climatização | Blog Telhanorte

Como escolher adega de vinho: 7 dicas para acertar na escolha

adega-armazenamento-vinhos

| Ambientes Internos

Você é um apreciador de vinhos? Que tal montar sua própria adega em casa ou no escritório? Com essas dicas incríveis você vai poder escolher uma adega e impressionar amigos e clientes!

 

É muito comum que pessoas que estão começando a sua coleção de vinhos fiquem em dúvida sobre como escolher adega. Ela é um instrumento importante não apenas para guardar as garrafas de vinho, mas principalmente para preservar o aroma e sabor do vinho. Elas também ajudam a preservar vinhos de guarda, que melhoram com o passar dos anos.

Se você é um apaixonado por vinhos que gosta de armazenar suas garrafas e momentos para ocasiões ainda mais especiais, seja para tomar sozinho enquanto aprecia um bom livro ou em um jantar em amigos, esse artigo é para você. Aqui, reunimos algumas dicas importantes para quem esta pensando em comprar uma adega.

Existem adegas construídas, que ocupam porões ou quartos escuros de uma casa, entretanto, devido ao trabalho de construção e também ao espaço que podem ocupar, atualmente as adegas climatizadas são as melhores opções. 

Como escolher adega climatizada: 7 dicas simples e eficazes

1. Modelo da adega

As adegas climatizadas usam a eletricidade para garantir a umidade adequada e o resfriamento ideal de seu interior.

Existem dois tipos de adega: 

 

As adegas termoelétricas usam a eletricidade para realizar a troca de calor entre o interior e o exterior da adega. Isso acontece por meio de uma placa de cerâmica que envia o calor de dentro da adega para seu exterior. Geralmente, esse processo é capaz de conseguir uma temperatura interna cerca de 10°C mais baixa do que a externa.

O ponto positivo é que o consumo de energia da adega de vinho é baixo, entretanto, o ponto negativo é que esse tipo de adega é indicada apenas para regiões e cidades que, geralmente, não ultrapassem os 25°C.

Já a adega com compressor usa a eletricidade para efetivamente resfriar o interior da adega. Esse tipo de modelo permite que você defina exatamente qual é a temperatura que deseja para o interior da adega. 

O ponto fraco deste modelo é que o consumo de energia da adega de vinho é mais alto, entretanto, ele ainda é a opção mais segura e eficiente para regiões que chegam a temperaturas mais altas durante o ano (o que é bem comum para o Brasil). Porém, se você estiver considerando colocar seus vinhos em uma geladeira comum, avisamos que não é uma boa ideia.

As geladeiras possuem variações de temperatura a cada vez que são abertas, além de a iluminação e o cheiro dos alimentos em seu interior prejudicarem o processo de armazenamento dos vinhos. Por esta razão, uma adega é o mais recomendado.

 

2. Considere o tamanho da adega

Aprender como escolher adega envolve uma certa matemática.

Existem adegas com capacidade de de 4 a 300 vinhos (algumas com até mais do que isso), logo, é importante que você faça alguns cálculos para saber qual é o tamanho ideal de adega para sua necessidade.

Considere algumas variáveis como:

Com uma adega é provável que seu volume de compras aumente, logo tente fazer algumas projeções de futuro. Modelos de adegas que armazenam 4 ou 8 garrafas possuem bons preços, mas nem sempre são suficientes para quem ama vinho. 

Aplique a fórmula: 

(Compra mensal – consumo mensal) x 12 meses

Se você consome duas garrafas por semana e compra 12 por mês, ao final de um ano deve ter capacidade para armazenar 48 garrafas. Nesse ritmo, ao final de dois anos esteja preparado para ter quase 100 garrafas em sua coleção.

 

adega-Brastemp-vinho-armazenamento

Adega Brastemp 12 Garrafas com painel touch (Foto: Acervo Pessoal / Telhanorte)

adega-Brastemp-vinho-armazenamento

Adega Brastemp Dual Zone 33 Garrafas (Foto: Acervo Pessoal / Telhanorte)

3. Local e uso da adega

Acima falamos sobre o tamanho da adega. Algo importante a ser considerado antes de definir esse aspecto é compreender qual será o uso da adega e o local em que ela será instalada.

Uma adega de vinho para apartamento, geralmente, tem uma necessidade de armazenar mais vinhos, enquanto uma adega para escritório, que serve para armazenar garrafas abertas para comemorar bons contratos, pode ter um tamanho reduzido.

Fique atento também ao tipo de vinho. Se a adega também foi usada para armazenar vinhos de guarda a tendência é que ela esteja com as prateleiras ocupadas por um longo período de tempo. Logo, será preciso investir em uma adega maior.

Ao escolher o local para a adega considere o tamanho do espaço que você tem para armazená-la. Uma opção bastante atual é optar por uma adega de vinho para cozinha.

4. Mostrador de temperatura

Parece um pequeno detalhe, mas quando falamos sobre vinhos, a temperatura é um elemento delicado, importante e que precisa ser medido e acompanhado. Afinal de contas, a própria necessidade de aprender como escolher adega é um demonstrativo desse cuidado. 

Alguns modelos de adega possuem um mostrador de temperatura do lado de fora para que você possa acompanhar a qualidade da armazenagem sem precisar abrir a adega sempre que precisar dessa informação. Além de ser um importante sinal para alertar sobre possíveis avarias na adega.  

A temperatura ideal para armazenagem do vinho tinto é entre 14 e 18 ºC.

5. Material da porta da adega

É muito comum que você encontre adegas com portas de vidro. Esse material torna as adegas muito elegantes e são excelentes peças de decoração, entretanto, é fundamental que você observe se os vidros são adequados para a manutenção da temperatura do local. 

Se você está pensando em comprar adega de vinho para cozinha ou sala de estar, por exemplo, os vidros da adega devem ser capazes de proteger seus vinhos dos raios UV. 

Além do vidro você também encontra adegas com portas de inox, madeira e outros materiais que protegem dos raios solares.

 

6. Atenção ao espaço das prateleiras

Ao aprender como escolher adega fique atento ao espaço oferecido entre as prateleiras para garantir que elas aceitam diferentes formatos de garrafa, inclusive de espumante, por exemplo.

 

adega-em-casa-armazenamento-vinhos

Adega em casa para armazenar vinhos (Foto: La Ville / Reprodução)

7. Estilo decorativo da adega

Atualmente as melhores adegas de vinho aliam funcionalidade e estética.

As adegas de vinho se tornaram peças de decoração e por isso devem estar inseridas no estilo proposto para o ambiente.

Entre os diferentes modelos de adega de vinho para apartamento você vai encontrar um que esteja alinhado ao seu estilo.

Modernas, com estilo retrô, embutidas em armários ou como parte da organização da cozinha e da sala de estar, sua única preocupação deve ser aliar a beleza da peça à sua funcionalidade.

 

Onde comprar adegas para vinhos? 

Agora que você já sabe como escolher adega é hora de encontrar o modelo que melhor se adapta a sua realidade, de acordo com os critérios que listamos acima e com o melhor custo do mercado. 

Na loja virtual da Telhanorte você encontra um departamento completo de eletrodomésticos que inclui geladeiras, refrigeradores e, claro, as melhores adegas de vinho de marcas tradicionais e certificadas. 

 

Edição por Camila Alexandrino e Stéphanie Durante

O que é climatização de ambientes? Descubra tudo!

| Climatização

 

Nessa matéria, mostraremos para que serve um climatizador de ambientes e quais os benefícios ele pode proporcionar para sua saúde e disposição. Veja!

 

A climatização de ambientes consiste, basicamente, em diminuir ou aumentar a temperatura de um espaço para torná-lo mais confortável e aconchegante. O processo também pode ser usado em uma casa inteira.

O objetivo de climatizar um ambiente é proporcionar uma temperatura agradável para as pessoas que estão nele, sem fazê-las tremer de frio ou suar em bicas. A tecnologia, muito comum em lojas e escritórios, também está disponível para ser instalada em residências.

E a verdade é que estamos passando cada vez mais tempo dentro de casa, inclusive para trabalhar. Aliás, um estudo recente indica que o home office deve crescer 30% após a pandemia do coronavírus.

Um ambiente muito quente ou frio demais pode acabar com sua concentração no trabalho, ou até com o prazer de ler um livro ou assistir um filme no conforto do lar. Por isso, um climatizador de ambiente pode melhorar, e muito, sua qualidade de vida.

Ao final do texto, você vai saber tudo que precisa para instalar essa tecnologia com eficiência em sua casa!

 

Mas, afinal, o que é climatização de ambientes?

Por definição, climatização é o processo de tornar a temperatura de um ambiente agradável para os organismos biológicos que vivem nele. A tecnologia usada para tornar esse processo possível recebe o nome de AVAC.

AVAC é a sigla para aquecimento, ventilação e ar condicionado. Estes três processos são os responsáveis por modificar a temperatura do ar no interior de um ambiente.

Em lojas e escritórios, a climatização é feita por meio de sistemas de ar condicionado, purificação do ar, aquecimento central ou ventilação.

No caso de uma residência, você pode comprar um ar condicionado para aguentar um verão de 40ºC ou aquecedores, para invernos mais rigorosos. Mas você sabia que o climatizador pode ser uma ótima opção para qualquer estação do ano?

 

Sugestão de leitura: Aliás, já sugerimos aqui no blog ideias para ventilação de ambientes. Confira!

 

O que é e como funciona um climatizador de ambiente?

Depois de saber o que é climatização de ambientes, você pode estar se perguntando: mas como um climatizador funciona?

Trata-se de um dispositivo que usa a água para promover a troca de calor com o ambiente. Ao deixar o ar mais úmido, o aparelho torna a sensação térmica do local mais agradável.

 

Climatizador

Climatizador de ar 5V 8W 750ml branco Magic Air Elgin (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Mecanicamente, o climatizador de ar funciona como um ventilador. A diferença é que, em ambientes mais quentes, você poderá usar água gelada ou até gelo para umidificar um espaço.

Outros modelos de climatizador também contam com a função de aquecimento. Se você mora em locais mais frios, um aparelho desse tipo deixará a temperatura agradável todos os meses do ano.

 

Sugestão de leitura: Aqui no blog já ajudamos quem fica na dúvida entre climatizador ou ventilador: o que é melhor? Para saber, basta clicar no link. | Se você também precisa de uma mãozinha para escolher entre climatizador ou aquecedor, clique e saiba mais!

 

Para que serve um climatizador de ambiente?

O climatizador é o aparelho ideal para quem não quer mudanças bruscas de temperatura. Diferente do ar condicionado e do aquecedor, ele apenas climatiza o local, fazendo a sensação térmica baixar ou aumentar de dois a cinco graus.

Alguns modelos possuem purificadores de ar. Ou seja, além de climatizar, esses aparelhos também podem deixar o ar mais saudável, eliminando microrganismos como fungos, bactérias e ácaros.

Há também modelos com a função umidificador, ideais para lugares com baixa umidade do ar. Nesse caso, o aparelho contém um compartimento para a colocação de água gelada e gelo, o que faz com que ele libere gotículas minúsculas de água no ar.

 

Quais são os benefícios de um climatizador de ambiente?

Como vimos acima, os climatizadores não só tornam o ambiente mais agradável, mas também mais saudável. Esse tipo de aparelho é especialmente indicado para pessoas com problemas respiratórios.

Os climatizadores também gastam muito menos energia que o ar condicionado e o aquecedor. Além disso, você não vai precisar isolar o cômodo, fechando portas e janelas, para fazê-lo funcionar.

Outra vantagem é que o aparelho geralmente é portátil. Por ser de fácil transporte, pode ser levado para vários cômodos da casa.

 

Como funciona a climatização de ambientes grandes

Muitas pessoas já se convenceram que o climatizador funciona bem em locais pequenos, mas ainda duvidam da eficácia da climatização de ambientes grandes. Mas, pode acreditar, tamanho não é documento para esses aparelhos.

Vários espaços, como academias, igrejas e shoppings, já usam climatizadores em grandes ambientes para refrescar e melhorar a qualidade do ar. E, mesmo sem um aparelho de grande escala, você não fica na mão se quiser climatizar um cômodo mais extenso.

Para fazer o cálculo para a climatização de ambientes o primeiro passo é verificar quantos metros cúbicos o local possui.

Essa conta é feita com a seguinte fórmula: comprimento x largura x altura.

Em seguida, basta multiplicar o resultado por 30, que é a quantidade de trocas de ar normatizada para os climatizadores.

O número final será o que você deve usar para saber se o local em questão precisará de um ou mais climatizadores. Importante dizer que, além da conta, é fundamental ler com atenção a embalagem ou o manual de instruções dos aparelhos para ter certeza da sua capacidade.

 

Sugestão de leitura: Se a ideia é resfriar o ambiente, veja aqui como escolher os BTUs do ar condicionado.

 

Mais equipamentos para climatização

Agora que você já sabe o que é climatização de ambientes e todos seus benefícios, que tal deixar sua casa ainda mais aconchegante? Além dos climatizadores, esses outros equipamentos podem te ajudar a criar um clima perfeito no seu lar:

 

Ar-condicionado

Ar condicionado Split 12000 BTUS frio 220V Agratto (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Ventilador-de-teto-Led-repelente-com-controle-3-pas-220V-130W-branco-Spirit

Ventilador de teto Led repelente com controle 3 pás 220V 130W branco Spirit (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Aquecedor-de-ar

Aquecedor de ar halógeno A-09 127V 400W e 800W branco Mondial (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Ar-condicionado

Umidificador de ar Mondial ultrassônico Confort Air 4 litros 127V (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Você pode encontrar todos os produtos acima e muitos outros na seção de Climatização do site da Telhanorte. Ou seja, não vão faltar opções para você investir na melhoria do ar que você e sua família respiram.

Visite nossa loja virtual e faça seu pedido. Você pode pagá-lo em até 8x sem juros, através do cartão Telhanorte e ainda tem entrega garantida em todo o Brasil!

 

 

Edição por: Murilo Bonício

Ventilador de teto: 9 dicas para auxiliar na compra

| Climatização

 

Existem diversas opções de ventiladores no mercado, por isso preparamos uma matéria sobre como escolher o ventilador de teto ideal para você!

 

Os ventiladores de teto são excelentes opções para refrescar a casa nos dias quentes, de maneira econômica, principalmente em comparação ao uso de ar condicionado. Entretanto, com as diversas opções e modelos no mercado, é importante que você dedique certa atenção às dicas de como escolher o ventilador de teto ideal para sua necessidade.

Entre os atributos que devem ser analisados na definição de qual o melhor ventilador de teto, estão:

– número de pás;

– velocidade;

– consumo energético;

– desempenho, e mais.

 

Como escolher ventilador de teto: o que analisar antes da compra?

Os diferentes tipos de ventilador de teto possuem características variadas, que vão muito além da escolha estética, por cor ou material. É claro que esses elementos também merecem sua atenção (inclusive falaremos sobre eles nos próximos tópicos), mas não são os únicos, que devem ser considerados. Então, vamos lá!

 

1. Voltagem

Você deve descobrir qual é a voltagem aceita pela instalação elétrica do ambiente em que deseja instalar o equipamento. Existem 3 tipos de voltagens em ventiladores:

– 127V (antigo 110);

– 220V;

– Bivolt – serve para as duas voltagens.

 

2. Área em que vai ser instalado o ventilador

A partir da definição da voltagem necessária para a instalação, passamos para o segundo critério: a área em que o equipamento será instalado. Confira a metragem atendida na caixa ou na descrição do produto. Existem modelos que ventilam:

– até 16 m²;

– até 20 m²;

– até 28 m²;

– acima de 28 m².

Se você não sabe quantos metros quadrados tem o cômodo que irá receber o ventilador, use uma fita métrica para medir a largura e o comprimento do espaço. Multiplique os valores encontrados e o resultado será o valor em metros quadrados.

 

3. Diâmetro do produto

Você não quer que o seu ventilador bata em móveis e demais objetos, correto? Então é importante que, caso o equipamento seja para um local pequeno, você confira o diâmetro do ventilador, para não correr o risco dele não “caber” no cômodo.

Às vezes você pode se apaixonar por um ventilador muito grande, que não é adequado para o local. Evite dor de cabeça e parta em busca de um outro modelo “perfeito”.

 

4. Desempenho

Qual ventilador de teto é mais potente? O primeiro aspecto do desempenho do ventilador é a área que ele vai atender. Nós já falamos sobre isso no tópico 2. O outro atributo relevante para considerar é a taxa de proporção de vazão de ar por segundo. Ela deve ser igual a 10% da medida do cômodo.

Na prática, para um ambiente de 16 m², busque por um ventilador de até 1,6 m³ de vazão por segundo. Essas informações também são encontradas nas descrições e caixas do produto.

 

5. Quantidade de pás

Essa é uma das dúvidas mais comuns sobre como escolher ventilador de teto! Mas para ser sincero, esse é um dos elementos que menos fazem diferença, comparados aos outros que já falamos até aqui.

Existem ventiladores de 2 até 6 pás. Os modelos com mais pás até ventilam mais, entretanto, se você considerar a medida em metros quadrados e o desempenho, que já citamos, as pás não são tão relevantes assim.

O mesmo podemos dizer do material de que elas são feitas. Existem bons e maus plásticos e MDFs, mas, em geral, tanto um como o outro são excelentes opções para a execução da função de ventilar.

 

 

 

Ventilador-de-Teto-Ventisol-Wind-3-pas-127V-130W-Branco-1642561

Ventilador de teto Ventisol Wind 3 pás (Foto: Telhanorte / Reprodução)

 

6. Consumo de energia

A maneira mais simples de garantir a compra de um modelo de ventilador de teto com baixo consumo de energia é conferir o selo Procel.

Um ventilador com eficiência energética de categoria A ou B chega a consumir 4 vezes MENOS energia que os de categoria C e D. Dá pra imaginar o impacto na conta de luz? Este selo também ajuda na garantia da eficiência e da qualidade do ventilador no que diz respeito ao poder de ventilação.

como escolher ventilador de teto

Selo Procel de Economia de Energia

 

 

 

7. Tipo de lâmpada

Os ventiladores de teto possuem outra função além de refrescar o ambiente: iluminá-lo! Entre as principais opções estão as lâmpadas comuns, fluorescentes e as de LED, essa última dispensa a necessidade de comprar lâmpadas, afinal, o LED já está integrado. Uma opção econômica e prática, que pode reduzir ainda mais o consumo do equipamento.

 

8. Modo de acionamento e controle de velocidade

Este tópico não é um dos mais importantes na definição de qual ventilador de teto é melhor, mas pode ajudar você a decidir entre dois ou mais modelos, que atendam às demais especificações.

Alguns ventiladores de teto permitem que você escolha a velocidade da rotação das pás, o que ajuda a controlar a climatização do ambiente. Se puder, opte por um modelo que tenha essa possibilidade.

Você também vai encontrar diferentes formas de acionamento do ventilador, entre elas:

– interruptor na parede;

– controle remoto;

– cordinha;

– aplicativo de celular por bluetooth.

Esse pode ser um diferencial na escolha final.

 

Ventilador-de-teto-com-3-pas-220V-Smart-com-controle-remoto-branco-Aliseu

Ventilador de teto com 3 pás Smart (Foto: Telhanorte / Reprodução)

 

9. Estética

Nós falamos rapidamente sobre o material das pás, mas este aspecto também pode ser um ponto decisivo para a escolha. O modelo e o material usado devem estar alinhados às demais características da decoração que você escolheu para o ambiente.

Esse é um ponto fundamental para você ficar satisfeito com a escolha.

 

Ventilador-de-teto-110V-com-3-pas-Faro-tabaco-e-preto-Ventisol

Ventilador de teto com 3 pás (Foto: Telhanorte / Reprodução)

 

Esperamos que este guia sobre como escolher ventilador de teto te ajude a escolher um modelo que alie:

– baixo consumo de energia;

– bom desempenho;

– climatização ideal do ambiente;

– estética.

Para encontrar os tipos de ventilador de teto que listamos aqui, te convidamos a conhecer a loja virtual da Telhanorte. Aqui você também encontra ventiladores de coluna, mesa e parede, bem como um departamento completo de climatização, com ar condicionado, climatizadores e umidificadores.

Confira nosso outlet e aproveite as melhores formas de pagamento, tudo sem sair de casa!

 

Edição Álvaro Oliveira e Stéphanie Durante

Climatizador ou ventilador: o que é melhor?

climatizador-ou-ventilador-o-que-e-melhor

| Climatização

 

Está na dúvida entre comprar um ventilador ou um climatizador? A seguir, preparamos uma matéria que vai facilitar a sua decisão na hora da compra!

 

Com a chegada do calor muitas pessoas pensam em alternativas que diminuam essa sensação que muitas vezes é extrema.

Dito isso, foi analisado que durante muitos anos, as únicas opções disponíveis no mercado eram o ventilador e o ar condicionado.

Porém, com o passar do tempo, tivemos a chegada dos climatizadores. Opção essa que muitas pessoas levam em consideração na hora de analisar os preços e os benefícios que este aparelho fornece.

A seguir, iremos conceituar cada um deles e pontuar algumas diferenças presentes entre eles.

Climatizadores

Hoje em dia, existem diversos modelos e marcas de climatizadores no mercado, mas todos funcionam basicamente da mesma maneira.

O climatizador tem como função melhorar a temperatura ambiente e a circulação do ar. Isso ocorre, pois as pás internas do aparelho puxam o ar quente do ambiente para seu interior, e a água presente em seu reservatório refresca este ar recebido. Após esse processo o ar resfriado é jogado para o ambiente novamente.

A potência para climatizar o ambiente pode virar de fabricante para fabricante, mas consegue-se uma média de redução de 10ºC e 12ºC na temperatura ambiente com o climatizador.

climatizador-de-ar

Climatizador de ar (Foto: Telhanorte / Reprodução)

 

Ventilador

Os ventiladores possuem uma variedade enorme de tamanhos, potência e modelos — de chão, de teto, de parede, de torre, etc — e funcionam em qualquer ambiente. Sua mecânica é bem simples: as pás ou hélices movimentam o ar com a potência do motor, fazendo-o circular com mais velocidade e melhorando a sensação de calor.

O ventilador não umidifica o ar e a capacidade de redução de temperatura fica na média de 3ºC.

ventilador-customizado

Ventilador (Foto: WESTWING / Reprodução)

 

O que é melhor: climatizador ou ventilador?

Se a maneira como funcionam é semelhante, para escolher entre climatizador ou ventilador recomendamos avaliar os diferenciais que cada um possui como: muda a qualidade do ar? Resfria? Gasta muita energia? É caro?

Cada fator vai ajudá-lo a definir qual o melhor produto para você.

Vantagens do climatizador

a) Umedece o ar ambiente

O principal benefício do climatizador em relação ao ventilador é a sua capacidade de umidificar o ar.

Quando o clima fica muito quente, a umidade relativa do ar diminui e o tempo fica mais seco. Isso afeta muito as pessoas com problemas respiratórios, crianças e idosos.

O climatizador consegue não só umedecer o ar, mas também resfriá-lo proporcionando mais conforto.

b) Baixo custo

Tanto de aquisição quanto de manutenção, mas em relação ao produto superior: o ar condicionado. A economia pode chegar a até 90%

c) Necessidade básica de manutenção

Os aparelhos de climatizadores são bastante resistentes e não exigem quase nenhuma manutenção durante sua vida útil. 

Como o sistema de filtragem do ar e resfriamento é interno, um componente que precisa ser trocado é a colmeia de celulose. A frequência de substituição geralmente é indicada pelo fabricante. 

d) É portátil

Os climatizadores também tem um processo de instalação prático e ainda existem os modelos móveis com rodinhas que podem ser levados para qualquer lugar. 

Algumas desvantagens do climatizador são:

Não são eficientes em regiões muito úmidas: uma vez que o principal objetivo do aparelho é umidificar o ar;

Não tem potência para grande resfriamento: se o seu objetivo é resfriar significativamente o ambiente, é melhor optar pelo ar condicionado.

climatizadores-de-ar

Climatizadores de ar (Foto: Telhanorte / Reprodução)

 

Vantagens do ventilador

1) Preço competitivo

Pechinchar pelo melhor preço de ventilador não é uma tarefa complicada. A grande variedade de marcas produzindo o produto, cria uma competição de preços bastante econômica para o consumidor final.

Com as vendas onlines, fica ainda mais fácil comparar os preços e as opções de acordo com o que você busca. Comparado ao climatizador, o preço do ventilador é bem menor.

2) Grande variedade de modelos

No quesito tamanho, potência e posição os fabricantes de ventiladores oferecem uma grade enorme de opções.

Qual escolher vai depender do ambiente onde o ventilador será usado. Uma loja, um quarto, uma fábrica? O local de uso/instalação vai determinar qual opção comprar.

Mas uma coisa é certa: opção para escolher não vão faltar!

3) Economia de gastos

Você não vai economizar apenas na compra do ventilador, mas também na energia para fazê-lo rodar. 

Entre climatizador ou ventilador, este último sai na frente, pois como seu sistema de funcionamento é mais simples, exige menos energia. 

Mesmo os ventiladores mais potentes são mais econômicos comparados aos climatizadores. 

Algumas desvantagens do ventilador são:

Não umidifica o ambiente: se o ar está seco e quente o ventilador o fará circular com essas características, podendo se tornar desconfortável;

Não ajuda nas altas temperaturas: em dias muito quentes — como é o caso de muitas cidades do Brasil — o ventilador pode fazer com que o ambiente fique com uma característica mais “abafada”;

Causa alguns desconfortos físicos: como ressecamento dos olhos, barulho quando ligado e mistura de poeira do ar. 

ventilador-de-mesa

Ventilador de mesa (Foto: Telhanorte / Reprodução)

 

Climatizador ou ventilador: a hora da verdade!

Agora você tem um ótimo panorama para escolher entre climatizador ou ventilador. E o melhor é que você não vai nem precisar sair deste site.

Aqui na Telhanorte temos uma seleção completa de aparelhos para Climatização como ventiladores, ar condicionado, climatizador de ar e muito mais. 

Confira nossos preços e ofertas e tire dúvidas com a nossa equipe em poucos cliques pelo WhatsApp. A Telhanorte descomplica tudo para você!

 

Edição: Álvaro Oliveira | Stéphanie Durante

Como escolher os BTUs do ar condicionado

como-escolher-btus-ar-condicionado

| Ambientes Internos

 

Está pesando em instalar um ar condicionado no seu ambiente e não sabe qual a quantidade de BTUs correta? Leia a matéria e descubra!

 

O ar condicionado é uma conquista, principalmente, para quem mora nas cidades mais quentes do país. Mas para que o investimento valha a pena, é importante aprender como escolher os BTUs do ar condicionado.

O valor do BTU refere-se a potência de resfriamento que o aparelho de ar condicionado possui. Assim, você vai encontrar opções variadas no mercado não só em relação ao modelos, mas também a quantidade de BTUs.

Errar na escolha significa ficar com um aparelho com desempenho insuficiente em casa ou no espaço de trabalho ou potente demais, o que transforma o ambiente em uma filial do Polo Norte. 

Para te livrar de um investimento furado, montamos um guia prático de como escolher os BTUs do ar condicionado com tudo que você precisa considerar antes de comprar.

Confira a seguir.

 

Guia prático de como escolher os BTUs do ar condicionado

Antes de nos aprofundarmos nos critérios vamos definir rapidamente o que é um BTU.

 

O que é BTU?

BTU é a sigla para British Thermal Unit, em português, Unidade Térmica Britânica.

É uma unidade de medida que mostra qual é a potência de refrigeração de um aparelho de ar condicionado.

Quanto maior o número de BTUs, maior é a sua capacidade de deixar o ambiente mais gelado e vice versa.

Mas a potência necessária para identificar a quantidade de BTUs que um aparelho deve ter, leva em consideração diversos fatores. 

Nunca escolha aleatoriamente um modelo! Conheça os fatores que você deve analisar para escolher o ar condicionado.

 

Critérios para escolher os BTUs do ar condicionado

 

fatores-para-escolher-btu-ar-condicionado

(Foto: Pixabay / Reprodução).

 

1- Tamanho em m2 e exposição ao sol do ambiente

O primeiro fator que você deve analisar para escolher os BTUs do ar condicionado é o tamanho, em metros quadrados, do espaço e o período de exposição solar — apenas pela manhã ou o dia todo. 

Isso é importante porque em ambiente grandes em que bate sol o dia todo, por exemplo, será preciso um aparelho mais robusto para resfriar o local; diferente de um quarto pequeno onde bate sol apenas pela manhã, que precisará de um aparelho mais simples.

Na tabela abaixo, você pode conferir a relação entre área e luz solar de um ambiente para escolher os BTUs do ar condicionado.

 

fatores-para-escolher-btu-ar-condicionado

(Tabela: Acervo Telhanorte).

 

2 – Quantidade de aparelhos eletrônicos

Esse fator é importante para escolher os BTUs do ar condicionado, especialmente para empresas.

Os eletrônicos produzem calor e por isso sua quantidade interfere na temperatura ambiente. Assim, uma sala empresarial cheia de computadores, por exemplo, pode elevar a capacidade de BTUs necessários para o ar condicionado cumprir o seu papel.

 

3 – Quantidade de janelas do espaço

Esse já é um fator de influência tanto para casas quanto espaços comerciais para escolher os BTUs do ar condicionado.

As janelas permitem mais entrada de luz natural, mas também são uma passagem para a luz solar que aquece o ambiente, dependendo do tempo que o sol bate no local. As cortinas e persianas podem ajudar a bloquear a luz solar e também impactar na potência necessária do ar condicionado.

 

4 – Quantidade e tipos de lâmpadas

O acerto na hora de escolher os BTUs do ar condicionado também está em detalhes pequenos como o volume de lâmpadas e de quais tipos elas são.

As luzes produzem calor, principalmente as antigas na versão incandescente. Então, se elas forem a fonte principal de iluminação do ambiente, vão interferir diretamente na temperatura da sala. Por isso, também devem ser consideradas.

As lâmpadas fluorescentes (frias) e LED, além de serem mais econômicas, podem contribuir para que não seja necessário um ar condicionado tão potente. 

 

Como calcular os BTUs do ar condicionado

Você pode seguir a tabela do item 1, mas também é possível fazer o cálculo a mão, adicionando os fatores que citamos acima. 

Em média são necessários de 600 a 800 BTUs por metro quadrado. Quando o espaço recebe recebe luz solar o dia todo, usa-se como referência 800 BTUs.

Faça a medida do cômodo em metros quadrados e multiplique pelo número de BTU como explicamos acima.

A quantidade de pessoas no ambiente também vai impactar no resultado final. Assim, a cada pessoa – acima de 1 usuário – adicione mais 600 ou 800 BTUs, considerando a característica do espaço.

Como exemplo, vamos imaginar uma micro empresa em uma sala comercial de 20 m2 na qual trabalham quatro pessoas. Não bate sol no local. A conta para calcular os BTUs do ar condicionado é:

(600 x 20) + (3 x 600) = 13. 800 BTUs

 

Um ar condicionado com essa capacidade será capaz de refrigerar o espaço com eficiência. 

Também é possível encontrar simuladores online que fazem o cálculo automático dos BTUs e ainda indicam os melhores modelos. Basta seguir o passo a passo e selecionar as características do local de instalação.

Mesmo considerando todos os fatores acima, não descarte a ajuda de um técnico de instalação de ar condicionado. Esse profissional vai orientá-lo tanto a escolher os BTUs do ar condicionado corretamente como sobre a viabilidade de instalação, os materiais que você vai gastar, lembrá-lo de checar as regras do condomínio sobre a fachada, etc.

 

Sugestão de leitura: Tipos de ar condicionado: 4 opções de aparelhos residenciais. Leia a matéria e aprenda!

 

Conheça as melhores opções de ar condicionado!

Agora chegou a melhor parte: comprar o ar condicionado perfeito para sua casa ou para sua empresa/estabelecimento comercial!

É só entrar na sessão de Ar Condicionado no site da Telhanorte e fazer sua compra! Seu pedido chega na sua casa com conforto e segurança, pronto para ser instalado.

Confira também outras opções de Climatização disponíveis no site e também tudo que você precisa de materiais de construção.

 

Edição por: João Victor Quintino e Murilo Bonício