugestão de leitura: Iluminação direta, indireta e difusa

 

3. Escolha um tipo de lâmpada

Há 4 principais tipos de lâmpadas:

Incandescente

São as lâmpadas mais antigas. Apresentam um baixo custo unitário, mas também maior consumo de energia e vida útil não muito longa. A comercialização das lâmpadas incandescentes está proibida no Brasil desde 2016.

Halógena

São as lâmpadas incandescentes que sofreram a adição de gases halógenos, o que aumenta sua vida útil. Para gerar uma forte iluminação aos ambientes, as lâmpadas halógenas também consomem mais energia. Sua utilização mais frequente é em destaques de decorações, jardins e afins.

Fluorescente

Tendo o amplo período de vida útil como destaque, as lâmpadas fluorescentes podem levar até um minuto para ligar. Por isso, sua instalação deve ser priorizada em ambientes que precisam de iluminação por um longo período de tempo. Suas versões amarelas são recomendadas para quartos e salas, enquanto as brancas para ambientes como banheiros e cozinhas.

LED

Em função da economia de luz e de alguns outros fatores, a procura pelas lâmpadas de LED só tem aumentado. Além de ser esteticamente agradável, ela chega a ser até 80% mais econômica se comparado às lâmpadas incandescentes e halógenas. Muito por conta disso, grande parte dos arquitetos tem preferido esse tipo de lâmpada em seus projetos. Além, claro, dos refletores em led, que são ótimas alternativas para a área externa da sua casa.

 

4. Observe as especificações das luminárias

Cada luminária conta como características próprias. Dessa forma, ainda que não haja uma regra a ser seguida de forma rígida, você deve se atentar a essas especificações. Confira se elas atendem ao tamanho do cômodo, à altura do pé direito e aos seus objetivos, em geral.

A iluminação feita com spots de LED, por exemplo, é ideal para lançar uma luz mais direcionada em algum ponto que você tem a intenção de destacar. Por outro lado, esse tipo de iluminação não é indicado para ambientes em que é necessária uma luz difusa. Você deve sempre estar atento a essas especificações!

 

5. Escolha uma cor de iluminação

Uma dúvida frequente é qual tonalidade de luz usar. As mais frequentes são branca ou amarela.

No momento dessa definição, é preciso que você tenha em mente quais sensações quer ter nos espaços da sua casa. Em geral, é importante saber que é mais comum optar por lâmpadas com temperatura de cor quente em áreas íntimas e sociais, como quartos e salas, enquanto lâmpadas com temperaturas frias são mais usadas na cozinha e em áreas de trabalho, como escritórios e lavanderias.

Evite sempre usar tonalidades de luz diferentes em ambientes integrados.

6. Respeite cada cômodo

Principalmente na hora da instalação, é importante respeitar as dimensões de cada cômodo e o que eles pedem. Quando for pendurar lustres, por exemplo, é importante ter cuidado com as alturas. O recomendado, por exemplo, é que a altura da lâmpada fique entre 75 cm e 80 cm da mesa de jantar.

Se opção for medir direto do piso, o ideal é que o lustre fique numa altura entre 1,60 m e 1,70 m.

 

Sugestão de leitura:  Altura de pendentes: medidas ideais para instalação

 

7. Não deixe de improvisar

Se, ainda depois da conclusão do seu projeto de iluminação residencial, você não chegou ao resultado esperado, não se acanhe em improvisar. Há diversas alternativas para agregar à sua construção ou reforma e aumentar ainda mais a sua satisfação.

Um exemplo são as fitas de LED. Bastante charmosas, elas podem ser instaladas atrás da cabeceira ou até mesmo no forro, agregando à iluminação da sua casa. Além disso, elas são muito comuns para decorar os banheiros, já que dão a impressão de que o espelho flutua sobre a parede. O visual fica mais leve e deixa o local com uma iluminação adequada.

 

Este material foi útil para que você entendesse como projetar iluminação residencial? Continue acompanhando os conteúdos do nosso blog para ter ainda mais segurança no que vai decidir para a sua casa! E lembre-se: independentemente da sua opção, a Telhanorte está aqui para ajudar! Fazemos entregas em todo o Brasil e parcelamento em até 8x!

 

Edição por Murilo Bonício e Camila Alexandrino

Como escolher um refletor de LED em 4 etapas e acertar na iluminação

Como escolher um refletor de LED

| Área Externa

Atualmente é possível encontrar até refletor de LED que funcione via energia solar! Leia a matéria que preparamos a seguir e escolha o refletor de LED ideal para você

 

A tecnologia LED já se provou a forma mais econômica e sustentável de melhorar a iluminação de ambientes espaços e áreas externas. Mas você sabe como escolher um refletor de LED para atender suas necessidades?

Se você ainda ilumina sua área externa com refletores convencionais, sabia que o LED possui uma vida útil bem mais longa. Além disso, você vai gastar menos com manutenção, uma vez que não precisará trocar lâmpadas.

Você também vai sentir a economia na conta de luz, já que as lâmpadas de LED consomem menos energia elétrica. Sem falar que são ecologicamente corretas por não possuírem mercúrio ou qualquer outro tipo de metal na sua composição.

Atualmente é possível encontrar até refletor de LED que funcione via energia solar, o que elimina totalmente o consumo de eletricidade e proporciona ainda mais benefícios ambientais.

Se as vantagens desse tipo de iluminação parecem incontestáveis, vamos mostrar agora quais critérios você deve levar em conta para decidir qual o melhor refletor de LED para sua casa.

 

Como escolher um refletor de LED em 4 passos

Para saber qual refletor de LED atende melhor às suas necessidades, você precisará analisar quatro critérios básicos. Confira!

 

1 – Potência

Há refletores de LED com variadas potências disponíveis no mercado, desde 10 até mais de 1000 watts. Escolher a opção mais adequada, para um leigo, pode ser complicado.

Os modelos mais populares para áreas residenciais são os de 50 watts, com os quais é possível iluminar quintais e jardins maiores. Mas, no caso de áreas externas com até 10m², um refletor de 10 watts cumpre bem o papel.

Para espaços mais extensos, como um estacionamento, considere os refletores com potência entre 100 e 200 watts. Por sua vez, os refletores com mais de 300 watts já necessitam ser instalados em postes para abranger uma área ainda maior, como um campo de futebol.

 

2 – Cor da luz

Um dos diferenciais dos refletores LED é a possibilidade de optar por luzes de variadas cores. Além da luz branca, há opções como vermelho, verde, azul e amarelo.

Alguns modelos tem uma cor fixa, enquanto outros permitem a troca das cores, às vezes até por controle remoto. Esses são especialmente indicados para quem quer inovar na iluminação ou busca refletores que possam ser usadas em festas.

Mesmo quem preferir o refletor de luz branca terá opções. A luz branca fria costuma ser a mais procurada por oferecer luminosidade mais clara e intensa, mas, se a ideia é criar um ambiente mais aconchegante, a melhor escolha será a luz branca quente.

 

Confira também: Iluminação para ambientes: tipos e modelos para casa

 

 

Refletor-Ultrafino-LED-10W-6500k-Preto-Gaya-1776525

Refletor Ultrafino LED (Foto: Telhanorte / Reprodução)

 

3 – Segurança

Por oferecerem uma iluminação superior, os refletores de LED já são os mais requisitados pelos que querem aprimorar a proteção residencial. Então, se a segurança é um critério indispensável para você, invista em um refletor de LED com sensor de presença.

Por acender automaticamente ao detectar movimentos, o refletor de LED é uma ferramenta interessante para assustar possíveis intrusos. Esse modelo costuma ser especialmente eficaz em garagens e locais de passagem.

O refletor de LED com sensor de presença também é o melhor aliado das câmeras de monitoramento. E, além do incremento na segurança, ajuda a poupar o consumo de energia por ficar desligado enquanto não detectar deslocamentos.

 

4 – Durabilidade

Por serem usados para iluminação externa, os refletores de LED ficam expostos a uma série de fatores naturais. E não estamos falando apenas de sol, chuva e vento. Até seu animal de estimação pode representar um risco.

Por isso, na hora de escolher seu refletor, verifique se o modelo é resistente a ações da natureza e possui outras proteções especiais.

Já em relação à expectativa de vida do LED, um bom refletor costuma garantir uma iluminação de qualidade por um período de uso que varia entre 25.000 e 30.000 horas. Desconfie dos produtos que oferecem menos ou mais do que isso.

 

Como usar refletor de LED?

Agora que você já como escolher um refletor de LED, deve estar se perguntando como testá-lo para saber qual modelo é melhor pra você. Podemos ajudar com dicas sobre como usar o refletor de LED em cada situação.

Espaços de convivência com cadeiras, sofás e redes são iluminados de forma mais eficaz com refletores de luz branca. Nesse caso, a potência não precisa ser uma preocupação, mas sim o posicionamento da luz para valorizar a mobília e não travar a passagem.

 

Veja também: Como calcular quantidade de lâmpadas por metro quadrado

 

Agora, se você busca um refletor de LED para jardim, deve comprar um modelo com potência entre 10 e 50 watts. Aqui também vale a pena fugir da luz branca e apostar em tons verdes para valorizar a folhagem.

Já para saber como configurar o refletor de LED para piscina, sua prioridade devem ser as áreas de risco, como degraus. A próxima etapa é planejar a iluminação para as bordas e o espaço de passagem dos banhistas. Em todos os casos, um bom refletor de LED para piscina deve ter entre 20 e 40 watts. Quem quiser brincar com as cores, pode usar painéis de LED com tons de azul e verde.

E como calcular o refletor de LED necessário para áreas mais extensas como quadras e estacionamentos? A luminosidade dos refletores com mais de 100 watts chegam a até dez metros e são as mais indicadas para esses casos. Para os que querem “profissionalizar” a pelada de final de semana, um bom refletor de LED para um campo de futebol seria o modelo de 300 watts.

Painel- LED-de-sobrepor

Painel LED de Sobrepor (Foto: Telhanorte / Reprodução)

 

Onde comprar refletor de LED?

Já decidiu qual é o melhor refletor de LED para sua casa? Então agora pode contar com a Telhanorte para encontrar produtos que aliam variedade, qualidade e preço baixo.

Além dos refletores, na nossa seção de LED, você encontrará painéis e projetores para incrementar a iluminação da sua área externa. Além disso, na seção de Iluminação, você terá vários tipos de luminárias para iluminar sua casa de forma inteligente.

Acesse nossa loja virtual, escolha seus produtos e faça sua encomenda utilizando o WhatsApp, por exemplo!

 

Edição de Alvaro Oliveira

Espelho de parede inteira e os seus segredos

parede-vidro-mosaico-decoracao-apartamento-casa

| Decoração

 

Quer conhecer algumas dicas e truques para aproveitar ao máximo as características do espelho de parede inteira? Continue a leitura e descubra tudo!

 

Se você é fã de decoração e adora procurar truques para transformar ambientes, trazendo características inimagináveis aos espaços, certamente já conhece a estratégia do espelho de parede inteira.

Versáteis, os espelhos colecionam diversas qualidades, que ajudam a transmitir sensações de amplitude, iluminação e até equilíbrio.

Saiba mais!

 

Motivos para usar espelho de parede inteira

Queridinhos dos arquitetos e projetistas, os espelhos são presença garantida em desenhos de decoração e ornamentação de espaços, especialmente pelas sensações que agregam aos ambientes nos quais são dispostos.

A seguir, você confere 4 motivos para usar espelho na parede inteira e desfrutar de todas as potencialidades desse objeto multifuncional.

 

1. Aumenta o ambiente

A principal e mais conhecida característica do espelho é seu potencial de aumentar ambientes. Isso acontece especialmente quando o objeto é instalado a exatos 90 graus do chão.

Outro fator que auxilia na sensação de amplitude é o tamanho da peça: portanto, se sua ideia é utilizar um espelho de parede inteira, saiba que, sem sombra de dúvidas, seu ambiente ganhará um espaço extra — ainda que seja apenas uma ilusão de ótica!

 

2. Reflete luz, tornando o local mais iluminado

Aliado a paredes claras e janelas grandes, os espelhos são ótimas ferramentas para deixar ambientes mais iluminados. Nesse caso, basta posicionar o espelho de forma estratégica, para que ele receba luz natural ou artificial com maior frequência. Como resultado, você terá um espaço mais leve e luminoso.

 

3. Traz sofisticação

Desde os primórdios, os espelhos são tidos como itens relacionados à sofisticação e à beleza. Hoje em dia, após releituras e adaptações aos mais variados estilos, as peças permanecem como alternativas-chave para deixar ambientes charmosos e personalizados.

Uma excelente ideia para quem procura formas de reformar casa/apartamento alugado, o espelho de parede inteira ajuda a diferenciar ambientes e trazer novos ares a espaços que não permitem grandes reformas.

4. Equilibra o ambiente

O Feng Shui é uma técnica milenar de harmonização. Os princípios da arte chinesa defendem que há formas de reorganizar elementos da casa para proporcionar uma melhor fluidez das energias, gerando equilíbrio no ambiente.

Agora, adivinhe só qual elemento é um forte aliado do feng shui? Ele mesmo, o espelho!

De acordo com estudos, o item repele energias negativas da casa. Por isso, sempre que possível, é interessante utilizar um espelho próximo a janelas ou portas, ou de frente para ambientes com vistas agradáveis e em contato com a natureza, como jardins com árvores frutíferas ou espaços com decoração sustentável.

 

Dicas para usar espelho de parede inteira na sala

A sala de estar ou a sala de jantar são excelentes escolhas de locais para abrigar o espelho de parede. Isso porque, de uma forma geral, costumam ser os ambientes mais amplos da casa.

Se essa é sua ideia, acompanhe nossas dicas a seguir!

 

1. Alie o estilo do espelho ao estilo do cômodo

Antes de escolher o espelho para a sua sala, é importante fazer uma avaliação do espaço: leve em consideração o estilo de decoração usado. Isso porque, em cômodos decorados com móveis escuros, seria interessante que o espelho ganhasse, sobretudo, a função de refletir luz. Sendo assim, é necessário posicioná-lo em um local de alta incidência de claridade, seja essa vinda da janela ou de lâmpadas de luminárias, arandelas ou spots.

 

sala-jantar-móvel-escuro-espelho-de-parede-inteira

Sala de jantar com móveis marrom-escuro e espelho de parede inteira próximo à janela (Foto: Futilish / Reprodução)

 

espelho parede inteira capa

Em uma sala de estar com móveis escuros, o espelho traz maior índice de luminosidade (Foto: Window Film and More / Reprodução)

 

2. Pense no tamanho do cômodo

Se sua sala de jantar é espaçosa, o espelho na parede inteira é uma ótima aposta. Porém, se sua sala for muito pequena, o espelho na parede inteira pode gerar um efeito indesejad0, pois concentrará um excesso estressante de reflexos e luminosidade, causando desconforto visual.

Em casos assim, um dos melhores truques para maior amplitude é fazer uso de espelhos menores – como objetos de decoração –  que não poluem o ambiente, mas ainda carregam consigo suas propriedades de iluminação e personalização do espaço.

 

espelho-como-acessório-de-decoração

Use espelhos como acessórios de decoração em ambientes pequenos (Foto: Photographee.eu / Reprodução)

 

Sugestão de leitura: Quer saber mais sobre o tema? Descubra como ampliar um ambiente usando truques simples e efetivos mesmo nos menores dos ambientes!

 

Truques para fazer decoração com espelhos na parede da sala

Quer ver alguns truques para fazer decoração com espelhos na parede da sala sem cair na mesmice? Então confira nossa seleção de ideias abaixo!

 

1. Mosaico

Uma das formas de fazer decoração com espelhos na parede da sala é criando mosaicos com as peças. Para isso, uma opção é usar espelhos com recortes em tamanhos, formas e profundidades diversas para compor um painel artístico e contemporâneo.

 

mosaico-espelhos-de-diferentes-profundidades

Parede com aparador espelhado e mosaico de espelhos de profundidade diferentes (Foto: Madeira Madeira / Reprodução)

 

parede-de-espelho-em-mosaico

Mosaico de espelhos moderno em parede completa (Foto: Vidraçaria Showglass / Reprodução)

 

mosaico-de-espelhos-com-bordas-laranjas

Que tal preencher a parede do banheiro com um mosaico de espelhos de bordas laranjas? (Foto: Revista Casa e Jardim / Reprodução)

 

parede-de-espelho-mosaico-led-showglass

Combinar mosaico de espelhos com fitas LED pode criar um resultado incrível e diferenciado (Foto: Vidraçaria Showglass / Reprodução)

 

2. Moldura diferenciada

Outra ideia para tornar espelhos objetos decorativos é usando uma moldura diferenciada. Quando harmonizada com os tons da decoração e das paredes, a moldura cria um ar de complementaridade ao espaço, integrando-se perfeitamente com os demais itens usados ali.

 

espelho-moldura-de-mosaico

Espelho decorativo com de pedaços de espelho em mosaico na moldura (Foto: Decor Fácil / Reprodução)

 

moldura-de-espelho-iluminada

Moldura iluminada em espelho de lavabo (Foto: Dicas de Mulher / Eve Dair Hersey / Reprodução)

 

 

moldura-espelho-com-conchas

Para os amantes do mar, por que não investir em um espelho emoldurado por conchas e estrelas do mar? (Foto: Angelinne / Reprodução)

 

moldura-espelho-natural

Use fibras e materiais naturais para trazer o clima de aconchego para a casa (Foto: Thaise & Jakeline Arquitetura / Reprodução)

 

3. Halls e corredores

Este truque é um verdadeiro pulo do gato. Se sua sala tem um hall ou corredor escuro, comprido e difícil de ser integrado à sala, pense no espelho como uma possibilidade de transformá-lo!

Além de dar vida ao local, o espelho pode ajudar a refletir luz e a dar a sensação de amplitude ao corredor.

 

decoração-de-hall-de-entrada-residencial-com-espelho-e-banqueta-de-veludo

Hall de entrada com banqueta de veludo e espelho de parede decorado (Foto: Viva Decora / Reprodução)

 

decoração-hall-de-entrada-com-aparador-moderno-e-parede-espelhada-com-espelho-parede-inteira

Corredor de entrada com aparador e mosaico de espelhos de parede inteira (Foto: Viva Decora / Reprodução)

 

hall-de-entrada-escuro-com-espelho

Corredor escuro com espelho de parede com ditas de LED para aumentar a iluminação (Foto: Ideias Decor / Reprodução)

 

espelho-de-corredor-com-porta-chaves

Espelho de parede com porta-chaves para corredor (Foto: ArchiExpo / Reprodução)

 

Como colocar espelho na parede da sala

Para entender como colar espelho na parede da sala, é preciso, antes de qualquer coisa, compreender que não se trata, apenas, de fixar o item no local desejado.

É preciso entender as características da parede, uma vez que ambientes úmidos, por exemplo, podem dificultar a fixação do adesivo do espelho ou soltá-lo a médio prazo. É importante sempre tomar cuidado com as tubulações que podem estar passando por dentro das paredes e que não devem ser furadas.

 

Sugestão de leitura: Quer saber Como detectar canos na parede antes de furar? Acesse essa outra matéria imperdível do nosso Blog e aprenda para não errar mais!

 

O ideal, em ambientes com tal característica, é apostar em silicones próprios para espelho, e aplicá-lo de forma estratégica em alguns pontos da placa de vidro. É muito importante deixar alguns pontos sem a cola, pois eles serão os responsáveis pela circulação do ar entre a parede ou móvel e o espelho.

 

Quanto custa para ter um espelho de parede inteira?

Agora que você já conhece as vantagens de ter um espelho de parede inteira e como colocá-lo na parede da sala, chegou a hora de falarmos sobre um importante ponto: o orçamento! Podemos dizer que o custo de uma parede média de espelho flutua entre R$1.400 e R$1.800, mas tudo depende de alguns fatores.

O primeiro deles é o tamanho do espaço disponível. O segundo é o tipo de acabamento. Existem diversas opções de acabamentos disponíveis no mercado, e cada uma delas tem um custo específico. Algumas das possibilidades são:

– Bisotê (que cria uma espécie de chanfrado nas bordas);

– Facetado (que dá uma sensação de emolduramento ao espelho);

– Em mosaico (junta diversos espelhos menores para compor a parede toda).

Outro fator que influencia no custo de uma parede de espelho é a tonalidade escolhida. A opção mais comum é a tradicional, que se assemelha ao tom prateado. Entretanto, há também espelhos de tom bronze ou fumê, que trazem ainda mais estilo e diferenciação ao ambiente.

 

espelho-fumê

A cor fumê se refere basicamente a um tom escuro, entre cinza e marrom, meio esfumaçado (Foto: Casa Criativa / Reprodução)

 

Conhecer truques de utilização do espelho de parede inteira ou mesmo os menores, como parte da decoração, pode transformar sua forma de compor ambientes. Lembre-se de que, em composição de espaços, é importante prezar pela harmonia e pelo equilíbrio do ambiente!

A Telhanorte conta com um variado leque de opções de espelhos decorativos com os mais diversos tipos de acabamento. Que tal visitar nossa seção de decoração e conhecer cada um deles?

 

Edição de Murilo Bonício e Camila Alexandrino

Iluminação direta, indireta e difusa: saiba tudo!

iluminacao-direta-indireta-arandela-luz-amarela-parede-tijolos-decoracao-decorativa

| Iluminação

 

Iluminação direta, indireta e difusa. Qual seria a melhor para a sua casa? Em meio a tantas opções, é normal ficar na dúvida! Leia mais e acerte sempre

 

Para isso, trouxemos nesta matéria as diferenças e particularidades de cada tipo de iluminação, bem como suas indicações. Desta forma, ficará mais fácil para você decidir qual a mais indicada para cada ambiente de sua casa.

Aqui, você também vai perceber que além de compor a decoração, a iluminação certa é essencial para garantir a funcionalidade dos ambientes. Com isso, além de deixar a sua casa mais bonita, suas necessidades serão plenamente atendidas.

 

Sugestão de leitura: Iluminação para ambientes: tipos e modelos para os cômodos da casa!

 

Quais as diferenças entre a iluminação direta, indireta e difusa?

Um bom projeto de iluminação é fundamental não apenas para promover bom fornecimento de luz aos ambientes, mas também para que a funcionalidade e necessidade de cada espaço sejam atendidas.

Pensando dessa forma, é importante que você conheça as diferenças e características da iluminação direta, indireta e difusa.

Essas três possibilidades são responsáveis por complementar a decoração, criar a atmosfera certa para cada cômodo e garantir o conforto visual. No entanto, para a aplicação correta, é necessário compreender o objetivo de cada uma.

 

Luz direta

 

spots-de-luz-direta-ikea

Spots de iluminação direta (Foto: Ikea / Reprodução)

 

A luz direta é um tipo de iluminação direcionada, ou seja, seu objetivo é iluminar um ponto específico. Por esse motivo, é considerada uma luz dura, visto que incide diretamente sobre algo.

Por essa característica, pode ser utilizada para:

O efeito da luz direta pode ser obtido com a utilização de spots, abajures e luminárias de mesa, pendentes, entre outros. No entanto, é fundamental escolher a lâmpada certa. Nesse caso, a mais indicada é a de luz branca de LED. Além de não emitir raios infravermelhos e ultravioletas, esse tipo de lâmpada não aquece o ambiente, não atrai insetos e não modifica a cor dos objetos.

Além disso, a luz direta possui dois subtipos: a difusa e a dirigida.

A luz direta difusa é aquela que distribui o fluxo luminoso por igual. Ou seja, a luz é emitida igualmente por todos os lados do objeto. Por essa característica, é muito utilizada para dar destaque a estruturas e formas.

Já a luz direta dirigida tem como principal característica o direcionamento do facho de luz para frente. Com isso, também ilumina uniformemente, mas em um plano horizontal.

A única ressalva de se utilizar a luz direta são superfícies brilhosas ou que emitem reflexos, tais como espelhos, vidros, mármore e porcelanato.

 

Luz indireta

 

lustre-sala-de-estar-luz-indireta-pinterest

Lustre em sala de estar (Foto: Pinterest / Reprodução)

 

A luz indireta é utilizada para iluminar todo um ambiente de maneira uniforme. Para chegar a esse resultado, o facho de luz é refletido sobre uma superfície e depois ampliado para todo o espaço.

Nesse caso, a luz pode vir através da instalação de arandelas e spots em pontos como:

Como já mencionado, saber a diferença entre a iluminação direta, indireta e difusa inclui conhecer qual tipo de lâmpada utilizar em cada opção.

No caso da indireta, a indicação são as fluorescentes amarelas ou fitas de LED amareladas. Como é uma iluminação mais suave, essa tonalidade de lâmpada ajuda a criar um ambiente mais aconchegante.

Considerando que a luz indireta reflete sobre algo antes de se espalhar pelo ambiente, as cores utilizadas nas paredes e tetos também podem influenciar no resultado. Por isso, as mais claras tendem a potencializar esse tipo de iluminação.

 

Luz difusa

 

plafon-acrilico-ambiente-a-eletrica-luz-difusa

Plafon na sala de estar (Foto: A Elétrica / Reprodução)

 

A luz difusa ilumina o ambiente de forma direta, porém suave. Sua principal característica é evitar contrastes e sombras nos objetos.

Esse tipo de iluminação recebe esse nome pois as lâmpadas utilizadas contam com uma espécie de filtro, denominado difusor. Podendo ser de acrílico ou vidro, seu aspecto leitoso retém até 20% da emissão de luz sem comprometer ou diminuir a capacidade de luminosidade.

Entre as vantagens da luz difusa está a possibilidade de utilizá-la em diferentes ambientes. Além disso, ela é bastante versátil, já que enfeita o ambiente, complementando ainda mais na decoração do espaço.

Para conseguir todos esses resultados, você pode utilizar plafons, arandelas ou luminárias de vidro branco leitoso. O uso de luzes de tonalidade amarelada também é uma opção, proporcionando um ar de conforto ao ambiente.

 

Mas em quais ambientes cada tipo de luz se adequa melhor?

Agora que ficou mais clara a diferença da iluminação direta, indireta e difusa, é provável que você esteja pensando em quais locais pode utilizar cada uma delas.

Para começar, é importante deixar claro que um mesmo cômodo pode receber vários tipos de iluminação. Ou seja, não é preciso escolher somente um e se limitar a ele. Essa mistura pode ser feita para complementar a luminosidade ou para trazer ao ambiente o efeito visual que você deseja.

Na hora de decidir qual a melhor opção entre esses três tipos de iluminação, considere não apenas o aspecto visual, mas também a funcionalidade do cômodo. O principal é otimizar a luz do ambiente, trazendo conforto e sensação de bem-estar. Sabendo disso, veja algumas sugestões de quando usar a iluminação direta, indireta e difusa:

 

Luz direta

 

Luz indireta

 

Luz difusa

 

Viu como é possível usar diferentes tipos de iluminação em um mesmo ambiente?

Para comprar lustres e pendentes, abajures, lâmpadas, spots, fitas de LED, plafons e tudo o que precisa para compor o projeto de iluminação da sua casa, visite uma de nossas lojas. Se quiser ainda mais praticidade, acesse a loja virtual da Telhanorte, escolha seus produtos e compre tudo on-line, pelo televendas ou WhatsApp.

 

Edição de João Victor Quintino e Murilo Bonício

Fita de LED: como usar na iluminação e decoração?

| Decoração

Tudo sobre o recurso de iluminação que tem virado tendência no mercado: as fitas de LED. Aprenda a alinhar a iluminação à decoração, com fotos de inspiração

 

Se está procurando uma maneira de dar um toque extra na decoração da casa, mas sem quebra-quebra e gastando pouco, a iluminação com fita de LED pode ser a solução!

As vantagens desse acessório que mais se destacam são: fácil instalação e  baixo consumo de energia. Além disso, a fita LED é bastante versátil e pode ser utilizada em diferentes pontos da casa, nos mais variados cômodos. Do teto ao chão, passando, inclusive, por móveis e corrimãos, você cria efeitos que deixarão seu lar ainda mais bonito, único e charmoso.

Quer saber como? Continue a leitura e descubra!

 

No que consiste a iluminação com fita de LED?

A iluminação com fita de LED consiste em uma sequência de luzes agrupadas em uma fita, geralmente adesiva, que pode ser aplicada em diferentes superfícies. Utilizada para personalizar ambientes, ela cria um efeito de luz indireta, contínua e linear, que serve tanto para auxiliar na iluminação principal quanto para dar destaque especial a algum ponto.

Uma alternativa à iluminação com fita de LED são as mangueiras, feitas com o mesmo modelo de lâmpada. Diferente das fitas, que são chapadas e finas, as mangueiras possuem formato cilíndrico e são um pouco mais rígidas e resistentes. Ambas são utilizadas para o mesmo objetivo, no entanto, as mangueiras são mais indicadas para tetos, forros e superfícies com grandes extensões. Já as fitas são ideais para decorar espaços menores, móveis, espelhos ou locais com muitas curvas e dobras.

 

fita-led-atrás-da-tv-na-sala

LED instalado em painel de televisão (Foto: Smart Material Solutions / Reprodução)

 

Vantagens de criar uma iluminação com fita de LED

1. É um acessório eclético

A fita LED é encontrada em diferentes cores, as quais ajudam ainda mais a compor os ambientes. Atualmente, existem três modelos de fita de LED quanto à temperatura:

 

2. É durável

Com boa resistência a alterações climáticas, as luzes das fitas de LED de boa qualidade têm vida útil entre 50 e 100 mil horas.

Outra forma de medir sua durabilidade é em anos. Alguns modelos podem ser utilizados de 5 a 10 anos sem apresentar nenhum problema.

 

3. É segura

Por não emitirem raios ultravioleta ou infravermelho, essas fitas são seguras tanto na instalação quanto na utilização. Além disso, não dissipam calor e não esquentam o ambiente. Também podem ser aplicadas em lugares mais baixos, como pisos e escadas.

 

Lugares que podem receber iluminação com fita de LED

1. Fita de LED para sanca

Sancas e tetos ganham destaque e deixam de ser coadjuvantes com a fita ou mangueira de LED, a depender da extensão do cômodo. Se não precisam de iluminação cheia, a exemplo dos corredores, o adereço pode facilmente substituir as lâmpadas tradicionais. Mas se precisarem, sem problemas também! Nesse caso, a iluminação com fita de LED será um complemento à iluminação central do cômodo.

 

Sanca-de-gesso-invertida

Sanca de gesso invertida em teto de uma sala de estar, com LED embutido (Foto: Ideia Brasil / Reprodução).

 

Leia também: Como iluminar sanca de gesso: dicas e ideias ilustradas

 

2. Fita de LED para quarto e para sala

O quarto e a sala são os dois ambientes que mais se beneficiam com a aplicação de fitas de LED. Isso porque existem diversos pontos nesses cômodos que podem receber o acessório. Na sala, por exemplo, um dos lugares em que mais se vê a instalação da fita é ao redor da televisão. Colocada atrás do aparelho, a luminosidade gerada dispensa a necessidade de manter as lâmpadas principais acesas enquanto se assiste à TV e ainda dá um destaque diferenciado ao filme, série ou videogame.

Além dessa opção, racks, painéis, estantes e cristaleiras são outros lugares que ganham um novo ar com o adereço. A dica fica apenas em não exagerar. Escolha um ou dois pontos que queira evidenciar e dê ênfase a eles.

 

 

Nos quartos, a fita de LED pode iluminar sancas, prateleiras, penteadeiras, nichos, janelas, cabeceiras de camas e closets. Se for um quarto infantil, o acessório substitui com eficiência as luminárias e luzes com dimmer, usadas para deixar o ambiente com uma luz suave e aconchegante. Isso contribui para uma qualidade de sono da criança durante a noite.

 

 

3. Fita de LED para cozinha

Na cozinha, o uso desse tipo de iluminação não é diferente. A proposta aqui fica em dar destaque para bancadas, balcões, prateleiras, rodapés e armários. Com esse recurso, cozinhas americanas ganham um ar ainda mais sofisticado. Porém, nada impede você de aplicar esse conceito nos modelos tradicionais também. Basta usar a imaginação!

 

 

4. Fita de LED para banheiro

No banheiro, algumas opções em que a fita de LED pode ser utilizada para criar destaque são: bancadas, banheiras, espelhos, sancas. A luz indireta gerada pelo acessório ajuda a deixar o ambiente elegante e moderno.

 

banheiro-com-espelho-luz-de-led

Espelho com LED sob bancada flutuante (Foto: Ideias Decor).

 

5. Fita de LED em outros locais

Mas além desses pontos, existem outros que podem ser destacadas com esse adereço, tais como:

 

 

Como instalar fita de LED

Passo 1

Comece definindo o local de instalação, assim, fica mais fácil saber qual potência de iluminação será necessária. As três principais potências utilizadas são:

Lembre-se também de verificar a voltagem no momento da compra. As fitas de LED podem ser 127 ou 220v.

 

Passo 2

Meça o tamanho da fita e corte a medida certa que será utilizada. De modo geral, esses itens têm uma marcação do local que pode ser cortado. Siga a indicação para evitar problemas de funcionamento.

 

Passo 3

Hora de instalar a fita no local escolhido! A maioria dos modelos possui dupla face, mas caso o que escolheu não tenha, basta utilizar uma cola instantânea ou de contato.

No momento de colocar a fita, não se esqueça de deixar as pontas que contêm os conectores livres, ou seja, de maneira que permita a ligação na tomada mais próxima. Na instalação em sancas e tetos, garanta que a fita de LED,  ou a mangueira, seja ligada à fonte de energia do cômodo. Isso permite que você acione o dispositivo pelo interruptor. Nesse caso, a ajuda de um profissional pode ser necessária.

 

Passo 4

Ainda sobre a instalação elétrica, a maioria das fitas de LED vem com um plug para ser ligado à tomada. Para os modelos que não dispõem dessa peça, é possível adquiri-la à parte. O mais importante nessa etapa é atentar-se à polaridade, quando for colocar os fios da fita de LED no conector (positivo com positivo, negativo com negativo).

Também é possível ligar as fitas a um dimmer, o que permite que você controle a intensidade facilmente. Outra opção é o acionamento por controle remoto, gerando ainda mais comodidade.

 

Gostou das dicas?

O mais interessante de utilizar as fitas de LED é que você pode decorar os ambientes exatamente conforme o seu gosto e projeto. Deixando tudo personalizado e único! Na hora de comprar os materiais, não abra mão da qualidade. A Telhanorte tem uma incrível variedade de itens de decoração, que vão deixar a sua casa ainda mais bonita.

Visite uma de nossas lojas ou compre online pelo nosso site, WhatsApp ou televendas!

 

Edição de Murilo Bonício e Vinicius Marques