construção | Blog Telhanorte

Parede de chapisco: como pintar?

parede-chapisco-impermeabilizacao-pintura-cor-argamassa-decoracao-acabamento

| Área Externa

 

Entenda como pintar uma parede de chapisco usando dois métodos diferentes e confira dicas para organizar o serviços antes, durante e depois da pintura.

 

Acabamento em chapisco não é sinônimo de parede mal acabada. Por isso é importante aprender como pintar parede de chapisco da melhor forma, levando em consideração alguns detalhes, tanto para agilizar o serviço, quanto para fazê-lo da forma correta. 

O chapisco é uma argamassa feita geralmente de cimento e areia e é aplicado direto na alvenaria, formando uma camada irregular sobre a parede.

Sua função é dar mais aderência ao reboco, mas ele também funciona como acabamento final para paredes em áreas externas, como muros. Costuma-se também aplicar um impermeabilizante na argamassa do chapisco, a fim de evitar infiltrações, uma vez que os muros ficam expostos no ambiente. A maioria das pessoas prefere pintar o chapisco, para dar um acabamento mais bonito e harmonioso.

Apesar da superfície irregular do chapisco ser mais trabalhosa de pintar, a tinta adere sem dificuldades. Assim, confira agora nossas dicas para realizar a pintura de superfícies de chapisco.

Boa leitura!

 

parede-chapiscada-chapisco-cinza-textura-pintura-como-pintar

Parede chapiscada (Foto: Deposit Photos / Reprodução).

 

Guia de como pintar parede de chapisco

 

1. Forre o chão próximo à parede

Pintar paredes sempre gera uma bagunça. Assim, como em qualquer outro processo de pintura, forre o chão próximo à parede de chapisco com uma lona preta ou folhas de jornal. Além de proteger o piso dos respingos de tinta, você ganha uma superfície para trabalhar e poder apoiar os outros materiais.

 

2. Escolha uma tinta para parede externa

Para prolongar a vida útil da pintura e manter a cor viva e bem acabada por mais tempo, use uma tinta própria para parede externa. Caso seja um muro, as cores escuras são mais recomendadas, como alguns tons de cinza. Mas você também deve considerar o ambiente como um todo, para escolher a cor que melhor harmonize com o conjunto da obra.

 

muro-chapisco-pintura-tinta-pintar-cinza-parede-rua

Muro de chapisco pintado de cinza (Foto: Chácara Justo / Reprodução).

 

Sugestão de matéria: Confira em nosso blog Quais os Principais Tipos de Tinta para Parede e aprenda Como Escolher a Cor para Parede de Cada Cômodo

 

3. Faça a diluição da tinta

Para render a aplicação, o recomendado é diluir a tinta, ao pintar a parede de chapisco. As tintas à base de água são diluídas em água e as tintas a óleo são diluídas em aguarrás.

Dependendo do método de pintura escolhido para fazer a pintura, a proporção de diluente necessária varia. Para pintura com trincha ou broxa, a proporção do diluidor varia entre 10 e 20%. Para pintura com pistola compressora, a tinta precisa estar mais diluída, para passar pelo canal da ferramenta. Então a proporção de diluentes é entre 20 e 30%

Atenção: É muito importante que você confira as orientações na embalagem da tinta escolhida, para poder fazer a diluição de maneira correta!

 

4. Escolha o método de pintura

As duas formas mais eficientes de fazer a pintura de chapisco são utilizando:

– Trincha ou broxa;

– Pistola com compressor.

Atenção: Pintar a parede chapiscada apenas com um rolo não traz bons resultados, porque a tinta não adere nas reentrâncias da parede e o acabamento não fica uniforme.

 

Confira em nossa loja: Acessórios para Pintura

 

5. Aplique a tinta 

O processo de pintar a parede de chapisco com trincha ou broxa vai exigir força no braço, mas o resultado é uma pintura homogênea com apenas uma demão. Escolha uma trincha ou uma broxa grande, para ter mais eficiência no preenchimento de toda a parede. Use uma bandeja de pintura para manusear a tinta com maior facilidade. 

Apesar de não recomendarmos o uso exclusivo do rolo para a pintura, uma boa dica é utilizar ele como um auxiliar para a aplicação com a broxa, evitando que a tinta escorra pela parede. O processo é simples: primeiro você espalha a tinta utilizando-se da broxa e, antes que ela seque, você passa o rolo na área pintada, fazendo com que o excesso de tinta se espalhe ou seja absorvido pelo rolo.

Já no caso da pistola compressora, além da também ficar uniforme, a pintura por meio dela é mais rápida. No entanto, são necessárias geralmente duas demãos. Além disso, vale dizer que o preço de uma pistola compressora é mais elevado que o de uma trincha ou da broxa.

 

6. Aguarde a secagem

Depois de aplicar a tinta em toda a superfície da parede, é só aguardar o tempo de secagem necessário para conferir o resultado da pintura.

 

Dicas para pintar parede chapiscada

– Como se trata de uma pintura externa, escolha um dia de tempo firme e ensolarado para fazer a pintura do muro. Assim, você evita a chuva e outras intempéries que podem prejudicar o resultado;

– Se você usar a pistola compressora, mantenha a mesma distância (de 20 a 25 cm) da parede durante a pintura, para garantir um acabamento homogêneo na aplicação da tinta;

– Use luvas de proteção para manipular a tinta e fazer a diluição sem sujar as mãos. É importante especialmente se for utilizada tinta à base de óleo, que é diluída com aguarrás e pode sensibilizar a pele;

– Coloque também um colete de proteção, ou uma roupa velha, para evitar que os respingos manchem as roupas;

– Para evitar que partículas invisíveis entupam o bico da pistola compressora, é recomendado filtrar a tinta com um filtro adequado, seguindo as orientações do manual de instrução do objeto;

– Coloque o bico da pistola compressora na posição vertical para ter mais agilidade na aplicação da tinta durante a pintura da parede;

– Limpe todos os acessórios ao final do trabalho. A tinta à base de água é mais fácil de ser removida dos acessórios. A tinta a óleo pode ser removida com aguarrás;

– Deixe os pincéis secarem ao ar livre antes de serem guardados, para evitar o surgimento de mofo.

 

Gostou das dicas?

Se você tem uma parede chapiscada em casa e quer dar um acabamento diferente para ela, siga o passo a passo e as dicas acima para acertar na pintura!

Confira no site da Telhanorte as opções de Tintas e Corantes e também de Acessórios para Pintura para ter produtos de qualidade no acabamento da sua casa!

 

Edição por: Vinicius Marques e Murilo Bonício

Rodapé: confira os modelos e aprenda como embutir

rodape-estrutura-piso-parede-embutido

| Ambientes Internos

 

Conheça os principais tipos de rodapé e para que servem. Confira como instalar o rodapé embutido e quais as vantagens e desvantagens

 

Há quem opte por não usar o rodapé na construção ou reforma da casa. A escolha é realmente sua, mas, para quem gosta, o rodapé oferece suavidade no arremate do piso com a parede. Além de proporcionar um acabamento de qualidade e ser esteticamente bonito, sua principal função é a de proteção da base da parede contra impactos e produtos que possam danificá-la, como vassouras, rodos, aspirador de pó, cadeiras, móveis, água e produtos de limpeza.

Hoje em dia, há uma enorme variedade de modelos de rodapé no mercado, dos mais discretos aos mais sofisticados, com diferentes tipos de materiais, formatos, tamanhos, texturas, cores. 

Rodape-10cm-Moderna-24-metros-por-caixa-branco-Santa-Luzia

Rodapé de 10cm Moderna 2,4 metros branco Santa Luzia (Foto: Acervo / Telhanorte).

 

Além disso, dependendo do material que será usado, o rodapé tem outra função importante: ele é usado para embutir, proteger e esconder fiação e cabos – fazendo com que o ambiente se torne mais clean.

As três principais formas de instalação são:

Rodapé Convencional ou Sobreposto: é o tipo de rodapé mais comum e utilizado – e de menor custo também. É colocado de forma sobreposta à parede, marcando um certo relevo em sua base.

Rodapé Invertido: é conhecido por esse nome justamente pelo fato de sua instalação ser ao contrário daquela de um rodapé convencional. Ou seja, ao invés das peças ficarem em relevo para fora da parede, o rodapé é instalado dentro de uma cava feita na base, demarcando um recuo interno da parede. Esta instalação faz com que a parede pareça estar “flutuando”, sem tocar o chão.

Rodapé Embutido: é colocado de forma que o rodapé fique no mesmo nível da parede, sem nenhum relevo ou recuo considerável. Suas peças acompanham o alinhamento da parede. Logo abaixo veremos como é feita a sua instalação.

 

Confira em nossa loja virtual: Rodapés

 

 

Como instalar um rodapé embutido?

Esse tipo de rodapé necessita um pouco mais de cuidado do que o rodapé convencional na hora da instalação. Por ser alinhado à parede, o profissional responsável pela instalação deverá deixar a parte debaixo da parede sem reboco, encaixar o rodapé nesse espaço e só então finalizar o acabamento.  Dessa forma, não ficará visível nenhuma borda do rodapé.

Vale lembrar o quanto é importante escolher materiais de qualidade e profissionais qualificados para desenvolver todo o trabalho de construção ou reforma da casa, escritório ou estabelecimento comercial. 

O processo para colocar o rodapé embutido pode seguir as seguintes etapas: 

1. Defina o piso que será colocado, de acordo com o projeto estabelecido; 

2. Defina qual a altura do rodapé que você deseja colocar;

3. Meça toda a extensão, para verificar a metragem de rodapé que será necessária;

4. Definido esses três passos anteriores, compre o rodapé da sua escolha

5. Caso seja possível, solicite o corte do rodapé em uma marmoraria (no caso de rodapés de mármore, cerâmica ou porcelanato), pois assim o corte ficará mais preciso, evitando o desperdício de peças.

 

Depois de comprar o seu rodapé e definir o que será feito, recomendamos que o profissional escolhido siga os passos abaixo:

1. Prepare a parede normalmente, rebocando-a;

2. Deixe um espaço no final da parede sem reboco, perto do piso, para que você possa encaixar o rodapé, de forma a ficar embutido na parede;

3. Faça uma impermeabilização do alicerce da parede e do lado externo do rodapé;

4. Utilize uma massa de cimento, ou argamassa, ou até mesmo colas especiais com alto poder de fixação;

5. Preencha toda a estrutura do rodapé, a fim de evitar quebras posteriores;

6. Use espaçadores como base entre o chão e a parte inferior do rodapé para criar espaços que deverão ser preenchidos com o rejunte;

7. Termine o reboco da parede, não se esquecendo de proteger o rodapé já colocado;

8. Aplique então o rejunte, unindo e finalizando todas as peças;

9. Aguarde a completa secagem (cura);

10. Depois do rodapé estar instalado e a parede rebocada e preparada, já pode seguir para a pintura!

 

No caso de uma obra finalizada, com as paredes prontas, para embutir um novo modelo, o profissional deverá criar um espaço na parede para o rodapéSerá preciso “descascá-la”, tirando todo o reboco exatamente no local em que será embutido o rodapé. O restante do processo é o mesmo, já descrito acima. 

 

Vantagens no uso do rodapé embutido

Entre as vantagens de usar o rodapé embutido, podemos citar: 

1. Permite uma melhor ocupação dos espaços, uma vez que os móveis podem ser bem encostados na parede;

2. Protege a parede dos impactos na hora da limpeza;

3. Protege contra umidades;

4. A depender do modelo, pode impedir o acúmulo de poeira, uma vez que suas bordas estão embutidas na parede, facilitando assim a limpeza;

5. Disfarça possíveis imperfeições;

6. Proporciona uma sensação de continuidade entre parede e acabamento;

7. Pode ser usado também como elemento decorativo, ajudando a emoldurar o ambiente;

8. Transmite a sensação de modernidade e amplitude do ambiente.

 

Desvantagens no uso do rodapé embutido

1. É preciso bastante cuidado com os móveis rentes à parede, para que a mesma não sofra nenhum desgaste e seja danificada;

2. Por ser um processo mais trabalhoso, a instalação do rodapé embutido acaba por gerar um gasto maior com a mão de obra;

3. Por exigir uma maior preparação na instalação do rodapé embutido, o tempo gasto na instalação também aumenta. 

 

Gostou das dicas?

Esperamos que tenhamos conseguido esclarecer suas dúvidas sobre os diferentes modos de instalação do rodapé e sobre como colocar o rodapé embutido. Na loja virtual da Telhanorte, você encontra um setor de acabamentos para piso com rodapés e soleiras de porta, além dos departamentos de pisos e revestimentos, tintas e muito mais. 

 

Edição por: Vinicius Marques e Murilo Bonício

Cumeeira: o que é e para que serve

telhados_residenciais-cumeeira-telha-barro-manta-cobertura-casa

| Materiais de Construção

 

Entenda a funcionalidade das cumeeiras de telhado e encontre o modelo ideal para o seu tipo de telha

 

Elemento essencial da construção, juntamente das telhas, calhas e rufos, a cumeeira é responsável por fazer a cobertura dos encontros de águas do telhado. As águas são as superfícies, normalmente inclinadas, de um telhado e possuem a principal função de fazer com que a água da chuva escoa. Pode-se ter telhas com uma, duas, três ou até quatro águas, além de ser possível sobrepor águas de telhas, de acordo com o projeto da obra.

 

telha-zinco-telhado-duas-aguas-cumeeira-cobertura-casa

Telhado de zinco com duas águas (Foto: RS Architektura / Reprodução)

 

Nessa junção das águas, as peças da telha não são ligadas umas às outras e se forma uma fresta entre elas. Para evitar vários tipos de infiltrações e vazamentos e até a entrada de animais, é preciso que esse vão seja selado pela cumeeira. A cumeeira também impede a entrada dos raios solares, contribuindo para o conforto térmico da residência. O seu uso só pode ser dispensado, caso o projeto do telhado não formar vãos nos encontros de superfícies, como no caso dos modelos embutidos.

 

Sugestão de matéria:  Conheça 8 Tipos de Telha, Tipos de Infiltração, Principais Tipos de Forro para Teto, Tipos de Manta Impermeabilizante e aprenda Como Tirar o Mofo da Parede

 

Além da proteção da casa, a cumeeira ainda exerce um papel importante para reforçar a estrutura do telhado. Como a cobertura é formada por materiais que não podem ser expostos a sol e chuva, a cumeeira impede o desgaste e garante a durabilidade não só da parte superior, mas de toda a casa.

 

Modelos de cumeeira

Cumeeira lisa

O formato dessa cumeeira pode se adaptar à maioria dos tipos de telha, conseguindo inclusive transpor ondulações.

cumeeira-lisa-ceramica-telha-telhado-agua-cobertura

Cumeeira lisa (Foto: Terreal Italia s.r.l. / Reprodução)

 

Cumeeira lisa dentada

Esse modelo também tem a superfície lisa e deve ser usado em topos. O diferencial são seus dentes, que se encaixam nos espaços inferiores de cada telha.

cumeeira-lisa-dentada-telhado-telha-agua-cobertura

Cumeeira lisa dentada (Foto: Thermi Telhas / Reprodução)

 

Cumeeira shed

É normalmente utilizado em fábricas e galpões, mas também vem conquistando espaço em projetos residenciais. Ideal para os telhados em forma de serra, a cumeeira shed também pode ser usada em alpendres.

Este tipo de cumeeira também possui um modelo dentado, para oferecer um encaixe reforçado.

 

telha_cumeeira_shed_esquerda-1000x1000

Cumeeira shed (Foto: FixLar / Reprodução)

 

Cumeeira perfil

Também colocada no topo da construção, a cumeeira perfil é para os casos em que se deseja deixar o acabamento da cumeeira bem discreto. Seu formato e ondulações se ajustam perfeitamente ao modelo do telhado, não se destacando assim do demais conjunto da telha.

 

Cumeeira universal

A cumeeira universal é ideal para os casos em que não é possível determinar o ângulo exato do telhado. Esse modelo tem a vantagem de se ajustar a inclinações de 10 a 30 graus.

Cumeeira-universal-Telha-Ondulada

Cumeeira universal (Foto: Eternit / Reprodução)

 

Cumeeiras de materiais diferentes

Cumeeira de cerâmica

A cumeeira de cerâmica é uma das mais tradicionais para residências. Vale dizer que o ideal é sempre instalar cumeeiras do mesmo material e modelo das demais peças do telhado, para garantir a totalidade de suas funções e oferecer um visual harmônico.

Telha-cumeeira-de-ceramica-41x21cm-10mm-vermelha-resinada-Barrobello

Telha cumeeira de cerâmica 41x21cm 10mm vermelha resinada Barrobello (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Cumeeira de fibrocimento

A cumeeira para telha de fibrocimento geralmente são utilizada apenas em telhados do mesmo material. Esses modelos não são esmaltados e, por isso, têm menos opções de cores.

Telha-cumeeira-de-fibrocimento-110x42cm-6mm-Universal-cinza-Brasilit

Telha cumeeira de fibrocimento 110x42cm 6mm Universal cinza Brasilit (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Cumeeira metálica

A cumeeira metálica garante uma proteção extra contra danos físicos e químicos ao telhado. Dentro deste grupo, você tem opções como cumeeira de zinco, cumeeira de aço galvanizado e até cumeeira de alumínio.

 

cumeeira-metalica-telha-telhado

Cumeeira metálica (Foto: FixLar / Reprodução)

 

Cumeeira de PVC

A cumeeira de PVC é uma das mais usadas devido à diversidade de cores e modelos, assim como pela durabilidade e leveza. Por outro lado, esse tipo de cumeeira não combina com todos os projetos arquitetônicos.

img_cumeeira_espigao_montada_plan_ceramica-400x284-pvc

Cumeeira de PVC (Foto: Precon / Reprodução)

 

Cumeeira de fibra vegetal

Os materiais ecologicamente corretos também podem ser usados nas cumeeiras. O modelo de fibra vegetal, por exemplo, gera menos impacto ao meio ambiente.

Telha-cumeeira-de-fibra-vegetal-200x45cm-3mm-marrom-Onduline

Telha cumeeira de fibra vegetal 200x45cm 3mm marrom Onduline (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Outros materiais

Também há disponíveis no mercado outros materiais como barro e polipropileno. Além disso, é possível encontrar cumeeira transparente ou translúcida para aplicar em telhados de vidro ou policarbonato.

 

Encontre sua cumeeira na Telhanorte

Na seção de Telhas do site da Telhanorte, você encontra várias opções de cumeeiras para concluir a construção do seu telhado. Visite nossa loja virtual para encontrar os melhores produtos com ótimos preços. E não se esqueça que a Telhanorte realiza entregas em todo o Brasil. Você só vai ter o trabalho de escolher sua cumeeira, colocá-la no carrinho virtual e efetuar o pagamento — que pode ser feito em até 8 vezes sem juros.

 

Edição por Vinicius Marques e Stéphanie Durante

Conheça 8 tipos de telha para a casa

telhas-resistencia-chuva-modelos-diferentes-melhor-cobertura-casa-area-externa-cor-ceramica

| Área Externa

 

Confira nossa lista e descubra os prós e os contras de cada modelo

 

Mesmo sendo uma das últimas etapas da obra, é fundamental ter em mente o modelo do telhado desejado desde o início do projeto. Afinal, dependendo da solidez da estrutura da casa, você não poderá optar por qualquer tipo de cobertura. Para não ter surpresas desagradáveis no final da obra, ou custos inesperados, a dica é pesquisar as melhores telhas para coberturas de casas antes mesmo de assentar o primeiro tijolo!

Pensando nisso, preparamos uma lista com algumas das principais telhas existentes no mercado, para te ajudar a escolher o melhor telhado para sua casa e áreas externas. Confira!

 

Telhas para cobertura de casas

1. Telha de cerâmica

Também conhecida como telhas de barro, ela é o tipo mais tradicional de telha da construção civil brasileira. Sua popularidade pode ser explicada pela boa relação custo-benefício e por combinar com os diferentes climas de um país extenso como o nosso. Outra vantagem da cerâmica é que você não gastará muito tempo com limpeza ou manutenção. Por outro lado, esse tipo de telha é pesado e demandará uma estrutura bem resistente, o que poderá se refletir em um custo total da obra mais caro.

Há diversos modelos de telhas de cerâmica, como as esmaltadas, que aumentam a resistência e oferecem mais possibilidades de cores. Já para quem quer economizar energia e optar por algo mais sustentável, existem as telhas fotovoltaicas, com painéis solares embutidos em cada peça.

 

Telha-portuguesa-de-ceramica-39x24cm-10mm-Realeza-vermelha-resinada-Barrobello

Telha portuguesa de cerâmica 39x24cm 10mm Realeza vermelha resinada Barrobello (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

2. Telhas de fibrocimento

Depois da proibição do amianto, por seu alto risco à saúde, o fibrocimento virou a principal opção para quem quer gastar pouco. Por serem maiores, você vai precisar de poucas delas para cobrir uma casa. Além de mais barato, o material também é resistente e leve. Ou seja, o fibrocimento não exige uma estrutura muito reforçada para ser instalado. Pode ser pintado com tinta acrílica, mas desde que de acordo com as recomendações dos fornecedores.

No entanto, é exatamente essa leveza que vai exigir maior cuidado na hora da instalação, para evitar problemas com ventanias e chuvas fortes. Vale dizer que, se você seguir as orientações de profissionais e fabricantes corretamente, a capacidade de adequação térmica dessa telha se equivale à das telhas cerâmicas.

 

Telha-ondulada-de-fibrocimento-153x110cm-5mm-Residencial-cinza-Brasilit

Telha ondulada de fibrocimento 153x110cm 5mm Residencial cinza Brasilit (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Telhas betuminosas

Feitas de materiais à base de betume, o mesmo presente no asfalto, as telhas betuminosas são muito utilizadas nos Estados Unidos e na Europa. A resistência do material e a facilidade de instalação e manutenção também estão conquistando cada vez mais os consumidores brasileiros. Por conta da qualidade do material, o preço tende a ser superior ao de outras opções. Além disso, por serem maleáveis, essas telhas exigirão uma base bem sólida.

 

Telha-ondulada-betuminosa-195x96cm-3mm-Stilo-3D-vermelha-Onduline

Telha ondulada betuminosa 195x96cm 3mm Stilo 3D vermelha Onduline (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

4. Telhas metálicas

Os modelos metálicos de telha para cobertura residencial se destacam pela resistência, durabilidade e leveza. As galvanizadas, feitas com aço e revestidas por alumínio e zinco, têm a vantagem de impedir a corrosão, mas absorvem muito calor. No quesito isolamento térmico, a melhor opção entre as telhas metálicas são as gravilhadas, com um acabamento em cerâmica. Mas a funcionalidade e a beleza desse modelo poderá fazer com que mais com seu telhado.

 

telha-ondulada-metalica

Telha metálica (Foto: Soufer Ind / Reprodução)

 

5. Telhas ecológicas

Uma das alternativas ecologicamente corretas para seu telhado são as telhas de fibra vegetal. Produzida a partir de fibra de celulose, além de sustentável, esse modelo é resistente e de fácil instalação. Outra opção sustentável, e também muito resistente, são as telhas feitas a partir de garrafas PET.

Telha-cumeeira-de-fibra-vegetal-200x45cm-3mm-vermelha-Onduline

Telha cumeeira de fibra vegetal 200x45cm 3mm vermelha Onduline (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Sugestão de matéria: Está pensando em adotar medidas sustentáveis em sua casa? Então confira: 7 dicas de decoração sustentável, para deixar a sua casa incrível e ainda colaborar com o meio ambiente!

 

Telhas para cobertura externa

Agora que já vimos as melhores telhas para a cobertura de casas, confira algumas dicas de telhas para a varanda e demais áreas externas.

 

6. Telhas de policarbonato

Quem está à procura de telhas para a cobertura da garagem, por exemplo, encontrará no policarbonato uma opção ideal para iluminar o ambiente e proteger o carro. Afinal, esse material permite a passagem de luz, mas possui proteção contra raios ultravioleta.

Telha-romana-de-policarbonato-41x22cm-2mm-transparente-Atco

Telha romana de policarbonato 41x22cm 2mm transparente Atco (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

7. Telhas de polipropileno

Já o polipropileno é nossa dica para quem busca telhas para a cobertura de varandas ou terraços. Esse modelo é feito de resinas plásticas, muitas vezes oriundas de reciclagem e reutilização. Ele permite a passagem de iluminação natural e ainda pode ser combinado a outros tipo de telhas, para caprichar na decoração.

 

telha-polipropileno-onda-modelo-plastico-area-externa-resistente

Telha de polipropileno (Foto: Telhas e Cia / Reprodução)

 

8. Telhas de vidro

A cerâmica é o material mais comum nas telhas para cobertura de churrasqueira, mas o vidro é uma opção que vem ganhando força, por permitir a entrada de luz natural. A grande desvantagem é que esse tipo de telha pode trincar e quebrar com facilidade e exige limpeza frequente para garantir a transparência.

 

Telha-plana-de-vidro-40x21cm-75mm-Texturada-transparente-Ibravir

Telha plana de vidro 40x21cm 7,5mm Texturada transparente Ibravir (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Agora que você já leu sobre as melhores telhas para a cobertura de casas áreas externas, é hora de visitar a seção de Telhas, Calhas e Rufos do site da Telhanorte para fazer sua escolha. Você também encontrará muitas opções de calhas e rufos para construir ou reformar seu telhado.

Veja também nossa seção de Parafusos para Telha e outros acessórios para a cobertura residencial.

Acesse nossa loja virtual com milhares de materiais para a construção da sua casa, encontre o modelo mais adequado para sua obra, faça a encomenda e receba tudo no conforto da sua casa!

 

 

Edição por Vinicius Marques e Stéphanie Durante

 

Forros: conheça os principais modelos

285105-teto-rebaixado-com-gesso-e-iluminacao-vale-a-pena-investir-1280x640

| Ambientes Internos

 

Entenda quais as funcionalidades do forro para o teto e descubra mais sobre os forros de gesso, PVC, cimento e madeira

 

Além de ter a importante função estética de abrigar fiações, vigas e dutos elétricos, o forro também tem como missão fornecer conforto térmico e acústico para o ambiente. Por isso, é importante que você faça a escolha com cuidado. É preciso conhecer as características, pontos positivos e negativos de cada uma das opções.

O conforto térmico é, como o próprio nome diz, a sensação de conforto provocada pela temperatura de um determinado ambiente. Em locais com bom conforto térmico, pode-se passar longas horas ali sem sentir sensações extremas de frio ou calor.

Já o conforto acústico existe quando o ambiente permite boa compreensão da fala ou dos sons ali criados, ao mesmo tempo em que isola com sucesso os sons externos indesejáveis ao ambiente, proporcionando uma sensação de bem-estar.

 

Sugestão de matéria:  Conheça 8 Tipos de Telha, Tipos de Infiltração, Tipos de Manta Impermeabilizante e aprenda Como Tirar o Mofo da Parede

 

Escolhendo de forma correta o melhor tipo de forro, é possível alcançar os níveis de conforto térmico e acústico perfeitos para cada ambiente, além de incrementar o design do espaço com revestimentos repletos de estilo.

A seguir, falaremos sobre as particularidades dos principais forros existentes no mercado. Acompanhe e escolha o seu!

 

1. Gesso

Extremamente popular e atemporal, o acabamento em gesso pode conferir estilo e requinte ao ambiente, especialmente se falarmos em projetos com rebaixamento.

O tipo de forro em gesso é conhecido de duas diferentes formas: tradicional, cujo acabamento é feito por meio de placas de gesso encaixadas lado a lado e presas com uma estrutura de arame, e drywall, opção de instalação rápida e fácil, na qual as placas de gesso acartonado são dispostas sobre uma estrutura de metal. As placas de gesso tradicionais são mais sensíveis e podem apresentar trincas e rachaduras com relativa facilidade, enquanto que a peça de drywall, além de mais resistente, é mais fina, leve e gera menos sujeira durante a obra.

Entre as principais vantagens do gesso estão a possibilidade de criação de projetos de iluminação embutida, seu ótimo isolamento acústico e térmico e a facilidade de limpeza e manutenção.

É importante dizer que instalar forros de gesso no teto de banheiros costuma trazer diversas dúvidas, pelo fato do gesso ser relativamente sensível à umidade. No entanto, utiliza-se bastante o gesso acartonado nesses casos, não havendo grandes problemas. Já para as paredes e outras áreas do banheiro, que estarão em maior contato com a água, recomenda-se o uso do gesso verde, por conta de sua maior resistência

 

forro-gesso-teto-drywall-iluminacao-cozinha-luz-branco

Forro de gesso em cozinha (Foto: CMR Home Network / Reprodução)ShutterWorx

 

2. PVC

Junto do gesso, o PVC é outro queridinho entre os tipos de forro. Extremamente versátil, ele é recomendado para diversos tipos de projeto. Sua higienização é simples, podendo ser feita apenas com água e detergente neutro e sua durabilidade é alta, sendo o material imune a ataques de cupins e resistente à umidade, tornando-o um material recomendado para áreas como banheiros e áreas de serviço.

Outro ponto positivo do PVC é a facilidade de instalação, apesar de ainda ser necessária a contratação de um profissional. as placas são encaixadas umas às outras e dispensam qualquer tipo de acabamento, como pintura ou verniz. Com inúmeros estilos e aparências (inclusive algumas que disfarçam sua aparência de plástico, como a que simula madeira), o PVC pode ser o forro ideal para ambientes simples ou sofisticados. É também uma opção muitas vezes mais econômica que as demais, apesar do preço variar bastante entre os diversos modelos.

Entre os pontos negativos, estão o baixo poder de isolamento acústico e térmico de boa parte de seus modelos (o que torna necessário aliá-lo a uma manta de lã mineral entre o forro e o telhado) e a baixa resistência a temperaturas elevadas (não sendo, portanto, o revestimento ideal para a cozinha, ou área de churrasqueira). Vale destacar, no entanto, que peças de PVC de maior qualidade poderão apresentar melhor resistência ao calor que as demais.

Forro-PVC-liso-400x20X09cm-5-pecas-puntinato-TWB

Forro PVC liso 400x20X0,9cm 5 peças puntinato TWB (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Forro-PVC-duplodez-400x20X08cm-5-pecas-puntinato-TWB

Forro PVC duplodez 400x20X0,8cm 5 peças puntinato TWB (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Cimento/concreto

Enquanto para alguns, o forro de cimento é uma opção descartável pela sua aparência, para outros, a escolha pode representar um ganho em estilo. Grande aliado do estilo de decoração industrial, o forro em concreto não exige pintura como acabamento, o que torna os custos de instalação mais baixos e acessíveis.

Outra vantagem do cimento ou concreto como forro é sua alta resistência à umidade, sendo um material bastante impermeável.

O grande ponto negativo do forro em concreto é sua grande capacidade de absorver luz, o que tende a tornar os ambientes mais escuros. Nada que não possa ser contornado com um bom projeto de iluminação e algumas luminárias e arandelas bem posicionadas pelo cômodo!

 

forro-concreto-cimento-queimado-aparente-estilo-industrial-moderno

Forro de concreto aparente (Foto: Homify / Reprodução)

 

4. Modular

Queridinho dos espaços corporativos, o forro modular é formado por uma grelha metálica fechada com diversas placas encaixadas sobre sua superfície. Por ser um revestimento sem rejunte ou cola, permite fácil acesso à parte interna do forro, possibilitando a manutenção de equipamentos eletrônicos e demais estruturas.

Apesar de ser uma estrutura facilmente reconhecível (você com certeza já viu escritórios ou repartições com tetos “quadriculados”), sua composição pode ser variada: as placas podem ser feitas de materiais como isopor, PVC, gesso, lã de vidro, metálicos, e por aí vai.

 

Forro-Modular-pvc-gesso-isopor-la-vidro

Forro modular (Foto: Mc Steel / Reprodução)

 

5. Madeira/Lambri

O uso da madeira como forro pode ser feita de diversas formas, como em lambri (no qual tábuas são fixadas internamente nas vigas), de forma aparente, fixadas sobre estruturas externas, entre outros.

Dentre as principais vantagens desse tipo de forro estão a estética do acabamento, que contribui para a sensação de aconchego e harmonia ao ambiente e a possibilidade de uso do material em ambientes internos e externos (lembrando que, nos externos, o recomendado é inserir, nas tábuas, um impermeabilizante para evitar a absorção de água).

 

Forro-de-Madeira-Lambri-Cedro-Marinheiro-Extra-curto-2

Forro de madeira Lambri (Foto: Allmad / Reprodução)

 

Agora que você já sabe quais os tipos de forro para o teto, certamente conseguirá escolher o melhor para compor o seu ambiente. Confira ainda na loja virtual da Telhanorte parafusos e tintas especiais para serem utilizados na instalação e acabamento do forro.

 

Parafuso-p--Forro-de-Gesso-e-Drywall-Phillips-Bicromatizado-c--Bucha-4x50mm-10mm-Placa-de-13-a-23mm-Fixtil-1381709

Parafuso p/ Forro de Gesso e Drywall Phillips Bicromatizado c/ Bucha 4x50mm/10mm Placa de 13 a 23mm Fixtil (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Parafuso-phillips-40x50mm-para-aglomerado-com-bucha-para-forro-de-gesso-e-drywall-PBG-01-Fixtil

Parafuso phillips 4,0x50mm para aglomerado com bucha para forro de gesso e drywall PBG/01 Fixtil (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Tinta-acrilica-Gesso-e-Drywall-branca-36L-Suvinil

Tinta acrílica Gesso e Drywall branca 3,6L Suvinil (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Edição por Vinicius Marques e Stéphanie Durante

Descarte de entulho de obra: como fazer?

entulho-material-construcao-descarte-correto-pedras-cacamba

| Dicas

 

Confira 5 dicas para fazer o descarte de entulho da maneira certa, preservando o meio ambiente e evitando problemas legais

 

Pensando em construir ou reformar? Entre tantos detalhes que envolvem esses processos, o descarte de entulho de obra é um dos pontos que não pode ser negligenciado. Além de contribuir com o meio ambiente, descartar corretamente os resíduos da obra impede que você tenha problemas legais.

Mas se você, assim como a maioria das pessoas, tem dúvidas de qual seria a destinação correta dessas sobras, continue a leitura, que vamos esclarecer todas elas.

 

Como fazer o descarte de entulho de obra corretamente?

O primeiro passo para fazer o descarte de entulho de obra da maneira certa é entender quais materiais são considerados entulho, também chamados de resíduos da construção civil. A resolução 307/2002 do Conama, Conselho Nacional do Meio Ambiente, além de estabelecer todos os procedimentos de gestão da construção civil, orienta que é considerado entulho qualquer material residual de reforma, construção, escavação ou demolição. Na lista, entram materiais como blocos e tijolos, tubulações, madeiras, compensados, fiações elétricas, gesso, plástico, vidro, entre outros.

 

1. Identifique e separe os materiais

Para fazer o descarte correto dos resíduos da sua obra, você deve começar fazendo a separação dos materiais. Isso é fundamental para a destinação certa, pois, alguns são recicláveis e reutilizáveis, outros não.

Assim, o descarte de entulho de obra é dividido por classes:

 

2. Informe-se sobre a legislação local

É importante fazer o descarte de entulho de obra da maneira certa para preservar o meio ambiente, mas também para que você não tenha problemas legais. A lei federal 12.305/2010 que estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), menciona a responsabilidade sobre o gerenciamento dos resíduos de obras e demais prosseguimentos. Além dela, cada município precisa definir suas diretrizes sobre o descarte correto dos entulhos, incluindo o licenciamento dos locais que receberão esses materiais, a reutilização, a reciclagem e o incentivo à redução.

Por isso, é importante que você verifique junto à prefeitura quais as regras para se desfazer dessas sobras. Lembrando ainda que a pessoa responsável pela obra ou reforma também é a encarregada em dar a destinação correta.

 

3. Contrate um serviço de caçamba

A melhor maneira de recolher todo o resíduo da sua obra é centralizar em uma caçamba. A contratação desse serviço é fácil e possível de ser encontrado em diferentes regiões. Trata-se de alugar temporariamente uma caçamba, também conhecida como caixa estacionária, que fica posicionada o mais próximo possível do local da reforma ou construção, geralmente bem na frente.

Mesmo com várias ofertas desse serviço, é fundamental que você verifique se a empresa que pretende contratar está legalizada e licenciada junto à prefeitura. Esse cuidado garante que os resíduos tenham a destinação certa e que não afetem negativamente a natureza.

Contratar uma empresa clandestina coloca a perder todo o trabalho anterior de separação do material e de preocupação com o meio ambiente.

 

4. Atente-se às regras do uso da caçamba

É preciso também atentar-se às regras do uso de caçamba para a coleta de sobras de materiais de construção. Ainda que possa variar dependendo da região, de modo geral, a primeira orientação fica por conta da capacidade de armazenamento, que não deve ser ultrapassada. Caso isso ocorra, há duas opções: ligar para a empresa locadora da caixa estacionária e pedir que retirem os resíduos acumulados, ou contratar duas caçambas.

Neste ponto, chegamos a uma segunda regra, que é referente ao lugar onde esse item ficará estacionado. É preciso respeitar as leis de trânsito e não comprometer a circulação no local. Para evitar esse tipo de transtorno, alguns municípios autorizam a permanência dessas caixas por apenas três dias.

Para finalizar, é fundamental que somente resíduos de construção civil sejam descartados nesses recipientes. O descarte de lixo domiciliar, por exemplo, contamina os materiais e compromete a reciclagem e a reutilização.

 

5. Leve os itens recicláveis para as estações de coleta

Outra opção é recolher os materiais recicláveis e levá-los até as estações de coleta da sua cidade. A nossa dica é que, antes de comparecer a uma estação, verifique quais tipos de materiais são aceitos e qual o volume máximo que pode ser descartado. Fazer o descarte de entulho de obra dessa forma dá ainda mais certeza de que os itens reciclados serão realmente aproveitados.

 

Como evitar desperdícios na sua obra?

Mas além de saber como descartar entulho de obra, que tal dicas de como evitar desperdício e, por consequência, economizar dinheiro?

caçamba-para-coleta-de-lixo

Caçamba (Foto: G1 / Reprodução)

 

Quer saber onde conseguir materiais de construção? É muito simples! Visite uma de nossas lojas físicas, ou acesse a loja virtual da Telhanorte. Nela, você ainda tem a vantagem de comprar on-line, pelo televendas ou pelo WhatsApp.

 

Edição: Álvaro Oliveira | Vinicius Marques

9 ferramentas essenciais para se ter em casa

Ferramentas básicas para ter em casa

| Construção

Muitas situações no dia a dia podem exigir que você tenha acesso a ferramentas básicas para ter em casa como chave de fendas, martelo e alicate.

Esses itens podem te ajudar a consertar seu chuveiro, fazer pequenas manutenções em móveis, trocar válvulas de vaso sanitário e por aí vai…

Se você está em busca de um kit básico de ferramentas domésticas mas não sabe por onde começar, acompanhe a seguir nossa lista com as ferramentas básicas de um kit como esse.

 

Ferramentas básicas para ter no seu kit

1. Jogo de chaves de fenda

Essa é uma das ferramentas básicas para se ter em casa. Provavelmente você já ouviu falar nela: as chaves de fenda.

Caso você não queira ter o kit com os diferentes modelos e tamanhos, pode optar por uma chave média. Entretanto, ter um jogo completo vai garantir que você tenha o modelo adequado para cada situação.

Ao incluir o kit em sua caixa de ferramentas básicas, você pode fazer diferentes manutenções em sua casa, como:

 

jogo-chaves-fenda-tramontina

Jogo de chaves de fenda (Foto: Site Telhanorte)

 

2. Chave Phillips

É um tipo de chave de fenda. Entretanto, a Chave Phillips se caracteriza por ter a ponta fina, em formato de cone.

Assim como a chave de fenda, é usada para apertar ou afrouxar parafusos. É muito usada, também, para manutenção de equipamentos eletrônicos.

 

chave-phillips

Chave phillips (Foto: Site Telhanorte)

 

3. Chave de fenda de teste

A chave de fenda de teste acende uma luz caso haja uma corrente elétrica ativa no local em que você está mexendo.

Ela ajuda a evitar um choque elétrico quando você está consertando em um chuveiro, por exemplo. Por isso, é indispensável no seu kit básico de ferramentas domésticas.

 

chave-de-teste

Chave de teste (Foto: Site Telhanorte)

 

4. Chave combinada

Ainda falando sobre as chaves que compõe um kit básico de ferramentas domésticas, temos as chaves combinadas. Seu uso está relacionado a apertar ou afrouxar porcas e parafusos quadrados ou sextavados.

Possui duas extremidades, sendo uma boca fixa e uma boca estrela.

 

chave-combinada-tramontina

Chave combinada (Foto: Site Telhanorte)

 

5. Chave inglesa

Sua principal vantagem é a abertura regulável que ajuda na manutenção de diferentes itens domésticos. Por isso, está entre as ferramentas básicas para ter em casa.

É a ferramenta utilizada para a troca de válvula de descarga, por exemplo.

 

chave-inglesa-tramontina

Chave inglesa (Foto: Site Telhanorte)

 

6. Martelo

Você pode até achar que nunca vai precisar, mas a verdade é que quando menos se espera, você vai estar batendo na casa do vizinho pedindo um martelo emprestado para ajeitar alguma coisa na sua casa.

Ele está entre as ferramentas básicas para ter em casa pois é bastante útil para diferentes funções, como:

 

martelo-tramontina

Martelo (Foto: Site Telhanorte)

 

6. Alicate

Assim como o martelo, o alicate também é um item indispensável para qualquer kit de ferramentas domésticas.

Alicate é, sem dúvidas, a ferramenta mais multifuncional que existe em um kit e pode ser usado em diversas atividades, desde apertar porcas até desencapar fios, além de cortar e torcer.

Nas lojas especializadas, como a Telhanorte, você encontra modelos de alicates especializados, mas em um kit básico basta garantir a presença do modelo universal.

 

alicate-universal-tramontina

Alicate universal (Foto: Site Telhanorte)

 

7. Nível

Nem pense em instalar quadros, prateleiras e estantes sem um nível! Ele é indispensável se você pensa em ter itens alinhados em sua casa! Incluí-lo na sua lista de ferramentas básicas é imprescindível!

 

nivel-aluminio-tramontina

Nível (Foto: Site Telhanorte)

 

8. Trena

Tudo relacionado ao planejamento de um ambiente precisa de uma trena. Os modelos retráteis com travas são mais fáceis de guardar e também mais úteis para aferir diferentes medidas.

Use a trena antes de comprar móveis novos ou calcular a quantidade de tinta para reformar um ambiente. Saber a medida do cômodo também vai ajudar a calcular a quantidade de lâmpadas por m².

 

trena-tramontina

Trena (Foto: Site Telhanorte)

 

9. Furadeiras e parafusadeiras

As furadeiras e parafusadeiras (que hoje já são encontradas no mesmo item) são necessários para instalar estantes, móveis e outros itens.

Você pode escolher entre modelos a bateria ou que funcionam ligados na tomada. Esses equipamentos também variam de calibre de acordo com o que será executado.

Não esqueça de procurar por marcas de furadeiras que tenham certificação dos órgãos responsáveis para garantir a segurança e a durabilidade.

 

furadeira-parafusadeira-bosch

Furadeira e Parafusadeira (Foto: Site Telhanorte)

 

Além das ferramentas, também tem os acessórios…

Além das ferramentas básicas para ter em casa, é importante garantir que você terá alguns itens em mãos, tais como:

Com todos esses acessórios e ferramentas básicas para ter em casa, você estará preparado para os principais imprevistos que possam acontecer no dia a dia e também para fazer pequenas manutenções sozinho.

Entretanto, tenha bastante atenção antes de mexer em redes elétricas ou itens hidráulicos. Procurar um profissional é sempre mais seguro!

Se você está em busca de melhor caixa de ferramentas, a loja virtual da Telhanorte tem um departamento completo com ferramentas para todas as situações e necessidades.

Você encontra kits de ferramentas prontos ou você pode montar o seu de acordo com os itens que desejar.

Acesse nossa loja virtual, selecione os produtos para sua construção ou reforma e receba tudo em casa. Você também pode visitar uma de nossas unidades físicas e comprar por telefone ou WhatsApp.

Faça você mesmo: Guia para colocar porcelanato no piso

Todas as etapas para concluir sua obra! Contrapiso, argamassa, rejunte, aplicação das peças e acabamento. Aprenda como colocar porcelanato

| Construção

 

O porcelanato é um dos pisos mais desejados do mercado, seja por beleza, praticidade ou facilidade de instalação. Que tal aprender como instalá-lo você mesmo(a)?

 

É claro que a melhor opção é sempre contratar um profissional acostumado a realizar esse tipo de instalação, mas se você quiser realmente colocar a mão na massa e aprender como colocar o piso de porcelanato, siga este guia criado especialmente para te ajudar.

Se essa é a sua primeira vez, talvez você tenha alguma dificuldade com a aplicação, por isso tenha alguém a disposição para te ajudar, se preciso.

 

Passo a passo: como colocar porcelanato

 

1. Deixe o contrapiso pronto

O contrapiso é o que fica abaixo do porcelanato que será aplicado. É importante que ele esteja limpo e seco, sem resíduos.

Se você for aplicar o porcelanato em cima de um outro piso já existente, talvez seja necessário lixá-lo antes de colocar o porcelanato.

Caso seja um contrapiso novo, ele deve estar pronto há pelo menos 14 dias antes de aplicação do porcelanato.

Em construções é extremamente importante que você confira o caimento da água antes de instalar o piso, dessa forma é mais simples arrumar qualquer erro, sem perder todo o trabalho que você teve para aplicar o piso.

E por último, porém não menos importante, analise se a superfície está nivelada. Caso não, nivele-a antes de seguir com os demais passos.

 

2. Aplique a argamassa

A argamassa para porcelanato é o que fará o papel de cola e fixará o piso – neste caso o porcelanato – no contrapiso.

Você deve prepará-la conforme a descrição contida na embalagem do fabricante.

Em seguida, aplique-a no contrapiso com a ajuda de uma desempenadeira, usando o lado liso da ferramenta para despejá-la. Depois, use o lado denteado para formar cordões (ou ondas) na argamassa e deixe-a homogênea. Você pode pedir ajuda de alguém para realizar essa etapa, para acelerar o processo. Enquanto você aplica a argamassa, seu ajudante pode ir a espalhando.

 

Como colocar porcelanato

Imagem ilustrativa: aplicação de argamassa (Foto: Acervo Telhanorte).

 

Para que o porcelanato fique adequadamente posicionado, você deve usar cerca de 1 centímetro de espessura de argamassa. Já em modelos com medidas maiores (acima de 30×30cm), é indicado que o porcelanato seja assentado em camada dupla. Para isso, além de aplicar a argamassa no contrapiso, aplique, também, no tardoz (o verso do piso).

Atenção: Não existe apenas um tipo de argamassa! Caso você tenha intenção de aprender como colocar porcelanato no banheiro, na cozinha ou piso para área externa, por exemplo, busque por peças indicadas para esses ambientes.

 

3. Aplique o porcelanato

Com o contrapiso pronto e a argamassa aplicada é hora de assentar o porcelanato.

Se você está aprendendo como colocar porcelanato do zero, faça tudo com muito cuidado! Movimente as peças até que elas fiquem na posição ideal – nem muito longe, nem muito próximas umas das outras.

Para tanto, algumas informações são importantes:

 

Cuidado: O porcelanato, enquanto está sendo instalado, pode quebrar muito facilmente! Por isso, realize cada uma das etapas com muita atenção e cuidado, sem pressa.

 

4. Limpe as sobras

Fique tranquilo, as sobras são bastante comuns. Enquanto você aplicar o porcelanato vá eliminando o excesso de argamassa – que comumente fica no piso – com o auxílio de uma esponja ou pano úmido.

 

5. Utilize o rejunte adequado para cada tipo de piso

A última etapa é a aplicação do rejunte. É ele que irá garantir o acabamento perfeito no seu piso. Além de estética, sua função também é evitar infiltrações e compensar possíveis irregularidades – prováveis de acontecerem quando você está aprendendo como colocar porcelanato.

Assim como existem diferentes tipos de porcelanatos, você também pode encontrar diferentes opções de rejuntes à venda, entre eles:

Além dos tipos e usos específicos, o rejunte pode variar em relação à cor. Fique atento a esse fato para compor a decoração do ambiente de acordo com a sua vontade! É importante adquirir todo o porcelanato necessário de uma única vez, para não correr o risco de ter alterações de tons e cores em diferentes lotes.

Em ambientes que possuem alto trânsito de pessoas é indicado um rejunte escuro para facilitar a limpeza do local.

 

Sugestão de leitura: Qual o melhor rejunte para piscina? Conheça 2 opções ideais!

 

Pronto! Demorou um pouco, mas você definitivamente aprendeu como colocar piso de porcelanato!

Sua última preocupação deve ser manter o ambiente sem trânsito de pessoas por pelo menos 7 dias após a aplicação. Caso sua obra não possa parar, os profissionais podem ser liberados para trânsito após 3 dias!

 

Onde comprar ferramentas e revestimentos?

Antes de começar sua obra é importante que você tenha em mãos todas as ferramentas, produtos e peças que indicamos ao longo do texto e que serão usadas por você. Na hora de realizar a compra para sua obra, visite a loja virtual da Telhanorte!

Temos um departamento completo de pisos e revestimentos com tudo que você precisa para sua obra: acabamentos para pisoargamassa e rejunte, pastilhas, pisos, porcelanatos e mais!

 

Teve alguma dúvida na hora de comprar? Entre em contato com a equipe da Telhanorte pelo WhatsApp ou acesse nosso site, faça seu pedido e receba tudo em casa!

Na Telhanorte você também pode aproveitar solicitar nosso cartão de crédito para obter as melhores formas de pagamento.

 

Edição por: Murilo Bonício.

Tipos de portas de madeiras para colocar em casa

modelo-porta-pivotante-de-madeira-com-puxador

| Ambientes Internos

 

Os tipos de porta de madeira são vários e podem criar diferentes estilos de decoração. Para ajudar, separamos dicas de uso, acabamento, instalação e pintura. Veja!

 

As portas são elementos fundamentais de uma casa ou apartamento, pois além de protegerem o interior da ação externa, ajudam a estilizar os cômodos, criando uma decoração que tenha a cara de seus moradores.

As opções de madeira são as mais procuradas, pois oferecem variedade de modelos, cores e ainda permitem personalizar o acabamento.

Aqui, separamos algumas das melhores opções para áreas externas e internas excelentes para todos os gostos e usos. Continue lendo!

 

Tipos de portas de madeiras: GUIA para escolher

Antes de começar a rodar pelas lojas Telhanorte ou as páginas do nosso site, procurando pelos tipos de portas de madeira, é importante saber que existem modelos indicados especialmente para áreas externas e internas. Confira a seguir quais são as opções ideais para cada área de uma casa ou apartamento:

 

Portas de madeira para área externa

As portas de madeira destinadas às áreas externas são divididas em dois grandes grupos:

  1. As maciça;
  2. E as sólidas.

Apesar de parecerem representar a mesma coisa, as diferenças entre elas existem e devem ser consideradas durante a escolha.

As portas de madeira maciça são mais resistentes e oferecem mais segurança. Por isso, são muito utilizadas como portas de entrada das casas. Também resistem melhor à ação da chuva e do sol – no entanto, recomenda-se providenciar um mínimo de proteção contra a ação direta desses elementos no local de instalação, seja por meio de toldos, vernizes especiais ou outros artifícios.

Já as portas de madeira sólida tem boa resistência, mas não é recomendado colocá-las em áreas que recebem influência do tempo diretamente e por tempo prolongado. Portanto, são ideais para entradas de apartamentos, por exemplo, ou as chamadas entradas secundárias.

Atenção: Ambos os tipos devem receber, no mínimo, três demãos de tinta para proteger o material da chuva e do sol e prolongar sua durabilidade!

 

Portas de madeiras para áreas internas

As portas para áreas internas são aquelas usadas nos quartos, escritórios, lavabos, banheiro, closet, dividindo as áreas social e privada de casas e apartamentos.

Cada porta de madeira tem um uso mais adequado para um tipo de cômodo e o uso apropriado pode tanto ajudar a economizar espaço, quanto proporcionar um acabamento esteticamente mais agradável para a área.

As duas principais divisões para os tipos internos são:

Esses dois revestimentos internos têm menor densidade e, por isso, as portas são mais leves e fáceis de movimentar no dia a dia.

Já entre os modelos de portas internas existem:

 

 

Detalhes para as portas de madeira

Os detalhes encontrados nos tipos de portas de madeiras são determinantes para escolher onde cada modelo fica mais adequado.

Existem detalhes como altos e baixos relevos, almofadas, entalhes, frisos e ripas que, junto com a cor da porta e da parede do entorno, criam um conjunto decorativo especial.

Na hora de escolher o modelo, os detalhes e a cor das portas de madeira, leve em consideração sua proposta de design para o ambiente. Por exemplo, em uma casa com estilo retrô, as portas internas podem ter detalhes em cores vibrantes; em um quarto infantil clássico, a porta pode ser uma espécie de continuação do papel de parede; já em uma sala provençal, as curvas e relevos ajudam dar destaque à elegância da porta de entrada.

 

Como instalar portas de madeira

Os itens do kit de instalação para portas geralmente incluem:

A instalação de qualquer um dos tipos de portas de madeira deve ser feita por um profissional, pois exige conhecimento técnico e das ferramentas para realizar o trabalho adequadamente.

 

Acabamento de pintura nas portas de madeiras

Você vai encontrar no mercado diversos modelos de madeira com acabamento cru, pintura pronta ou semi pronta.

Entre as pinturas possíveis para as portas de madeira temos:

Destacamos ao longo texto que os tipos de portas de madeiras são peças-chave na decoração da casa.

Confira no vídeo abaixo alguns exemplos de uso das portas de madeira na decoração e como elas podem tornar os ambientes mais práticos, elegantes, modernos e sustentáveis:

 

 

Sugestão de leitura: Confira mais sobre Portas internas: 3 requisitos para uma escolha certa e inspire-se com fotos de cada modelo!

 

Encontre as melhores opções de tipos de porta de madeira

Agora que você já sabe mais sobre os tipos de porta de madeira, pode começar a pesquisar os modelos, acabamentos e detalhes que deseja para sua casa.

No site da Telhanorte, você encontra uma sessão completa de Portas para você escolher a ideal e ainda levar o kit completo para instalação com batentes, guarnições e fechaduras.

Confira as condições de frete ou retirada na loja para sua região e boas compras! A nossa equipe de atendimento também está pronta para tirar suas dúvidas pelo WhatsApp.

Construa sua casa dos sonhos com a Telhanorte!

Edição por: Murilo Bonício

Como organizar a lavanderia da melhor forma?

lavanderia-organizada-viva-decora

| Ambientes Internos

 

Guia para organização da lavanderia com 9 dicas, para deixar o seu ambiente mais bonito e funcional, ao mesmo tempo!

 

A lavanderia não é um dos cômodos que recebem mais atenção em uma casa, entretanto, a verdade é que esse ambiente deve receber atenção e cuidado como todos os demais cômodos da casa.  O volume de itens e produtos que ficam no local pode tornar o dia a dia bem estressante se não houver uma preocupação com a organização. 

Além disso, é cada vez mais comum que cozinha e lavanderia estejam interligadas, principalmente quando estamos falando de apartamentos. Por isso, para garantir que os produtos de limpeza não acabem acidentalmente na comida, também é importante pensar na configuração da lavanderia!

A Telhanorte te ajuda a alcançar um ambiente bonito e em harmonia com o restante da residência com nossas dicas!

Tome nota!

 

Guia: 9 dicas simples para tornar o ambiente mais agradável

 

1. Ganchos para pendurar

Usar ganchos para pendurar itens como vassoura, rodo, pá de lixo e sacolas, são uma ótima opção para organização da lavanderia sem precisar fazer uma grande reforma no cômodo. Além disso, você pode usá-los para prender pequenos cestos e criar suportes que vão ajudar ainda mais.

 

ganchos-organizar-lavanderia

Lavanderia verticalizada: use ganchos para pendurar vassouras, pás e cestinhos de prendedor (Foto: HF Urbanismo / Reprodução).

 

cestos-pendurados-e-no-armário

Soluções: pequenos baldes com produtos pendurados em gancho e cestas organizadoras nos armários (Foto: Super Organizada / Reprodução).

 

2. Cestas organizadoras

As caixas e cestos organizadores devem ser seu braço direito nessa hora. Use uma cesta para cada tipo de produto de limpeza, uma para escovas e esponjas de limpeza e outras para manter em ordem:

 

Uma boa dica é etiquetar esses cestos para que todos da casa saibam onde colocar cada objeto. Isso mantém o ambiente organizado e facilita na hora de encontrar os itens.

Não deixe de conferir algumas opções no departamento de cestos, da Telhanorte.

 

cestos-produto-limpeza

Etiquete os cestos e separe os produtos de limpeza por classificação de uso (Foto: Instagram / @isabelerosoorganizer / Reprodução).

 

Sugestão de leitura: Se você quer uma Casa sem bagunça: saiba como organizar usando caixas e cestos, acesse nossa outra matéria e conte com uma ajudinha extra!

 

3. Aproveite o espaço vertical

Essa é uma dica essencial para as lavanderias pequenas. Usar prateleiras é uma forma de aproveitar o espaço vertical, otimizando o espaço e ganhando mais superfícies para organizar os eletrodomésticos e móveis (quanto menor a quantidade, maior a sensação de amplitude) que são alojados no local. Essa opção também permite que você realize as atividades domésticas de maneira mais confortável e ergonômica.

Existem diferentes tipos de prateleiras para aproveitar o espaço vertical de sua lavanderia. Além das tradicionais prateleiras de madeira e ferro, você pode opção por modelos de encaixe, com ventosas ou fitas adesivas, para não ter que furar o local (ótimo para apartamentos e casas alugados).

 

como organizar a lavanderia

Prateleiras de encaixe com produtos de limpeza (Foto: Lovelyving / Reprodução).

 

4. Use nichos para organizar e decorar também!

Assim como as prateleiras, os nichos são opções verticais que oferecem melhor uso de todo o espaço. São opções modernas bem vindas em áreas como banheiro e cozinha, além da lavanderia.

Existem muitos tipos de diferentes tipos de materiais e cores e você deve, além de usá-los para separar produtos e itens de tipos e finalidades diferentes, escolher o modelo ideal pensando em toda a decoração do ambiente.

Nem sempre a decoração da lavanderia é uma preocupação, mas saiba que manter um ambiente que tenha uma composição visual planejada também ajuda a manter o ambiente mais clean

 

lavanderia-organizadas-com-nichos

Lavanderia organizada com nichos (Foto: Ideias para decorar / Reprodução).

 

5. Considere o uso de armários

Se você tem um maior ou, ainda, se não quer deixar os produtos e objetos à vista, a opção mais tradicional é usar os móveis para lavanderia. Opte pelos modelos aéreos para facilitar a limpeza e circulação.

No interior dos armários você também pode usar os cestos e caixas organizadoras para tornar mais fácil a busca por um item.

 

nichos-e-porta-camarão-para-lavanderia-pequena-Foto-Pinterest

Esconder os eletrodomésticos com porta é um ótimo artifício de decoração (Foto: Viva Decora / Reprodução).

 

lavanderia-planejada-dica-23

Armário de lavanderia amarelo (Foto: Bartz Móveis Planejados / Reprodução).

 

6. Use cortinas como aliadas do design

Para quem gosta de manter os itens da lavanderia mais escondidos, mas não tem espaço para considerar mobiliário,  é o uso de cortinas que escondem as prateleiras, produtos e até os eletrodomésticos. Uma ótima alternativa para quem divide a lavanderia com a varanda do apartamento, onde acaba por receber convidados e desfrutar dos momentos de lazer.

 

cortina-esconder-area-servico-lavanderia-varao-extensivel

Cortinas são sempre aliadas do design e na lavanderia não é diferente (Foto: Viajando no Apê / Reprodução).

 

7. Painéis e grades

Eles facilitam a visualização de cada item, deixam tudo à mão e mantém os objetos no lugar a que pertencem. Além disso, fazem parte do conjunto de opções que usam as paredes como apoio a organização, deixando a área de circulação mais livre.

 

organização-com-painel-aramado-para-área-de-serviço-Foto-Pinterest

Faça uso das grades para pendurar sobre o tanque os itens menores e de acesso mais frequente (Foto: Viva Decora / Reprodução).

 

pegboard-painel-de-madeira-estante-preteleira-barata-1

Pegboard: a tendência dos painéis de madeira veio para ficar (Foto: Casa da Valentina / Reprodução).

 

8. Varal aéreo

Pendurar a roupa pode atrapalhar a organização da sua lavanderia, certo? Não! 

Existem vários modelos de varal que se adequam aos mais variados tipo de ambiente e optar por modelos aéreos, que não acumulam mais itens na parte inferior do cômodo, é uma ótima maneira de manter a lavanderia organizada.

Varal-pratico-teto-ou-parede-140x56cm-de-aco-branco-Secalux

Varal prático teto ou parede 140x56cm de aço branco Secalux (Foto: Acervo Telhanorte).

 

9. Acerte na escolha de pisos e revestimentos

Agora, se você estiver disposto a reformar ou está construindo sua lavanderia do zero, a escolha de pisos e revestimentos é fundamental para criar um ambiente organizado, bonito e funcional, permitindo, por exemplo, uma limpeza rápida e eficaz.

Os porcelanatos são as principais escolhas para o piso desse ambiente, entretanto, é interessante buscar por opções que sejam antiderrapantes, afinal, o cômodo lida com água constantemente e a falta dessa proteção pode gerar acidentes.

 

lavanderia-decorada-piso-roxo

Lavanderia com piso colorido (Foto: Revista Casa e Jardim / Reprodução).

 

Sugestão de leitura: Se você quer descobrir qual é o piso ideal para sua casa, indicamos que acesse o artigo: Como escolher o piso ideal para os ambientes da casa e siga as nossas dicas!

 

Para a parede você encontra uma série de opções de azulejos e revestimentos para deixar a lavanderia como você sempre sonhou. Entre as opções mais interessantes estão azulejos coloridos, pastilhas, e os clássicos tijolinhos brancos.

 

lavanderia-com-azulejo-pintado-de-amarelo

Lavanderia com azulejos pintados de amarelo (Foto: Decor Fácil / Reprodução).

 

Na loja virtual da Telhanorte você encontra desde itens como baldes e bacias, tábua de passar, cestos e caixas organizadoras, até as melhores opções de pisos e revestimentos para ajudar em como organizar a lavanderia.

Acesse o site, selecione os produtos para sua construção ou reforma e receba tudo em casa.

Conheça também nossa sessão Outlet e faça suas compras com o cartão Telhanorte.

 

Edição por: Murilo Bonício.