ferramentas | Blog Telhanorte

Como fazer planejamento de obra? 5 dicas fundamentais

Como fazer planejamento de obra

| Construção

 

Quer aprender o passo a passo de como fazer o planejamento de obra e evitar dores de cabeça? Veja dicas para comprar materiais, economizar e controlar prazos

 

Quando se pensa em construir, logo diversos problemas em potencial surgem. Afinal, o processo tende a ser longo e diversas variáveis podem aparecer durante a construção. Na hora de planejar a obra, existem diversos pontos que precisam ser levantados, anotados e catalogados de forma que você tenha na manga algumas soluções para problemas que possam surgir.

Para evitá-los, uma dica é se organizar e aprender como fazer um planejamento de obra. Neste artigo, traremos algumas dicas interessantes para te auxiliar nesse processo. O planejamento da obra tende a organizar tudo, desde a escolha de onde comprar o material e em que ordem comprar, passando por outras questões como: a escolha dos profissionais, como lidar com prazos e como fazer planilhas de planejamento de obra. Tudo isso precisa ser pensado antes de qualquer tijolo ser cimentado.

Outro ponto para ter em mente ao fazer o planejamento de obra é que ele deve ser um aliado e não um entrave! 

Muitas vezes coisas não previstas podem acontecer e mudanças podem e precisam ocorrer no plano inicial. Por isso, é necessário estabelecer margens de segurança e ser um pouco maleável para não acabar atrasando o serviço em vez de otimizá-lo.

 

Como fazer planejamento de obra?

Cada obra tem seu nível de complexidade, orçamento e prazos diferentes e tudo isso precisa ser levado em conta na hora de fazer um planejamento. Você nunca deve fazer o planejamento da obra pautado apenas no cenário ideal, onde tudo dá certo de primeira, em todas as etapas. Esse precisa ser apenas um dos cenários do plano, no caso, o mais otimista deles.

A partir disso, projete os cenários menos otimistas e até aqueles em que tudo dá errado! Pensar previamente num cenário catastrófico torna mais fácil, na prática, de perceber os possíveis erros se aproximando e, assim, mudar o curso da obra a tempo! O clima é talvez um dos maiores inimigos de uma obra real e funcional, já que sua imprevisão pode implicar em desperdício de matérias-primas, gastos extras com mão de obra e eventuais multas. É possível que você estabeleça um planejamento bem amarrado e as chuvas sejam intensas no período ou vários funcionários adoeçam e isso comprometa seus prazos. Nesses aspectos, seu planejamento precisa ser maleável e ter um plano de ação para cada caso que sai do previsto!

 

5 dica de como fazer planejamento de obra

1. Estude a viabilidade da obra

O primeiro passo a se fazer quando se pensa em planejar a obra é conhecer bem o local e estudar a viabilidade de uma obra ali – avaliando, por exemplo, quais tipos de construção o local suporta. Isso é fundamental para definir se é possível e viável, física e financeiramente falando, fazer o que você tem em mente. A partir desse estudo será possível estipular o seu gasto e comparar para ver se ele cabe no orçamento.

Caso você seja a empresa responsável pela construção, será necessário levar em consideração o fluxo de caixa do seu negócio para calcular as entradas e saídas da obra. Quanto mais você puder saber sobre a obra em si, mais preciso será o cálculo do custo total e real dela. Por isso, procure todos os documentos, materiais descritivos e tudo mais que você encontrar a cerca do terreno.

Algumas informações que podem ser úteis para a planilha de planejamento de obra são:

Custo de Projeto (Arquiteto, estruturas, instalações);

Equipamentos e ferramentas que precisam ser adquiridos;

Custo médio de cada etapa da obra (fundação, alvenaria, instalações elétricas e hidráulicas e acabamentos);

Custo de mão de obra;

Custo de regulamentação e documentação.

 

Leia também: Lista de ferramentas para construção: 17 itens do kit básico

 

2. Criação do projeto arquitetônico

Outro ponto fundamental e que servirá, muitas vezes, como o guia da obra, é o projeto arquitetônico, que, assim como o planejamento, também precisará ter uma versatilidade para possíveis imprevistos.

Após fazer o levantamento médio dos custos, avaliando ser viável realizar a obra, você precisa contratar um arquiteto para realizar um projeto em cima das condições disponíveis no terreno e, claro, dos seus gostos pessoais. Além disso tudo, é preciso que o projeto respeite às leis para evitar multas e possíveis custos a mais. Algumas normas são regionais, mas no geral você precisa se preocupar com:

Estaqueamento de água;

Desempenho térmico;

Acústica e iluminação;

Saúde e Meio Ambiente;

Higiene e Saneamento Básico;

Qualidade do ar;

Funcionalidade e acessibilidade;

Conforto e Ergonomia.

 

Alguns pontos são obrigatórios apenas para construções feitas por empresa ou para revenda, por isso, consulte como se aplicam as normas no caso do seu terreno.

 

Leia também: Como construir uma casa sustentável: do tijolo à elétrica!

 

3. Legalização da Obra

Por falar em normas, não se pode deixar de lado a burocracia, quando se pensa em como fazer planejamento de obra. Após aprovar o projeto, é preciso se atentar a todas as taxas e licenças que precisam ser pagas antes e durante as obras, para que não haja multas. A execução da obra só pode ser iniciada após aprovação do projeto pela prefeitura e, por isso, é interessante escolher arquitetos experientes e acostumados com as normas e diretrizes regionais.

Esse processo, que começa antes de se iniciar a obra, continua durante o avanço de cada etapa, até o final dela. No caso de construções comerciais, é necessária uma vistoria prévia do corpo de bombeiros, por isso, fique atento!

 

4. Defina um orçamento para cada etapa

Você só poderá definir o custo total da obra após a conclusão. Não é possível prever e projetar algo tão complexo de maneira exata, por isso, a dica aqui é que se estabeleça um orçamento e um prazo estimados para cada etapa da obra. Desta forma, será possível fazer um cálculo aproximado do quanto será gasto, antes do final da construção! Além disso, fica mais fácil administrar a verba. Caso uma etapa gaste mais ou menos do que o previsto, você poderá enxugar ou expandir os recursos de outra!

Organize uma planilha de planejamento de obra para manter os valores controlados. Uma ferramenta interessante para isso é o SINAPI, o Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção CivilPor meio dele é possível levantar custos e preços da obra com dados atualizados pela CAIXA!

 

5. Execute e acompanhe

Por fim, tão importante quanto planejar é garantir a boa execução do planejamento e acompanhar o andamento da obra de perto. Pode ser um processo cansativo, mas estar atento ao dia a dia do canteiro de obras vai te poupar muito tempo e dinheiro. Sempre tente entender como as coisas se desenvolvem, para compreender os problemas e buscar soluções rápidas quando (e se) eles surgirem.

 

Aprendeu como fazer o planejamento de obra?

Começar uma obra pode ser complicado se você não tiver os materiais e ferramentas certas, não é mesmo? Por isso a Telhanorte possui um vasto catálogo que pode te auxiliar neste processo. Em nossa loja virtual, você encontra tudo o que precisa para sua cozinha e lavanderia, banheiro, área externa, além dos melhores materiais de construção e itens para obras em geral. 

Aproveite nosso cartão de crédito Telhanorte e acesse as melhores condições de pagamento do mercado!

 

Edição de Murilo Bonício e Vinicius Marques

Organizar ferramentas: 7 opções simples e práticas

Como usar uma plaina

| Dicas

 

Dicas de como organizar ferramentas em casa, na marcenaria, serralheria e outros locais. Aposte no uso de caixas, painéis, prateleiras e mais. Confira!

 

Toda casa, escritório ou ambiente comercial possui – ou deveria possuir –  um kit de ferramentas básicas organizado!

Seja um martelo, uma chave de fendas ou um alicate, na hora que você mais precisa, você sabe exatamente onde encontrar? Imagine, então, se estamos falando de uma oficina mecânica, uma marcenaria ou uma serralheria que possui uma quantidade enorme de itens!

Vamos combinar que ficar procurando uma ferramenta no meio da bagunça não é nada agradável. Principalmente, porque você perde um tempo enorme e, com isso, seu humor e energia vão diminuindo, enquanto deveriam estar em níveis excelentes para por a mão na massa!

E a palavra mágica para evitar todo esse estresse é organização! Portanto, vamos conversar um pouco sobre como organizar as ferramentas?

 

Como organizar as ferramentas: primeiros passos

Organização é tudo de bom! Vai te poupar o trabalho de ficar procurando ferramentas, otimizar o tempo e dar ânimo para novas empreitadas. E não é necessário fazer altos investimentos para organizar as ferramentas… Com materiais bem simples e baratos você consegue atingir seu objetivo e ter as ferramentas facilmente à mão.

Nada como você procurar um item e ele estar ali, no lugar certo, reservado para ele. Isso sem falar da economia! Afinal, se você não acha uma ferramenta, pode ser necessário ter que comprar outra… Mas para que isso aconteça, é preciso primeiro gastar um pouco de tempo e paciência – para não precisar perdê-los nunca mais! Antes de começar propriamente a organização das ferramentas, é preciso seguir os seguintes passos:

 

a) Defina o espaço que vai ser utilizado para colocar as ferramentas. Esse espaço deverá ficar reservado exclusivamente para as.

b) Dentro do espaço selecionado, verifique de que forma as ferramentas serão colocadas, seja utilizando um painel perfurado, ou colocando em caixas organizadoras, prateleiras e maletas específicas.

c) Separe as ferramentas por categorias, por exemplo: ferramentas elétricas, ferramentas manuais, parafusos, pregos e por aí vai.

d) Desapegue-se daquelas ferramentas que não serão mais utilizadas – por estarem quebradas, desatualizadas, oxidadas ou enferrujadas. Descarte-as no lixo reciclado ou dê para alguém que ainda possa fazer uso delas, afinal, só estão ocupando um espaço precioso. 

e) Quando for usar as ferramentas, lembre-se de recolocar as mesmas sempre no devido lugar. Rotina é importante nesse quesito. Evite ficar mudando as ferramentas de lugar. 

f) Crie o hábito de manter sempre esse local devidamente organizado. Não adianta organizar se não houver uma manutenção. Afinal, o trabalho irá render bem mais quando feito em um local limpo e organizado!

Então, vamos ver como organizar as ferramentas e quais os tipos de materiais que podemos utilizar para atingir esse objetivo?

 

1. Painel perfurado ou Pegboard

Também conhecido como chapa perfurada de eucatex ou xapadur perfurado, o painel perfurado de madeira é uma excelente forma de organizar, no qual podem ser pendurados ganchos diversos, cestas e outros acessórios, mantendo as ferramentas visíveis e ao alcance das mãos. 

 

pegboard-painel-de-madeira-estante-preteleira-barata-1

Pegboard: a tendência dos painéis de madeira veio para ficar (Foto: Casa da Valentina / Reprodução)

 

2. Painel perfurado metálico

Caso você possua muita ferramenta, e dependendo do peso total delas, sugerimos que você utilize uma grade metálica para fazer o painel. Ela pode ser feita com qualquer tipo de aramado ou tela perfurada de metal. 

Como organizar ferramentas

Painel metálico para suporte de ferramentas (Foto: Anhaguera Ferramentas / Reprodução)

 

3. Painel de madeira

Numa linha mais rústica, caso você disponha de restos (ripas) de madeira, um pallet que não esteja usando, uma placa de MDF ou uma chapa de compensado, você poderá transformá-los também num painel de ferramentas, com o auxílio de alguns pregos. Depois, é só pendurar as ferramentas. 

 

Como organizar ferramentas

Painel de ferramentas com deck de madeira (Foto: Do Edu / Reprodução)

 

4. Maleta para ferramentas

Caso você não tenha muitas ferramentas, essas podem ficar acondicionadas em maletas específicas.  Suas ferramentas ficarão sempre à mão e guardadas em local apropriado. Elas são práticas, geralmente com divisórias e até mesmo pequenos bolsos internos. Você vai encontrar maletas em tamanhos e materiais variados (plástico, alumínio, ferro, etc.) e até mesmo algumas em formato de carrinho, facilitando assim o transporte da mesma. 

 

Telhanorte1

Caixa para ferramentas maleta MFV312 36x16cm amarela e preta Vonder (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

5. Caixas organizadoras

Uma boa forma de como organizar as ferramentas é usando as caixas organizadoras. Utilize preferencialmente as caixas transparentes, pois facilitam na localização do que se procura. Caso contrário, não se esqueça de colocar uma etiqueta por fora da caixa, indicando seu conteúdo. Isso irá agilizar a procura pelas ferramentas.

 

caixa-organizadora-plastico-sanremo

Caixa organizadora Top Stok Sanremo. Confira essa oferta! (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Leia também: Casa sem bagunça: saiba como organizar usando caixas e cestos

 

6. Prateleiras

Outra excelente forma de como organizar as ferramentas: as prateleiras. Elas são uma forma prática de deixar as ferramentas visíveis e organizadas. De preferência, coloque as ferramentas em recipientes transparentes e/ou etiquetados. 

 

Como organizar ferramentas

Ferramentas dispostas em prateleiras (Foto: i1 / Reprodução)

 

7. Potes de vidro e potes plásticos

Os potes normalmente são utilizados para organizar objetos menores, como parafusos, pregos, porcas, arruelas e buchas. Eles são muito úteis para miudezas, impedindo que fiquem espalhadas. E você deve ter diversos em casa! Você pode utilizar para isso os potes de maionese, de palmito e de azeitonas que já não têm mais serventia, por exemplo. Assim, você ainda contribui para que não sejam descartados na natureza de forma imprópria!

 

Image result for pote de vidro com ferramenta

Potes de vidro com ferragens pequenas (Foto: Minha Casa Minha Cara / Reprodução)

 

É sempre importante e necessário ter uma caixa de ferramentas, mesmo que pequena, dentro de casa, para eventuais consertos e emergências que possam surgir. O que não é necessário é ter que revirar a casa à procura delas! E, para isso, deixá-las organizadas e em local de fácil acesso é a melhor saída. Agora que você tem diversas dicas de como organizar suas ferramentas, coloque-as em prática! Veja como essa organização facilitará o seu dia-a-dia!

A Telhanorte oferece um departamento inteiro com itens para a organização da casa. São centenas de opções, incluindo cestas e caixas organizadoras, lixeiras, itens para organização do closet, banheiro, cozinha, áreas de serviço e muito mais. Acesse nossa loja virtual, selecione os produtos que vão deixar a sua vida mais prática e receba tudo em casa. Você também pode visitar uma de nossas unidades físicas, comprar por telefone ou Whatsapp.

Aproveite e conheça nossa sessão Outlet e faça suas compras com o cartão Telhanorte, para ter acesso a condições de compra e descontos imperdíveis!

 

Edição  de Murilo Bonício e Vinicius Marques

Aprenda como usar uma plaina manual ou elétrica

Como usar uma plaina

| Ferramentas

 

Saber como usar uma plaina, seja você um profissional ou amador, vai te ajudar a criar projetos com melhor acabamento e com mais facilidade.

 

As plainas são ferramentas necessárias para nivelar peças de madeira — desde portas até placas que são parte da construção de móveis. Elas não substituem as lixadeiras. Pelo contrário: elas podem ser usadas em conjunto. Enquanto as plainas nivelam desníveis mais grosseiros nas placas de madeira, a lixadeira faz o acabamento ficar mais delicado e fino.

Existem dois tipos principais de plainas: as plainas manuais e as elétricas. Ambas permitem consertar imperfeições nas peças, mas podem exigir maior ou menor esforço de quem realiza o procedimento.

 

O que é plaina e para que serve? 

Como dissemos, as plainas são ferramentas manuais e servem para aplainar, desbastar, facear, alisar e nivelar. Com o movimento correto, a ferramenta é capaz de cortar, aplainar e retificar estruturas de madeira, tirando lascas de madeira fina até que toda a extensão desejada fique alinhada e sem ondulações ou desníveis. Após o uso, são recomendadas lixas finas, que irão preparar a peça para a aplicação de acabamentos, como verniz, tinta e esmalte.

 

Como usar uma plaina?

Tanto a plaina manual quanto a elétrica possuem, basicamente, o mesmo modo de uso. Será necessário o uso das duas mãos. Enquanto uma empurra a ferramenta, a outra mão direciona o movimento e pressiona a peça de madeira que está sob a plaina. 

 

plaina-manual

Plaina (Foto: Pixabay/Reprodução)

 

Não é indicado o movimento de vai e vem. Você deve posicionar a plaina e empurrar em direção ao pedaço de madeira que deve ser desbastado. Depois volte à posição inicial e faça o movimento de empurrar, mais uma vez. Repita a operação até a peça estar nivelada.

 

Plaina manual

Existem vários modelos e tamanhos de plainas manuais. Entretanto, para projetos de marcenaria, a mais indicada é a de número 4. No caso da plaina manual, é indicado que você use lâminas bem afiadas para garantir o corte das lascas de madeira. Uma dica é usar o peso do corpo todo para fazer o movimento de “empurrar” da plaina. Isso ajuda a não cansar muito os braços.

Falando nisso, o cansaço e o esforço físico são a principal razão para as pessoas considerarem a plaina elétrica ao invés de uma plaina manual. Afinal, o uso de uma plaina manual por um longo período de tempo pode ser excessivamente cansativo, tornar o projeto mais demorado, além de causar dores nos braços, ombros e costas. 

Algumas observações sobre como usar uma plaina manual são importantes. Certifique-se de que as peças estão presas na bancada com a utilização de grampos próprios antes de você começar a usar a plaina — isso garante maior segurança durante o trabalho. Além disso, lembre-se sempre de usar as duas mãos para dar ainda mais suporte à plaina e à madeira e, por fim, use a plaina empurrando em direção ao veio, para evitar o surgimento de lascas. 

Uma dica de mestre é usar a plaina um pouco posicionada na diagonal, com a regulagem no mínimo, evitando que você tire lascas de maneira muito profunda. Confira, no vídeo abaixo, um tutorial de como usar a plaina manual, além de algumas dicas. 

 

 

Plaina elétrica

As plainas elétricas possuem os mesmos princípios das manuais, mas com uma vantagem considerável: a possibilidade de um melhor resultado com menos esforço, além da opção do uso de um regulador de profundidade.

No entanto, é preciso ter cuidado com esse modelo de plaina! Quanto mais profundo for o corte selecionado, mais madeira, consequentemente, será retirada. Isso pode ser um problema, já que, depois de retirado o pedaço de madeira, não é possível colocá-lo de volta. Para evitar erros, a dica é usar a regulagem sempre no mínimo, a não ser em casos especiais. Trabalhe em trechos menores da peça e não tente fazer o nivelamento da peça de uma só vez. 

Para entender como funciona essa regulagem e como usar uma plaina elétrica, assista ao vídeo abaixo, com um passo a passo simples. 

 

 

Dicas gerais para usar uma plaina elétrica ou manual

Bancada ou mesa de apoio

Estar atento ao tipo de mesa ou bancada que será usada para o trabalho, tanto profissionalmente quanto quem trabalha no quintal de casa, é imprescindível para garantir a segurança e a qualidade do resultado da tarefa. 

Prepare um lugar amplo, seguro, que aguente peso e não fique balançando. Fique atento também ao conforto, para que você não fique com dores nas costas, por exemplo. Se possível, opte por bancadas fixas e retas com 85 a 98 centímetros de altura.

 

EPIs

A segurança é um elemento indispensável para trabalhar com ferramentas manuais ou elétricas. Por isso, lembre-se de sempre usar luvas de proteção e óculos de proteção ao trabalhar com as plainas.  

 

Importante: Prepare a peça que será trabalhada. Antes de sair passando a plaina na peça de madeira, verifique se não há pregos e grampos, resina, tinta ou verniz.  Antes de usar uma plaina, passe um pano úmido na madeira e espere secar. 

 

Onde comprar plainas e outros acessórios?

Já sabe de tudo sobre o mundo das plainas? É hora de aproveitar as promoções da loja virtual da TelhanorteAqui você encontra os melhores preços de plainas, além de um setor de ferramentas com lixas, lixadeiras, rebolos e disco de desbaste e itens diversos para marcenaria. Conheça também o departamento de acessórios para ferramentas e a seção de ferramentas elétricas.  

Aproveite nossas promoções de plainas e as ofertas no departamento de Ferramentas, além de tudo o que você pode precisar para o setor de cozinha e lavanderia, banheiro, área externa, além dos melhores materiais de construção e itens para obras em geral. Aproveite nosso cartão de crédito Telhanorte e tenha acesso às melhores condições de pagamento.

 

10 ferramentas essenciais para ter em casa

 

Edição de João Victor Quintino e Vinicius Marques

Qual a melhor parafusadeira elétrica: 9 dicas

Qual a melhor parafusadeira elétrica

| Ferragens

 

Tipo de material perfurado, carga, bateria, voltagem, giro reverso e mais. Afinal, qual a melhor parafusadeira elétrica?

 

Para responder a essa pergunta você precisa entender quais são os recursos e as características que diferenciam os tipos de parafusadeira elétrica. 

Alguns modelos são voltados para profissionais que usam o equipamento por muitas horas consecutivas, todos os dias da semana. Outros são mais indicados para quem tem como hobby, por exemplo, a marcenaria. E claro, há também quem gosta de ter bons equipamentos para realizar pequenos consertos e montagens no dia a dia de casa. 

Independente de quem você é nesse cenário, neste guia você vai descobrir qual a melhor parafusadeira elétrica para você. Acompanhe. 

 

Leia também: Qual a diferença entre furadeira e parafusadeira? + Funções

 

Qual a melhor parafusadeira elétrica?

A parafusadeira serve para aplicar e retirar parafusos de superfícies como madeira, concreto, alvenaria e metal. São muito utilizadas para montar e desmontar móveis, por exemplo.

Elas ampliam a velocidade com a qual esse tipo de atividade é realizada e diminuem o esforço físico, muitas vezes insuficiente, para a execução dessas atividades. 

Para escolher qual a melhor parafusadeira elétrica listamos algumas dicas. Confira!

 

1. Tipo de material que será perfurado

Como falamos acima, a parafusadeira elétrica pode ser usada em trabalhos em diferentes superfícies, como madeira, concreto, alvenaria e metal. 

Entretanto, nem toda parafusadeira executa bem o serviço em todos esses materiais. Parafusadeiras com até 3,6V, por exemplo, não são capazes de realizar serviços em concreto. Saber em qual material será usada a parafusadeira já vai te ajudar a eliminar algumas opções. 

 

2. Voltagem

A voltagem diz respeito a potência da parafusadeira e a regra é: quanto maior a voltagem maior a potência.

Entre as principais voltagens estão: 

 

– 3,6V: para serviços leves, como apertar caixinhas de tomada;

– 4,8V: parafusamento de até 6mm de profundidade;

– 9,6V: ideal para madeira e metal. Possui capacidade de broca de 10mm e parafuso de 8mm. Pode ser usada para montagem de móveis e instalação de prateleiras;

– 12V: é capaz de perfurar madeira, metal, alvenaria e drywall. Suporta broca de 10mm e parafuso de 8mm;

– 14,4V a 18V: com ou sem chave de impacto, serve para facilitar a operação em concreto e alvenaria.

 

3. Torque

O torque é o mecanismo responsável por controlar a rotação da parafusadeira. Ele está presente em parafusadeiras com maior voltagem – como as de 12V, 14,4V a 18V – e é usado para para regular a força de aplicação do parafuso. Também tem a função de amenizar o esforço físico!

 

4. Mecanismo de trava

O mecanismo de trava permite que você possa fazer o giro manualmente, caso seja necessário, e garantir maior exatidão no trabalho. Pode ser uma característica importante a depender do tipo de trabalho que será realizado. 

 

5. Giro reverso 

O giro reverso é o que permite você usar a parafusadeira também para desparafusar

Mesmo que seja muito comum, nem todos os modelos de parafusadeira possuem esse mecanismo, por isso, confira se a opção que você está avaliando caso ele seja importante para você. 

 

6. Tipo de energia

Existem parafusadeiras que funcionam a partir do uso de baterias e outras que apenas são conectadas por fio nas tomadas.

As parafusadeiras com bateria são mais caras, mas se você deseja ter a liberdade de realizar seu trabalho mesmo longe de uma fonte de energia elétrica, são as melhores opções.

Ao contrário, se você não pretende realizar atividades na casa de clientes, por exemplo, e trabalha em um ambiente mais controlado, no qual você sabe que terá acesso a energia necessária, a parafusadeira com fio pode ser uma boa escolha, afinal, é mais barata.  

As parafusadeiras à bateria, também podem vir com baterias extras para que você não precise parar seu trabalho para esperar carregá-las. Essa é uma boa opção para profissionais. 

 

7. Tipo de bateria

Se você escolheu um modelo com bateria, saiba que existem dois tipos: íon de lítio e níquel cádmio. 

A de íon de lítio faz a recarga em um tempo que varia entre 15 a 20 minutos e você não precisa esperar 100% da carga para voltar a usar o equipamento. 

Já a opção de níquel cádmio precisa de uma recarga completa que demora de 6 a 8 horas para ser realizada. 

 

8. Peso da Parafusadeira

Para escolher qual a melhor parafusadeira elétrica, você deve considerar o peso da ferramenta. 

Uma parafusadeira leve facilita o trabalho e evita dores nos braços e na coluna, tornando o dia a dia menos cansativo e mais saudável a longo prazo. 

 

Já que estamos falando sobre ergonomia, considere também o design da parafusadeira: 

– design de pistola;

– design reto;

– parafusadeira dobrável (indicada para trabalhos com ângulos mais difíceis). 

 

9. Parafusadeira e furadeira

Na no setor de ferramentas da Telhanorte você encontra modelos de parafusadeira que também exercem o trabalho de furadeiras.

 

Qual a melhor parafusadeira elétrica

Furadeira parafusadeira 3/8″ LD12SP-BR bivolt 12V Black Decker (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Lembre-se também dos acessórios que serão importantes para a execução do trabalho, entre eles: bits, pontas e soquetes, brocas, parafusos e lubrificantes para a perfuração de metal.

 

Quanto custa uma parafusadeira elétrica?

Agora que você já sabe qual a melhor parafusadeira elétrica é hora de fazer sua escolha e selecionar a melhor opção para você. 

No site da Telhanorte você encontra vários modelos e marcas de furadeiras e parafusadeiras na seção de Ferramentas elétricas.

Precisa de materiais de construção e acabamento? No nosso e-commerce também tem!

Sua compra chega direto na sua casa ou pode ser retirada em uma das nossas lojas. Basta consultar a disponibilidade para sua região no momento de fechar seu pedido.

 

Edição de Murilo Bonício e Camila Alexandrino

Soprador térmico: o que é e como usar

soprador-ferramenta-termico-calor-removedor

| Ferramentas

 

Aprenda como usar o soprador térmico com segurança, seguindo todos os cuidados antes, durante e depois do uso!

 

Precisa agilizar seus trabalhos manuais? Aprender como usar o soprador térmico vai ser uma mão na roda, para ter mais eficiência e rapidez. Ferramentas elétricas manuais como essa são muito utilizadas em trabalhos de pintura, mecânica, soldagem, serigrafia, entre outras áreas.

O ar quente do soprador térmico auxilia na secagem, selagem e no derretimento de soldas, ajudando em pequenos trabalhos domésticos e também nos serviços profissionais. Quer saber como usar o soprador térmico com segurança? Aprenda como se preparar e os cuidados para manipular a ferramenta.

 

Para que serve o soprador térmico?

O soprador térmico é uma ferramenta elétrica e possui uma resistência interna que aquece e, consequentemente, esquenta o ar gerado pelo motor, que vai agir sobre a superfície trabalhada. A ferramenta tem opções de regulagem de temperatura, variando, geralmente, entre 350º C a 600º C, a depender da marca.

 

soprador-ferramenta-termico-calor-removedor

O soprador também serve para aplicar insulfilm em carros (Foto: Scuto / Reprodução)

 

Além disso, os sopradores térmicos vêm com diferentes opções de bocais e intensidade, para auxiliar em vários tipos de trabalhos, dando mais funcionalidade para a ferramenta. O soprador térmico pode ser usado para:

– tirar tintas e esmaltes velhos de paredes e de outras superfícies em reformas;

– auxiliar na secagem de tintas e vernizes em móveis;

– remodelar canos de PVC; 

– aplicar películas protetoras insulfilm em vidros de carros;

– secar pinturas automotivas;

– dilatar peças mecânicas;

– soltar peças enferrujadas como porcas e parafusos;

– descongelar tubos e canos hidráulicos, entre outros.

 

O soprador térmico tem o formato de pistola, o que facilita a aplicação direcionada do ar quente, aquecendo onde realmente é necessário.

 

Leia também: Ferramentas básicas para ter em casa: 10 itens para um kit ideal!

 

Passo a passo: como usar o soprador térmico

Para obter o melhor desempenho de qualquer ferramenta, é preciso saber como usá-la corretamente. Confira o passo a passo de como usar o soprador térmico abaixo:

 

1. Escolha um local arejado e bem iluminado, com uma superfície resistente ao ar quente, para evitar acidentes;

2. Conecte o plugue do soprador térmico direto na tomada sem extensões elétricas, de preferência, ou T’s para garantir a segurança no manuseio da ferramenta;

3. Coloque os equipamentos individuais de proteção (EPIs) antes de ligar a ferramenta;

4. Ajuste a temperatura e a velocidade do vento de acordo com o tipo de trabalho que vai ser executado. Cada tipo de soprador térmico tem opções de regulagem de temperatura e velocidade diferentes. Siga as instruções do manual do fabricante para fazer o ajuste correto;

5. Ligue o aparelho e faça movimentos contínuos de cima para baixo ou circulares, evitando ficar com o bocal parado na mesma direção por muito tempo;

6. Caso precise fazer uma pausa no trabalho, use o suporte para apoiar o soprador térmico na vertical com segurança;

7. Ao finalizar o trabalho, desligue o soprador e o remova da tomada.

8. Deixe o soprador térmico na vertical em um local seguro, para que ele esfrie e possa ser guardado na caixa de ferramentas.

 

soprador-termico-goodyear

Soprador térmico GY HG – Goodyear (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Cuidados no uso do soprador térmico

Antes de usar:

– Use luvas de proteção para proteger as mãos de eventuais queimaduras.

– Não trabalhe em superfícies molhadas, para evitar choques elétricos e danos na ferramenta.

– Ajuste a temperatura e velocidade antes de ligar efetivamente o soprador térmico.

 

Durante o uso:

– Não coloque o bocal do soprador térmico para baixo, pois isso tampa a saída de ar, prejudicando o desempenho do aparelho.

– Mantenha o soprador sempre na posição horizontal ou com o bocal voltado para cima.

– Evite puxar a ferramenta pelo cabo. Coloque uma extensão elétrica em bom estado, se necessário, para obter mais flexibilidade.

– Não coloque a mão no bocal do soprador térmico durante o uso, para evitar queimaduras.

– Fique atento à posição das mãos, para evitar que o ar quente incida diretamente sobre elas.

– Desligue o soprador da tomada, caso precise trocar um acessório.

 

Depois do uso:

– Desligue o soprador térmico primeiro no aparelho e depois desconecte o plugue da tomada.

– Deixe o soprador na vertical, com o bocal para cima, para que ele esfrie a resistência mais rápido.

– Coloque a ferramenta em um lugar seguro, longe de crianças e animais de estimação.

 

Limpeza e manutenção do soprador térmico

Conforme o soprador elétrico é usado, a necessidade de limpeza aparece naturalmente. Para mantê-lo funcionando e com bom desempenho, siga as dicas abaixo:

– Não limpe a ferramenta com produtos abrasivos, especialmente a parte do bocal que é aquecida.

– Evite usar produtos de limpeza com ácido ou cloro na fórmula.

– Remova resíduos usando uma flanela seca. 

Caso não venha com o produto, compre uma maleta para guardar o soprador térmico e os acessórios como os diferentes bocais, que costumam vir junto com a ferramenta. Assim, o produto fica armazenado em segurança, fica fácil de transportar e você não perde nenhuma peça essencial para o trabalho.

É importante também que você leia no manual de instruções os cuidados de limpeza específicos para cada produto.

 

Sugestão de matéria: Confira como tirar ferrugem de ferramentas!

 

Viu como usar o soprador térmico é fácil? Além disso, os cuidados antes, durante e depois do uso e as dicas de limpeza vão prolongar a vida útil dessa ferramenta. Confira a seção completa de Ferramentas Elétricas no site da Telhanorte

 

Furadeira e parafusadeira: saiba a diferença!

 

Edição de Vinicius Marques e Camila Alexandrino

Os principais modelos de escada portátil

escada-portatil-aluminio-casa-domestica-profissional-modelos

| Ferramentas

 

Conheça 4 modelos de escada portátil e saiba qual a ideal para o que você precisa

 

Mesmo que você não seja um profissional que precise da escada diariamente, ter uma escada em casa pode contribuir para muitas funções, desde trocar a lâmpada até limpar uma prateleira, acessar a parte mais alta do armário e mesmo ajudar na pintura de paredes. As escadas que vamos apresentar aqui podem ser tanto de uso profissional quanto de uso doméstico.

 

Tipos de escada portátil

1. Banco Escada

Esse é um modelo de escada muito comum, com muita utilidade no dia a dia residencial. Isso porque ela permite alcançar níveis mais altos de armários, ajuda a trocar lâmpadas com mais facilidade e ainda contribui para outras questões rotineiras de um lar. 

Ter uma escada dessa em casa é uma mão na roda para necessidades rotineiras que exigem apenas alguns centímetros a mais de altura para que possam ser realizadas. Geralmente, esse modelo permite que você acesse de 30 a 60 cm a mais de altura. 

Além disso, esse tipo de escada portátil é leve e fácil de ser transportada. Por último, esse modelo de escada ainda pode ser útil como assento extra para diferentes situações e necessidades. 

 

Banco-escada-de-alumínio-61-cm-3-degraus-Botafogo

Banco escada de alumínio 61cm 3 degraus Botafogo (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

2. Escada articulada 

A escada articulada, ou escada em “A”,  tem uma abertura central, com degraus nos dois lados. É capaz de alcançar alturas maiores e possui diferentes possibilidades em relação ao número de degraus. É um dos modelos mais usados por pintores e eletricistas, por exemplo, por oferecerem um certo conforto para o trabalho a alturas medianas. 

 

Escada-de-alumínio-articulada-4x3-12-degraus-Exclusivo-Telhanorte

Escada de alumínio articulada 4×3 12 degraus Exclusivo Telhanorte (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Preferencialmente, deve possuir travas de segurança, para oferecer mais segurança a quem utiliza, garantindo estabilidade. Se você for um profissional, lembre-se também de buscar por escadas que ofereçam acessórios como ganchos, que permitam o apoio de material como tinta e pincéis. 

escada-de-aluminio-articulada-4x3-12-degraus-exclusivo-telhanorte

Opções de uso da escada de alumínio articulada 4×3 12 degraus Exclusivo Telhanorte (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Escada doméstica

É parecida com o modelo de escada articulada. A diferença é que esse modelo tem degraus apenas em um de seus lados, sendo a outra usada apenas como apoio para a abertura da escada. Esse modelo é mais usado em áreas domésticas e, geralmente, alcança alturas menores. 

Escada-Doméstica-de-Alumínio-7-Degraus-Botafogo

Escada Doméstica de Alumínio 7 Degraus Botafogo (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Escada profissional extensiva

Como o próprio nome sugere, estamos falando de uma escada que expande seu tamanho original para um tamanho maior.  É muito usada por profissionais e, mesmo sendo um pouco mais difícil de ser transportada por seu tamanho e peso, está entre os tipos de escada portátil mais usadas por pintores, eletricistas, profissionais de hidráulica e muitos outros. 

 

Escada extensiva de alumínio 2-9 degraus Botafogo

 

Geralmente é feita de alumínio ou madeira e permite o ajuste de acordo com a necessidade de cada profissional e cada serviço. Podem possuir ganchos de segurança em sua ponta. 

 

4. Escada telescópica

Como dissemos acima, a escada extensível pode ser mais difícil de ser transportada. Por isso, muitos profissionais já estão optando pelo tipo de escada portátil conhecido como escada telescópica. Ela é construída de tal forma que cada degrau pode ser ajustado, logo, todos podem ser reunidos para diminuir o tamanho e espaço necessário para transporte da escada. 

 

escada-telescopica

Escada telescópica (Foto: Nakasaki / Reprodução)

 

Atenção à carga e à altura necessária

Acima, conhecemos os principais tipos de escada portátil tanto para profissionais como para uso doméstico. Entretanto, além do modelo, outros parâmetros devem ser observados na escolha da escada ideal para cada necessidade. Principalmente, parâmetros relacionados à segurança de uso. É fundamental garantir a análise das características que essa escada tem para conferir e garantir a segurança necessária.

Por exemplo, definir a altura necessária para a escada é fundamental, afinal, emendar escadas é algo perigoso, seja para profissionais ou para uso doméstico. Logo, é preciso garantir que a escada escolhida tenha a altura necessária para a realização de seus trabalhos.

Se você lida com projetos em diferentes tipos de casa, com pé direito variável, por exemplo, as escadas extensíveis ou telescópicas podem ser a solução ideal. Além da altura, outro item de segurança a ser observado é o peso suportado pela escada. Escadas com o mesmo número de degraus podem apresentar limitações de pesos diferentes, por isso, antes de comprar confira essas informações.

Por último, mas não menos importante, lembre-se sempre de usar os equipamentos de segurança, chamados EPIs como capacete de segurança e cinto

 

Onde encontrar escadas portáteis?

Para encontrar os tipos de escadas sanfonadas, articuladas, móveis e dobráveis, te convidamos a conhecer a loja virtual da Telhanorte. Aqui temos uma seção completa com escadas portáteis e escadas profissionais para diferentes tipos de necessidade e usos. Confira nosso outlet e aproveite as melhores formas de pagamento. Faça seu pedido e receba tudo sem sair de casa!

 

Escadas de alumínio: 6 modelos e dicas para acertar

 

Edição de Vinicius Marques

Black Friday: 6 ferramentas com descontos imperdíveis

ferramentas

| Construção

 

Ah, Novembro! O mês da Black Friday chegou e separamos diversas opções de ferramentas para você aproveitar os descontos da Telha Friday

 

O tão aguardado mês da Black Friday finalmente chegou e, dessa vez, a Telha Friday será no dia 27! Se você é um consumidor assíduo, já sabe do que se trata esse dia. Senão, anote no caderninho para não esquecer: são 24 horas de descontos incríveis em ferramentas, tintas, objetos de decoração, revestimentos, metais e muito mais. Aproveite e confira 5 dicas para se planejar e aproveitar a Black Friday.

 

Como a Telhanorte não brinca em serviço, nós selecionamos diversos produtos para você aproveitar os descontos desde já! Aqui mostraremos apenas as opções de ferramentas, mas se você está em busca de outros produtos, não deixe de conferir outras matérias em nosso blog!

 

Sugestão de leitura: Veja em nosso blog mais sobre Black Friday: descontos imperdíveis para sua cozinha / Black Friday: descontos imperdíveis para seu banheiro / Black Friday: ofertas garantidas para decorar sua casa / Black Friday: Dicas e descontos incríveis para área externa

 

6 ferramentas com descontos imperdíveis!

Agora vamos ao que interessa: confira abaixo uma lista de ferramentas na promoção selecionadas a dedo para você aproveitar antes da Telha Friday.

 

1 – Esmerilhadeira angular Novipro – 16% OFF

Se você precisa cortar grandes peças de concreto e demais materiais duros, você com certeza vai precisar de uma esmerilhadeira profissional!

A esmerilhadeira angulgar 7 polegadas da marca Novipro conta com um disco de 230 mm e é perfeito para trabalhos pesados, sendo resistente e fácil de usar. Sua potência é de 2000W e pode ser usada em qualquer lugar com uma voltagem de 127V. O produto vem com 1 punho auxiliar, 1 chave de aperto e 1 capa de proteção de disco como adicionais.

Dimensões: Altura: 13,5 cm; Comprimento: 46 cm; Largura: 09 cm; Peso: 4,80 kg.

 

Esmerilhadeira-angular-7pol-127V-2000W-Novipro

Esmerilhadeira angular Novipro de 7 polegadas, versão 127V (Foto: Acervo Telhanorte).

 

2 – Nível a laser GCL2-15 Bosch

Extremamente versátil e de fácil manuseio, o nível a laser GCL2-15 Bosch cria linhas de laser precisas e tem pontos de prumo práticos. Com os lasers autonivelantes combinados, você realiza todas as aplicações comuns de nivelamento e transferência com apenas uma ferramenta, de forma rápida e precisa, obtendo resultados exatos com alcance de até 15 metros!

Composto por aço e poliamida, tem certificação IP54, o que o torna resistente à poeira e proteção contra jato de água diretamente no aparelho (mas ele não deve ser submerso!). O produto é entregue em uma maleta que conta, ainda, com 4 pilhas AA, uma placa alvo e 1 suporte.

Dimensões: Altura: 11,9 cm; Comprimento: 32,7 cm; Largura: 27,7 cm; Peso: 2,41 kg.

Nível-a-laser-GCL2-15-Bosch

Nível a laser modelo GCL2-15 da marca Bosch Foto: Acervo Telhanorte).

 

3 – Furadeira de impacto Goodyear – 23% OFF

Perfeita para ter em casa, a furadeira elétrica GY DI 10500-3 tem uma potência de 500W e funciona em qualquer rede elétrica de 127V. O modelo conta com um ano de garantia de fábrica. Não deixe de conferir a oferta em nossa loja virtual!

Dimensões: Altura: 25 cm; Comprimento: 28 cm; Largura: 70 cm; Peso: 1,34 kg.

Furadeira-de-impacto-eletrica-127V-500W-GY-DI--10500-3-Goodyear

Furadeira de impacto Goodyear, versão 127V (Foto: Acervo Telhanorte).

 

4 – Serrote profissional Tramontina – 41% OFF

O serrote profissional 20″ Tramontina é feito de lâmina de aço de alto carbono temperado, o que proporciona uma vida-útil maior ao fio de corte.

A madeira é um material pesado e resistente, por isso precisa de uma ferramenta que aguente o atrito e que seja prática e segura para usar. Por isso, esse produto conta com 7 dentes travados por polegada e uma proteção plástica para eles. Seu cabo de madeira é ergonômico e envernizado, sendo comprovadamente seguro para o manuseio.

Dimensões: Altura: 58,3 cm; Comprimento: 14,6 cm; Largura: 2,2 cm; Peso: 570 g.

Serrote-profissional-20--Tramontina

Serrote profissional de 20 polegadas da Tramontina (Foto: Acervo Telhanorte).

 

5 – Chave de fenda 1/4X4″ com ponta chata amarela Tramontina – 49% OFF

A chave de fenda Yellow de ponta chata da Tramontina é uma excelente opção do grupo de chaves de aperto. Com sua haste em aço especial temperado e cabos de polipropileno injetado, apertar e afrouxar parafusos vai ser uma tarefa muito mais prática! Seu acabamento niquelado ainda dá um toque de beleza ao produto, além de torná-la mais resistente ao desgaste.

Dimensões: Altura: 3,5 cm; Comprimento: 31 cm; Largura: 04 cm; Peso: 60 g.

 

Chave-de-fenda-1-4X4--com-ponta-chata-amarela-Tramontina

Chave de Fenda Tramontina Yellow de ponta chata (Foto: Acervo Telhanorte).

 

6 – Caixa para ferramentas de aço com duas gavetas Novipro – 10% OFF

Agora que você deu uma conferida nas ofertas imperdíveis de ferramentas da Telha Friday, por que não aproveitar para comprar uma caixa para armazená-las adequadamente?

A caixa para ferramentas com duas gavetas da Novipro, de aço laminado azul e preto, contém duas gavetas – cada uma com 21,7 x 51 cm – perfeitas para a armazenagem segura e eficiente de ferramentas. Suas alças de gaveta são de alumínio do tipo “C”, o que a torna resistente e fácil de usar! Aguentando um peso de até 20 kg em seu interior, o produto é uma boa opção em termos de capacidade total de armazenagem.

Dimensões: Altura: 25 cm; Comprimento: 51 cm; Largura: 21,5 cm; Peso: 5,8 kg.

 

Caixa-para-ferramentas-de-aco-com-duas-gavetas-217x51cm-Novipro-1520822

Caixa de ferramentas Novipro, com duas gavetas (21,7 x 51 cm) e alça de alumínio (Foto: Acervo Telhanorte).

 

E aí, não vai querer ficar de fora dessa, não é?

Corra até a loja Telhanorte mais próxima ou, então, acesse nossa loja virtual. Lá você encontra diversas outras opções de ferramentas, ferragens, metais, materiais de construção, produtos de decoração e muito mais!

Não se esqueça de conferir nossa sessão Outlet, sempre com descontos imperdíveis e realize suas compras com o cartão Telhanorte! Fazemos entregas em todo o Brasil e parcela suas compras em até 8x!

 

 

Por Murilo Bonício | Edição de Stéphanie Durante

 

Como colocar porta sanfonada de PVC

porta-pvc-sanfonada-camarao-instalar-resistencia-durabilidade-branca-cozinha-banheiro

| Ambientes Internos

 

Aprenda o passo a passo de como colocar uma porta de PVC sanfonada em casa. Veja também como manter a porta limpa e funcional por mais tempo.

 

De todos os tipos de instalação de portas existentes no mercado, aprender como colocar uma porta de PVC sanfonada é o mais fácil. O que é vantajoso, principalmente se o orçamento não estiver muito grande, pois a porta de PVC é bem mais barata que a média.

Além do ganho de espaço e da instalação fácil, os perfis de PVC atuais são mais sólidos e compactos e também possuem maior flexibilidade, resistência e durabilidade

 

Sugestão de matéria: Confira os principais tipos de porta de madeira, descubra o que é porta camarão e entenda o que é porta pivotante de madeira

 

Além da tradicional porta de PVC branca, o mercado oferece novas opções de acabamentos, como os que imitam a madeira. Outra melhoria é que o PVC rígido de alto impacto usado na fabricação garante a absorção total de ruídos e não propaga fogo. E por ser um material sintético, é 100% resistente à umidade, ideal para ambientes úmidos como banheiros e lavabos.

Precisa fazer a instalação, mas não sabe como colocar uma porta de PVC sanfonada? Continue lendo e aprenda o passo a passo, dicas para manter a durabilidade e onde comprar.

 

Acesse em nossa loja: Porta Sanfonada

Porta-sanfonada-de-PVC-Plast-210x84cm-com-trinco-imbuia-BCF

Porta sanfonada de PVC Plast 210x84cm com trinco imbuia BCF (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Como colocar uma porta de PVC sanfonada?

Para facilitar a organização do trabalho, vamos dividir o passo a passo de como colocar uma porta de PVC sanfonada em quatro etapas:

  1. Ferramentas para instalação;
  2. Medidas da porta sanfonada de PVC;
  3. Método de instalação;
  4. Finalização.

 

1. Ferramentas para instalação

O processo de como colocar uma porta de PVC sanfonada não é complexo, mas exige organização e atenção durante o trabalho. Por isso, ter todas as ferramentas para instalação reunidas próximo ao local de trabalho vai ajudar a não perder tempo procurando uma coisa ou outra pela casa.

Pegue sua maleta de ferramentas e separe:

– chave estrela ou parafusadeira automática;

– furadeira;

– broca 6 para concreto ou madeira e número 4 para ferro;

– arco de serra;

– trena;

– lápis;

– esquadro;

– kit de parafusos com bucha;

– conjunto da porta de PVC: trilho superior, perfil click, marcos laterais, folha da porta sanfonada, maçaneta.

Leve todos as ferramentas para a área do vão onde vai ser instalada a porta.

 

2. Medidas da porta sanfonada de PVC

Antes de começar a furar, o segundo passo de como colocar uma porta sanfonada de PVC é checar se as medidas dela correspondem ao tamanho do batente.

Pegue o trilho e veja se ele se encaixa na parte superior do batente. Caso seja necessário cortar um pouco do trilho, use a trena para medir, marque a posição do corte com o lápis e use o arco de serra para tirar o excesso.

 

Importante: mesmo antes de comprar a porta, é necessário medir a altura e a largura do vão onde será colocada. Caso você não ache o tamanho exato, saber as medidas ajuda a escolher o modelo que pode ser adaptado!

 

3. Método de instalação

Depois desse ajuste inicial, começa de vez o passo a passo de como colocar a porta sanfonada de PVC.

 

– Primeiro vem a fixação do trilho superior. Siga as instruções do fabricante, para fazer a quantidade de furos necessários na peça e no vão livre superior, seguindo o espaçamento indicado. O lápis vai ajudar nas marcações e a furadeira agiliza o processo.

– Fixe o parafuso do centro primeiro, colocando o lado deslizante do trilho para baixo.

– Encaixe o perfil click, deslizando-o no perfil meia lâmina da folha da porta do lado oposto ao do batedor.

– Em seguida, gire o trilho superior para fazer o encaixe da porta de PVC. Defina para que lado ela vai abrir e posicione o batedor do lado oposto. Encaixe todos os rodilhos até o final do trilho.

– Para fazer a fixação do trilho superior, volte para posição original e termine de colocar o restante dos parafusos. Aperte devagar, para que não haja sobra de parafuso que possa prejudicar o deslizamento dos rodilhos.

– O próximo passo é fixar os marcos laterais. Siga as instruções de espaçamento e quantidade de furos indicadas no manual do fabricante e instale-os na posição correta, nos dois lados da parede.

– Agora fixe o perfil click da folha da porta no marco lateral, começando de cima para baixo.

– Depois coloque as peças da maçaneta nos furos indicados na folha da porta de PVC, pressionando-os para fazer o encaixe correto. Coloque os tampos e tenha o cuidado de colocar a trava para o lado interno do ambiente.

– Terminada a instalação, feche a porta e meça a altura exata para a trava e encaixe no marco lateral, fixando-a com seu respectivo parafuso.

– Pronto! Esse é o passo o passo de como colocar uma porta de PVC sanfonada.

 

4. Finalização

Para garantir que o trabalho foi bem executado e não há interferências no deslizamento da folha de PVC, faça alguns movimento de abre e fecha para testar. Confira também se a maçaneta está firme no lugar e se a trava está funcionando corretamente.

 

Porta-sanfonada-de-PVC-Plast-210x72cm-com-trinco-branca-BCF

Porta sanfonada de PVC Plast 210x72cm com trinco branca BCF (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Como limpar porta sanfonada de PVC

Aprender como limpar uma porta sanfonada de PVC não tem segredo. Tudo que você vai precisar é de um pano e um balde de água com sabão neutro ou outro produto multiuso de sua preferência. 

Um cuidado importante é passar o pano na folha da porta com delicadeza. O material é resistente, mas é mais maleável. Por isso, tenha cuidado. Limpe dos dois lados e depois seque com um pano macio e está pronto! 

 

Onde comprar porta sanfonada de PVC

Agora que você sabe como colocar uma porta de PVC sanfonada e como mantê-la limpa e bonita, confira os modelos que a Telhanorte selecionou para você.

Além da categoria de Porta Sanfonada, também temos em nossa loja virtual uma seleção completa de Ferramentas para auxiliar em todo tipo de trabalho — do doméstico ao profissional. Confira já!

 

O que é porta camarão?

 

Edição de Vinicius Marques e Murilo Bonício

 

17 itens básicos para construção e reforma

lista-ferramentas-construcao-2

| Ferramentas

Ter um kit básico de ferramentas é fundamental para que sua obra ou reforma sejam feitas com eficiência. Desde as ferramentas mais simples até as mais modernas, todas desempenham uma função estratégica.

 

Com os itens que listamos abaixo, você vai conseguir manipular os materiais de construção necessários com o acabamento certo e segurança, seja você um profissional ou o “faz tudo” da casa. Se você já tem alguns, pegue papel e caneta e faça lista de ferramentas para construção que estão faltando e complete seu kit de ferramentas para construção!

Continue lendo e confira a lista completa.

 

Leia também: 10 ferramentas essenciais para se ter em casa!

 

construcao-civil-pixabay

(Foto: Pixabay / Reprodução).

 

Lista de ferramentas para construção

Para facilitar sua organização na hora de checar as ferramentas necessárias, separamos a lista três partes

– a primeira parte com ferramentas manuais;

– a segunda parte com ferramentas para medição e nivelamento;

– a terceira parte com ferramentas elétricas.

O foco aqui é reunir os itens necessários para um kit básico. Caso necessite de outras ferramentas mais complexas, você pode estudar a necessidade de acordo com o seu trabalho.

 

Ferramentas manuais

 

1- Colher de pedreiro

A colher de pedreiro é um clássico da lista de ferramentas para construção. Ela serve para fazer o assentamento de tijolos, aplicação de argamassa, chapisco ou reboco em alvenarias. 

A lâmina é de chapa de aço especial e cabo em madeira com acabamentos envernizados, que garantem uma boa funcionalidade para a ferramenta.

 

colher-de-pedreiro-telhanorte

Colher de pedreiro tamanho 8 Tramontina (Foto: Acervo Telhanorte).

 

2- Desempenadeira lisa e dentada

A desempenadeira lisa é indicada para o preparo, nivelamento e revestimento de superfícies. Ideal para aplicação de argamassa, massa corrida e textura nas paredes. 

Já a desempenadeira dentada cria sulcos e cordões para aplicação de argamassa em assentamento de revestimentos cerâmicos de grandes formatos, revestimentos de madeira e outros tipos.

Você encontra peças fabricadas com aço relaminado e pegadores de plástico ou madeira.

 

desempenadeira-lisa-telhanorte

Desempenadeira de aço 25,6cm lisa com cabo plástico Cortag (Foto: Acervo Telhanorte).

 

desempenadeira-dentada-telhanorte

Desempenadeira de aço 25,6cm dentada 8x8mm com cabo plástico (Foto: Acervo Telhanorte).

 

3- Pá quadrada e de bico

Sem uma boa na sua lista de ferramentas para construção, pegar cimento, areia e pedras pode se tornar uma difícil. 

Tanto a pá quadrada quanto a pá de bico são úteis no dia a dia da obra.

Escolha uma fabricada com material resistente, que não desgaste e tenha a superfície tratada para evitar a oxidação. 

 

pa-de-bico-casa-e-garagem

Pá de bico (Foto: Casa e Garagem / Reprodução).

 

pa-quadrada-casa-e-garagem

Pá quadrada (Foto: Casa e Garagem/Reprodução).

 

4- Balde de plástico ou metal

O balde é uma ferramenta multiuso em uma construção. Ele serve para carregar água, cimento, pedras e outros materiais de um ponto a outro da obra.

Para materiais que podem desgastar superfícies use o balde de metal. Já para os materiais em pó, o balde de plástico atende bem ao propósito.

Ambos os tipos variam em capacidade (mostrada em litros). Escolha uma opção do tamanho desejado e com uma alça resistente e que facilite a pega.

 

balde-telhanorte

Balde de plástico para cimento preto Cortag (Foto: Acervo Telhanorte).

 

5- Peneira

Outro item básico necessário da lista de ferramentas, a peneira é usada para peneirar materiais de construção, como terra, cimento e areia. Isso evita que resíduos e sujeiras entrem nas massas e prejudiquem a qualidade dos materiais de liga e acabamento das paredes.

 

peneira-aco-copafer

Peneira (Imagem: Copafer/Reprodução).

 

6- Carrinho de mão

Quando a quantidade e/ou o tamanho do que você precisa carregar não cabe no balde, o carrinho de mão se torna um ótimo e eficaz meio de transporte.

É direcionado para uso geral, principalmente para a construção civil, no transporte de ferramentas e materiais diversos como terra, areia, argamassa e entulhos.

Os modelos variam de acordo com o tamanho da caçamba, geralmente fabricada em ferro.

 

carrinho-de-mao-telhanorte

Carrinho De Mao, Braco Metalico, Cacamba Metalica Redonda De Azul, Pneu Borracha Tramontina (Foto: Acervo Telhanorte).

 

7- Trincha 

A trincha é um tipo de pincel grande com bastante cerdas para auxiliar no reboco das paredes e a assentar azulejos e cerâmicas. Ela molha a superfície sem encharcar.

Existem as trinchas grandes e as menores usadas para aplicar óleos, esmaltes e tintas na pintura de paredes e outras superfícies. São produtos leves e de fácil manuseio.

trincha-telhanorte

Trincha para pintura Economica parede 2″ Tigre (Foto: Acervo Telhanorte).

 

8- Serrote

O serrote é uma ferramenta para construção utilizada para serrar madeira com o objetivo de fazer vigas, delimitar uma área, etc. 

É importante adquirir uma peça com uma lâmina de qualidade e resistente com dentes afiados para cortar com segurança. Os tamanhos variam em polegadas.

 

serrote-telhanorte

Serrote Utility 16 Tramontina (Foto: Acervo Telhanorte).

 

9- Bloco de espuma

O bloco de espuma é usado para dar acabamento em rebocos e rejuntes. Também é utilizado em usos gerais como lavagem de pisos e vidraças, lavagem de automóveis e limpezas com qualquer tipo de detergentes ou produtos químicos.

 

bloco-de-espuma-telhanorte

Bloco de espuma amarelo e branco Cortag

Ferramentas de construção para medição e nivelamento

 

1- Trena

A trena é um dos itens da lista de ferramentas para construção que você mais vai usar durante uma obra ou reforma da casa.

Ela é usada para fazer medições precisas em trabalhos maiores com modelos que incluem retorno automático da fita e trava para facilitar seu uso. Também é útil para quem trabalha com pequenos reparos e instalações.

 

trena-tramontina

Trena 5 M Tramontina (Foto: Acervo Telhanorte).

 

2- Esquadro de alumínio

O esquadro de alumínio é usado para traçar os ângulos certos de materiais como madeira, cerâmica, alvenaria, azulejo, etc. Existem diversas medidas, mas um esquadro maior acaba sendo uma ferramenta mais versátil.

 

esquadro-aluminio-telhanorte

Esquadro carpinteiro de inox 200mm K53M-200-S Starret (Foto: Acervo Telhanorte).

 

12- Mangueira de nível

A mangueira de nível é fabricada em PVC e indicada para fazer o nivelamento nas atividades da construção civil. Ela ajuda a nivelar de pisos até peitoris de janelas. Podem ser encontradas em rolos com 10, 15 e 20m.

 

mangueira-de-nivel-telhanorte

Mangueira para nível 10m transparente Cortag (Foto: Acervo Telhanorte).

 

3- Prumo de parede e de centro

O prumo de parede é uma ferramenta para construção que tem o corpo em aço revestido por plástico, calço com guia de madeira e cordão de náilon. Sua função é evitar que as paredes fiquem tombadas tanto para um lado quanto para outro.

Já o prumo de centro é usado para orientar a criação de pilares, marcando justamente o ponto de equilíbrio central. Ambos são fundamentais para a qualidade da parte cinza da obra

 

prumo-de-aço-telhanorte

Prumo de aço temperado preto e amarelo Tramontina (Foto: Acervo Telhanorte).

 

4- Linha de pedreiro

A linha de pedreiro serve para marcar o nível e a inclinação de um piso para que o resultado seja uniforme.

linha-pedreiro-telhanorte

Linha para pedreiro trançada 100 metros branca Cortag (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Ferramentas elétricas

 

1- Furadeira de impacto

A furadeira de impacto serve para perfurar paredes e vários tipos de materiais, como a alvenaria. Além de facilitar o trabalho de apertar ou afrouxar parafusos, pode ser usada tanto no modo com ou sem impacto, de acordo com o perfil do trabalho.

 

furadeira-de-impacto-telhanorte

Furadeira de impacto elétrica 220V 500W GY DI 10500-3 Goodyear (Foto: Acervo Telhanorte).

 

16- Serra mármore

A serra mármore entra na lista de ferramentas para construção usadas para serrar materiais resistentes, como mármore, concreto, granito, etc. É um item para uso profissional.

 

serra-marmore-telhanorte

Serra mármore 127V 1400W 4100 NH2Z azul Makita (Foto: Acervo Telhanorte).

 

17- Martelete rompedor

O martelete rompedor fecha nossa lista de ferramentas para construção. Ele é usado para quebrar e retirar sobras de concreto e outro materiais resistentes.

 

 

martelete-rompedor-telhanorte

Martelete perfurador e rompedor 220V 820W GBH 2-24D com maleta azul Bosch (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Está em busca de uma loja de ferramentas para construção?

Agora que você tem a lista de ferramentas ideal, pode montar seu kit iniciante para começar a realizar seus trabalhos com precisão, eficiência e qualidade.

Confira a seção completa de ferramentas no site da Telhanorte e atualize sua caixa de ferramentas com os produtos que você precisa. Você pode aproveitar e adquirir os materiais de construção para dar início a sua obra.

Compre, pague online e depois é só esperar nossa equipe fazer a entrega!

 

Edição de João Victor Quintino e Murilo Bonício

Quais são os tipos de luvas de segurança para profissionais?

tipos-luvas-seguranca

| Dicas

 

Conheça os tipos de luvas de segurança exigidos pela norma ABNT em serviços de eletricista, pedreiro, construção civil e manuseio de produtos químicos.

 

Luvas de segurança são essenciais para garantir a proteção dos profissionais em diversas áreas de trabalho, da construção civil às indústrias siderúrgicas. Estar equipado corretamente contribui para potencializar a segurança, mas também a produtividade, seja em um trabalho doméstico ou nas atividades empresariais. Por isso é importante conhecer os tipos e suas aplicações.

Para ajudá-lo a entender melhor as especificidades dos tipos de luvas de segurança montamos um guia para explicar quais são as luvas adequadas de acordo com o tipo de trabalho. Continue lendo!

 

luvas-seguranca-trabalho-aplicacoes

Profissional com equipamentos de segurança (Foto: Pexels / Reprodução)

Tipos de luvas de segurança | GUIA de uso profissional

Para entender melhor os tipos de luvas de segurança e suas aplicações, as separamos em uma lista, de acordo com o trabalho realizado. Dessa forma, vamos ver opções para profissionais das áreas:

– Elétrica;

– Obras residenciais (pedreiros e serventes autônomos);

– Construção civil;

– Produtos químicos.

 

Cada um desses setores de trabalho exige um nível de segurança e utilizam EPIs específicas. A regulamentação que garante a segurança dos profissionais é determinada por lei. As empresas que descumprem as normas podem ser punidas e responsabilizadas por danos a saúde dos funcionários.

Quem contrata pedreiros e ajudantes para trabalhos residenciais também pode ser responsabilizados civilmente na justiça pelos acidentes na obra.

Para evitar esse cenário aprenda quais são os tipos de luvas de segurança adequados!

 

Luvas de segurança para eletricista

O maior risco dos eletricistas é levar um choque durante os trabalhos de manutenção e reparos de máquinas e circuitos elétricos.

Por isso, as luvas de segurança para esses profissionais trabalharem sem preocupações são fundamentais.

Uma informação que vale ser ressaltada é que os eletricistas devem sempre usar duas luvas em cada mão. O conjunto garante a proteção adequada para trabalhar com segurança. Dito isto:

Conjunto 1: luva de segurança isolante + luva de proteção de couro

As luvas isolantes são feitas de borracha e cobrem as mãos e os braços. Por cima, são usadas as de couro, que protegem a primeira e reforça o isolamento do corpo;

Conjunto 2: luva de segurança condutiva + luva de vaqueta

A luva de proteção condutiva é mais justa e cobre as mãos e os punhos do eletricista. Por cima, deve ser utilizada a luva de vaqueta, que completa a proteção mecânica da primeira.

 

Luvas de segurança para pedreiro

Os pedreiros também lidam com diversos tipos de materiais e ferramentas para executarem as obras e, sem a proteção adequada, ficam expostos aos riscos.

Como as mãos são fundamentais para o trabalho em reformas, elas precisam estar devidamente cobertas por alguma das luvas de segurança.

Devido a variedade de atividades que o pedreiro exerce no dia a dia, eles devem carregar consigo com mais tipos de luvas de segurança. São eles:

luvas de raspa: são grossas, usadas no manuseio e instalação de blocos de concreto, tijolo e outros materiais desgastantes ou que podem perfurar a pele;

luvas de lã pigmentada com palma antiaderente: são grossas e facilitam o trabalho com materiais abrasivos, permitindo melhor aderência e tato na hora do manuseio;

luvas de segurança anticorte: são fabricadas a partir da combinação da fibra de aramida e outros materiais altamente resistentes a cortes. Melhora o tato, protegendo o usuário, também, contra perfurações, rasgos e abrasão.

luva de látex: são as mais simples, utilizadas no trabalho com cimento, argamassa e outros produtos do gênero.

 

Luvas de segurança para construção civil

As grandes obras da construção civil exigem muitos equipamentos de proteção individual (EPIs) e as empresas são fiscalizadas para verificar o cumprimento das normas.

Como existem diversos profissionais trabalhando nos canteiros de obra, os tipos de luvas de segurança são bastante variados. Alguns exemplos são:

luvas de segurança de couro (raspa ou vaqueta): ideais para os trabalhos de carpintaria com acabamento antiaderente na palma e na ponta dos dedos para permitir pegar melhor os objetos. Muito utilizado pelos serralheiros;

luvas de segurança térmica: usadas pelos soldadores para se protegerem das altas temperaturas. Esses modelos tem revestimento interno de algodão.

 

Luvas de segurança para produtos químicos

Os produtos químicos podem causar reações alérgicas na pele e até queimá-la, a depender do composto ou da combinação de elementos usados.

Quando algum desses trabalhos vai ser executado é importante saber quais os tipos de luvas de segurança do trabalho recomendados.

Para usar o modelo certo, confira as orientações de manuseio dada pelo fabricante. O material vai depender do tipo de substância química que o profissional vai manipular.

Alguns exemplos de modelos de luvas de segurança do trabalho são:

luva de borracha nitrílica: é um tipo de borracha bastante resistente e pode ser usado em trabalhos com as graxas da manutenção de maquinário, solventes orgânicos, álcoois e óleos, tintas para pintura automobilística, misturas de substâncias agrícolas, dentre outros;

luva de borracha natural: é um modelo confortável e anatômico, usado em trabalhos com produtos químicos mais leves, como aqueles usados para limpeza doméstica e empresarial. Também é utilizado nos trabalhos da indústria farmacêutica e alimentícia;

luva de neoprene: feito com um tipo de borracha mais resistente, é usada na indústria petroquímica e metalúrgica. Resiste ao contato com substâncias como ácidos orgânicos e inorgânicos, álcoois, solventes e hidrocarbonetos;

luva de segurança PVA: são utilizadas nos serviços laboratoriais para o manuseio de solventes orgânicos hidrossolúveis concentrados.

 

Gostou de conhecer os tipos de luvas de segurança e suas aplicações?

Como mostramos em cada um dos tópicos acima, as luvas de segurança são EPIs essenciais para que diversos trabalhos sejam realizados. E além delas, outros equipamentos de segurança do trabalho são necessários para garantir a proteção dos profissionais.

Confira a seção de EPIs no site da Telhanorte e adquira luvas de segurança do trabalho e outros produtos.

Independentemente de ser uma contratação pessoal para uma obra doméstica ou mesmo para montar um kit de trabalho profissional, é importante ter e oferecer todos os recursos exigidos!

Faça a compra online e receba tudo em casa ou retire em uma das unidades perto de você!

 

Edição de Murilo Bonício e Camila Alexandrino