instalação | Blog Telhanorte

Tipos de chuveiro: Conheça os modelos mais comuns

| Banheiro

Cada detalhe dentro de uma casa é importante, sendo assim, não é diferente na hora de escolher o chuveiro

 

Apesar de parecer uma tarefa fácil, escolher o chuveiro perfeito para o seu banheiro muitas vezes pode se tornar complicado e desafiador. Pensando nisso, vamos te ajudar a entender melhor as características de alguns modelos e qual é o melhor para cada banheiro.

Antes de começarmos, existe alguns pontos importantes a se atentar como: Orçamento, marca, espaço do box, pressão da água, o tamanho do espalhador, durabilidade e a limpeza.

 

Pontos importantes

Como dito, para acertar na escolha do chuveiro, alguns pontos importantes devem ser levados em conta antes de tudo. O orçamento é a primeira coisa que você precisa pensar, mesmo que o plano seja trocar somente o chuveiro, vale a pena fazer uma prévia dos gastos.

Outro ponto importante, é o tamanho do box. Alguns modelos de chuveiro ocupam mais espaço do que outros, então se a área do box for pequena, vale apostar em um design mais compacto. Pensando nisso, você também precisará verificar a pressão da água, pois isso influencia na escolha do chuveiro, alguns modelos já possuem um pressurizador, mas caso seja necessário, você pode encontrar a peça separadamente.

Antes de escolher o modelo e a marca, outro aspecto importante é o posicionamento do chuveiro. Na maioria das casas e apartamentos, a tubulação interna fica na parede, facilitando a instalação de chuveiros de parede com ou sem tubo. Mas, caso a instalação hidráulica seja no teto, a tubulação normalmente fica embutida no forro. Para esse tipo de instalação, existem modelos específicos que ajudam a economizar espaço dentro do box.

 

Leia também: Altura padrão do chuveiro: descubra qual é a correta

 

Tipos de chuveiro

Existem diversos tipos de chuveiros atualmente, cada um com suas especificações e características. Sendo assim, a pesquisa para comprar o chuveiro ideal pode ser um pouco desgastante, mas no fim, tudo valerá a pena.

A hora do banho é a mais sagrada para muitas pessoas, no entanto, vale lembrar que o fator decisivo será o consumo de energia. Conheça então,  5 tipos de chuveiro que farão a diferença na hora de pagar a conta de luz.

 

Este é o mais comum e o mais utilizado no Brasil. Porém, por demorar um pouco mais para aquecer a água, é um chuveiro que possui um gasto alto de energia. A regulagem de temperatura da água possui três opções: desligado (frio), verão (morna) e inverno (quente).

 

Chuveiro Elétrico Lorenzetti Bello Banho Ultra com Cano 5500W 220V Branco

 

Quando falamos em apartamento esse é o modelo mais procurado, pois alguns prédios já possuem instalação a gás. Mas também é possível ter esse tipo de instalação em casas, a única diferença é que o gasto com manutenção será um pouco maior. Esse modelo é um dos que mais economizam energia, no entanto, o gasto de água é grande por causa da demora em aquecer.

Chuveiro Acqua Duo 7800W 220V Black Rosé Gold Lorenzetti

 

Esse modelo é bem econômico e prático. Por controlar a potência do aquecimento da água, o chuveiro eletrônico está se tornando cada vez mais comum hoje em dia. Além disso, ele possui uma variação de temperatura, alguns modelos tem mais de 10 opções de regulagem da água.

 

Chuveiro Eletrônico Lorenzetti Duo Shower Quadra 7500W 220V Branco

 

Leia também: Chuveiro ou ducha: qual o melhor, afinal?

 

Como o nome já diz, esse modelo possui funcionalidade híbrida de aquecimento. Pode ser utilizado na rede elétrica ou na rede de energia solar. Assim como o chuveiro a gás, o chuveiro híbrido ajuda na economia de energia, mas quando usado no modo de aquecimento por energia solar, pode ter um desperdício maior de água devido a demora no aquecimento.

Chuveiro Elétrico Lorenzetti Multitemperatura Advanced 7500W 220V Branco

 

Pode ser considerado um dos modelos que mais economizam energia. Tendo um visor digital onde você pode fazer a regulagem de temperatura com mais precisão, alguns modelos de chuveiro digital, podem garantir até 91% de economia comparado aos outros.

Chuveiro digital Quadratta Plus multitemperatura 7700W 220V black Hydra Corona

 

Outra dica importante para se levar em conta antes de comprar o chuveiro, é verificar a reputação da marca escolhida. Você pode ver avaliações nos sites de compra, ou para ter uma certeza maior, conferir a reputação da marca no Reclame Aqui.

Agora que você já sabe todos os pontos importantes e os tipos mais comuns de chuveiro, visite o site da Telhanorte para ver nossa variedade de chuveiros e acerte na escolha!

Se deu na telha trocar o seu chuveiro, tem na Telha!!

 

Por Veronicca Fernandes | Edição Carolina Oliveira

Como montar um toldo retrátil? Veja o passo a passo

Como montar um toldo retrátil

| Área Externa

 

Aprenda a montar um toldo retrátil, com vídeos de passo a passo para te ajudar na missão! Confira ainda uma lista de ferramentas e cuidados necessários

 

Um dos maiores pesadelos dos consumidores sem dúvida é montar os produtos comprados! Às vezes a complexidade é tanta, que muitos avaliam ser necessário contratar alguém especializado para fazer essa instalação. Mas se você está em busca de um desafio que te trará maior economia, neste artigo vamos te ensinar como montar um toldo retrátil.

Antes de tudo, é importante salientar que a opção por um profissional é sempre mais segura e garante 100% de eficáciaDito isso, vamos trazer aqui um passo a passo fácil de como montar um toldo retrátil. Atente-se, também, ao fato de que existem diversos tipos de toldos e cada um deles possui especificações próprias para a instalação.

O tipo de toldo em questão é indicado para locais onde você quer proteção contra o sol e a chuva por apenas alguns períodos e seu prático manuseio permite que você regule o tamanho da sombra – ou área seca – de acordo com a sua preferência e necessidade! No geral, ele tem uma manutenção simples, devido à sua facilidade no manuseio – sua maneira de operar é bem intuitiva, deixando o trabalho mais fácil para quem está esticando ou recolhendo o toldo.

 

O que é preciso para montar um toldo?

Antes que você coloque a mão na massa, é preciso saber o que você precisa pesquisar, comprar ou separar, para realizar o passo a passo de montagem de um toldo retrátil. Separamos aqui alguns pontos importantes que precisam ser pensados antes de você seguir para a instalação:

 

1. Área de instalação

A primeira coisa a se fazer, antes de comprar o produto, é tirar a medida do local em que o toldo irá ficar para não ter erro. Tão importante quanto saber como montar um toldo retrátil é escolher onde você irá instalá-lo! O local precisa ter uma parede resistente o suficiente para suportar o peso da armação e da estrutura do toldo, além de uma distância para instalação dos pés para proteção extra.

 

2. Ferramentas certas

Um dos erros mais comuns de quem vai instalar os produtos que compra é não pensar antecipadamente na lista de ferramentas para construção que irá utilizar. Se você é daqueles que acha que qualquer coisa pode ser improvisada ou adaptada, é melhor pensar outra vez. Além de não ter garantias da qualidade do serviço realizado, você ainda pode passar maus bocados na hora de realizar procedimentos simples, justamente por falta da ferramenta adequada.

Para completar sua coleção de ferramentas, indicamos que acesse o departamento de Ferramentas da Telhanorte e aproveite as promoções, nos diferentes setores. Para saber quais ferramentas comprar, verifique a indicação do fabricante.

Outro ponto importante é ter ajuda de pelo menos uma pessoa. Como um toldo pode ter diversos tamanhos, instalá-lo sozinho pode ser, muitas vezes, inviável ou, no mínimo, muito trabalhoso mesmo que seu ajudante não tenha muita experiência, ter um braço a mais para segurar o peso já é de grande ajuda!

 

3. Qualidade dos materiais

Na hora de escolher os materiais que irão compor o seu toldo retrátil, opte por marcas conhecidas que garantam qualidade! Mesmo que você saiba como montar um toldo retrátil, de nada vai adiantar se você não tiver materiais de qualidade – o que inclui as ferragens para sustentação, rebites, parafusos e até mesmo a lona principal.

É preciso ainda levar em conta as condições climáticas da região onde a lona será instalada para escolher o material mais indicado. Se o local tiver muita incidência de sol, será necessário uma lona que detenha mais a luz; se tiver que suportar chuvas, terá outro tipo de resistência. Por isso, essa informação é crucial!

 

Passo a Passo: como montar um toldo retrátil

Agora que você já se preparou para a montagem do toldo, já escolheu os melhores materiais e está certo das condições do local onde vai colocar o toldo retrátil, é hora de saber os passos para montagem!

 

Passo 1: corte os tubos de sustentação

O primeiro passo é cortar os tubos. Você terá que comprar a lona sob medida, já os tubos metálicos têm tamanho padrão e precisarão ser cortados de acordo com o tamanho da lona. Se a lona tiver, por exemplo, 2,10 metros de largura, você irá cortar o tubo que ficará em cima com um centímetro a mais e o debaixo com a medida exata – logo, 2,11 metros e 2,10 metros, respectivamente.

Você pode cortar os tubos utilizando uma serra comum. Caso os tubos metálicos tenham uma espessura maior que o normal ou tenham uma resistência muito elevada, você pode usar uma serra elétrica para facilitar o processo. Para isso, procure um serralheiro profissional e garanta qualidade e segurança!

 

Passo 2: fixe as buchas nos tubos metálicos

Após deixar os tubos na medida correta, você irá fazer marcações da base até o final deles, deixando uma distância de 25 cm entre cada ponto marcado, para depois fazer os furos onde serão fixados os rebites. Uma dica interessante é que os próprios tubos metálicos costumam vir com uma linha contínua de fora a fora, o que facilita que os seus furos fiquem alinhados entre si.

Após marcar todos os pontos, use a furadeira para fazer os furos. Depois, você irá fixar uma bucha em cada extremidade, de modo a fechar o cano metálico. Utilize um martelo para firmar as buchas. Faça quatro buracos em cima de cada bucha com a furadeira em forma de cruz, para fixar os rebites nas bases. Use um alicate rebitador para que as laterais fiquem bem firmes. Coloque os 4 de cada lado, para que a engrenagem do toldo retrátil rode sem problemas.

 

Passo 3: prenda a peça do braço de sustentação do toldo

O próximo passo para entender como montar um toldo retrátil é fazer a marcação no tubo de ferro de menor diâmetro – aquele que vai embaixo. Marque os furos com cerca de 5cm da base – em cada um dos lados. Coloque o braço de sustentação sobre o tubo, para marcar com exatidão o local onde serão feitos os furos. Após marcar, faça os 4 furos (dois para cada braço), fixe os parafusos nos buracos e enrole as lonas no tubo maior, para instalar o toldo.

 

Passo 4: fixe as peças de sustentação do toldo

Com as medidas do toldo em mãos, faça os furos na parede e fixe as duas peças que darão sustentação ao toldo. Nesse passo, é importante saber o peso do toldo e escolher o tamanho certo dos parafusos para que a estrutura não ceda. Olhe o manual ou peça ajuda a um vendedor.

Após fixar as peças alinhadas (use o próprio toldo para alinhar uma peça à outra), você deve encaixar os dois lados nas peças, para que a parte superior do toldo esteja firme. Em seguida, você terá de instalar os braços de sustentação do toldo para que ele possa levantar. Repita o mesmo processo com as peças do braço de sustentação debaixo, sempre alinhando um com o outro e fazendo os encaixes das peças para que o toldo se movimente livremente.

Ficou com alguma dúvida? Então assista aos vídeos com o passo a passo.

 

 

 

E aí, conseguiu aprender como montar um toldo retrátil?

Fazer instalações deste tipo podem ser complicadas, se você não tiver os materiais e ferramentas certas, não é mesmo? Nossa indicação é que você procure sempre por um profissional, assim você que o resultado será como desejou e que nenhum acidente irá acontecer. Se estiver em busca das ferramentas e acessórios para a instalação, acesse os setores de Material de Construção e Ferramentas da Telhanorte

 

Edição de Murilo Bonício e Vinicius Marques

Como aplicar silicone para vedação: 3 passos práticos e rápidos

vedacao-silicone-vidro-aplicacao-aluminio

| Banheiro

Como aplicar silicone para vedação, seus tipos e quando usar. 3 etapas para instalar louças, alumínio, vidros, eliminar vazamentos e mais

 

Os silicones para vedação tem como função vedar e fixar materiais em diversas estruturas e materiais. Para cada grupo de superfície existe um tipo de silicone ideal. Por ser feito a partir da borracha é bastante flexível, se adaptando a diferentes formatos e estruturas. Além disso, o material não resseca e pode ser facilmente utilizado no dia a dia. Também por essas mesmas características, aprender como aplicar silicone para vedação é algo bastante simples.

O silicone para vedação tem alta durabilidade e resistência à umidade, por isso, é o material, constantemente, encontrado em estruturas como pias e vasos sanitários, seja para fixação ou contenção de vazamentos.

Entre as demais funcionalidades do silicone está sua capacidade de solucionar problemas de vazamento, instalar vidros e mais. Como você viu, razões não faltam para você aprender como aplicar silicone para vedação, por isso, mãos na massa!

 

Como aplicar silicone para vedação: 3 passos

Em três passos você será capaz de aplicar o silicone para vedação novo, retirar o antigo e fazer o reparo que sua casa estava pedindo há tempos!

 

1. Deixe a superfície limpa

Retirar silicone antigo e limpar a superfície em que o novo produto será aplicado é o primeiro passo da aplicação de silicone para vedação. Caso o local já tenha recebido uma demão de silicone e você deseje substituí-la, poderá usar um produto chamado “tira silicone”.

Pode ser necessário recorrer a ajuda de um estilete para remover os resíduos.  Garanta a eliminação de todo o silicone antigo, de poeira e de outros tipos de sujeira. Deixe a região seca antes de partir para as próximas etapas. 

 

2. Aplique o produto usando uma pistola

O silicone para vedação geralmente é vendido em uma embalagem de tubo, com um bico fino que deve ser cortado para que o produto saia.

Tubos com menos de 50g de silicone podem ser usados sem a ajuda de pistolas, entretanto, os tubos com mais volume de produto vão precisar desse acessório para sua aplicação. Compre o tubo de silicone junto com a pistola de aplicação.

Como aplicar silicone para vedação

Adesivo de silicone acético 256g transparente incolor Tekbond

 

Antes de começar a aplicação, leia as instruções da embalagem do produto para ter certeza que você tudo o que é necessário em mãos.  Use uma fita crepe para demarcar o local da aplicação do silicone.

Encaixe o tubo na pistola, corte o bico e inicie a aplicação no local desejado, colocando o tubo com uma inclinação de 45 graus. Ao pressionar o gatilho da pistola o produto começará a sair do tubo. Tenha atenção e cuidado para realizar a aplicação de silicone para vedação em toda a superfície. 

 

3. Deixe o acabamento perfeito

Depois de aplicar silicone para vedação, com uma espátula retire o excesso do produto, garantindo uniformidade e bom acabamento no trabalho realizado. O silicone para vedação demora a secar, por volta de 3 a 5 dias. Antes de voltar a usar o local, tenha certeza da secagem completa.

 

silicone-para-vedacao-como-usar

Usando silicone para vedação (Foto: www.santoreparo.com.br/Reprodução)

 

Tipos de silicone para vedação

Agora que você sabe como aplicar silicone para vedação é importante aprender qual tipo de silicone usar. Existem dois tipos: silicone acético e neutro. 

 

Silicone Acético

Está em busca de um produto para vedação para vaso sanitário? Ou quer saber como realizar a vedação de box com silicone? A composição do silicone acético tem uma quantidade maior de antimofo e por isso é a resposta certa para quem está em busca de silicone para vedação de pia, vaso sanitário e box.

É resistente à umidade e aos raios UV, por isso, também é uma boa opção para aplicação em janelas de vidro e alumínio, portas e até cerâmicas.

 

Silicone Neutro

É bastante versátil sendo a opção certa para superfícies ásperas e porosas como:

Como você viu, aprender como aplicar silicone é simples e você mesmo pode fazer. Lembre-se apenas de contar com produtos de alta qualidade, que apresentem bons resultados ao longo do tempo. 

 

Veja mais em: Decoração com prateleiras de vidro: como usar?

 

Cores para silicone para vedação

Para que você tenha um melhor acabamento e alinhamento com o projeto de decoração do ambiente, é possível encontrar silicones para vedação em diferentes cores, como:

Preste bastante atenção antes de escolher o tom do silicone que será aplicado, ele deve “desaparecer” junto às peças de cerâmica, revestimentos, alumínio, vidro ou outros materiais quem que estiver em contato. 

 

Onde encontrar silicone para vedação?

Como reforçamos acima é importante garantir a compra de um silicone para vedação de qualidade. Só assim você terá o resultado desejado. Na Telhanorte você encontra as melhores opções marcas de silicone e ainda todos os itens para instalação.

Temos um departamento inteiro de impermeabilização e vedação, além de um setor exclusivo de colas, silicones e vedantes. Conheça também a seção de banheiro, cozinha e lavanderia

Aproveite as ofertas do site e confira também a categoria completa de itens de organização da casa. Faça seu pedido online, pague com segurança e receba tudo sem precisar sair de casa!

 

Edição por Veronicca Fernandes

Como comprar grama sintética: Dicas para acertar em cheio

| Área Externa

Você quer aquela sensação gostosa de pisar na grama, mas sem ter o trabalho de plantar, deixar crescer, aparar e cuidar? Então venha aprender algumas dicas de como comprar grama sintética

 

Além de dar menos trabalho que a grama natural, a grama sintética é mais fácil de instalar, tem um baixo custo de compra, manutenção e dura bem mais. 

A grama sintética é uma grama “fake”, mas escolhendo uma marca de qualidade e que oferece um bom produto, ninguém vai dizer que o jardim da sua casa é de grama artificial. 

Como a escolha é um fator determinante para ter sucesso em como usar grama sintética, reunimos as principais dicas para acertar na hora da compra.

 

Qual o melhor tipo de grama sintética?

Essa é uma pergunta comum quando pensamos em como comprar grama sintética ou qualquer outro tipo de produto. Nesse caso, você quer que a sua grama seja mais verde, certo? 

Então saiba que a grama sintética é feita de dois materiais plásticos principais: o polietileno (PE) e polipropileno (PP). O melhor tipo de grama sintética vai depender do local onde você deseja aplicá-la e o que varia é a sua espessura do produto.

Os principais tipos de grama sintética e seus usos são:

– Grama sintética 30mm: é a melhor para usar em áreas de jardins e quintais;

– Grama sintética 20mm: é a melhor para decorar espaços internos e externos;

– Grama sintética 15mm: é a melhor para cobrir áreas onde serão praticadas atividades esportivas como futebol;

– Grama sintética 12mm: é a melhor para usar como tapete na decoração ou cobrir espaços para animais de estimação;

– Grama sintética 10mm: é a melhor para aplicar em áreas de playground de condomínios, casas e escolas infantis. 

Então tenha claro na hora de comprar grama sintética onde você quer instalá-la para que o vendedor possa te ajudar com precisão.

 

Qual a durabilidade da grama sintética?

A durabilidade é uma das vantagens que leva as pessoas a aprenderem como comprar grama sintética. Em média, a grama sintética dura cinco anos.

Para usufruir desse benefício é importante ter alguns cuidados no dia a dia:

– use a vassoura comum para varrer sujeiras maiores como folhas de plantas, papel, dentre outras fáceis de retirar;

– quando tiver sujeiras menores e mais difíceis de remover, lave a grama com água e sabão (sim, pode molhar grama sintética! Ela não impermeabiliza a superfície e a trama do material permite a passagem, escoamento e absorção da água).

 

Veja também: Como colocar grama sintética no quintal: passo a passo e inspirações de projetos reais

 

Para que seu jardim aberto fique bonito por mais tempo e conserve o aspecto de novo, basta evitar o acúmulo de sujeira. Outro fator importante e que influencia na durabilidade de grama sintética é a instalação. Quando mal colocada, o uso acaba desgastando os acabamentos ou as fibras do material. 

Por isso, escolha uma marca de qualidade e contrate um profissional qualificado para fazer a instalação. Por último, para melhorar a maciez do piso e, consequentemente, o conforto do toque da grama sintética, use uma base que funciona como amortecedor de impacto. Essa base que amortece o impacto pode ser aplicada em concreto, cerâmica, pisos de pedras, dentre outros.

 

Quanto é o metro da grama sintética?

A grama sintética é vendida por metro quadrado (m²), geralmente em rolo, e custa a partir de R$80, em média.

Os valores variam bastante de acordo com a marca e também o tipo de grama.

Para fazer orçamentos precisos de quanto você vai gastar no seu projeto, meça a área a ser coberta para fazer a conta do valor do investimento.

 

Grama sintética intalada na área externa (Foto: www.elo7.com.br/Reprodução)

 

Onde encontrar grama sintética?

Você pode encontrar grama sintética e de qualidade em lojas de materiais de construção física e online (como a Telhanorte) ou em lojas especializadas em gramas sintéticas.

Empresas de paisagismo e arquitetos são profissionais que podem indicar bons fornecedores, caso você esteja fazendo um projeto com essa assessoria.

 

Como usar 

Agora que você já sabe como comprar grama sintética, vamos falar das formas como ela pode ser usada. Como é uma cobertura durável, segura, tem uma manutenção fácil e barata, pode ser aplicada em diversos pisos, criando diversos tipos de ambientes como jardim externo, de inverno, varanda de apartamento, entre outros.

A grama sintética valoriza as áreas abertas — ela pode ser exposta ao sol e a chuva — deixando-as não só mais bonitas visualmente, mas também trazendo conforto. Nos jardins de inverno, a grama sintética é mais recomendada que a grama natural por causa da baixa incidência de luz que prejudica o crescimento da grama de verdade. 

Nas varandas de apartamentos, a grama sintética podem ser usadas em faixas para contornar o desenho da sacada ou criar um cantinho de jardim. Mesmo em um prédio você pode criar espaços verdes em casa.

 

Veja mais em: 5 espécies de árvores frutíferas para ter em casa

 

Playgrounds de condomínio, escolas e creches

Segurança é fundamental quando se fala em espaços para crianças brincarem. Por isso, a grama sintética é uma escolha certeira para esse espaço.

Para ficar ainda mais confortável para os pequenos brincarem, pode ser colocada a base anti impacto e depois a grama.

 

Quadras de futebol e de tênis

Este é um projeto mais específico e um pouco mais caro, mas se você quiser criar um espaço de lazer em casa para os filhos ou fazer um upgrade no condomínio onde mora, a grama sintética é a escolha certa.

Como os esportes sempre tem algum impacto, colocar a base também contribui para amenizar tombos, etc.

 

Grama sintética aplicada em playground ao ar livre (Foto: magicgramas.com.br/Reprodução)

 

Gostou das dicas de como comprar grama sintética? Depois dessas dicas de como comprar grama sintética você pode começar a planejar seu projeto, escolher o tipo mais adequado e começar seus orçamentos.

Para facilitar sua pesquisa confira a seção especial da Telhanorte com opções de Grama Sintética. Aproveite e veja também tudo para criar um Jardim perfeito na sua casa.

O melhor é que você pesquisa, confere os preços, faz sua compra e recebe em casa.

 

Edição por Veronicca Fernandes