cimento | Blog Telhanorte

Diferenças entre estruturas pré-moldadas e pré-fabricadas

estruturas-pre-fabricadas-moldadas-obra-construcao-concreto-ferro-aco

| Materiais de Construção

Algumas pessoas se confundem um pouco ao determinar se uma estrutura de obra é pré-moldada ou pré-fabricada. Você sabe qual a diferença?

 

Segundo a ABNT NBR 9.062/2017, ambos os elementos são moldados previamente e fora do local de utilização definitiva. Os dois tipos de estrutura também passam por processos de testagem e qualificação antes de serem aprovados para uma obra.

No entanto, enquanto as estruturas pré-fabricadas são executadas e qualificadas em instalações industriais como fábricas, os elementos pré-moldados são feitos em um local do próprio empreendimento, exclusivos para a obra em questão.

 

imovel-construir-reformar-estudo-obra-analise-orcamento-investimento-projeto-construcao-reforma-planejamento

Construir ou reformar? (Foto: Sergey Nivens / Shutterstock)

 

Buscando materiais básicos para a obra?

Precisando de material de construção? Em nossas lojas físicas e no site da Telhanorte, você encontra blocos e tijolos; telhas, calhas e rufos; cimento, areia e pedra; aços para construção; colunas e balaústras; betoneiras e muito mais.

É profissional da obra e busca por material específico? Visite uma das unidades da Telhanorte PRO, a loja do profissional da construção. A loja é dividida em “Mundos”, seguindo a especialização profissional: construtor, eletricista, encanador, pintor, acabamento e ferramentas. Tudo com as melhores marcas e na quantidade que você precisa.

 

Veja também: Como fazer planejamento de obra? 5 dicas fundamentais

 

Por Vinicius Marques

4 tipos de cobogó para melhorar o décor dos ambientes

cobogo-madeira-decoracao-amadeirado-divisoria-sala-estar-ambiente-interno

| Decoração

Conheça o que é cobogó, como instalar e 4 principais modelos que irão revolucionar a decoração da sua casa nessa matéria

 

Ainda que muitos os associem ao passado, os cobogós estão voltando com força total, para dar um toque especial às casas contemporâneas. Moda entre quem gosta de decorações que misturam personalidade, luminosidade e um acessórios vintage, esses elementos vazados podem combinar com diferentes cômodos da sua residência.

Já pensou que charme fazer uma parede de cobogós separando a sala de estar e a cozinha? E se eles fossem colocados na sua área externa para, em contraste com suas plantas, estilizar a fachada?

 

tipos de cobogó

Cobogó metálico em cozinha industrial (Foto: Casacor / Revista Abril / Reprodução)

 

No texto de hoje, vamos apresentar 4 tipos de cobogó para melhorar a decoração dos ambientes:

Quer conhecer mais sobre eles e ficar por dentro do assunto? Siga com a gente!

 

O que é cobogó?

O cobogó é uma peça vazada que, normalmente, é feita de cimento ou cerâmica. Sua função é completar paredes, levando mais ventilação e iluminação aos mais diferentes cômodos de uma casa.

Quando adotado na decoração, deixa o design do ambiente mais bonito e despojado. Contar com os cobogós é deixar a estrutura do seu lar muito mais moderna e divertida. E, por isso, quando você conhece quais são os tipos de cobogó existentes, fica mais fácil mapear suas opções e comprar o certo sem qualquer arrependimento.

Em suma, a diversidade de cobogós, em suas mais diferentes cores e materiais, serve justamente para contemplar gostos distintos. E, quanto mais você conhecê-los, as chances de que você fique satisfeito com sua escolha aumentam.

 

Como instalar os cobogós?

Antes de passarmos para os tipos, é importante entender que a própria instalação dos cobogós é uma forma de determinar o estilo. Mas como? É simples!

Em muitos dos casos, cobogós com diferentes formatos podem ser combinados para dar um ar mais ousado. Em outros, mesmo que sejam peças iguais, elas até mesmo podem ser instaladas em posições alternadas, variando o desenho. A depender do seu gosto, qualquer uma dessas escolhas pode ser decisiva para dar o resultado que você espera para a sua casa!

De modo geral, para que, independentemente da sua opção, você possa fazer a instalação de forma adequada, é recomendado chamar um profissional especializado. Isso, porque a distância das peças deve ser minuciosamente calculada, para que fiquem firmes e não gerem rachaduras com o tempo.

Caso opte por fazer o trabalho sozinho, mesmo sem experiência, há o risco de arranhar os cobogós ou até mesmo quebrá-los. Portanto, tome cuidado nesse momento.

 

Quais os tamanhos mais comuns dos cobogós?

Em geral, as alturas dos elementos vazados podem variar de 30cm a 40cm. Já as larguras costumam variar de 60cm a 70cm.

As dimensões costumam ser similares aos dos tijolos. Ainda assim, eles são mais comuns de serem encontrados em formatos um pouco mais quadrados, o que também pode ser um diferencial estético.

Entre as cores disponíveis de cobogó, as mais comuns são branco, cinza, branco, preto, vermelho, azul, amarelo, verde e palha. Esse amplo leque de opções facilita e muito que você saia satisfeito com a sua escolha!

 

Veja mais em: Como usar cobogó na decoração da sua casa

 

Quais são os tipos de cobogó? Conheça os 4 principais

Os cobogós podem ser encontrados com desenhos internos variados, o que é fundamental para que ele façam tanto sucesso.

Você pode adquirir desde modelos mais tradicionais, com designs geométricos e que simulem pétalas de flores, até cobogós num estilo contemporâneo. Estes últimos, normalmente, seguem padrões mais ousados para dar uma maior personalidade à sua casa. Se sua intenção for por aí, eles são perfeitos para você!

Veja abaixo os principais modelos de cobogó:

 

1. Vidro

Um dos principais tipos de cobogó é o de vidro. Eles são ideias para quem deseja ter o máximo de luminosidade em um dos cômodos, seja uma cozinha mais moderna ou uma sala, por exemplo.

cobogo-vidro

Bloco de Vidro A: 20cm X L: 20cm Diamante Ibravir para cobogó (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

2. Cerâmica

Os cobogós de cerâmica são ideias para dar um estilo mais moderno à sua casa. Para isso, eles são encontrados em vários tipos de desenho e cores, o que contribui para que atendam aos mais diferentes gostos.

tijolo-vazado-cobogo

Cobogó de tijolo cerâmico (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Esmaltado

O cobogó esmaltado, por sua vez, é um feito de cerâmica e tem uma textura um pouco diferente em seu exterior. Muitas vezes, eles são mais brilhantes, sendo perfeitos para revitalizar espaços da sua casa que contam com tons mais opacos.

 

Cobogó Piazza

Cobogó Piazza esmaltado amarelo girassol Cerâmica Martins (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

4. Concreto

Por fim, o cobogó de concreto é um dos mais tradicionais. Isso, porque, ao mesmo tempo em que traz leveza e luminosidade, ele traz a robustez do concreto. Por ser mais cru, costuma ser adotado em casas de estilo mais rústico.

É importante lembrar que esses 4 tipos de cobogó podem ser encontrados em diferentes formatos. Portanto, a partir do momento em que você define seu material preferido, é importante também fazer uma pesquisa dos modelos e dimensões.

Elemento-vazado-Cobogo-Flor-concreto-39x39x7cm-cinza-Ecobloco

Bloco de cobogó (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

E aí, já sabe qual é o seu preferido?

Depois de ter conhecido os 4 principais tipos de cobogó para renovar a decoração da sua casa, continue acompanhando mais materiais por aqui. E não se esqueça, a Telhanorte é a principal aliada para a revolução que você quer fazer no seu lar!

 

Edição de Murilo Bonício e Camila Alexandrino

Forros: conheça os principais modelos

285105-teto-rebaixado-com-gesso-e-iluminacao-vale-a-pena-investir-1280x640

| Decoração

 

Entenda quais as funcionalidades do forro para o teto e descubra mais sobre os forros de gesso, PVC, cimento e madeira

 

Além de ter a importante função estética de abrigar fiações, vigas e dutos elétricos, o forro também tem como missão fornecer conforto térmico e acústico para o ambiente. Por isso, é importante que você faça a escolha com cuidado. É preciso conhecer as características, pontos positivos e negativos de cada uma das opções.

O conforto térmico é, como o próprio nome diz, a sensação de conforto provocada pela temperatura de um determinado ambiente. Em locais com bom conforto térmico, pode-se passar longas horas ali sem sentir sensações extremas de frio ou calor.

Já o conforto acústico existe quando o ambiente permite boa compreensão da fala ou dos sons ali criados, ao mesmo tempo em que isola com sucesso os sons externos indesejáveis no ambiente, proporcionando uma sensação de bem-estar.

 

Sugestão de matéria:  Conheça 8 Tipos de Telha, Tipos de Infiltração, Tipos de Manta Impermeabilizante e aprenda Como Tirar o Mofo da Parede

 

Escolhendo de forma correta o melhor tipo de forro, é possível alcançar os níveis de conforto perfeitos para cada ambiente, além de incrementar o design do espaço com revestimentos repletos de estilo.

A seguir, falaremos sobre as particularidades dos principais forros existentes no mercado. Acompanhe e escolha o seu!

 

1. Gesso

Extremamente popular e atemporal, o acabamento em gesso pode conferir estilo e requinte ao ambiente, especialmente se falarmos em projetos com rebaixamento.

O tipo de forro em gesso é conhecido de duas diferentes formas: tradicional, cujo acabamento é feito por meio de placas de gesso encaixadas lado a lado e presas com uma estrutura de arame, e drywall, opção de instalação rápida e fácil, na qual as placas de gesso acartonado são dispostas sobre uma estrutura de metal.

As placas de gesso tradicionais são mais sensíveis e podem apresentar trincas e rachaduras com relativa facilidade, enquanto que a peça de drywall, além de mais resistente, é mais fina, leve e gera menos sujeira durante a obra.

Entre as principais vantagens do gesso estão a possibilidade de criação de projetos de iluminação embutida, seu ótimo isolamento acústico e térmico e a facilidade de limpeza e manutenção.

 

Sugestão de matéria: Saiba O que é sanca de gesso e qual seu principal uso? e sua principal diferença com o forro de gesso. Aprenda, também, Como iluminar sanca de gesso: dicas e ideias ilustradas para arrasar!

 

É importante dizer que instalar forros de gesso no teto de banheiros costuma trazer diversas dúvidas, pelo fato do material ser relativamente sensível à umidade. No entanto, utiliza-se bastante o gesso acartonado nesses casos, não havendo grandes problemas.

Já para as paredes e outras áreas do banheiro, que estarão em maior contato com a água, recomenda-se o uso do gesso verde, por conta de sua maior resistência.

 

forro-gesso-teto-drywall-iluminacao-cozinha-luz-branco

Forro de gesso em cozinha (Foto: CMR Home Network / Reprodução)

 

2. PVC

Junto do gesso, o PVC é outro queridinho entre os tipos de forro. Extremamente versátil, ele é recomendado para diversos tipos de projeto.

Com inúmeros estilos e aparências (inclusive algumas que disfarçam sua aparência de plástico, como a que simula madeira), o PVC pode ser o forro ideal para ambientes simples ou sofisticados. É também uma opção muitas vezes mais econômica que as demais, apesar do preço variar bastante entre os diversos modelos.

Outro ponto positivo do PVC é a facilidade de instalação: as placas são encaixadas umas às outras e dispensam qualquer tipo de acabamento, como pintura ou verniz. Ainda assim, recomenda-se a contratação de um profissional!

Sua higienização é simples, podendo ser feita apenas com água e detergente neutro e sua durabilidade é alta, sendo imune a ataques de cupins e resistente à umidade, tornando-o um material recomendado para áreas de serviço e lavabos.

Entre os pontos negativos estão: o baixo poder de isolamento acústico e térmico de boa parte de seus modelos (o que torna necessário aliá-lo a uma manta de lã mineral entre o forro e o telhado) e a baixa resistência a temperaturas elevadas (não sendo, portanto, o revestimento ideal para a cozinha ou área de churrasqueira).

Vale destacar, no entanto, que peças de PVC de maior qualidade poderão apresentar melhor resistência ao calor que as demais!

Forro-PVC-liso-400x20X09cm-5-pecas-puntinato-TWB

Forro PVC liso 400x20X0,9cm 5 peças puntinato TWB (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Forro-PVC-duplodez-400x20X08cm-5-pecas-puntinato-TWB

Forro PVC duplodez 400x20X0,8cm 5 peças puntinato TWB (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Cimento/concreto

Enquanto para alguns, o forro de cimento é uma opção descartável pela sua aparência, para outros, a escolha pode representar um ganho em estilo!

Grande aliado do estilo de decoração industrial, o forro em concreto não exige pintura ou acabamento, o que torna os custos de instalação mais baixos e acessíveis.

Outra vantagem do cimento ou concreto como forro é sua alta resistência à umidade, sendo um material bastante impermeável.

O grande ponto negativo do forro em concreto é sua grande capacidade de absorver luz, o que tende a tornar os ambientes mais escuros. Nada que não possa ser contornado com um bom projeto de iluminação, algumas luminárias e arandelas bem posicionadas pelo cômodo e um ótimo jogo de espelhos!

 

forro-concreto-cimento-queimado-aparente-estilo-industrial-moderno

Forro de concreto aparente (Foto: Homify / Reprodução)

 

Sugestão de matéria: Confira Como usar espelhos na decoração da casaEspelho de parede inteira e os seus segredos!

 

4. Modular

Queridinho dos espaços corporativos, o forro modular é formado por uma grelha metálica fechada com diversas placas encaixadas sobre sua superfície. Por ser um revestimento sem rejunte ou cola, permite fácil acesso à parte interna do forro, possibilitando a manutenção de equipamentos eletrônicos e demais estruturas.

Apesar de ser uma estrutura facilmente reconhecível (você com certeza já viu escritórios ou salas de aula essas repartições “quadriculadas” no teto), sua composição pode ser variada: as placas podem ser feitas de materiais como isopor, PVC, gesso, lã de vidro, metálicos, e por aí vai.

 

Forro-Modular-pvc-gesso-isopor-la-vidro

Forro modular (Foto: Mc Steel / Reprodução)

 

5. Madeira/Lambri

O uso da madeira como forro pode ser feita de diversas formas, como em lambri (no qual tábuas são fixadas internamente nas vigas), de forma aparente, fixadas sobre estruturas externas, entre outros.

Dentre as principais vantagens desse tipo de forro estão a estética do acabamento, que contribui para a sensação de aconchego e harmonia ao ambiente e a possibilidade de uso do material em ambientes internos e externos (lembrando que, nos externos, o recomendado é inserir, nas tábuas, um impermeabilizante para evitar a absorção de água).

 

Forro-de-Madeira-Lambri-Cedro-Marinheiro-Extra-curto-2

Forro de madeira Lambri (Foto: Allmad / Reprodução)

 

Sugestão de matériaComo envernizar forro de madeira e conservá-lo lindo

 

Agora que você já sabe quais os tipos de forro para o teto, certamente conseguirá escolher o melhor para compor o seu ambiente. Confira ainda na loja virtual da Telhanorte parafusos e tintas especiais para serem utilizados na instalação e acabamento do seu forro.

 

Parafuso-p--Forro-de-Gesso-e-Drywall-Phillips-Bicromatizado-c--Bucha-4x50mm-10mm-Placa-de-13-a-23mm-Fixtil-1381709

Parafuso p/ Forro de Gesso e Drywall Phillips Bicromatizado c/ Bucha 4x50mm/10mm Placa de 13 a 23mm Fixtil (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Parafuso-phillips-40x50mm-para-aglomerado-com-bucha-para-forro-de-gesso-e-drywall-PBG-01-Fixtil

Parafuso phillips 4,0x50mm para aglomerado com bucha para forro de gesso e drywall PBG/01 Fixtil (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Tinta-acrilica-Gesso-e-Drywall-branca-36L-Suvinil

Tinta acrílica Gesso e Drywall branca 3,6L Suvinil (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Edição de Vinicius Marques e Murilo Bonício

Qual o melhor rejunte para piscina?

rejunte-piscina

| Área Externa

 

Você já fica imaginando os dias de calor que serão aproveitados em família, com amigos ou até sozinho, mesmo durante a construção da sua piscina? Para curtir ainda mais, vamos te contar qual o melhor rejunte para piscina!

 

Quando começamos uma obra, seja uma construção ou apenas uma pequena reforma, nem sempre dominamos as informações sobre todos os produtos que serão usados. O rejunte é um desses itens que a maioria das pessoas já ouviu falar, mas nem sempre entende para que serve e como ele deve ser aplicado.

Sendo assim, ao começar a construção ou reforma de sua piscina, é importante não esquecer esse item fundamental. Por isso, vamos te mostrar dois melhores tipos e explicar qual a função desse produto tão necessário para garantir a beleza, segurança e durabilidade da sua piscina.

 

aplicação-limpeza-rejunte

Aplicação e limpeza de rejunte (Foto: Blog Policenter / Reprodução)

 

A função do rejunte

Antes de respondermos qual o melhor rejunte para piscina, é importante entender sobre a função desse material em uma obra.

Algumas pessoas ainda se confundem entre argamassa e rejunte. Enquanto o primeiro é utilizado para o assentamento dos pisos e revestimentos, o segundo é utilizado para fazer o acabamento entre suas juntas.

Além dessa função, o rejunte também apresenta outras funcionalidades como:

É importante destacar o desempenho estético do rejunte que pode ser usado como parte da decoração, variando de acordo com o estilo adotado pelo ambiente.

 

parede-rejunte-colorido

Parede com rejunte colorido fazendo parte da decoração (Foto: Design Sponge / Reprodução)

 

Qual o melhor rejunte para piscina?

As duas melhores opções de rejuntes para piscinas são: o rejunte cimentício aditivado e o rejunte Epóxi.

Mas antes de falar especificamente sobre eles, é interessante conhecer rapidamente os tipos de rejuntes que você encontra no mercado:

Saber a opção certa para piscina é fundamental para o resultado que você quer alcançar.

 

Como já dito, uma das funções do rejunte é proteger o revestimento para piscina – pisos e paredes – da penetração da água. No caso de piscina, é muito importante escolher bem o rejunte, porque ele será o responsável por aguentar a pressão da submersão na água sem se soltar do revestimento, evitando prejuízos futuros.

Atualmente, muitas marcas já indicam diretamente na embalagem quando o uso é apropriado para piscinas, então, a compra fica mais fácil.

Mas voltando a questão: Qual o melhor rejunte para piscina? O cimentício aditivado ou o epóxi, afinal?

O rejunte cimentício aditivado para piscinas oferece resistência e é impermeável, o que impede que a água passe pelo revestimento. Sua composição inclui cimento, minerais e aditivos.

rejunte-para-piscina-Quartzolit

Rejunte Piscina 5kg cinza platina Quartzolit (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Já o rejunte epóxi é resultado da mistura dois componentes: endurecedor e resina. Ambos são encontrados facilmente no mercado, inclusive em uma mesma embalagem. O ideal é que ele seja aplicado de m² em m², devido sua secagem rápida e aplicação mais difícil.

rejunte-para-piscina-epóxi-Quartzolit

Rejunte acrílico Quartzolit Epóxi Superfácil 1Kg branco (Fonte: Acervo / Telhanorte)

 

Ambos são boas opções e atenderão a necessidade básica de construção e proteção do revestimento para piscina. A diferença entre eles está principalmente no preço e no acabamento que oferecem. Enquanto o rejunte Epóxi traz um acabamento de qualidade superior, o rejunte cimentício aditivado é consideravelmente mais barato.

 

É hora de realizar esse sonho!

Agora, com informações mais concretas sobre qual o melhor rejunte para piscina é hora de fazer a sua escolha. Uma dica valiosa é encontrar fornecedores que aliem qualidade de produtos e serviços, com preços baixos e facilidade de pagamento.

Na Telhanorte você encontra revestimentos para piscinas de concreto e alvenaria, bem como rejuntes de grandes marcas do mercado e com preços incríveis.

Quer facilitar ainda mais a sua vida e reduzir o valor de uma piscina? Então pode contar com o cartão de crédito da Telhanorte para parcelar suas compras em até 10x sem juros!

Caso você não queira esperar para fazer o investimento em uma piscina fixa, pode optar pelas piscinas de PVC, que também vendemos em nossa loja virtual e entregamos no endereço de sua escolha.

Ao fazer seu pedido em não se esqueça de conferir nossas seções de iluminação externa, produtos de tratamento para piscina e claro, visitar nosso departamento de pisos e revestimentos, assim você vai deixar seus ambientes ainda mais perfeito!

Acesse agora a loja virtual da Telhanorte!

 

Edição de Camila Alexandrino e Murilo Bonício