manutenção | Blog Telhanorte

Saiba como escolher torneira para a pia da cozinha

torneira-agua-cozinha-pia-monocomando

| Cozinha

 

Precisando de uma torneira nova para a cozinha mas está em dúvida de qual modelo comprar? Confira opções funcionais e modernas

 

Na cozinha, a torneira é um dos elementos principais a compor o ambiente. No momento da escolha de uma torneira nova para a pia, você deve levar em conta diversos fatores. O design, a funcionalidade, diferenciais e tamanho da torneira podem ser decisivos na hora da compra. Confira os principais aspectos a serem considerados na hora de escolher a torneira ideal para a pia da cozinha.

 

Confira no site da Telhanorte: Torneiras para Cozinha

Torneira-de-mesa-para-cozinha-articulada-VTP362CWC-Esteves

Torneira de mesa para cozinha articulada VTP362CWC Esteves (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

O que considerar na hora de comprar uma torneira?

A praticidade de uso é um fator muito importante no momento de decisão do modelo de torneira para a cozinha. Para isso é preciso considerar o espaço disponível para a instalação, o tamanho da cuba na qual a água escorrerá, além da frequência e intensidade que a torneira será utilizada.

 

1. Espaço disponível

Para ambientes pequenos, com espaço reduzido na bancada, é recomendado escolher uma torneira menor e mais simples. Outro fator importante a considerar no momento da compra é o investimento disponível. A depender da obra, uma torneira de valor mais econômico pode ser o ideal para você.

 

Torneira para Cozinha de Mesa bica alta Gali Docol

 

Já para bancadas e cubas maiores (ou mesmo cubas duplas), o indicado são torneiras mais sofisticadas, com maior alcance de jato, bica maleável e articulada. Há uma grande variedade de produtos com diferentes funcionalidades, a depender do que você procura para a cozinha e do investimento reservado para a torneira.

 

Torneira para cozinha de mesa DOC Chrome bica alta black Docol

 

2. Tipo de instalação

Além do tamanho da torneira, o modo de instalação também pode acabar influenciando na dinâmica do espaço. Para bancadas estreitas, o recomendado é que as torneiras sejam instaladas na parede. Quando a pia é mais ampla, podem ser instaladas diretamente na superfície da bancada.

 

Torneira para cozinha Realce Jr cromada Forusi e Torneira para cozinha bica móvel Link cromada Deca

 

3. Design

Um terceiro critério de escolha importante é considerar a decoração do ambiente. Os elementos da cozinha devem estar em harmonia com o estilo predominante, seja ele industrial, moderno, minimalista, rústico, vintage, entre outros. Assim, a cor, o material e o design da torneira devem ser escolhidos de acordo com o seu gosto e a proposta da cozinha.

 

Torneira de mesa para cozinha Flex black Lorenzetti e Torneira para cozinha com filtro Twin cromada Deca

 

4. Funcionalidades

Além das características anteriores, há alguns outros componentes que podem complementar a torneira da pia. A torneira elétrica multitemperatura Hydra, por exemplo, possui uma bica móvel e um arejador articulável. Além disso, possui um sistema multitemperatura, que permite um determinado número de opções para encontrar a temperatura certa da água. O mesmo vale para a torneira elétrica de bica reta Clima Frio Fame, que permite a escolha de três temperaturas: água quente, morna e fria.

 

 

Outra opção que você encontra no mercado são as torneiras com filtro de água já acoplados. Na Telhanorte, você encontra modelos como a torneira com filtro Esteves ou também a torneira com filtro Belle Epoque Forusi, que possui acabamento cromado e não é indicada para instalações com baixa pressão.

 

 

5. Misturadores monocomando ou bicomando

Os misturadores são torneiras capazes de misturar a água quente com a fria. Enquanto os bicomandos apresentam dois registros (um para a água fria e outro para a quente), o controle de temperatura nos monocomandos é feito por meio de um único registro. Para saber mais sobre os misturadores, leia nossa matéria O que é torneira misturador monocomando e como escolher uma?

 

Misturador para cozinha cromado Deca e Misturador monocomando bica alta Alterna

 

Gostou das dicas?

Na Telhanorte, você encontra diversos modelos e um setor inteiro de torneiras para cozinha e misturadores para cozinha. Acesse agora e não perca a oportunidade de deixar a sua casa ainda mais bonita! Na nossa loja virtual, você também encontra tudo o que precisa para sua cozinha e lavanderiabanheiroárea externa, além dos melhores materiais de construção e itens para as obras em geral.

Não deixe de adquirir o cartão Telhanorte e acesse as melhores condições de pagamento do mercado.

 

O que é torneira misturador monocomando e como escolher uma?

 

Por Vinicius Marques | Edição de Stéphanie Durante

Como fazer planejamento de obra? 5 dicas fundamentais

Como fazer planejamento de obra

| Construção

 

Quer aprender o passo a passo de como fazer o planejamento de obra e evitar dores de cabeça? Veja dicas para comprar materiais, economizar e controlar prazos

 

Quando se pensa em construir, logo diversos problemas em potencial surgem. Afinal, o processo tende a ser longo e diversas variáveis podem aparecer durante a construção. Na hora de planejar a obra, existem diversos pontos que precisam ser levantados, anotados e catalogados de forma que você tenha na manga algumas soluções para problemas que possam surgir.

Para evitá-los, uma dica é se organizar e aprender como fazer um planejamento de obra. Neste artigo, traremos algumas dicas interessantes para te auxiliar nesse processo. O planejamento da obra tende a organizar tudo, desde a escolha de onde comprar o material e em que ordem comprar, passando por outras questões como: a escolha dos profissionais, como lidar com prazos e como fazer planilhas de planejamento de obra. Tudo isso precisa ser pensado antes de qualquer tijolo ser cimentado.

Outro ponto para ter em mente ao fazer o planejamento de obra é que ele deve ser um aliado e não um entrave! 

Muitas vezes coisas não previstas podem acontecer e mudanças podem e precisam ocorrer no plano inicial. Por isso, é necessário estabelecer margens de segurança e ser um pouco maleável para não acabar atrasando o serviço em vez de otimizá-lo.

 

Como fazer planejamento de obra?

Cada obra tem seu nível de complexidade, orçamento e prazos diferentes e tudo isso precisa ser levado em conta na hora de fazer um planejamento. Você nunca deve fazer o planejamento da obra pautado apenas no cenário ideal, onde tudo dá certo de primeira, em todas as etapas. Esse precisa ser apenas um dos cenários do plano, no caso, o mais otimista deles.

A partir disso, projete os cenários menos otimistas e até aqueles em que tudo dá errado! Pensar previamente num cenário catastrófico torna mais fácil, na prática, de perceber os possíveis erros se aproximando e, assim, mudar o curso da obra a tempo! O clima é talvez um dos maiores inimigos de uma obra real e funcional, já que sua imprevisão pode implicar em desperdício de matérias-primas, gastos extras com mão de obra e eventuais multas. É possível que você estabeleça um planejamento bem amarrado e as chuvas sejam intensas no período ou vários funcionários adoeçam e isso comprometa seus prazos. Nesses aspectos, seu planejamento precisa ser maleável e ter um plano de ação para cada caso que sai do previsto!

 

5 dica de como fazer planejamento de obra

1. Estude a viabilidade da obra

O primeiro passo a se fazer quando se pensa em planejar a obra é conhecer bem o local e estudar a viabilidade de uma obra ali – avaliando, por exemplo, quais tipos de construção o local suporta. Isso é fundamental para definir se é possível e viável, física e financeiramente falando, fazer o que você tem em mente. A partir desse estudo será possível estipular o seu gasto e comparar para ver se ele cabe no orçamento.

Caso você seja a empresa responsável pela construção, será necessário levar em consideração o fluxo de caixa do seu negócio para calcular as entradas e saídas da obra. Quanto mais você puder saber sobre a obra em si, mais preciso será o cálculo do custo total e real dela. Por isso, procure todos os documentos, materiais descritivos e tudo mais que você encontrar a cerca do terreno.

Algumas informações que podem ser úteis para a planilha de planejamento de obra são:

Custo de Projeto (Arquiteto, estruturas, instalações);

Equipamentos e ferramentas que precisam ser adquiridos;

Custo médio de cada etapa da obra (fundação, alvenaria, instalações elétricas e hidráulicas e acabamentos);

Custo de mão de obra;

Custo de regulamentação e documentação.

 

Leia também: Lista de ferramentas para construção: 17 itens do kit básico

 

2. Criação do projeto arquitetônico

Outro ponto fundamental e que servirá, muitas vezes, como o guia da obra, é o projeto arquitetônico, que, assim como o planejamento, também precisará ter uma versatilidade para possíveis imprevistos.

Após fazer o levantamento médio dos custos, avaliando ser viável realizar a obra, você precisa contratar um arquiteto para realizar um projeto em cima das condições disponíveis no terreno e, claro, dos seus gostos pessoais. Além disso tudo, é preciso que o projeto respeite às leis para evitar multas e possíveis custos a mais. Algumas normas são regionais, mas no geral você precisa se preocupar com:

Estaqueamento de água;

Desempenho térmico;

Acústica e iluminação;

Saúde e Meio Ambiente;

Higiene e Saneamento Básico;

Qualidade do ar;

Funcionalidade e acessibilidade;

Conforto e Ergonomia.

 

Alguns pontos são obrigatórios apenas para construções feitas por empresa ou para revenda, por isso, consulte como se aplicam as normas no caso do seu terreno.

 

Leia também: Como construir uma casa sustentável: do tijolo à elétrica!

 

3. Legalização da Obra

Por falar em normas, não se pode deixar de lado a burocracia, quando se pensa em como fazer planejamento de obra. Após aprovar o projeto, é preciso se atentar a todas as taxas e licenças que precisam ser pagas antes e durante as obras, para que não haja multas. A execução da obra só pode ser iniciada após aprovação do projeto pela prefeitura e, por isso, é interessante escolher arquitetos experientes e acostumados com as normas e diretrizes regionais.

Esse processo, que começa antes de se iniciar a obra, continua durante o avanço de cada etapa, até o final dela. No caso de construções comerciais, é necessária uma vistoria prévia do corpo de bombeiros, por isso, fique atento!

 

4. Defina um orçamento para cada etapa

Você só poderá definir o custo total da obra após a conclusão. Não é possível prever e projetar algo tão complexo de maneira exata, por isso, a dica aqui é que se estabeleça um orçamento e um prazo estimados para cada etapa da obra. Desta forma, será possível fazer um cálculo aproximado do quanto será gasto, antes do final da construção! Além disso, fica mais fácil administrar a verba. Caso uma etapa gaste mais ou menos do que o previsto, você poderá enxugar ou expandir os recursos de outra!

Organize uma planilha de planejamento de obra para manter os valores controlados. Uma ferramenta interessante para isso é o SINAPI, o Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção CivilPor meio dele é possível levantar custos e preços da obra com dados atualizados pela CAIXA!

 

5. Execute e acompanhe

Por fim, tão importante quanto planejar é garantir a boa execução do planejamento e acompanhar o andamento da obra de perto. Pode ser um processo cansativo, mas estar atento ao dia a dia do canteiro de obras vai te poupar muito tempo e dinheiro. Sempre tente entender como as coisas se desenvolvem, para compreender os problemas e buscar soluções rápidas quando (e se) eles surgirem.

 

Aprendeu como fazer o planejamento de obra?

Começar uma obra pode ser complicado se você não tiver os materiais e ferramentas certas, não é mesmo? Por isso a Telhanorte possui um vasto catálogo que pode te auxiliar neste processo. Em nossa loja virtual, você encontra tudo o que precisa para sua cozinha e lavanderia, banheiro, área externa, além dos melhores materiais de construção e itens para obras em geral. 

Aproveite nosso cartão de crédito Telhanorte e acesse as melhores condições de pagamento do mercado!

 

Edição de Murilo Bonício e Vinicius Marques

Como comprar tinta de qualidade

tipos-tinta-esmalte-tipos-tinta-esmalte-madeira-aplicacao-pintura-base-oleo-agua-corte

| Dicas

 

Saiba como escolher tintas de qualidade para a sua reforma

 

Comprar tinta pela internet pode ser arriscado, não é mesmo? Sem a presença de um profissional de confiança ao lado, pode surgir o medo de escolher um produto com pouca qualidade e ineficiente. Mas sabia que há algumas maneiras para você conseguir escolher uma boa tinta, sem medo de errar? Confira o nosso guia, para te ajudar a comprar a tinta ideal para a sua obra.

 

Confira em nosso site: Tintas

Tinta-acrilica-Gesso-e-Drywall-branca-36L-Suvinil

Tinta acrílica Gesso e Drywall branca 3,6L Suvinil (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Como comprar tinta com segurança

 

1. Conheça as necessidades da sua obra

Um primeiro passo importante é ter bem definido o que você precisa. Para isso, a ajuda de um especialista pode ser essencial. A superfície que você irá pintar será de madeira, gesso, concreto ou metal? Será na área externa ou interna da casa? O que será pintado: móveis, paredes ou o chão? Ter essas informações na ponta da língua te ajudará a comprar o tipo certo de tinta, seja ele tinta acrílica, látex PVA, esmalte sintético, epóxi, etc.

 

Sugestão de matéria: Aprenda como fazer o planejamento de obra e conheça os principais tipos de tinta.

 

Além disso, para te ajudar nessa escolha, é interessante que você saiba os níveis de resistência à abrasão e resistência à água necessários e o poder de cobertura que você precisa para cada superfície. Você também precisará escolher entre categorias diferentes de tinta: Econômica, Standard, Premium e Super Premium.

A Econômica é a opção mais barata dentre as quatro, é indicada para demandas mais simples e pontuais e seus resultados são mais limitados, em relação às demais categorias. A tinta Standard já possui mais opções e traz melhores resultados, podendo ter um ótimo custo-benefício, a depender do que você precisa. As tintas Premium e Super Premium são mais resistentes à abrasão, sol e água e possuem qualidade elevada, o que faz com que os preços subam também.

 

2. Verifique as certificações do produto

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), possui uma série de normas (NBR) para a categoria de tintas, determinando certos padrões que cada tipo de produto deve seguir. Você pode encontrar as NBR as quais cada produto se adequa nas embalagens ou informações técnicas. Algumas dessas normas são:

NBR 11702:2010 – Tintas para construção civil – Tintas para edificações não industriais – Classificação
NBR 13245:2011 – Tintas para construção civil — Execução de pinturas em edificações não industriais — Preparação de superfície.
NBR 14940:2010 – Tintas para construção civil – Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais –
Determinação da resistência à abrasão úmida.
NBR 14942:2003 – Tintas para construção civil – Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais –
Determinação do poder de cobertura de tinta seca.
NBR 14943:2003 – Tintas para construção civil – Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais –
Determinação do poder de cobertura de tinta úmida.
NBR 15079:2011 – Tintas para construção civil – Especificação dos requisitos mínimos de desempenho de tintas para edificações não industriais
– Tintas látex nas cores claras.
NBR 11702:2010 – Tintas para construção civil – Tintas para edificações não industriais – Classificação
NBR 13245:2011 – Tintas para construção civil — Execução de pinturas em edificações não industriais — Preparação de superfície.

 

3. Consulte o Programa Setorial da Qualidade

O Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Habitat (PBQP-H), em seu Programa Setorial de Qualidade (PSQ), é um grande responsável por certificar produtos e produtores no país. A maior parte das empresas fornecedoras de tinta estão certificadas pelo programa. No site Tinta de Qualidade, você pode checar se a marca que você está para comprar foi qualificada pelo PSQ ou não.

 

4. Cheque o teor de solventes orgânicos voláteis (VOC)

Hoje em dia, muitas pessoas têm como critério de compra escolher produtos que não causem grandes impactos no meio ambiente. Por isso, na hora de comprar a tinta, verifique se na embalagem há selos que comprovem o baixo impacto e sustentabilidade do produto e marca.

O teor de solventes orgânicos voláteis (em inglês, volatile organic compounds – VOC) é o índice de solventes presentes na tinta que, em contato com o ar, produzirão ozônio, poluindo a atmosfera. O seu valor é geralmente apresentado em gramas de solvente por litro de tinta. Assim, produtos com índices baixos de VOC terão menos impacto negativo no ambiente. O cálculo do VOC é feito a partir da seguinte fórmula: VOC = (100 – SP) x ME x 10, onde SP se refere à porcentagem de Sólidos por Peso e ME, à Massa Específica da tinta líquida, em gramas por litro.

 

5. Saiba qual acabamento escolher

Além de escolher entre tinta acrílica, látex PVA, epóxi, esmalte, verniz, entre outras , você também precisará escolher o acabamento adequado à superfície que será pintada. Uma dica fundamental é considerar o ambiente como um todo, harmonizando todos os elementos do espaço. Crie uma decoração agradável e bonita! Os principais acabamentos que você encontra no mercado são: acetinado, fosco, semibrilho e brilhante.

 

tinta-suvinil-clássica-premium-maxx-camurça

Tinta Suvinil Clássica Premium Maxx PVA 3,6 litros camurça (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Agora é só pintar!

É importante lembrar que a tinta que você escolher deve ser tão boa quanto a qualidade das  ferramentas com as quais você pinta. O uso de ferramentas de alta qualidade te ajudará a obter o melhor resultado.

Confira a sessão de Tintas no site da Telhanorte e compre tudo que você precisa para a pintura da casa: massas, acessórios, verniz, stain e muito mais! Se precisar, entre em contato com a nossa equipe pelo WhatsApp ou visite uma de nossas lojas!

 

Conheça os principais tipos de tinta

 

 

 

Por Vinicius Marques

Organizar ferramentas: 7 opções simples e práticas

Como usar uma plaina

| Dicas

 

Dicas de como organizar ferramentas em casa, na marcenaria, serralheria e outros locais. Aposte no uso de caixas, painéis, prateleiras e mais. Confira!

 

Toda casa, escritório ou ambiente comercial possui – ou deveria possuir –  um kit de ferramentas básicas organizado!

Seja um martelo, uma chave de fendas ou um alicate, na hora que você mais precisa, você sabe exatamente onde encontrar? Imagine, então, se estamos falando de uma oficina mecânica, uma marcenaria ou uma serralheria que possui uma quantidade enorme de itens!

Vamos combinar que ficar procurando uma ferramenta no meio da bagunça não é nada agradável. Principalmente, porque você perde um tempo enorme e, com isso, seu humor e energia vão diminuindo, enquanto deveriam estar em níveis excelentes para por a mão na massa!

E a palavra mágica para evitar todo esse estresse é organização! Portanto, vamos conversar um pouco sobre como organizar as ferramentas?

 

Como organizar as ferramentas: primeiros passos

Organização é tudo de bom! Vai te poupar o trabalho de ficar procurando ferramentas, otimizar o tempo e dar ânimo para novas empreitadas. E não é necessário fazer altos investimentos para organizar as ferramentas… Com materiais bem simples e baratos você consegue atingir seu objetivo e ter as ferramentas facilmente à mão.

Nada como você procurar um item e ele estar ali, no lugar certo, reservado para ele. Isso sem falar da economia! Afinal, se você não acha uma ferramenta, pode ser necessário ter que comprar outra… Mas para que isso aconteça, é preciso primeiro gastar um pouco de tempo e paciência – para não precisar perdê-los nunca mais! Antes de começar propriamente a organização das ferramentas, é preciso seguir os seguintes passos:

 

a) Defina o espaço que vai ser utilizado para colocar as ferramentas. Esse espaço deverá ficar reservado exclusivamente para as.

b) Dentro do espaço selecionado, verifique de que forma as ferramentas serão colocadas, seja utilizando um painel perfurado, ou colocando em caixas organizadoras, prateleiras e maletas específicas.

c) Separe as ferramentas por categorias, por exemplo: ferramentas elétricas, ferramentas manuais, parafusos, pregos e por aí vai.

d) Desapegue-se daquelas ferramentas que não serão mais utilizadas – por estarem quebradas, desatualizadas, oxidadas ou enferrujadas. Descarte-as no lixo reciclado ou dê para alguém que ainda possa fazer uso delas, afinal, só estão ocupando um espaço precioso. 

e) Quando for usar as ferramentas, lembre-se de recolocar as mesmas sempre no devido lugar. Rotina é importante nesse quesito. Evite ficar mudando as ferramentas de lugar. 

f) Crie o hábito de manter sempre esse local devidamente organizado. Não adianta organizar se não houver uma manutenção. Afinal, o trabalho irá render bem mais quando feito em um local limpo e organizado!

Então, vamos ver como organizar as ferramentas e quais os tipos de materiais que podemos utilizar para atingir esse objetivo?

 

1. Painel perfurado ou Pegboard

Também conhecido como chapa perfurada de eucatex ou xapadur perfurado, o painel perfurado de madeira é uma excelente forma de organizar, no qual podem ser pendurados ganchos diversos, cestas e outros acessórios, mantendo as ferramentas visíveis e ao alcance das mãos. 

 

pegboard-painel-de-madeira-estante-preteleira-barata-1

Pegboard: a tendência dos painéis de madeira veio para ficar (Foto: Casa da Valentina / Reprodução)

 

2. Painel perfurado metálico

Caso você possua muita ferramenta, e dependendo do peso total delas, sugerimos que você utilize uma grade metálica para fazer o painel. Ela pode ser feita com qualquer tipo de aramado ou tela perfurada de metal. 

Como organizar ferramentas

Painel metálico para suporte de ferramentas (Foto: Anhaguera Ferramentas / Reprodução)

 

3. Painel de madeira

Numa linha mais rústica, caso você disponha de restos (ripas) de madeira, um pallet que não esteja usando, uma placa de MDF ou uma chapa de compensado, você poderá transformá-los também num painel de ferramentas, com o auxílio de alguns pregos. Depois, é só pendurar as ferramentas. 

 

Como organizar ferramentas

Painel de ferramentas com deck de madeira (Foto: Do Edu / Reprodução)

 

4. Maleta para ferramentas

Caso você não tenha muitas ferramentas, essas podem ficar acondicionadas em maletas específicas.  Suas ferramentas ficarão sempre à mão e guardadas em local apropriado. Elas são práticas, geralmente com divisórias e até mesmo pequenos bolsos internos. Você vai encontrar maletas em tamanhos e materiais variados (plástico, alumínio, ferro, etc.) e até mesmo algumas em formato de carrinho, facilitando assim o transporte da mesma. 

 

Telhanorte1

Caixa para ferramentas maleta MFV312 36x16cm amarela e preta Vonder (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

5. Caixas organizadoras

Uma boa forma de como organizar as ferramentas é usando as caixas organizadoras. Utilize preferencialmente as caixas transparentes, pois facilitam na localização do que se procura. Caso contrário, não se esqueça de colocar uma etiqueta por fora da caixa, indicando seu conteúdo. Isso irá agilizar a procura pelas ferramentas.

 

caixa-organizadora-plastico-sanremo

Caixa organizadora Top Stok Sanremo. Confira essa oferta! (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Leia também: Casa sem bagunça: saiba como organizar usando caixas e cestos

 

6. Prateleiras

Outra excelente forma de como organizar as ferramentas: as prateleiras. Elas são uma forma prática de deixar as ferramentas visíveis e organizadas. De preferência, coloque as ferramentas em recipientes transparentes e/ou etiquetados. 

 

Como organizar ferramentas

Ferramentas dispostas em prateleiras (Foto: i1 / Reprodução)

 

7. Potes de vidro e potes plásticos

Os potes normalmente são utilizados para organizar objetos menores, como parafusos, pregos, porcas, arruelas e buchas. Eles são muito úteis para miudezas, impedindo que fiquem espalhadas. E você deve ter diversos em casa! Você pode utilizar para isso os potes de maionese, de palmito e de azeitonas que já não têm mais serventia, por exemplo. Assim, você ainda contribui para que não sejam descartados na natureza de forma imprópria!

 

Image result for pote de vidro com ferramenta

Potes de vidro com ferragens pequenas (Foto: Minha Casa Minha Cara / Reprodução)

 

É sempre importante e necessário ter uma caixa de ferramentas, mesmo que pequena, dentro de casa, para eventuais consertos e emergências que possam surgir. O que não é necessário é ter que revirar a casa à procura delas! E, para isso, deixá-las organizadas e em local de fácil acesso é a melhor saída. Agora que você tem diversas dicas de como organizar suas ferramentas, coloque-as em prática! Veja como essa organização facilitará o seu dia-a-dia!

A Telhanorte oferece um departamento inteiro com itens para a organização da casa. São centenas de opções, incluindo cestas e caixas organizadoras, lixeiras, itens para organização do closet, banheiro, cozinha, áreas de serviço e muito mais. Acesse nossa loja virtual, selecione os produtos que vão deixar a sua vida mais prática e receba tudo em casa. Você também pode visitar uma de nossas unidades físicas, comprar por telefone ou Whatsapp.

Aproveite e conheça nossa sessão Outlet e faça suas compras com o cartão Telhanorte, para ter acesso a condições de compra e descontos imperdíveis!

 

Edição  de Murilo Bonício e Vinicius Marques

Aprenda como usar uma plaina manual ou elétrica

Como usar uma plaina

| Ferramentas

 

Saber como usar uma plaina, seja você um profissional ou amador, vai te ajudar a criar projetos com melhor acabamento e com mais facilidade.

 

As plainas são ferramentas necessárias para nivelar peças de madeira — desde portas até placas que são parte da construção de móveis. Elas não substituem as lixadeiras. Pelo contrário: elas podem ser usadas em conjunto. Enquanto as plainas nivelam desníveis mais grosseiros nas placas de madeira, a lixadeira faz o acabamento ficar mais delicado e fino.

Existem dois tipos principais de plainas: as plainas manuais e as elétricas. Ambas permitem consertar imperfeições nas peças, mas podem exigir maior ou menor esforço de quem realiza o procedimento.

 

O que é plaina e para que serve? 

Como dissemos, as plainas são ferramentas manuais e servem para aplainar, desbastar, facear, alisar e nivelar. Com o movimento correto, a ferramenta é capaz de cortar, aplainar e retificar estruturas de madeira, tirando lascas de madeira fina até que toda a extensão desejada fique alinhada e sem ondulações ou desníveis. Após o uso, são recomendadas lixas finas, que irão preparar a peça para a aplicação de acabamentos, como verniz, tinta e esmalte.

 

Como usar uma plaina?

Tanto a plaina manual quanto a elétrica possuem, basicamente, o mesmo modo de uso. Será necessário o uso das duas mãos. Enquanto uma empurra a ferramenta, a outra mão direciona o movimento e pressiona a peça de madeira que está sob a plaina. 

 

plaina-manual

Plaina (Foto: Pixabay/Reprodução)

 

Não é indicado o movimento de vai e vem. Você deve posicionar a plaina e empurrar em direção ao pedaço de madeira que deve ser desbastado. Depois volte à posição inicial e faça o movimento de empurrar, mais uma vez. Repita a operação até a peça estar nivelada.

 

Plaina manual

Existem vários modelos e tamanhos de plainas manuais. Entretanto, para projetos de marcenaria, a mais indicada é a de número 4. No caso da plaina manual, é indicado que você use lâminas bem afiadas para garantir o corte das lascas de madeira. Uma dica é usar o peso do corpo todo para fazer o movimento de “empurrar” da plaina. Isso ajuda a não cansar muito os braços.

Falando nisso, o cansaço e o esforço físico são a principal razão para as pessoas considerarem a plaina elétrica ao invés de uma plaina manual. Afinal, o uso de uma plaina manual por um longo período de tempo pode ser excessivamente cansativo, tornar o projeto mais demorado, além de causar dores nos braços, ombros e costas. 

Algumas observações sobre como usar uma plaina manual são importantes. Certifique-se de que as peças estão presas na bancada com a utilização de grampos próprios antes de você começar a usar a plaina — isso garante maior segurança durante o trabalho. Além disso, lembre-se sempre de usar as duas mãos para dar ainda mais suporte à plaina e à madeira e, por fim, use a plaina empurrando em direção ao veio, para evitar o surgimento de lascas. 

Uma dica de mestre é usar a plaina um pouco posicionada na diagonal, com a regulagem no mínimo, evitando que você tire lascas de maneira muito profunda. Confira, no vídeo abaixo, um tutorial de como usar a plaina manual, além de algumas dicas. 

 

 

Plaina elétrica

As plainas elétricas possuem os mesmos princípios das manuais, mas com uma vantagem considerável: a possibilidade de um melhor resultado com menos esforço, além da opção do uso de um regulador de profundidade.

No entanto, é preciso ter cuidado com esse modelo de plaina! Quanto mais profundo for o corte selecionado, mais madeira, consequentemente, será retirada. Isso pode ser um problema, já que, depois de retirado o pedaço de madeira, não é possível colocá-lo de volta. Para evitar erros, a dica é usar a regulagem sempre no mínimo, a não ser em casos especiais. Trabalhe em trechos menores da peça e não tente fazer o nivelamento da peça de uma só vez. 

Para entender como funciona essa regulagem e como usar uma plaina elétrica, assista ao vídeo abaixo, com um passo a passo simples. 

 

 

Dicas gerais para usar uma plaina elétrica ou manual

Bancada ou mesa de apoio

Estar atento ao tipo de mesa ou bancada que será usada para o trabalho, tanto profissionalmente quanto quem trabalha no quintal de casa, é imprescindível para garantir a segurança e a qualidade do resultado da tarefa. 

Prepare um lugar amplo, seguro, que aguente peso e não fique balançando. Fique atento também ao conforto, para que você não fique com dores nas costas, por exemplo. Se possível, opte por bancadas fixas e retas com 85 a 98 centímetros de altura.

 

EPIs

A segurança é um elemento indispensável para trabalhar com ferramentas manuais ou elétricas. Por isso, lembre-se de sempre usar luvas de proteção e óculos de proteção ao trabalhar com as plainas.  

 

Importante: Prepare a peça que será trabalhada. Antes de sair passando a plaina na peça de madeira, verifique se não há pregos e grampos, resina, tinta ou verniz.  Antes de usar uma plaina, passe um pano úmido na madeira e espere secar. 

 

Onde comprar plainas e outros acessórios?

Já sabe de tudo sobre o mundo das plainas? É hora de aproveitar as promoções da loja virtual da TelhanorteAqui você encontra os melhores preços de plainas, além de um setor de ferramentas com lixas, lixadeiras, rebolos e disco de desbaste e itens diversos para marcenaria. Conheça também o departamento de acessórios para ferramentas e a seção de ferramentas elétricas.  

Aproveite nossas promoções de plainas e as ofertas no departamento de Ferramentas, além de tudo o que você pode precisar para o setor de cozinha e lavanderia, banheiro, área externa, além dos melhores materiais de construção e itens para obras em geral. Aproveite nosso cartão de crédito Telhanorte e tenha acesso às melhores condições de pagamento.

 

10 ferramentas essenciais para ter em casa

 

Edição de João Victor Quintino e Vinicius Marques

Como fazer manutenção de persianas? Dicas para cada tipo

manutencao-persiana-2

| Dicas

 

Guia de limpeza e manutenção: saiba como fazer a limpeza e manutenção de persianas de acordo com o tipo e conserve um bom acabamento.

 

Como qualquer investimento com cuidados da casa, a manutenção de persianas é o que vai prolongar a vida útil e conservar a beleza desse produto!

Existem persianas de diversos materiais — PVC, tecido natural ou sintético — então, o tipo de limpeza deve ser cuidadoso o suficiente para preservá-los. 

A poeira e outras sujidades finas, além de gordura nos modelos para cozinha, devem ser removidos para evitar que o tecido ou o PVC fique encardido.

Para te ajudar a fazer a manutenção de persianas o mais corretamente possível, reunimos dicas relacionadas a limpeza para cada tipo, a frequência e também a como conservá-las bonitas e funcionais por mais tempo. 

 

Dicas para fazer a manutenção de persianas

Além do tipo de material, o que difere as persianas é a forma como são abertas e fechadas, por mecanismos diferentes. Com isso, os cuidados na manutenção também serão específicos de acordo com o tipo. 

A seguir, separamos dicas de manutenção de persianas para cada categoria. Confira!

 

Manutenção de persiana horizontal

Para fazer a limpeza da persiana horizontal, primeiro, é preciso que ela esteja totalmente baixada e fechada.

Em seguida, passe um espanador ou aspirador de pó para remover a poeira e sujeiras finas superficiais. Comece das faixas de cima em direção às mais baixas.

Evite usar esponjas – mesmo que macias – ou panos umedecidos para não danificar os cordões de poliéster que puxam a persiana.

persiana-horizontal-de-PVC-Primafer

Persiana horizontal de PVC 100x160x2,5cm cinza Primafer (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Manutenção de persiana vertical

A manutenção das persianas verticais também deve ser feita com ela fechada. Com um espanador, limpe a poeira superficial das tiras de cima para baixo.

Durante o processo, é fundamental ter cuidado com as tiras para evitar que elas se danifiquem, quebrem ou enrolem uma sobre a outra.

As persianas verticais de PVC podem ser limpas com um pano úmido e, nos modelos nos quais as tiras de PVC são revestidas de tecidos, o pano pode ser removido para ser lavado à parte. Para isso, procure um serviço especializado para higienizá-los.

 

Persiana-Branca-vertical

Sala de estar com persianas verticais (Foto: Detalhe Decorações / Reprodução).

 

Manutenção de persiana rolô

Existem dois modelos de persiana rolô: a convencional e a double vision que possui 2 partes.

Os 2 tipos podem ser limpos com o espanador de pó comum, sempre de cima para baixo para direcionar a sujeira ao chão.

Caso o material da persiana seja o blackout – feito com tecido filtra-sol – também é possível fazer a limpeza com um pano úmido e detergente neutro.

Nos modelos double vision é possível contar com a ajuda de um secador de cabelo na temperatura fria para agilizar a secagem das faixas da persiana.

Para uma limpeza mais profunda, o recomendado é enviar a persiana rolô para um serviço especializado.

 

persiana-rolo-1

Persiana rolô Double Vision (Foto: Persiana Brasil / Reprodução).

 

Manutenção de persiana romana

A persiana romana é feita com uma folha única que, quando fechada pelo cordão, se dobra em partes, uma sobre a outra.

Com a cortina toda aberta, a limpeza é feita com espanador. Os modelos com material blackout e tecido filtra-sol podem ser limpos com detergente neutro e um pano úmido, também.

 

persiana-romana-cascata

Persiana romana aberta (Foto: Decorações Berlin / Reprodução).

 

Qual a frequência de limpeza de persianas?

Para conservar as persianas, a frequência de limpeza pode ser semanal para evitar o acúmulo de sujeira, que aumenta a necessidade de uma limpeza mais profunda.

As persianas de tecido podem ser mandadas para limpeza especializada pelo menos uma vez por ano ou a cada dois anos, conforme a necessidade.

Contudo, alguns fatores aumentam a necessidade de uma limpeza e manutenção mais frequentes, como:

– janelas que dão para ruas movimentadas;

– janelas perto de ruas não asfaltadas;

– janelas com floreiras;

– tipo de cômodo – a cozinha exige uma frequência maior de limpeza do que quartos e sala, por exemplo;

– manuseio das persianas.

limpador-de-persianas-esfrebom-microfibra

Limpador de persianas Esfrebom microfibra 107 Bettanin (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Dicas de conservação de persianas

Além da limpeza, é importante ter atenção ao manuseio das persianas, pois o mau uso pode danificar os mecanismos e a estrutura.

Para conservar e evitar a necessidade de manutenção de persianas, não baixe a persiana com a janela ou porta abertas, pois chuva e vento podem danificar a estrutura.

Tenha cuidado ao abrir e fechar a persiana, siga as instruções do fabricante e manipule as cordas com cuidado, sem puxá-las bruscamente.

Faça a manutenção dos mecanismos de abrir e fechar, aplicando vaselina para lubrificar os encaixes que fazem a rolagem das cordas e evitar rangidos e emperramentos.

Se a sua cortina for de tecido de fibra natural, faça a limpeza a seco para evitar que o tecido perca maleabilidade e a firmeza original.

 

Vantagens da manutenção de persianas

Seguir os cuidados específicos de limpeza de acordo com o tipo de persiana e material, além de usar corretamente o mecanismo de acionamento trazem benefícios como:

– manter a beleza da persiana, que também complementa a decoração do ambiente;

– garantir o bom funcionamento, seja manual ou automático, da persiana ao longo dos anos;

– evitar a necessidade de limpeza pesada das peças;

– aumentar a durabilidade e a vida útil das persianas.

 

Sugestão de leitura: Persianas: Passo a passo para limpar a sua em casa.

 

Gostou das dicas de manutenção de persianas?

As persianas são opções eficientes para o controle de luminosidade de ambientes, além de serem duráveis e resistentes.

Ao instalar persianas na sua casa, capriche na manutenção para que cada ambiente tenha um bom acabamento.

Confira a categoria completa de Persianas no site da Telhanorte e também outras opções de Tapetes e cortinas para deixar a decoração da casa com a sua cara.

 

Edição de Murilo Bonício e Camila Alexandrino

Dicas para proteger a casa de praia da maresia

Ideias de decoração de casa de praia

| Ambientes Internos

 

Casa de praia vs. Maresia? Aposte no seu imóvel, derrote o inimigo e conquiste o tão cobiçado prêmio: a décor dos sonhos, sempre perfeita! Saiba como!

 

Se você adquiriu um imóvel no litoral com certeza está ciente dos problemas trazidos pela maresia, certo? Agora, se você acabou de começar sua busca por um, é importante entender todas as consequências desse efeito desde já!

Seja qual for seu caso, a questão é: você sabe mesmo como proteger a casa de praia da maresia? Continue a leitura e aprenda a vencer de vez esse adversário!

 

Maresia: o efeito indesejado

Viver, mesmo que apenas durante um período, em uma área marítima é estar, constantemente, em contato com uma peculiaridade não tão positiva para os imóveis: a maresia.

O calor e as altas temperaturas do litoral acabam por transformar os vapores de água salgada em uma espécie de névoa, vinda diretamente do mar. Essa névoa com alto teor de salinidade se deposita na superfície de portas, janelas, móveis e até objetos e, ao longo do tempo, oxida esses materiais – principalmente, aqueles que são mais predispostos a sofrerem com sua ação, como é o caso dos aços, ferros e metais.

Mesmo sendo um efeito inevitável, algumas medidas podem ser tomadas para aumentar a conservação das construções e seus interiores. Confira a seguir nossas dicas e aprenda como proteger a casa de praia da maresia!

 

Dicas para otimizar a conservação do seu imóvel

Conforme mencionado acima, alguns materiais são mais atacados pela ação da maresia e, conhecer melhor sobre o assunto, é fundamental antes de comprar ou dar inicio a reforma da sua casa de praia!

Aço e ferro (cujo processo corrosivo é amplificado pela maresia), tecidos permeáveis (que absorvem a umidade salina mais facilmente) e cerâmicas brilhantes (que perdem o acabamento e a resistência antes do previsto) são alguns dos mais atingidos pelo efeito. A recomendação nesse caso é substituir o uso desses materiais, desde o uso de móveis com pés e estruturas de ferro, até os pregos, dobraduras e fechaduras.

Veja mais abaixo!

 

1. Portas e Janelas

Quem está construindo uma casa ou, então, adora passear pelos corredores dos home centers, sabe que o preço das esquadrias pode ser um pouco salgado – e não só por conta da maresia!

Dessa forma, considerar uma troca constante desses materiais pode não ser a melhor escolha para seu bolso! Esse é o tipo de compra que deve ser realizada poucas vezes durante a vida útil de um imóvel, seja ele no centro da cidade ou na beira da praia.

Portanto, optar por janelas e portas – externas e internas – feitas de PVC pode ser a melhor saída. Embora possam amarelar com o tempo, o custo de um retoque em suas pinturas com certeza será bem menor do que trocá-las por completo.

Outros materiais que podem ser muito bem utilizados nas portas e janelas de um imóvel praiano são o aço inox e o alumínio. O primeiro deve ser protegido com algum produto anticorrosão e antiumidade, para aumentar sua vida útil, enquanto o segundo pode ser considerado, inclusive, nos portões de entrada, devido sua resistência à maresia mais elevada. 

Use óleos lubrificantes uma vez por semana para evitar que os materiais enferrujem, emperrem ou fiquem rangendo.

A Sasazaki e a Esquadrisul têm linhas completas de soluções nesses materiais e perfeitos para proteger a casa de praia da maresia. Você pode conferir mais acessando a loja virtual da Telhanorte.

Janela-de-correr-Esquadrisul-de-aluminio-2-folhas-Ecosul-A--100cm-x-C--100cm-branca-1621190

Janela de correr Esquadrisul de alumínio 2 folhas Ecosul A: 100cm x C: 100cm branca (Foto: Acervo Telhanorte).

Janela-veneziana-3-folhas-Pratika-100x150x12cm-com-grade-Sasazaki

Janela veneziana 3 folhas Pratika 100x150x12cm com grade Sasazaki (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Atenção: Ferragens, como dobradiças e fechaduras de porta ou pregos e parafusos feitos de aço ou ferro, são tão suscetíveis à ação da maresia quanto as esquadrias em si e podem colocar a segurança da casa de praia em risco! Considere trocá-las, também, por aquelas feitas de aço inox ou aço cromado.

 

A madeira é um dos materiais que pode ser utilizado nas esquadrias da casa de praia. Contudo, sua aplicação vai demandar alguns cuidados a mais. Para começar, evite colocá-la nas áreas externas, uma vez que a umidade pode contribuir para o surgimento de fungos e manchas e acelerar o desgaste natural do material.

Nosso e-commerce está repleto de opções de qualidade e de marcas excelentes como a Vert, a Sidney e a MAPAF. Não deixe de conferir!

porta-madeira-pivotante-sidney

Porta de madeira pivotante Sidney BBB 210x110x14cm direita com vidro em arco (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Kit-porta-de-madeira-MDP-Bella-210x82cm-com-ferragem-E-UV-Vert

Kit porta de madeira MDP Vert Bella 210x82cm com ferragem E U.V (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Além de preferir usá-la no interior de casa, faça uso de um bom verniz marítimo ou naval a cada dois anos. Vale notar que não existe um verniz que seja 100% à prova de maresia, mas essas versões são os mais indicados no mercado. Você pode conferir esse e outros tipos de vernizes em uma seção exclusiva em nossa loja virtual.

Por fim, o tradicional uso de vidros nas esquadrias é uma medida inteligente quando se trata de como proteger a casa de praia da maresia. Isso porque as portas e janelas de vidro limitam a salinidade nos ambientes internos e reduzem a entrada de correntes de ar e o barulho externo.

Atenção: Se ainda assim, seu portão acabar por ser de ferro, pinte-o – assim como as grades – com revestimentos antioxidantes. Caso já tenha sido aplicado no passado, será necessário lixá-lo e tratá-lo com convertedor de ferrugem antes de recuperá-lo novamente.

 

2. Pisos e revestimentos

Algumas variáveis impactam diretamente na escolha do piso ideal para casa de praia, como: a proximidade com o mar, a quantidade de pessoas molhadas que frequentam ou podem vir a frequentar o local, a temperatura média, o tipo de areia da praia e etc. Para que a durabilidade do piso seja garantida, é necessário que haja uma análise dessas questões antes da compra e que sua decisão seja baseada, sobretudo, na funcionalidade e praticidade do material.

Levando isso em conta, os porcelanatos e os pisos cerâmicos são as melhores opções para proteger a casa de praia dos fatores externos – especialmente da maresia. Contudo, alguns cuidados devem ser tomados. Apesar de ter alta resistência, ótima qualidade e possuir grande variedade de tamanhos e formatos, o piso de porcelanato em uma casa de praia não deve ser polido, uma vez que, devido à presença de areia, eles riscam com maior facilidade!

 

Porcelanato-retificado-54x54cm-Realeza-brilhante-Delta

Porcelanato retificado 54x54cm Realeza brilhante Delta (Foto: Acervo / Telhanorte).

 

Rodape-retificado-porcelanato-tecnico-Adhara-145x80cm-polido-bege-5-pecas-Eliane

Como os revestimentos, o rodapé é disponibilizado em dois acabamentos: retificado e bold – Rodapé retificado porcelanato técnico Adhara 14,5x80cm polido bege 5 peças Eliane (Foto: Acervo Telhanorte).

 

A preferência vai para os modelos acetinados – mais resistentes à umidade, riscos, manchas e maresia – e aos modelos retificados, que possuem um espaçamento irrisório entre as placas, proporcionando um menor acúmulo de areia e poeira.

 

Porcelanato-Pierre-Belle-natural-retificado-60x120cm-Portobello

Porcelanato Pierre Belle natural retificado 60x120cm Portobello (Foto: Acervo Telhanorte)

 

Sugestão de leitura: Ainda não sabe a Diferença entre porcelanato retificado e não retificado? Acesse o link para a matéria, tire todas as suas dúvidas e saiba qual o melhor para sua casa! Aproveite e cheque também Como tirar riscos do piso laminado: passo a passo completo disponível em nosso blog!

 

Já em relação ao piso cerâmico, prefira o tipo acetinado ou fosco e com texturas para ajudar a disfarçar as manchas de umidade que a maresia deixa nos revestimentos. Os pisos brilhantes, esmaltados ou polidos não são indicados, pois são mais propensos a riscos e manchas, devido a sua perda de acabamento acelerada pela maresia.

piso-cermico-royal-gres

Piso cerâmico Real Plus acetinado bold 62x62cm bege marmorizado Royal Gres (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Como vantagens podemos citar sua longa vida útil (podem resistir até 20 anos se colocados em ambientes nos quais seu uso seja recomendado), a facilidade de limpeza (podem ser varridos facilmente e limpos apenas com água e sabão neutro) e a grande gama de padronagens e texturas, dentre as opções estão os revestimentos cerâmicos que reproduzem madeira, ótimos para trazer o clima de acolhimento na decoração com fibras naturais e evitar os custos extras que a madeira tradicional gera, como os relacionados ao selamento das peças necessário para que não apodreçam com a umidade.

 

Piso-ceramico-Maderatto-Mix-Plus-acetinado-bold-62x62cm-madeira-marrom-Royal-Gres

Piso cerâmico Maderatto Mix Plus acetinado bold 62x62cm madeira marrom Royal Gres (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Optar pelo mármore e granito também podem ser boas opções contra à maresia. A vantagem está em serem pisos que têm pouca porosidade e alta impermeabilidade, o que os tornam resistentes à umidade e, consequentemente, à manchas. Sua desvantagem está no fato de não ser ideal para áreas externas – por ter menor resistência a um fluxo maior de pessoas – e ser considerado um material mais caro.

Soleira de mármore 82x14cm branco Granífera

Soleira de mármore 82x14cm branco Granífera (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Piso-granito-40X40cm-preto-onix-064-AM-Granifera

Piso granito 40X40cm preto onix 0,64 AM Granífera (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Sugestão de leitura: Quer usar e abusar do mármore mesmo quando seu uso não for ideal? Leia tudo sobre o Revestimento porcelanato marmorizado: dicas e vantagens e faça uso desse recurso já!

 

Nossa última, mas não menos importante, dica em relação aos pisos para uma casa de praia é o cimento queimado. Muitos acreditam que esse tipo de piso não é indicado para locais que sofram com a ação da maresia, mas isso somente ocorre quando ele não é tratado propriamente!

Utilizar um concreto com menos porosidade e menor absorção, obtido ao usar a menor quantidade de água na sua produção e usar aditivos plastificantes são formas de tornar o cimento queimado uma boa opção para casas de praia!

 

Aditivo-plastificante-36L-branco-Quartzolit

A Quartzolit possui diversas soluções de aditivos monocomponentes de fácil aplicação, como o Aditivo plastificante 3,6L branco Quartzolit (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Atenção: Seja qual for sua escolha, opte por versões com resistência ao escorregamento! O ambiente praiano é sinônimo de áreas molhadas e, ao fazer essa escolha, você previne acidentes, especialmente em partes descobertas, como decks e varandas.

 

3. Tintas e vernizes

Quando falamos em tintas e corantes, o segredo de como proteger a casa de praia da maresia está em fazer uso das famosas tintas acrílicas, preferencialmente a versão antimofo, já que as gotículas de maresia provocam a proliferação de fungos e bolores no interior das casas. Essas tintas protegem de maneira mais eficiente as paredes contra os efeitos da umidade e da salinidade presentes na maresia e tornam as paredes ainda mais resistentes aos raios solares.

O uso de tintas impermeabilizantes na fachada e nas paredes externas também é essencial, visto que elas impedem que o sal proveniente dos vapores de água penetre nos poros do concreto, enfraquecendo-o com rachaduras e corroendo as estruturas metálicas internas das paredes.

Para você que está repaginando sua casa de praia, a Telhanorte conta com diversas marcas que provêm excelente cobertura, alta resistência e durabilidade, ótimo rendimento e secagem rápida, como é o caso das tintas látex impermeáveis da Sherwin Williams. Acesse nossa loja virtual ou vá até uma das nossas unidades para encontrar essa e demais opções!

 

Tinta-latex-Metalatex-acrilica-18L-bianco-sereno-Sherwin-Williams-567906

Tinta látex Metalátex acrílica 18L bianco sereno Sherwin Williams (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Como falamos anteriormente, uma boa forma de manter sua casa de praia protegida da maresia é utilizando os vernizes marítimos ou navais e as versões premium – indicadas para áreas molhadas. A Suvinil e a Sparlack possuem linhas completas destes produtos e você pode encontrá-las hoje mesmo em nosso e-commerce!

 

Verniz-Maritimo-36-litros-fosco-incolor-Suvinil

Verniz Suvinil Marítimo 3,6 litros fosco natural (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Verniz-Super-Premium-Cetol-Deck-natural-Sparlack

Verniz Super Premium alto desempenho Cetol Deck 3,6L natural Sparlack (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Além da escolha dos tipos mais recomendados para construções no litoral – alumínio ou inox, cerâmica, concreto, fibrocimento ou galvalume – as telhas também devem receber uma camada de aditivos impermeabilizantes para diminuir os efeitos da maresia.

Para isso, a Resina Acrílica base água da Suvinil é o produto ideal, com acabamento brilhante e uma excelente ação impermeabilizante. É a base de água, oferecendo baixo odor e facilidade no processo de aplicação, sendo indicado para embelezar e proteger as superfícies de telhas (cerâmicas, amianto, fibrocimento e outros), tijolos aparentes, pedras naturais (ardósia, pedra mineira, entre outras), concreto aparente.

Resina-acrilica-base-agua-ceramica-telha-36-litros-Suvinil

Resina acrílica base água cerâmica telha 3,6 litros Suvinil (Foto: Acervo Telhanorte).

 

4. Mobiliário e decoração

Assim como o restante da casa de praia, o mobiliário deve ser simples, preferencialmente usando na decoração materiais naturais como bambus e fibras naturais. É importante tratar frequentemente as peças com óleo de peroba para evitar ressecamento.

Investir em móveis com cores claras é uma das formas de tornar o ambiente ainda mais relaxante – o que, normalmente, as pessoas desejam ao passarem uns dias descansando na praia. Tons de madeira e palha também são muito bem vindos!

 

O-bambu-quando-utilizado-nos-artigos-decorativos-e-combinado-com-cores-claras-deixa-a-decoração-mais-clean-e-sofisticada

Detalhes decorativos em bambu (Foto: Uol Mulher / Reprodução).

 

Já em relação aos estofados internos e/ou externos, prefira os tecidos impermeáveis ou aquablockcomo lona, PVC ou couro – que não absorvem umidade e garantem uma vida útil maior para os produtos. A mesma recomendação vale para almofadas, tapetes e cortinas!

 

Persiana-horizontal-de-PVC-100x160x25cm-cinza-Primafer

Persiana horizontal de PVC 100x160x2,5cm cinza Primafer (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Ao comprar eletrodomésticos, opte por aqueles fabricados com aço inox. Esse material retarda o efeito da maresia que oxida os aparelhos metálicos e os enferruja.

Geladeira-Brastemp-Frost-Free-Side-Inverse-540-litros-Inox

Geladeira Brastemp Frost Free Side Inverse 540 litros cor Inox com Ice Maker (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Outra dica de como proteger os móveis da maresia é fazendo uso de capas protetoras, para evitar o contato direto dos objetos com a ação da maresia – especialmente se sua casa de praia não for sua morada oficial e você passar longos períodos sem frequentá-la.

Se no seu caso, a praia não é somente um destino de férias, mas sim parte do seu dia a dia, um bom jeito de cuidar dos móveis e eletrodomésticos é através da aplicação de produtos anticorrosão e antiumidade, conservando-os por mais tempo.

 

5. Dicas gerais

Manutenções periódicas são parte do segredo de como proteger a casa de praia da maresia. Afinal, verificar frequentemente se os materiais – sejam eles móveis, portas, janelas, pisos, encanamento, rede elétrica ou telhas – estão sofrendo com os vapores da maresia é o caminho mais rápido para a prevenção e reparo. É sempre importante também renovar a pintura das paredes e móveis para ajudar nessa proteção.

Tenha em mente que quanto mais natural melhor! Assim, as janelas e portas devem ser amplas para obter um maior aproveitamento da luz do sol e passagem de correntes de ar. Use e abuse da iluminação interna, priorizando as lâmpadas de LED, que gastam menos energia e emitem menos calor.

Por fim, uma casa bem ventilada é ideal para proteger a casa de praia da maresia! Invista em ventiladores – de chão e de teto – especialmente em banheiros, cozinhas e demais áreas úmidas.

A ventilação cruzada – correntes de ar que passam por aberturas de portas e janelas de paredes opostas ou adjacentes – garante uma circulação de ar mais veloz, já que o ar entra por uma ponta e sai pela outra. Dessa forma, se você estiver construindo sua casa de praia do zero, priorize esse tipo de planta e os ambientes integrados.

Arandela-de-aluminio-Taschibra-G9-25W-preto-fosco-Hadar-V1V-1617486

Arandela de alumínio Taschibra G9 25W preto fosco Hadar V1V (Foto: Acervo Telhanorte).

Spot-de-LED-Taschibra-direcionavel-3-lampadas-4W-6500k-branca-base-preta-1617354

Spot de LED Taschibra direcionável 3 lâmpadas 4W 6500k branca base preta (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Ventilador-de-teto-Led-repelente-com-controle-3-pas-220V-130W-branco-Spirit

Ventilador de teto Led repelente com controle 3 pás 220V 130W branco Spirit (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Agora você já sabe como proteger a casa de praia da maresia!

E ai? Pronto para fornecer a melhor proteção para sua casa?

Visite a loja virtual da Telhanorte e faça as compras de todos os materiais que precisar. Encontre pisos e revestimentos, tintas, objetos de decoração, acessórios para área externa, produtos de praia e piscina e jardim!

Compre em até 9x sem juros com o cartão Telhanorte, por telefone ou via WhatsApp.

E claro… Aproveite o Verão Telhanorte e receba produtos em casa, com frete grátis, para todo Brasil, até dia 15/01/2021! Confira os produtos participantes da promoção no site oficial!

 

Por Murilo Bonício | Edição de Stéphanie Durante

Pisos de madeira: inspire-se com os principais modelos

Tipos de pisos de madeira

| Dicas

 

Leia mais sobre os principais tipos de pisos de madeira, suas aplicações e modelos. Confira ainda recomendações para a decoração e imagens para se inspirar!

 

Em qualquer construção ou reforma, a escolha dos tipos de pisos de madeira que vão ser usados é muito importante. E, vamos combinar, o piso de madeira sempre foi e sempre será um dos mais desejados, independente do estilo que você deseja para sua casa. Além de ser um material nobre, a madeira combina com diversos estilos de decoração, proporcionando a sensação de aconchego.

 

porcelanato-amadeirado-madeira-ambiente-sala-estar-piso-retificado-moderno-plantas

Banheiro moderno com plantas e madeira (Foto: HAO Design / Hey!Cheese / Reprodução)

 

Considerado um piso quente por sua temperatura não variar muito, é a combinação da beleza, elegância e sofisticação. Dependendo do tratamento que o piso de madeira recebe, pode ser mais brilhante ou mais opaco. Há diversos tipos de pisos de madeira no mercado. Vamos falar um pouco sobre eles. 

 

7 tipos de pisos de madeira

1. Taco de madeira

Esse estilo de piso é feito de peças de madeira maciça de diversos tamanhos e que formam desenhos, a depender do modo que são colocados. Diferentemente do parquet, que explicaremos logo abaixo, os tacos são vendidos e instalados peça por peça. Ficou um tempo fora de uso, mas está voltando com força, principalmente para quem adora o estilo vintage. Sua manutenção é feita com pano úmido, quase seco, ou produtos específicos para esse tipo de piso.

 

Sugestão de matéria: Veja dicas de modelos e acabamentos de pisos cerâmicos!

 

Importante: Independentemente do piso, é sempre indispensável consultar as orientações de limpeza e manutenção indicadas especificamente para o produto adquirido.

 

piso-taco-madeira-macica-casa-sala-estar-brilho

O acabamento do piso pode ser escolhido de acordo com a decoração do ambiente (Foto: Apoena Amaral / Reprodução)

 

2. Parquet de madeira

A principal diferença do Parquet é que ele, ao contrário do taco, é formado por mais de uma peça de madeira, fixadas juntas, formando uma placa. Essas placas, de acordo com a instalação, podem formar diferentes desenhos e, assim como a maioria dos tacos, não possuem encaixes. Sua limpeza é feita com pano úmido, quase seco.

 

 

3. Assoalho

São réguas de madeira maciça de tamanhos e espessura variáveis. Possuem encaixe nas duas ou nas quatro laterais (assoalho TG4) de cada peça. Podem ser colocadas de forma longitudinal como também diagonal. Algumas peças de assoalho são apenas fixadas no contrapiso, mas há outros modelos que precisam ser pregados em barrotes de madeira maciça dura, embutidos diretamente no concreto.

Para este tipo de piso de madeira existem algumas formas de limpá-lo:

 

Tipos de pisos de madeira

O assoalho pode ter um acabamento mais fosco (Foto Casa Cor SP 2016 – Cinema em Casa / Bruno Gap / Reprodução)

 

4. Piso de madeira de demolição

Proveniente da demolição de antigas construções, como casarões e galpões, esse material é muito procurado e valorizado por sua excelente qualidade e durabilidade. Tratam-se de madeiras nobres e são muito procuradas em obras sustentáveis, que utilizam materiais reutilizados.

A madeira de demolição passa por um processo de recuperação e higienização, para que possa ser utilizada novamente.  É elemento essencial em um estilo rústico e moderno. Para a limpeza, use um pano úmido!

 

piso-madeira-escura-demolicao-cozinha

A madeira de demolição é um elemento chave em ambientes rústicos (Foto: Chestnut Floors / Reprodução)

 

5. Pisos estruturados

Esse modelo é feito a partir de uma estrutura composta por lâminas (fibras) de madeira, que são cruzadas e revestidas por uma capa de madeira nobre. Esse cruzamento de lâminas evita o efeito de contração e expansão da madeira. É conhecido também como “piso pronto”, uma vez que já vem preparado de fábrica, com diversas camadas de verniz. Após a instalação, o piso já está pronto para o uso e sua manutenção requer apenas um pano úmido, dispensando cera ou verniz. São mais estáveis, versáteis e sustentáveis. 

 

piso-madeira-escura-amadeirado-estruturado-instalacao-sala-estar

O piso estruturado possui instalação simples (Nice & New Carpets & Flooring / Reprodução)

 

6. Pisos Laminados

Também conhecido como “piso flutuante”, o piso laminado é fácil de instalar, limpar, além de ser econômico. As peças laminadas são feitas de painéis de fibra de madeira (lâminas) finos, instalados sobre uma manta termoacústica de polietileno, que protege o piso e evita ruídos, com encaixes nas laterais. Já vem com acabamento, portanto dispensam o uso do verniz (sinteco) ou cera. 

 

Tipos de pisos de madeira

Os pisos laminados também apresentam cores e acabamentos diferentes (Foto: Mohawk / Reprodução)

 

Os pisos laminados já vêm de fábrica preparados com compostos que evitam riscos no piso e também evitam a umidadeUm fator importante a ser observado na hora da compra do piso laminado é a resistência à abrasividade do mesmo. Há pisos de baixa, média e de alta resistência. Portanto, quanto maior a resistência, menor será o risco de corrosão e acidentes. Na limpeza, necessitam apenas de um pano levemente umedecido. O uso de cera geralmente é contraindicado.

 

7. Deck de madeira

Os pisos de madeira também podem ser usados como pisos para áreas externas, como em decks e áreas gourmet. Para isso, a madeira recebe uma preparação especial, para que não se danifique. Sua manutenção deve ser periódica. 

 

deck-de-madeira-para-piscina-em-guarulhos

Os decks são ideais para ambientes externos modernos e aconchegantes (Foto: JR Assoalhos / Reprodução)

 

Regras básicas para a manutenção de todos os tipos de pisos de madeira

Lembre-se de que há diferentes cuidados para cada tipo de piso. Em relação aos pisos de madeira, as principais dicas são:

– Use uma vassoura de cerdas macias ou opte pelo aspirador de pó.

– Jamais jogue água diretamente no piso de madeira.

– Não use álcool ou nenhum alvejante, para evitar manchas.

– Utilize um pano levemente umedecido para a limpeza e passe um pano seco a seguir.

– Quando for usar algum produto, escolha o específico para o seu tipo de piso. Leia as instruções do fabricante e siga corretamente

 

Sugestão de matéria: Aprenda como tirar risco do piso laminado e confira dicas para prolongar a durabilidade do piso vinílico!

 

Em muitos modelos, é importante também evitar a incidência direta de sol. Por mais que esses pisos estejam devidamente preparados, eles podem manchar (descolorir) e apresentarem rachaduras devido à ação do calor (dilatação). Outro fator que se deve ter atenção é quanto à umidade. Deve-se evitar qualquer contato do piso de madeira com a água (a menos que ele seja devidamente impermeabilizado), com risco de haver algum tipo de deformação ou mancha. 

 

Gostou de conhecer sobre os tipos de pisos de madeira?

Agora que você sabe quais são os principais tipos de pisos de madeira, pode fazer sua compra com a certeza de que vai acertar no modelo que escolher! Na loja virtual da Telhanorte, você encontra um departamento completo de Pisos com pisos vinílicos, pisos laminados e decks para áreas externas, além de opções como pisos cerâmicos e piso de pedras naturais!

Confira e aproveite para completar seu pedido com outros itens para assentamento como Acabamentos para piso, Argamassa e Rejunte. Comprando online, você tem mais comodidade, paga com segurança e recebe tudo em casa! Aproveite as ofertas e viva a sua casa do jeito que você sempre quis!

 

Piso cerâmico amadeirado: confira dicas!

 

Edição de Vinicius Marques e Camila Alexandrino

Os principais modelos de escada portátil

escada-portatil-aluminio-casa-domestica-profissional-modelos

| Ferramentas

 

Conheça 4 modelos de escada portátil e saiba qual a ideal para o que você precisa

 

Mesmo que você não seja um profissional que precise da escada diariamente, ter uma escada em casa pode contribuir para muitas funções, desde trocar a lâmpada até limpar uma prateleira, acessar a parte mais alta do armário e mesmo ajudar na pintura de paredes. As escadas que vamos apresentar aqui podem ser tanto de uso profissional quanto de uso doméstico.

 

Tipos de escada portátil

1. Banco Escada

Esse é um modelo de escada muito comum, com muita utilidade no dia a dia residencial. Isso porque ela permite alcançar níveis mais altos de armários, ajuda a trocar lâmpadas com mais facilidade e ainda contribui para outras questões rotineiras de um lar. 

Ter uma escada dessa em casa é uma mão na roda para necessidades rotineiras que exigem apenas alguns centímetros a mais de altura para que possam ser realizadas. Geralmente, esse modelo permite que você acesse de 30 a 60 cm a mais de altura. 

Além disso, esse tipo de escada portátil é leve e fácil de ser transportada. Por último, esse modelo de escada ainda pode ser útil como assento extra para diferentes situações e necessidades. 

 

Banco-escada-de-alumínio-61-cm-3-degraus-Botafogo

Banco escada de alumínio 61cm 3 degraus Botafogo (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

2. Escada articulada 

A escada articulada, ou escada em “A”,  tem uma abertura central, com degraus nos dois lados. É capaz de alcançar alturas maiores e possui diferentes possibilidades em relação ao número de degraus. É um dos modelos mais usados por pintores e eletricistas, por exemplo, por oferecerem um certo conforto para o trabalho a alturas medianas. 

 

Escada-de-alumínio-articulada-4x3-12-degraus-Exclusivo-Telhanorte

Escada de alumínio articulada 4×3 12 degraus Exclusivo Telhanorte (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Preferencialmente, deve possuir travas de segurança, para oferecer mais segurança a quem utiliza, garantindo estabilidade. Se você for um profissional, lembre-se também de buscar por escadas que ofereçam acessórios como ganchos, que permitam o apoio de material como tinta e pincéis. 

escada-de-aluminio-articulada-4x3-12-degraus-exclusivo-telhanorte

Opções de uso da escada de alumínio articulada 4×3 12 degraus Exclusivo Telhanorte (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Escada doméstica

É parecida com o modelo de escada articulada. A diferença é que esse modelo tem degraus apenas em um de seus lados, sendo a outra usada apenas como apoio para a abertura da escada. Esse modelo é mais usado em áreas domésticas e, geralmente, alcança alturas menores. 

Escada-Doméstica-de-Alumínio-7-Degraus-Botafogo

Escada Doméstica de Alumínio 7 Degraus Botafogo (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Escada profissional extensiva

Como o próprio nome sugere, estamos falando de uma escada que expande seu tamanho original para um tamanho maior.  É muito usada por profissionais e, mesmo sendo um pouco mais difícil de ser transportada por seu tamanho e peso, está entre os tipos de escada portátil mais usadas por pintores, eletricistas, profissionais de hidráulica e muitos outros. 

 

Escada extensiva de alumínio 2-9 degraus Botafogo

 

Geralmente é feita de alumínio ou madeira e permite o ajuste de acordo com a necessidade de cada profissional e cada serviço. Podem possuir ganchos de segurança em sua ponta. 

 

4. Escada telescópica

Como dissemos acima, a escada extensível pode ser mais difícil de ser transportada. Por isso, muitos profissionais já estão optando pelo tipo de escada portátil conhecido como escada telescópica. Ela é construída de tal forma que cada degrau pode ser ajustado, logo, todos podem ser reunidos para diminuir o tamanho e espaço necessário para transporte da escada. 

 

escada-telescopica

Escada telescópica (Foto: Nakasaki / Reprodução)

 

Atenção à carga e à altura necessária

Acima, conhecemos os principais tipos de escada portátil tanto para profissionais como para uso doméstico. Entretanto, além do modelo, outros parâmetros devem ser observados na escolha da escada ideal para cada necessidade. Principalmente, parâmetros relacionados à segurança de uso. É fundamental garantir a análise das características que essa escada tem para conferir e garantir a segurança necessária.

Por exemplo, definir a altura necessária para a escada é fundamental, afinal, emendar escadas é algo perigoso, seja para profissionais ou para uso doméstico. Logo, é preciso garantir que a escada escolhida tenha a altura necessária para a realização de seus trabalhos.

Se você lida com projetos em diferentes tipos de casa, com pé direito variável, por exemplo, as escadas extensíveis ou telescópicas podem ser a solução ideal. Além da altura, outro item de segurança a ser observado é o peso suportado pela escada. Escadas com o mesmo número de degraus podem apresentar limitações de pesos diferentes, por isso, antes de comprar confira essas informações.

Por último, mas não menos importante, lembre-se sempre de usar os equipamentos de segurança, chamados EPIs como capacete de segurança e cinto

 

Onde encontrar escadas portáteis?

Para encontrar os tipos de escadas sanfonadas, articuladas, móveis e dobráveis, te convidamos a conhecer a loja virtual da Telhanorte. Aqui temos uma seção completa com escadas portáteis e escadas profissionais para diferentes tipos de necessidade e usos. Confira nosso outlet e aproveite as melhores formas de pagamento. Faça seu pedido e receba tudo sem sair de casa!

 

Escadas de alumínio: 6 modelos e dicas para acertar

 

Edição de Vinicius Marques

Conheça a luminária tartaruga de parede

luminaria-parede-tartaruga-arandela-luz-branca-grade

| Área Externa

 

Já ouviu falar em luminária tartaruga? Conheça o modelo, as vantagens, os principais usos para áreas externas e veja alguns exemplos!

 

Luminária de parede tartaruga? Sim, você leu corretamente. O nome desse tipo de luminária vem do seu formato, geralmente oval, que possui uma estrutura protetora para a lâmpada, se assemelhando ao casco de uma tartaruga. A luminária tartaruga é principalmente utilizada na iluminação de áreas externas, como jardins, quintais, garagens, varandas, piscinas, áreas gourmet e até mesmo em comércios, indústrias e restaurantes!

 

Confira na loja virtual da Telhanorte nossas luminárias tartarugas

 

Tartaruga-Suprema-branca-para-1-lampada-14W-Taschibra

Tartaruga Suprema branca para 1 lâmpada 14W Taschibra (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

A iluminação, tanto interna como externa, é um ponto primordial no projeto de qualquer construção ou reforma. Projetar a iluminação residencial vai ajudar a realçar e dar destaque a detalhes que poderiam passar despercebidos. A luminária tartaruga é neutra e proporciona uma iluminação pontual.

De acordo com o seu gosto, nada vai impedir que você a utilize também nas áreas internas da residência. Aliás, elas se adaptam muito bem a diversos estilos, ficando bem em ambientes retrô e também no estilo industrial

 

Leia também: Tipos de luminárias de mesa: 5 inspirações para o escritório

 

Conhecendo a luminária de parede tartaruga

Ela pode ser feita de vidro, policarbonato ou de plástico transparente. A base é feita, normalmente, de ferro, aço ou alumínio, que são materiais bem resistentes à ação do calor, da chuva e do frio. Possui, também, uma grade de proteção para as lâmpadas, evitando que se quebrem ou sejam danificadas.

 

Tartaruga-pavi-E27-branca-Pavilonis

Tartaruga pavi E27 branca Pavilonis (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

É preciso verificar também se toda a fiação está devidamente blindada, protegida das mudanças climáticas repentinas e também no que se refere à segurança de todos. As luminárias tartarugas são fixadas na parede, mas também podem ser instaladas no chão. 

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Telhanorte (@telhanorte)

 

Tipos de lâmpadas para a luminária tartaruga

As luminárias tartarugas aceitam diferentes tipos de lâmpadas, entre elas:

 

Tartaruga Led Red 12W Br 6.5K Kian Branca e Tartaruga Led Oval 9W 6.5K Br Kian Branca

 

Cores de lâmpadas

Há diferentes cores para as lâmpadas de iluminação. Elas podem ser coloridas (azul, verde, vermelha, etc.) e são usadas para quando se quer dar um destaque especial em determinado ponto ou objeto. A iluminação branca pode proporcionar uma ampla luminosidade ao ambiente ou também um destaque a determinados pontos. A iluminação amarela proporciona uma sensação de aconchego e estilo.

 

Luminária tartaruga na área externa

Muito utilizada nos projetos de iluminação de áreas externas, a luminária externa de tartaruga tem inúmeras possibilidades de uso. Entre elas podemos relacionar: 

 

  1. Iluminar a entrada ou fachada da residência (seja casa ou prédio);
  2. Iluminar o jardim, dando destaque para pontos desejados;
  3. Iluminar o caminho, caso tenha, entre a parte da frente e a parte de trás da residência, evitando assim acidentes; 
  4. No caso de condomínios, além de iluminar a frente da casa, a luminária tartaruga externa ajuda a iluminar também a rua, trazendo uma maior sensação de segurança para todos. 
  5. Em se tratando de prédios, essas luminárias também são bastante usadas nos corredores, escadas e em áreas comuns a todos os condôminos;
  6. Iluminar garagens, muros e sacadas
  7. Iluminar pontos específicos, como uma determinada planta ou árvore, uma escultura, um objeto de arte; 
  8. Iluminar quintais, piscinas e áreas gourmet em eventos noturnos ou até mesmo para dar um toque a mais, trazendo elegância e sofisticação. 

 

Tartaruga oval E27 preta Pavilonis e Tartaruga oval E27 branca Pavilonis

 

Sugestão de matéria: Como calcular quantidade de lâmpadas por m²

 

Existe também a luminária tartaruga externa com sensor de presença, que somente só é acionada caso haja alguém próximo. Esse tipo de sistema ajuda consideravelmente na redução do consumo de energia elétrica e, portanto, reduz também seus gastos. 

 

Luminária tartaruga na área interna

Como falamos acima, apesar do seu principal foco ser o uso em áreas externas, você também poderá fazer uso desse tipo de luminária na parte interna da residência.  Além de fazer parte do projeto de iluminação, ela pode entrar como um objeto decorativo no ambiente. 

 

parede-luminaria-luz-tartaruga-arandela-estilo-industrial-branca

A luminária tartaruga como elemento decorativo (Foto: Alessandra Okazaki / Minha Casa / Reprodução)

 

A Telhanorte oferece um departamento completo de Iluminação, com vários modelos e tipos de luminárias com os melhores preços. Navegue por toda nossa loja online e escolha a iluminação residencial ideal para cada ambiente com preços imperdíveis!

 

 

Tartaruga-pavi-E27-preta-Pavilonis

Tartaruga Pavi E27 Preta Pavilonis (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

6 principais tipos de luminárias para a sua casa!

 

Edição de Vinicius Marques