obra | Blog Telhanorte

7 dicas para deixar a sua casa sustentável

mesa-madeira-caixa-legumes-cesto-organico-comida-alimento-cenouras-cebola

| Decoração

 

Buscando economizar e ter um lar mais sustentável? Confira nossas dicas para viver a sua casa de maneira simples e consciente

 

Ter uma casa sustentável, economizando recursos naturais e deixando um impacto menor no planeta, tem sido um desejo cada vez maior da sociedade. Já podemos sentir as mudanças negativas que vêm ocorrendo ao meio ambiente, por conta da ação e interferência humana. Assim, muitos têm procurado maneiras de trazer a sustentabilidade para dentro de casa, com pequenas ações que, em conjunto às demais pessoas, fazem a diferença para o planeta.

 

A Telhanorte Tumelero integra a Distribuição Brasil do grupo mundial Saint-Gobain. Confira o comprometimento e os princípios da Saint-Gobain para criar construções sustentáveis

 

Algumas pessoas acreditam que tal modo de vida é mais caro e difícil de ser seguido, porém aos poucos é possível se habituar a um consumo comedido e um modo de vida responsável. Confira agora 7 dicas para você viver a sua casa de modo mais consciente e sustentável.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Telhanorte (@telhanorte)

 

7 dicas de sustentabilidade

 

1. Reduza o consumo de água

Um primeiro passo importante é estar consciente da quantidade de água gasta, seja no banheiro, área externa, cozinha, lavanderia e demais cômodos, e, a partir desta análise, estudar como o consumo pode ser reduzido. Tenha certeza de que os itens da sua casa, como torneiras, mangueiras, chuveiros e itens de hidráulica, estejam em ótimas condições e sejam de qualidade, para evitar o desperdício de água com goteiras e vazamentos.

 

Confira no site da Telhanorte: Hidráulica

Joelho-90°-soldavel-3-4--Tigre

Joelho 90° soldável 3/4″ Tigre (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Caso precise renovar algum desses itens, confira os detalhes do produto que irá comprar e escolha aqueles que ajudem na economia de água. Muitos modelos de torneira, por exemplo, possuem arejadores articulados, que ajudam na economia da vazão de água, e acionamento moderno, que evita o desperdício.

 

Torneira-de-mesa-para-cozinha-Basic-cromada-Celite

Torneira de mesa para cozinha Basic cromada Celite (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Além disso, você também pode reaproveitar a água utilizada em máquinas de lavar roupa – e mesmo a água da chuva – para lavar o chão, áreas externas e outros serviços. Evite o desperdício de água ao lavar a louça, tomar banho, escovar o dente e outras atividades rotineiras, utilizando apenas o necessário e mantendo torneiras e chuveiros desligados, quando estes não estão sendo utilizados.

 

2. Reduza o consumo de energia elétrica

Muitas pessoas tentam aplacar dentro de casa uma rotina que economize energia, por questões ambientais e mesmo financeiras. No entanto, acabam desistindo rapidamente, antes que tais práticas sustentáveis se tornem hábitos. É importante, para adotar qualquer nova atividade ao dia a dia, ter paciência e persistência, para que sua mente automatize a prática.

Assim, proponha a você mesmo adotar algumas ações durante a semana. Seja paciente e não se cobre tanto. Algumas práticas que você pode adotar são:

 

selo-procel

O selo Procel permite aos consumidores identificarem os aparelhos de uso mais eficiente e sustentável (Imagem: Procel / Reprodução)

 

Em relação à iluminação da casa, uma boa dica é adquirir lâmpadas LED. Apesar do investimento inicial poder ser mais caro que o de outras lâmpadas, o custo-benefício acaba sendo maior. O LED tende a durar por mais tempo e ser mais econômico. Confira abaixo a tabela comparativa entre uma lâmpada incandescente, fluorescente e LED.

 

tabela-telhanorte-comparativa-dados-lampada-incandescente-fluorescente-led

 

Observação: o LED, após 20.000 horas, perde um pouco de eficiência, apesar de, no geral, se manter aceso durante 50.000 horas. É necessário consultar a garantia de cada fabricante, pois as informações acima são apenas uma média.

 

Além de ser econômico, o LED pode compor a decoração do ambiente de diversas maneiras, seja nos banheiros, quartos e em sancas de gesso. Na Telhanorte, você encontra diversas opções de lâmpadas LED: fita de LED, painel de LED e refletor de LED.

 

Confira na loja virtual da Telhanorte: LED

Painel-LED-Taschibra-de-sobrepor-Dual-Color-quadrado-18W-branco-1617540

Painel LED Taschibra de sobrepor Dual Color quadrado 18W branco (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Tenha plantas em casa

Além de deixar a casa refrescante, bonita e tranquila, cultivar plantas dentro e fora de casa ajuda a purificar o ar, uma vez que as plantas consomem gás carbônico e liberam oxigênio. Há diversas plantas que podem ser cultivadas dentro de casa, pois não necessitam da luz direta no sol. No Blog Telhanorte, você encontra dicas de 6 plantas para ter dentro de casa, 5 flores que são fáceis de cuidar e ainda confere 5 motivos para ter cactos e suculentas em casa.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Telhanorte (@telhanorte)

 

Uma horta caseira também é uma ótima opção para se ter em casa. Você pode usar embalagens reutilizáveis, como potes e garrafas PET, para cultivar salsinha, cebolinha, hortelã, manjericão e demais temperos para as suas refeições. É uma atividade simples e relaxante!

 

Vaso-Autoirrigavel-Rainbow-Alt--11-X-Larg--12-Preto-1635166

Vaso Autoirrigável Rainbow Alt: 11 X Larg: 12 Preto (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Para regar suas plantas, busque reutilizar a água da chuva. Você pode planejar cisternas e outras estruturas que captam a água pluvial e a armazenam em segurança, para que possa ser utilizada. Lembre-se de não deixar água parada ao ar livre, para evitar a proliferação de insetos que podem trazer doenças. Na Telhanorte, você encontra diversas opções de vasos, terra, argila e outros itens para o cultivo e manutenção do jardim!

 

Regador-para-Jardim-30-Litros-Rosa-1629255

Regador para Jardim 3,0 Litros Rosa (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

4. Reduza a produção de lixo doméstico

Com o modo de vida atual, muito lixo acaba sendo produzido dentro das casas, gerando um acúmulo desnecessário de descarte orgânico e mesmo materiais que poderiam ser reciclados. Mas há muitas práticas simples e sustentáveis que podemos adquirir, para amenizar o impacto doméstico que geramos mensalmente.

Primeiramente, é importante avaliar quais os tipos de lixo mais produzidos dentro de casa. Muitos objetos descartáveis, como talheres, copos e pratos, podem ser simplesmente trocados por outros de uso contínuo. Além disso, as embalagens de alimentos e outros objetos que geralmente descartamos podem ser reciclados. Verifique como a coleta é feita onde você mora, para saber o dia e local certo de descarte. Não se esqueça de lavar todo o material, antes de separá-lo para a reciclagem.

 

Acesse no site da Telhanorte: Lixeiras

Lixeira-basculante-30-litros-com-tampa-Sanremo

Lixeira Basculante Sanremo 30 Litros com Tampa (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Você pode manter em casa ao menos duas lixeiras: uma para separar a reciclagem e outra para o descarte orgânico. Não se esqueça de guardar as sobras de alimento, evitando o desperdício. Muitos legumes e frutas possuem cascas nutritivas, que são dispensadas nas receitas mais tradicionais. Assim, busque encontrar novas formas de aproveitar o máximo do alimento.

Outra maneira de reduzir o lixo orgânico é reaproveitando talos, cascas e restos de comida para produzir adubo de planta. Você pode ter uma composteira doméstica dentro de casa, que transforma restos orgânicos em adubo nutritivo para o jardim de casa. É possível ainda reaproveitar o óleo de cozinha utilizado, seja para produzir velas e sabão caseiro, ou para entregar em algum ponto de coleta de óleo.

 

5. Faça uma compra consciente de produtos

Na hora de realizar as compras de mercado, use a consciência! Separe de antemão uma lista com tudo que você precisa comprar, para não se distrair e acabar adquirindo mais do que o necessário. Lembre-se sempre de escolher por produtos cujas embalagens possam ser reaproveitadas ou recicladas. Outra opção é comprar o alimento a granel.

 

mesa-madeira-caixa-legumes-cesto-organico-comida-alimento-cenouras-cebola-corte

Você pode comprar o alimento sem utilizar sacos plásticos (Foto: Markus Spiske / Unsplash / Reprodução)

 

Para comprar roupas e outros itens da casa, pergunte-se sempre se aquilo que você está adquirindo é de fato necessário. Além disso, procure saber mais sobre o modo que tais produtos foram fabricados e comercializados.

 

Como armazenar alimentos na geladeira | GUIA passo a passo

 

6. Adquira móveis e peças amadeiradas com selos de sustentabilidade

Ao mobiliar a casa, verifique se os móveis amadeirados possuem certificações de sustentabilidade. Busque por produtos que utilizam madeira reciclada, ou cuja fabricação tenha sido feita de maneira ecológica. Para o piso, opte por peças de cerâmica ou porcelanato que possuem acabamento laminado que imita a madeira.

 

Porcelanato-Madeira-Nature-Esmaltado-Retificado-50x101cm--Caixa-c--201m²--Marrom-Elizabeth-1798359

Porcelanato Madeira Nature Esmaltado Retificado 50x101cm (Caixa c/ 2,01m²) Marrom Elizabeth (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

7. Saia da zona de conforto e crie hábitos

Por fim, tenha em mente que não será da noite para o dia que a sua casa terá menos impacto no meio ambiente. É preciso que você se desafie a criar novos hábitos, como reciclar embalagens, diminuir o consumo de energia e doar roupas e objetos em bom estado que você não utiliza mais. Aos poucos, você vai se acostumando com cada prática e começa a viver a sua casa de maneira sustentável!

 

Como construir uma casa sustentável

 

Por Vinicius Marques

 

 

Madeira industrializada: conheça os principais modelos

plaquinhas-de-mdf-placa-de-mdf

| Materiais de Construção

 

Você sabe a diferença entre MDF, MDP, aglomerado ou HDF? Descubra particularidades de 8 tipos diferentes de madeira de indústria

 

Diferentemente das peças de madeira natural, a madeira industrializada é aquela que passa por processos industriais, seja na prensagem, laminação, trituração ou adição de resinas sintéticas e demais substâncias. Há diversos modelos, com benefícios e particularidades específicas. No entanto, é importante, antes de adquirir um móvel ou peça feita de madeira industrial, garantir que a marca tenha práticas de reflorestamento e sustentabilidade. Confira agora os 8 tipos principais de madeiras industrializadas que você encontra no mercado.

 

Espelheira-Orquidea-57cm-preta-Cozimax

Espelheira Orquídea preta de MDP e MDF, Cozimax (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Madeira de indústria: principais modelos

1. Aglomerado

As placas de aglomerado são feitas de partículas de madeira moída, compactas e aglutinadas por meio de cera e resina sintética. O aglomerado possui baixo custo e boa resistência a empenamento. No entanto, não é indicado para ambientes úmidos, por não ser tão resistente à água. Assim como a maioria dos demais modelos de madeira industrializada, o aglomerado pode ser revestido com lâminas de madeira, fórmica, melamina ou receber a pintura de verniz ou esmalte sintético.

 

madeira-aglomerado-industrializada-industria-industrial-particulas-fibra

Aglomerado (Foto: Rotor DB / Reprodução)

 

Sugestão de matéria: Conheça os tipos de tinta esmalte indicados para pintura de metais e madeiras e os acabamentos do produto disponíveis no mercado.

 

2. MDF

O MDF (Medium-Density Fiberboard — placa de fibra de média densidade) é feito por fibras de madeira, geralmente pinus ou eucalipto reflorestado, de média densidade. Junto da resina sintética e demais aditivos, o material passa por um processo de alta pressão e temperatura, resultando em uma placa sem camadas e homogênea.

 

Módulo de MDF Madri terracota Darabas

 

Além disso, o MDF possui alta resistência física e mecânica, possibilitando o seu encurvamento e demais modelagens para a produção de certos móveis e outras superfícies. Assim como o aglomerado, o MDF não é resistente à água e sol. A depender do revestimento, os móveis e painéis de MDF podem ser instalados em cozinhas e banheiros, tomando sempre o cuidado para não haver o contato constante e excessivo da água com a superfície.

 

3. MDP

O MDP (Medium Density Particleboard — Painel de Partículas de Média Densidade) é feito de partículas de madeira, diferente do MDF que é feito de fibras. Por isso, o MDP é mais resistente em relação à carga, mas não é maleável como o MDF. Com o revestimento certo, pode ser utilizado em móveis de banheiro ou cozinha, sendo ainda mais resistente que o MDF à umidade. Seu preço no mercado costuma ser mais barato, quando comparado ao MDF.

 

MDP-madeira-industrial-industrializada-material

MDP (Foto: Zanzini / Reprodução)

 

A placa de MDP é composta por 3 camadas sobrepostas de partículas de madeira. As maiores se concentram no meio da placa, enquanto que as mais finas se encontram nas camadas de fora, como observado na figura acima.

 

4. HDF

O processo de produção do HDF (High Density Fiberboard — Painel de Fibras de Alta Densidade) é basicamente o mesmo pelo qual o MDF passa. No entanto, a pressão aplicada sobre as fibras do HDF é maior, resultando em uma placa de maior uniformidade, estabilidade e menor espessura. É também mais resistente à água e pragas, como o cupim. O HDF, assim como o MDF, pode ser utilizado na produção de superfícies encurvadas.

 

hdf-cru-madeira-industria-industrial-processo-mdf-mdp-aglomerado

HDF (Foto: Rudegon/ Reprodução)

 

5. OSB

O OSB (Oriented Strand Board — Painel de Tiras de Madeira “Orientadas”) é composto por longas tiras de madeira, orientadas em sentidos pré-determinados, resultando em um diferenciado padrão de desenho. Para sua produção, essas tiras de madeira são prensadas, juntamente de resina, formando uma placa rígida e de boa resistência mecânica.

 

 

O OSB é utilizado de diversas maneiras: em forros, móveis, portas, revestimentos e mesmo para compor elementos decorativos. Quando utilizado no revestimento ou no forro, o OSB apresenta um bom isolamento térmico e acústico. É um material leve e, geralmente, de baixo-custo.

 

6. Compensado

– Compensado Laminado: esse modelo de madeira industrializada é feito a partir da sobreposição de lâminas de madeira, intercalando as peças de acordo com o sentido das ranhuras. Tanto em cima quanto embaixo das lâminas, são colados revestimentos para finalizar o acabamento das peças.

 

compensado-madeira-industrial-laminado-laminas

Compensado laminado (Foto: Comercial Futura / Reprodução)

 

– Compensado sarrafeado: já esse tipo de compensado é resultado da união de sarrafos cortados de madeira, colados um ao lado do outro e revestidos por lâminas. Ambos os modelos de compensados fornecem ótima resistência e aceitam muito bem o uso de pregos e parafusos. No entanto, são mais sensíveis ao ataque de insetos como cupins.

 

 

7. Tamburato

O Tamburato consiste em uma junção de lâminas amadeiradas com o interior semi-oco, fazendo com que a peça seja muito mais leve, quando comparadas a chapas maciças de madeira. A grande espessura das peças de tamburato se deve justamente pelo fato de, no seu interior, haver uma estrutura de papel reciclado semelhante ao desenho de uma colmeia. As peças de tamburato podem ser utilizadas em portas, divisórias, painéis e demais móveis.

 

tamburato-madeira-industrial-industrializada-papelao-papel-recilado-laminas-porta-amadeirada-leve

Tamburato (Foto: Marco Torella / Reprodução)

 

8. Chapa de fibra

A chapa dura de fibra (conhecida também como Eucatex) é produzida a partir da compressão (sob alta pressão e temperatura) das fibras de madeira. Diferentemente de alguns outros tipos de madeira industrializada, não há a adição de resinas sintéticas em sua produção. Essas chapas são bem finas e de alta densidade e podem ser utilizadas em detalhes decorativos, acabamento, fundos de armário e gavetas e divisões internas.

 

 

Madeira na decoração: veja dicas sobre como usá-la!

 

Por Vinicius Marques

Quer encontrar o modelo de janela ideal?

janela-tipos-modelos-vidro-casa-pivotante-basculante-correr-abrir-veneziana

| Ambientes Internos

 

Listamos os 5 principais tipos de janela que você precisa conhecer antes de construir ou reformar sua casa

 

Você sabia que para cada situação, ambiente e preferência, há um modelo ideal de janela? Confira os 5 principais modelos de janela e algumas imagens de inspiração.

 

Encontre na Telhanorte: Janelas

Janela-veneziana-3-folhas-Alumifort-120x150x118cm-branca-Sasazaki-1119435

Janela Veneziana Sasazaki 3 Folhas Alumifort 120x150x11,8cm Branca (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

 

5 modelos de janelas

 

1. Janela Veneziana

Ideal para quartos, esse modelo permite a ventilação do ambiente através de suas frestas e, quando fechado, impede a visibilidade exterior e a entrada de água da chuva. Suas folhas são abertas lateralmente. São feitas, principalmente, de madeira ou alumínio.

 

Janela-veneziana-de-correr-direita-Esquadrisul-de-aluminio-3-folhas-Ecosul-A--100cm-x-C--120cm-branca-1621319

Janela Veneziana de Correr Ecosul Direita Esquadrisul de Alumínio 3 Folhas 100x120cm Branca (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

2. Janela de abrir

Diferente da veneziana, para abrir esse tipo de janela é preciso empurrar as folhas para fora (ou, em alguns modelos, para dentro). Possui diversos formatos, tamanhos e acabamentos disponíveis no mercado.

 

Janela-Maxim-Ar-Esquadrisul-de-aluminio-1-folha-Ecosul-A--60cm-x-C--60cm-branca-1621211

Janela Maxim Ar Ecosul Esquadrisul de Alumínio 1 Folha 60x60cm Branca (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Janela de correr

Esse tipo é o mais simples, já que possui somente duas folhas que ficam sobrepostas quando aberta.  É ideal para ambientes pequenos, principalmente apartamentos. Assim como a veneziana, pode promover a circulação do ar no ambiente.

 

Janela-de-correr-Esquadrisul-de-aluminio-2-folhas-Ecosul-A--100cm-x-C--100cm-branca-1621190

Janela de Correr Ecosul Esquadrisul de Alumínio 2 Folhas 100x100cm Branca (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

4. Janela basculante

A janela basculante é normalmente encontrada na área de serviço, na cozinha e nos banheiros. Possui um sistema horizontal, permitindo a regulagem de abertura da janela e uma boa circulação de ar.

 

Janela-basculante-Esquadrisul-de-aluminio-1-secao--Ecosul-A--60cm-x-C--60cm-brilhante-1621262

Janela Basculante Ecosul Esquadrisul de Alumínio 1 Seção 60x60cm Brilhante (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

5. Janela pivotante

Possui o mesmo sistema das portas pivotantes: dois eixos que permitem a rotação da janela em diferentes posições e permitem a regulagem de abertura. Sua manutenção e limpeza também são simples.

 

janela-pivotante-madeira-vidro-casa

Janela pivotante de vidro e madeira (foto: Caravaggio / Reprodução)

 

Buscando uma janela para sua casa?

Aqui você encontra diversos modelos de janelas e conta com a ajuda de nossos vendedores. Visite uma de nossas lojas físicas ou acesse a loja virtual da Telhanorte!

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Telhanorte (@telhanorte)

 

Por João Victor Quintino | Edição de Vinicius Marques

Telhanorte promove a 20ª Grã-Feira

telhanorte-gra-feira-2021

| Dicas

 

Reformas de fim de ano: Telhanorte realiza campanha com ações e descontos exclusivos para construção, reforma e decoração

 

Com a aproximação do fim do ano, é hora de planejar as reformas para repaginar os ambientes e deixar o lar ainda mais aconchegante para as confraternizações de dezembro. Pensando nisso, a Telhanorte dá o pontapé inicial na 20ª edição da tradicional GRÃ-FEIRA, com vouchers de descontos acumulativos para as próximas compras, além de outras diversas ações comerciais, como “compre e ganhe”, preços especiais em grande parte das categorias, os melhores descontos do setor, dentre outras iniciativas. Trata-se da maior feira de reforma e construção da rede no ano. A ação fica vigente entre os dias 01 de outubro a 21 de novembro deste ano. Os vouchers adquiridos podem ser utilizados até 31 de janeiro de 2022.

 

telhanorte-gra-feira-2021

Rede oferece descontos na modalidade cashback para novas compras. Os clientes poderão aproveitar ainda outras ações comerciais, como “compre e ganhe” e preços especiais em todas as categorias de produto

 

Como funciona?

O cliente que realizar uma compra no valor de R$ 1.000 (mil reais), em uma única transação, durante o período de validade da campanha, receberá um voucher no valor equivalente a R$ 100 (cem reais), que poderá ser utilizado em uma nova compra em qualquer uma das unidades da rede, incluindo o e-commerce.

A campanha é válida para compras nas lojas Telhanorte, PRO Telhanorte e Telhanorte Já!, localizadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná, além do site: www.telhanorte.com.br.

“Estamos no principal período de vendas do varejo da construção, momento em que as pessoas buscam oportunidades únicas para a reforma e melhoria do lar, preparando-o para as festividades de fim de ano. A expectativa é que a Grã-Feira seja um sucesso novamente. A campanha reafirma nosso compromisso de oferecer novas possibilidades de compras aos nossos clientes. Estamos com uma equipe preparada para receber e atender da melhor maneira possível o consumidor em todos os pontos de venda”, destaca Rodrigo Pothin, Diretor Comercial da Telhanorte.

 

rodrigo-pothin-telhanorte-tumelero

Rodrigo Pothin, diretor comercial da Telhanorte Tumelero

 

Sobre a Telhanorte Tumelero

Com 48 lojas Telhanorte espalhadas pelos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná e outras 28 lojas Tumelero no Estado do Rio Grande do Sul, formamos a maior rede varejista de material de construção do país, pertencente ao grupo francês Saint-Gobain.

Nossas lojas – além do Televendas, TelhaZap e dos dois E-Commerces, www.telhanorte.com.br e www.tumelero.com.br – oferecem a melhor experiência de compra, com qualidade no atendimento, serviços diferenciados e um mix de produtos com mais de 50 mil itens.

Inovamos ao sermos a primeira rede de materiais de construção brasileira a adotar o conceito de home center de proximidade: é a Telhanorte Já!, que leva a gama de um home center comum para lojas de bairro. Também fomos pioneiros em trazer para o Brasil a Pro Telhanorte, um conceito de lojas destinadas a profissionais da construção. E somos a única rede de home center no Brasil com uma loja que funciona 24 horas: a Telhanorte Marginal, no bairro da Água Branca, em São Paulo (SP), que conta com 13 mil metros quadrados e milhares de itens de estoque local.

 

Espelhos com iluminação embutida: tem na Telhanorte!

 

Por Vinicius Marques | Edição de João Victor Quintino

13 ferramentas manuais para ter em casa

ferramentas-manuais-alicate-martelo-chave-fenda-trena-caixa-reparo-metal-cabo

| Ferramentas

 

Chave de fenda, Phillips, Chave inglesa, tesoura, martelo, alicate e mais. Confira 13 itens da lista de ferramentas manuais que você deve ter em casa

 

As ferramentas manuais possuem a função principal de auxiliar e facilitar a execução de tarefas do dia a dia. Elas diminuem a necessidade de força e habilidade para execução de atividades cotidianas, como apertar um parafuso ou instalar um prego. Conhecer mais sobre cada um dos equipamentos da lista de ferramentas manuais vai te ajudar não apenas a montar seu kit, como também a usar esses itens quando necessário. Por isso, a seguir, organizamos 13 ferramentas manuais para que você possa montar seu próprio kit. São eles:

 

  1. Chave de fenda
  2. Chave phillips
  3. Chave inglesa
  4. Chave Allen 
  5. Chave de boca (chave fixa)
  6. Chave combinada
  7. Alicate universal
  8. Martelos
  9. Tesouras
  10. Serras e serrotes
  11. Nível
  12. Trenas
  13. Limas

 

Lista de ferramentas manuais: 13 itens essenciais

1. Chave de fenda

A chave de fenda é uma das principais ferramentas manuais e um dos itens obrigatórios para ter em casa. Sua atuação está relacionada ao uso de parafusos. Precisa instalar, apertar, afrouxar parafusos com o encaixe reto? A chave de fenda é a ferramenta ideal. Seja para consertar dobradiças, montar um móvel ou instalar uma prateleira, a chave de fenda pode resolver seu problema. 

 

2. Chave phillips

A chave Phillips também deve ser usada para instalação de parafusos, entretanto, o modelo de parafuso é diferente: ele deve ter a cabeça de estrela ou formato de “X”. A ponta da chave Phillips é o que a diferencia em relação à chave de fenda. 

 

Chave de fenda: conheça os tipos e suas funções

 

3. Chave inglesa

Também conhecido como chave ajustável, a chave inglesa se ajusta ao tamanho do parafuso e da porca. Isso acontece por meio de um sistema que abre e fecha a “mandíbula” da ferramenta, onde a porca é encaixadaÉ bastante usada para facilitar a aplicação do torque necessário para apertar ou desapertar parafusos e porcas. 

 

chave-inglesa-ferramenta-apertar-afrouxar-torcao-parafuso

A chave inglesa pode ser útil em diversos reparos da casa (Foto: Recha Oktaviani / Unsplash / Reprodução)

 

4. Chave Allen 

Usadas para apertar ou afrouxar parafusos com sextavado internoTem formato em “L” para permitir a aplicação do efeito alavanca, tornando o trabalho mais fácil. Geralmente são vendidas em conjunto, com várias chaves Allen de tamanhos diferentes. 

 

chave-allen-fenda-hexagono

Chave de fenda Allen ou Hexagonal (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

5. Chave de boca (chave fixa)

Serve para apertar porcas e parafusos sextavadosO tamanho da cabeça do parafuso e/ou da porca devem estar de acordo com o tamanho da chave. Existem vários tamanhos, por isso, você deve saber qual é o ideal para sua necessidade pontual, ou escolher um kit com vários tamanhos de chave diferentes, caso tenha interesse em ter um kit de ferramentas manuais ainda mais completo. 

 

Chave-fixa-6x7mm-42006-101-Tramontina

Chave fixa 6x7mm 42006/101 Tramontina (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

6. Chave combinada

Cada uma das duas extremidades da chave combinada possuem um formato. Uma extremidade tem a função de atuar sobre parafusos e porcas sextavados. A outra, sobre parafusos e porcas quadrados. Visto de outra forma, a chave combinada tem em uma extremidade a abertura fixa e na outra o formato de estrela. São encontradas em diferentes tamanhos que medem milímetros ou polegadas. Existem vários tipos de chaves combinadas. 

 

chave-combinada-tramontina

Chave combinada 10mm prata fosca Tramontina (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

7. Alicate universal

O alicate universal permite que você aperte objetos (alicate de pressão) e corte-os (alicate de corte). Essas duas funções em um mesmo item fizeram com que ele recebesse o nome de “universal”. Com essa ferramenta você consegue realizar tarefas que exigem muita força, em poucos segundos. Ou seja, ele multiplica a força empregada e permite que você realize a atividade desejada. 

 

Alicate-universal-8--Novipro

Alicate universal 8″ Novipro (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

8. Martelo

Para pregar ou retirar pregos de variadas superfícies, conte com um martelo em sua lista de ferramentas manuais. Você encontra martelos de aço, borracha, nylon e cobre. Descubra qual é o ideal para sua necessidade. 

martelo-tramontina

Martelo de unha 20mm aço especial cinza Tramontina (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

9. Tesouras

As tesouras podem ser usadas para diversos fins, desde a manutenção de jardins até corte de cabos. Da mesma forma, existem diferentes tipos de tesoura. Busque ter uma tesoura de corte simples e outra de poda em seu kit de ferramentas. 

 

Tesoura-de-Poda-Tramontina-com-Lamina-Metalica-e-Cabo-Plastico-1626515

Tesoura de Poda Tramontina com Lâmina Metálica e Cabo Plástico (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

10. Serras e serrotes

Também são encontrados em diferentes formatos, para ação em diferentes materiais, oferecendo variados acabamentos. Entretanto, de maneira geral, são usados para cortar itens como tábuas de madeira e tubos de PVCAo trabalhar com esse tipo de ferramenta é importante contar com equipamentos de segurança como luvas e óculos de proteção.  

 

Arco-de-serra-tubular-149-Starrett

Arco de serra tubular 149 Starrett (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

11. Nível

Se você pretende realizar a instalação de prateleiras sem que elas fiquem tortas, o nível é um importante item de sua lista de ferramentas manuais. 

Além da instalação de prateleiras, o objeto também pode ser usado para aplicação de pisos e revestimentos, por exemplo.

 

Nivel-de-plastico-23cm-azul-Tramontina

Nível de plástico 23cm azul Tramontina (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

12. Trenas

Medir espaços, metros quadrados ou o tamanho de uma parede, é algo bastante corriqueiro no dia a dia de uma casa. Seja para a compra de um armário nas medidas certas ou para o cálculo da quantidade de material para uma obra. As trenas são equipamentos para medição interna e externa de ambientes. Atualmente você já encontra trenas digitais para facilitar ainda mais seu trabalho. 

 

trena-Tramontina

Trena 5 M Tramontina (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

13. Limas

Sua função é desgastar o metal como uma lixa e, por isso, é muito usada para afiar outras ferramentas. Você pode encontrar modelos como:

 

Lima-Meia-Cana-Bastarda-8---Starrett

Lima Meia-Cana Bastarda 8” Starrett (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Monte seu kit de ferramentas manuais

Agora que você tem acesso a essa lista de ferramentas manuais é hora de criar seu próprio kit. Assim você estará preparado para qualquer situação ou imprevisto. É importante que, além das ferramentas que listamos acima, você complete seu kit com itens como pregos, parafusos, buchas, fita isolante e veda rosca. Com isso em mãos você terá a sua disposição uma caixa de ferramenta completa.

Se você não sabe onde encontrar as melhores marcas de ferramentas manuais, acesse o departamento de ferramentas loja virtual da Telhanorte.

Você encontra kits de ferramenta prontos ou pode montar o seu de acordo com os itens que escolher. Acesse nossa loja virtual, selecione os produtos para sua construção ou reforma e receba tudo em casa. Você também pode visitar uma de nossas lojas físicas e comprar por telefone ou WhatsApp. Conheça também nossa sessão Outlet e faça suas compras com o cartão Telhanorte.

 

Caixa de ferramentas: conheça os principais modelos

 

Edição de Vinicius Marques

Como ter uma das casas mais protegidas do mundo?

casas-protegidas-coral-telhanorte-sol-chuva-pintura-externa

| Área Externa

 

Uma casa bonita por muito mais tempo! A linha Coral Proteção Sol & Chuva Impermeabilizante protege as paredes externas das casas

 

Publieditorial da Coral

 

Manter a pintura da casa em boas condições, com as variações bruscas de temperatura, pode ser um problema. Os raios solares cada vez mais fortes e as chuvas fazem com que as paredes das casas fiquem suscetíveis a fissuras, mofos e infiltrações. Pensando na proteção das paredes externas das casas, a Coral desenvolveu a linha de produtos Coral Proteção Sol & Chuva especialmente para cuidar do exterior da sua casa.

Tinta-Protecao-Sol-e-Chuva-acrilica-18-litros-branco-Coral

Tinta Coral Sol e Chuva Premium Proteção Branco 18 Litros (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Muita tecnologia envolvida

A tecnologia desenvolvida pela Coral para os produtos da Linha Coral Proteção Sol & Chuva Impermeabilizante atua como um escudo protetor na superfície. A linha de impermeabilizantes traz em sua fórmula o polímero flexível da Coral, que estica e volta, acompanhando os movimentos das paredes. Esse movimento da superfície acontece devido à variação térmica.

 

coral-protecao-sol-chuva

Uma linha completa para proteger as paredes externas da sua casa (Foto: Coral / Divulgação)

 

Isso faz com que a parede permaneça protegida contra fissuras, mofos e algas e que fique em boas condições por muito mais tempo. É por isso que a tinta Coral Proteção Sol & Chuva Pintura Impermeabilizante tem credibilidade com os pintores por sua durabilidade e um ótimo acabamento. Aliás, para contratar um profissional de pintura de confiança qualidade e indicado pela Coral, acesse o site Páginas Coloridas.

 

Várias cores para escolher

 

sol-chuva-tinta-coral

Conheça a linha de tintas da Coral Proteção Sol & Chuva (Foto: Coral / Divulgação)

 

Além do alto desempenho e durabilidade, a tinta Coral Proteção Sol & Chuva Pintura Impermeabilizante está disponível em mais de 2 mil cores dentro do nosso leque de opções. Se você está em dúvida, podemos te ajudar com isso. Basta acessar a nossa paleta. Agora, para ter certeza de que o tom escolhido é o ideal, use o Teste Fácil Coral diretamente na parede antes de comprar a tinta Coral Proteção Sol & Chuva Pintura Impermeabilizante.

 

Teste-Facil-para-pintura-Delicia-de-Verao-30ml-Coral-1581627

Teste Fácil para pintura Delícia de Verão 30ml Coral (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Edição de Vinicius Marques

Os principais tipos de fundações

fundacao-fundacoes-obra-profundas-rasas-estaca-sapata-bloco-radier-tubulao-solo-concreto-armado-corte

| Construção

 

Conheça quais são os principais tipos de fundação utilizados em uma obra

 

Uma das primeiras etapas da obra é escolher como será a fundação. Essa escolha depende de diversos fatores, analisados a partir da sondagem do local, feita por um profissional capacitado com o mínimo conhecimento básico em mecânica dos solos.

Confira agora 5 tipos de fundações rasas ou profundas. Se você quiser saber mais informações, basta procurar na Norma Brasileira (NBR) 6122/10.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Obra Já! Atacado da Construção (@obra.ja)

 

5 tipos de fundações de obra

 

fundacao-fundacoes-obra-profundas-rasas-estaca-sapata-bloco-radier-tubulao-solo-concreto-armado

A resistência do solo tem grande influência na escolha correta das fundações da obra (Foto: Scott Blake / Unsplash / Reprodução)

 

Fundações rasas

1. Sapata isolada

Ideais para solos resistentes e usada para receber cargas pontuais ou concentradas, como as de pilares e reação de vigas baldrame.

 

2. Sapata corrida

Suporta cargas lineares, como pilares próximos uns aos outros, paredes e muros.

 

3. Radier

É uma placa de concreto inteiriça que engloba todas as cargas que chegam na fundação. Ideal para solo de baixa resistência, porém não limitado a esse tipo de solo.

 

Sugestão de matéria: Conheça os principais modelos de forros

 

Fundações profundas

4. Estacas

Transmitem a carga ao solo pelo atrito lateral e resistência de ponta. Podem ser de diversos tipos.

 

5. Tubulões

São estacas com a base alargada, indicadas, preferencialmente, para obras de grande porte.

 

Vergalhão de fibra de vidro ou vergalhão de aço?

Por Vinicius Marques

 

Por que construir no inverno é uma boa estratégia?

planejamento-obra

| Área Externa

 

O inverno é uma das melhores épocas para construir ou reformar, você sabia? Leia essa matéria para descobrir porque essa é uma boa ideia!

 

Ainda estamos em agosto e o inverno ainda não acabou, por isso, o Blog Telhanorte trouxe essa matéria com dicas de porquê essa estação do ano é a melhor para construir ou reformar a sua casa.

 

Construir ou reformar: qual vale mais a pena?

 

Muitas pessoas preferem fazer a obra no último trimestre para começar o novo ano com a casa toda organizada, afinal, esse período geralmente coincide com as férias no trabalho, o que permite mais tempo livre para acompanhar a obra, porém, o inverno tem ainda mais vantagens. O nosso blog conversou com a arquiteta Marcy Ricciardi, que nos contou um pouco mais sobre esses benefícios. Confira!

 

1. Preços mais em conta

Ao construir ou reformar a casa no final do ano, os preços normalmente ficam um pouco mais ‘salgados’, o que acaba prejudicando o orçamento para boa parte das famílias começarem o próximo ano sem dívidas.

No inverno os preços estão mais em conta, justamente porque a procura por esses itens sofre uma queda. O valor para mão de obra especializada, como pedreiros, engenheiros, pintores, marceneiros, etc., também diminui, já que há mais profissionais disponíveis nessa época do que em dezembro, por exemplo, em razão de férias.

 

2. Maior variedade e disponibilidade nos materiais de construção

Conforme já falamos acima, a busca por materiais de construção sofre uma queda nesse período. Além dos preços baixarem, as lojas especializadas na venda desses itens oferecem uma gama maior de produtos, como variação de cor, tamanho, quantidade, etc.

As chances de você comprar a quantidade certa de pisos e revestimentos, por exemplo, aumenta, assim como a de conseguir itens exclusivos para sua obra.

 

3. Época de estiagem

Uma das maiores vantagens de construir ou reformar no inverno com certeza é a época de estiagem que chega junto com a estação. Chove muito pouco, o que facilita o processo.

Segundo a arquiteta Marcy Ricciardi, “a umidade estraga os materiais no canteiro de obra, o que pode gerar maiores prejuízos”, então, o verão não é a época mais adequada para isso.

 

4. Probabilidade menor de acidentes

Com o verão temos muitas chuvas e umidade, o que pode causar graves acidentes em um canteiro de obra. A água pode se acumular em poças nos andaimes e plataformas e há o risco de fios desencapados tocarem algum ponto molhado, podendo causar choques de alta intensidade.

Esses são apenas alguns dos riscos que podem ser evitados ao construir e reformar no inverno e sabemos que você se preocupa com a sua segurança e dos profissionais que recrutar para trabalhar em sua obra.

 

5. Pequenas reformas

“Até mesmo na reforma o inverno facilita, porque, por ser um período de seca e baixa umidade, a tinta seca mais rápido, diminuindo a quantidade de produto entre uma demão e outra”, explica Marcy.

Infiltrações, goteiras, rachaduras na laje… Esses podem ser alguns dos problemas que você tem em casa no momento e muitas vezes eles não podem esperar para serem resolvidos no verão.

A chuva não irá te atrapalhar nesse processo, então, coloque a mão na massa agora!

A manutenção ou reforma de uma fachada ou do telhado é bem importante para manter a casa sempre bonita. Fazer a troca do revestimento e aplicar impermeabilizantes no local são tarefas bem mais simples sem umidade.

Se você está cogitando construir uma piscina na sua casa, esse é o momento! Como esse projeto exige uma escavação, impermeabilização e assentamento de pisos, muitas vezes em locais descobertos, fazer a sua piscina em um período mais seco é uma ótima ideia.

 

Qual piscina escolher: concreto, fibra de vidro ou vinil?

 

Já falamos sobre a busca por materiais de construção ser menor no inverno, mas já parou para pensar que quase ninguém procura itens para piscina nessa época também? Você pode ter um lugar lindo, refrescante e mais barato somente por optar em construir nesse período!

 

Bora construir?

Como você já pôde perceber, o inverno é a melhor estação para construir ou reformar sua casa. No Brasil, como o inverno não é tão rigoroso na maior parte do país, se levarmos em consideração outros locais onde há neve, estamos com uma vantagem muito boa.

Agora é o momento de você começar a procurar materiais de construção, pisos e revestimentos, portas e janelas, tintas e pensar na parte hidráulica e elétrica da sua casa. Tudo isso você encontra na Telhanorte!

Visite uma de nossas lojas físicas ou compre diretamente no site Telhanorte e receba suas compras no conforto da sua casa. Você pode tirar suas dúvidas com um de nossos atendentes através do televendas (11) 3434-3610 ou pelo WhatsApp! É fácil, rápido e prático! A Telhanorte te ajuda a viver a sua casa e aproveitar ainda mais os bons momentos com sua família.

 

Por Camila Alexandrino | Edição de Vinicius Marques

Construir ou reformar: qual vale mais a pena?

imovel-construir-reformar-estudo-obra-analise-orcamento-investimento-projeto-construcao-reforma-planejamento

| Construção

 

Muitas pessoas ficam na dúvida entre construir uma casa do zero ou reformar um imóvel já adquirido. Confira 7 dicas que vão te ajudar a tomar a melhor decisão

 

Quando o assunto é investir em um imóvel, seja para o uso próprio ou para a inserção no mercado imobiliário, um primeiro ponto de análise está em decidir se tal imóvel será construído do zero ou se será feita uma reforma completa em um espaço já estruturado. Há muitas variáveis a serem consideradas e, independente do valor da obra, deve-se levar em conta que cada caso é um caso; nem sempre a opção mais econômica é a mais vantajosa.

Para ajudar nesse momento de escolha, separamos abaixo 7 perguntas importantes que você precisa se fazer antes de escolher entre uma construção ou uma reforma. Confira!

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Telhanorte (@telhanorte)

 

7 considerações para te ajudar na escolha

 

1. Quais as suas necessidades?

Antes de mais nada, é importante colocar no papel quais são seus desejos e necessidades. Entenda o porquê do investimento que você está prestes a fazer. O imóvel será para o uso da família ou você irá inseri-lo no mercado imobiliário? Caso seja para a família, qual a estrutura necessária para o bem-estar de vocês? O ambiente a ser reformado conseguirá contemplar tudo que precisam? Caso pretenda vender o espaço, a região onde você pretende construir irá favorecer a venda do imóvel?

Apenas depois de entender melhor o que você realmente necessita é que você poderá chegar mais perto de uma decisão segura.

 

2. Qual a opinião de especialistas?

Outro passo essencial, quaisquer que sejam as possibilidades, é consultar um profissional adequado. Busque por indicações de confiança e tenha uma primeira conversa com o especialista, explicando tudo que você necessita para a obra. Um profissional confiável irá entender quais são suas necessidades e te explicará as perdas e ganhos de construir ou de reformar.

Caso seja necessário, consulte mais de um especialista para te ajudar a ter certeza do que você realmente quer e como dar os próximos passos. Além disso, um bom profissional irá realizar um estudo detalhado tanto da construção quanto de uma possível reforma, te apresentando um orçamento mais próximo do real, além de considerar todos os imprevistos que podem vir a acontecer.

 

3. Quanto recurso financeiro você tem?

Outro aspecto que com certeza irá influenciar na decisão é saber quanto de dinheiro será necessário para fazer uma obra bem feita e quanto você possui disponível. Para isso, consulte um profissional e peça para que essa pessoa faça um estudo da obra. Caso seja uma construção, o profissional poderá lhe entregar uma análise bem detalhada do que você irá gastar, desde as fundações da casa até os acabamentos.

 

Sugestão de matéria: Confira 5 dicas fundamentais sobre como fazer um planejamento de obra

 

No entanto, se o orçamento feito for de uma reforma, o valor pode destoar do que de fato você gastará. Isso acontece porque, quando reformamos um espaço já existente, há muitos imprevistos que podem ocorrer que, em uma obra iniciada do zero, não aconteceria. Você pode, por exemplo, encontrar focos de mofo, cupim ou bolor, que podem prejudicar o andamento da obra. Portanto, ao planejar uma reforma, tenha no papel o máximo de imprevistos que podem vir a acontecer, para que você tenha uma reserva de dinheiro, caso algo realmente ocorra.

Além disso, faça uma boa pesquisa de mercado, consultando valores não só de serviços, como também de materiais de construção e produtos para a casa. Pesquise pelos melhores preços de tintas, ferramentas, itens de decoração, portas, janelas e etc., para que, ao chegar nas seguintes etapas da obra, você não tenha surpresas. Uma obra bem feita é uma obra bem planejada!

 

4. Quando você precisará da obra finalizada?

Além do dinheiro, o tempo também é um fator que pode ser decisivo para a obra. Quais são os prazos que você possui? Quais datas você estipula para a obra? É muito importante definir não só o prazo final, mas para cada etapa da construção. Isso ajuda você a alinhar os serviços dos profissionais da obra, além de ter um maior controle do andamento, evitando atrasos exagerados. Além disso, é importante acompanhar a obra de perto, impedindo que o processo demore mais do que o estipulado.

 

5. Você tem disponibilidade para acompanhar a obra de perto?

Como falado acima, é fundamental que você acompanhe o andamento da reforma ou construção de perto. Estar inteirado de cada procedimento da obra te ajuda a entender os próximos passos e a reajustar prazos estipulados se necessário. Algumas pessoas também enfrentam problemas com profissionais de obra não confiáveis. Assim, é importante que você visite o espaço em reforma regularmente, questionando os profissionais sobre cada etapa e avaliando o trabalho feito. Caso suspeite de alguma decisão desleal tomada pelos profissionais, posicione-se e, caso seja necessário, busque por outros serviços.

 

6. O espaço a ser reformado é muito antigo?

Caso você tenha um imóvel antigo que queira reformar, estude o histórico completo de reformas e reparos pelos quais ele passou. O espaço já sofreu algum ajuste estrutural importante? O quão desgastada está a alvenaria? O que precisaria ser revitalizado para trazer uma boa sobrevida? Não adianta caprichar em acabamento, pintura e decoração se o espaço a ser reformado necessita de reparos mais graves. Por isso, verifique a impermeabilização da casa, a rede elétrica, o estado do telhado, o sistema hidráulico e todos os demais cantos da casa.

 

7. A obra está de acordo com a legislação e normas locais?

Por fim, ao contatar um especialista de confiança, ele irá te ajudar a entender quais as normas e legislação que devem ser obedecidas em cada um dos casos. Se você optar por reformar um ambiente já construído, é importante observar se alguma norma de construção civil mudou desde que o imóvel foi erguido. Caso algo na legislação atual esteja diferente do que havia na época da construção do imóvel, é importante aproveitar a reforma para atualizar o que é requerido. Também é importante estar por dentro do conjunto de regras do condomínio ao qual o imóvel pertence. Quais tipos de reformas são permitidos? O que é possível derrubar e o que não se pode mexer?

Essas dicas também servem para uma nova construção. Tenha atenção à legislação e obedeça às regras e normas locais. Assim, você garantirá maior segurança, legalidade e evita futuras dores de cabeça.

 

Dicas finais

Planejar uma reforma ou uma construção dá trabalho e não deve ser feito da noite para o dia. É necessário muita análise, planejamento e resiliência para poder tirar o seu sonho do papel.  É imprescindível que você consiga ter uma visão panorâmica do cenário, pensando não só no que você precisa para o presente, como no futuro também. Faça uma escolha consciente, considerando a valorização do imóvel, a durabilidade e as futuras mudanças familiares, como aumento da família ou filhos que saem de casa.

Por fim, saiba que, independente do que for decidido, você pode sempre contar com a Telhanorte para andar junto com você do início ao fim, em cada etapa da obra!

 

Como reformar um imóvel alugado?

 

Por Vinicius Marques | Edição Stéphanie Durante

Como fazer a hidráulica do banheiro: passo a passo

torneira-banheiro

| Banheiro

 

Vai começar a construção da casa e não sabe o que é preciso conferir na hidráulica do banheiro? Então se ligue nesse passo a passo completo que vai te ajudar!

 

Para começar uma obra é preciso fazer um planejamento, pois cada detalhe é importante para evitar futuros problemas. Se você chegou até essa matéria, é porque se preocupa com o assunto e aqui é o lugar certo para encontrar as melhores dicas!

 

Sugestão de leitura: Saiba “como fazer um planejamento de obra” em nossa matéria!

 

Uma das etapas mais importantes da construção é a hidráulica, afinal, ter uma descarga e torneira que funcionem, além de um chuveiro quentinho e com boa regulagem de água são fundamentais. Nesse guia trouxemos um passo a passo de como você pode fazer a hidráulica do seu banheiro da forma correta. Continue lendo para saber mais!

 

Como fazer a hidráulica do banheiro

A primeira coisa que você deve saber antes de começar é o que é instalação hidráulica. Esse é o sistema que fornece abastecimento, distribuição e escoamento de água nas residências. Sua função é captar, transportar e armazenar o líquido.

Em um projeto hidráulico, você pode encontrar a caixa d’água, as redes de distribuição de água fria e quente, a coleta de esgoto e águas pluviais. Pelo grau de dificuldade que demandam, é importante consultar um profissional especializado para garantir que todo o projeto esteja de acordo com as especificações determinadas pelas normas técnicas.

Quando bem feito, um projeto arquitetônico deve ter definido onde e como serão usados os pontos de distribuição de água na casa. Com uma planta baixa do imóvel, é possível saber onde serão instalados chuveiros, pias, ralos, registros e outros itens importantes para o projeto. Tubulações, caixas d’água e outras conexões devem constar no projeto também para que, no futuro, não se quebre uma parede onde um cano esteja instalado.

 

1. Caixa d’água

Ela é importante para a instalação hidráulica da casa toda e não apenas no processo de como fazer hidráulica de banheiro. Dentro dessa etapa alguns passos são importantes, entre eles:

– instale o kit de cavalete para a ligação do medidor de água do local até o medidor de água — hidrômetro — da empresa que distribui o recurso.  O cavalete serve para ligação do medidor de água da empresa que distribui o recurso até a caixa d’água da residência.

– acomode a caixa d’água no ponto mais alto da casa;

– conecte o cavalete e a caixa d’água;

– use o sistema de tubulação que vai levar a água do hidrômetro até a caixa d’água;

– Instale a boia de nível dentro da caixa d’água e o registro na saída de água da caixa;

– inclua também uma saída para limpeza e um ladrão;

– uma saída deve ser reservada para um cano com 1 e 1/2 polegada, caso o vaso sanitário utilize uma válvula hydra e outra para um cano de 3/4″ para o resto da casa.

 

mapa-hidráulico-banheiro-válvula-hydra

Mapa hidráulico do banheiro com instalação de válvula Hydra (Foto: Bárbara Silvério / Reprodução)

 

Você pode optar por usar duas ou mais ligações para a saída de água, de acordo com o seu projeto. Criando uma saída para o chuveiro e pia de banheiro, e outra para a caixa acoplada para bacia, por exemplo.

 

2. Registro e tubulação

Nesta etapa é hora de adaptar a tubulação que conecta a caixa d’água ao restante da casa: banheiro, cozinha e lavanderia, tanques, área externa e outros cômodos. Insira um registro na saída das tubulações.

Para vasos sanitários com caixa de descarga, você pode usar uma tubulação que sai da caixa d’água com ¾ de polegada. Já para os modelos com válvula de pressão, prefira o tubo de l e ½ polegada. O restante do sistema hidráulico pode ser com tubulação de ¾” ou você poderá reduzir para ½” em itens como a pia do banheiro, o lavatório e o bidê.

 

mapa-hidráulica-banheiro

Distribuição de registros hidráulicos no banheiro (Foto: Guia do construtor / Reprodução)

 

3. Tubos de esgoto e ralos

Já abordamos o tema da tubulação no tópico acima, mas quando falamos sobre como fazer hidráulica de banheiro, há de se considerar a tubulação de esgoto e os tipos de ralos para banheiro. Todos os tubos, principalmente os do piso, devem ser instalados antes do acabamento, ou seja, antes da instalação de pisos, porcelanatos e revestimentos para banheiro.

Lembre-se de conectar esses tubos aos ralos sifonados que evitam a proliferação dos maus odores provenientes do esgoto que sai desse ambiente da casa. Neste tópico algumas dicas também são necessárias:

– coloque uma camada de, no mínimo, 8 cm de concreto magro sobre o chão, para formar o contrapiso;

– o vaso sanitário deve usar tubos de 100 mm;

– lembre-se de criar o caimento correto para escoar a água. O caimento ideal é de 2% e o mínimo é de 1%.

 

mapa-esgoto-sanitário

Mapa de esgoto sanitário (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Para a instalação dos itens hidráulicos que compõem as instalações de esgoto de um banheiro, como pias e afins, é necessário seguir algumas regras de altura em relação ao chão (onde está parte da tubulação). Algumas dessas regras são:

– 30 cm – Vaso sanitário

– 50 cm – Banheira

– 60 cm – Lavatório

– 15 cm – Bidê

– 210 a 239 cm – Chuveiro

– 120 cm – Descarga comum

– Em relação à instalação hidráulica, incluir 20cm para ponto de água da caixa acoplada.

 

Observação: as alturas indicas acima consideram o piso já pronto. Por isso, ao fazer a instalação antes do acabamento do piso, adicione 5 cm nos valores apresentados. As tubulações da parede precisam ter um cuidado especial para o uso de conexões que evitem os vazamentos.

 

4. Planta hidráulica

Assim como a planta geral da sua casa, também conhecida como planta arquitetônica, a planta hidráulica é um projeto que permite a análise de como ficarão as instalações hidráulicas do banheiro.

Ela é fundamental para a garantia de que o posicionamento de cada item está de acordo com o que você idealizou. Além disso, é um guia que registra a comunicação entre os profissionais que estão auxiliando a obra, como engenheiro, arquitetos, pedreiros e bombeiros hidráulicos.

 

mapa-esquema-hidráulico

Mapa do esquema hidráulico (Foto: Suzuki Arq / Reprodução)

 

Materiais usados na construção da hidráulica de banheiro

Como você viu acima, muitos materiais serão usados durante as etapas de como fazer hidráulica de banheiro, entre eles:

– kits com cavaletes prontos;

– resistência da tubulação

boia com registro;

– tubulação de metal ou PVC;

torneiras;

pias de banheiro;

ralos e grelhas;

vasos sanitários e assentos;

chuveiros ou duchas.

 

Além dos itens de Hidráulica, você também precisará acrescentar em sua lista de compras:

cimento;

pisos e revestimentos;

argamassa;

tintas;

acessórios para pintura.

 

Na Telhanorte, você encontra tudo o que precisa dentro de nosso departamento completo de banheiro ou de hidráulica. Agora que você já sabe como fazer hidráulica de banheiro, faça sua lista de itens e peça tudo na loja virtual da Telhanorte. Sem sair de casa, você poderá fazer seu orçamento e ainda ter acesso a condições super especiais com o cartão Telhanorte. Receba tudo no endereço que você desejar!

 

Edição de Camila Alexandrino e Vinicius Marques