sustentabilidade | Blog Telhanorte

7 dicas para deixar a sua casa sustentável

mesa-madeira-caixa-legumes-cesto-organico-comida-alimento-cenouras-cebola

| Decoração

Buscando economizar e ter um lar mais sustentável? Confira nossas dicas para viver a sua casa de maneira simples e consciente

 

Ter uma casa sustentável, economizando recursos naturais e deixando um impacto menor no planeta, tem sido um desejo cada vez maior da sociedade. Já podemos sentir as mudanças negativas que vêm ocorrendo ao meio ambiente, por conta da ação e interferência humana. Assim, muitos têm procurado maneiras de trazer a sustentabilidade para dentro de casa, com pequenas ações que, em conjunto às demais pessoas, fazem a diferença para o planeta.

 

A Telhanorte Tumelero integra a Distribuição Brasil do grupo mundial Saint-Gobain. Confira o comprometimento e os princípios da Saint-Gobain para criar construções sustentáveis

 

Algumas pessoas acreditam que tal modo de vida é mais caro e difícil de ser seguido, porém aos poucos é possível se habituar a um consumo comedido e um modo de vida responsável. Confira agora 7 dicas para você viver a sua casa de modo mais consciente e sustentável.

 

1. Reduza o consumo de água

Um primeiro passo importante é estar consciente da quantidade de água gasta, seja no banheiro, área externa, cozinha, lavanderia e demais cômodos, e, a partir desta análise, estudar como o consumo pode ser reduzido. Tenha certeza de que os itens da sua casa, como torneiras, mangueiras, chuveiros e itens de hidráulica, estejam em ótimas condições e sejam de qualidade, para evitar o desperdício de água com goteiras e vazamentos.

Joelho-90°-soldavel-3-4--Tigre

Joelho 90° soldável 3/4″ Tigre (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Caso precise renovar algum desses itens, confira os detalhes do produto que irá comprar e escolha aqueles que ajudem na economia de água. Muitos modelos de torneira, por exemplo, possuem arejadores articulados, que ajudam na economia da vazão de água, e acionamento moderno, que evita o desperdício.

Torneira-de-mesa-para-cozinha-Basic-cromada-Celite

Torneira de mesa para cozinha Basic cromada Celite (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Além disso, você também pode reaproveitar a água utilizada em máquinas de lavar roupa – e mesmo a água da chuva – para lavar o chão, áreas externas e outros serviços. Evite o desperdício de água ao lavar a louça, tomar banho, escovar o dente e outras atividades rotineiras, utilizando apenas o necessário e mantendo torneiras e chuveiros desligados, quando estes não estão sendo utilizados.

 

2. Reduza o consumo de energia elétrica

Muitas pessoas tentam aplacar dentro de casa uma rotina que economize energia, por questões ambientais e mesmo financeiras. No entanto, acabam desistindo rapidamente, antes que tais práticas sustentáveis se tornem hábitos. É importante, para adotar qualquer nova atividade ao dia a dia, ter paciência e persistência, para que sua mente automatize a prática.

Assim, proponha a você mesmo adotar algumas ações durante a semana. Seja paciente e não se cobre tanto. Algumas práticas que você pode adotar são:

selo-procel

O selo Procel permite aos consumidores identificarem os aparelhos de uso mais eficiente e sustentável (Imagem: Procel / Reprodução)

 

Em relação à iluminação da casa, uma boa dica é adquirir lâmpadas LED. Apesar do investimento inicial poder ser mais caro que o de outras lâmpadas, o custo-benefício acaba sendo maior. O LED tende a durar por mais tempo e ser mais econômico. Confira abaixo a tabela comparativa entre uma lâmpada incandescente, fluorescente e LED.

 

tabela-telhanorte-comparativa-dados-lampada-incandescente-fluorescente-led

 

Observação: o LED, após 20.000 horas, perde um pouco de eficiência, apesar de, no geral, se manter aceso durante 50.000 horas. É necessário consultar a garantia de cada fabricante, pois as informações acima são apenas uma média.

 

Além de ser econômico, o LED pode compor a decoração do ambiente de diversas maneiras, seja nos banheiros, quartos e em sancas de gesso. Na Telhanorte, você encontra diversas opções de lâmpadas LED: fita de LED, painel de LED e refletor de LED.

 

Painel-LED-Taschibra-de-sobrepor-Dual-Color-quadrado-18W-branco-1617540

Painel LED Taschibra de sobrepor Dual Color quadrado 18W branco (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

3. Tenha plantas em casa

Além de deixar a casa refrescante, bonita e tranquila, cultivar plantas dentro e fora de casa ajuda a purificar o ar, uma vez que as plantas consomem gás carbônico e liberam oxigênio. Há diversas plantas que podem ser cultivadas dentro de casa, pois não necessitam da luz direta no sol. No Blog Telhanorte, você encontra dicas de 6 plantas para ter dentro de casa, 5 flores que são fáceis de cuidar e ainda confere 5 motivos para ter cactos e suculentas em casa.

Uma horta caseira também é uma ótima opção para se ter em casa. Você pode usar embalagens reutilizáveis, como potes e garrafas PET, para cultivar salsinha, cebolinha, hortelã, manjericão e demais temperos para as suas refeições. É uma atividade simples e relaxante!

 

plantas-na-pia-do-banheiro

Plantas na pia do banheiro (Foto: vaicomtudo.com/ Reprodução)

 

Para regar suas plantas, busque reutilizar a água da chuva. Você pode planejar cisternas e outras estruturas que captam a água pluvial e a armazenam em segurança, para que possa ser utilizada. Lembre-se de não deixar água parada ao ar livre, para evitar a proliferação de insetos que podem trazer doenças. Na Telhanorte, você encontra diversas opções de vasos, terra, argila e outros itens para o cultivo e manutenção do jardim!

 

4. Reduza a produção de lixo doméstico

Com o modo de vida atual, muito lixo acaba sendo produzido dentro das casas, gerando um acúmulo desnecessário de descarte orgânico e mesmo materiais que poderiam ser reciclados. Mas há muitas práticas simples e sustentáveis que podemos adquirir, para amenizar o impacto doméstico que geramos mensalmente.

Primeiramente, é importante avaliar quais os tipos de lixo mais produzidos dentro de casa. Muitos objetos descartáveis, como talheres, copos e pratos, podem ser simplesmente trocados por outros de uso contínuo. Além disso, as embalagens de alimentos e outros objetos que geralmente descartamos podem ser reciclados. Verifique como a coleta é feita onde você mora, para saber o dia e local certo de descarte. Não se esqueça de lavar todo o material, antes de separá-lo para a reciclagem.

 

Lixeira-basculante-30-litros-com-tampa-Sanremo

Lixeira Basculante Sanremo 30 Litros com Tampa (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Você pode manter em casa ao menos duas lixeiras: uma para separar a reciclagem e outra para o descarte orgânico. Não se esqueça de guardar as sobras de alimento, evitando o desperdício. Muitos legumes e frutas possuem cascas nutritivas, que são dispensadas nas receitas mais tradicionais. Assim, busque encontrar novas formas de aproveitar o máximo do alimento.

Outra maneira de reduzir o lixo orgânico é reaproveitando talos, cascas e restos de comida para produzir adubo de planta. Você pode ter uma composteira doméstica dentro de casa, que transforma restos orgânicos em adubo nutritivo para o jardim de casa. É possível ainda reaproveitar o óleo de cozinha utilizado, seja para produzir velas e sabão caseiro, ou para entregar em algum ponto de coleta de óleo.

 

5. Faça uma compra consciente de produtos

Na hora de realizar as compras de mercado, use a consciência! Separe de antemão uma lista com tudo que você precisa comprar, para não se distrair e acabar adquirindo mais do que o necessário. Lembre-se sempre de escolher por produtos cujas embalagens possam ser reaproveitadas ou recicladas. Outra opção é comprar o alimento a granel.

 

mesa-madeira-caixa-legumes-cesto-organico-comida-alimento-cenouras-cebola-corte

Você pode comprar o alimento sem utilizar sacos plásticos (Foto: Markus Spiske / Unsplash / Reprodução)

 

Para comprar roupas e outros itens da casa, pergunte-se sempre se aquilo que você está adquirindo é de fato necessário. Além disso, procure saber mais sobre o modo que tais produtos foram fabricados e comercializados.

 

6. Adquira móveis e peças amadeiradas com selos de sustentabilidade

Ao mobiliar a casa, verifique se os móveis amadeirados possuem certificações de sustentabilidade. Busque por produtos que utilizam madeira reciclada, ou cuja fabricação tenha sido feita de maneira ecológica. Para o piso, opte por peças de cerâmica ou porcelanato que possuem acabamento laminado que imita a madeira.

 

7. Saia da zona de conforto e crie hábitos

Por fim, tenha em mente que não será da noite para o dia que a sua casa terá menos impacto no meio ambiente. É preciso que você se desafie a criar novos hábitos, como reciclar embalagens, diminuir o consumo de energia e doar roupas e objetos em bom estado que você não utiliza mais. Aos poucos, você vai se acostumando com cada prática e começa a viver a sua casa de maneira sustentável!

 

Veja também: Como construir uma casa sustentável

 

Por Vinicius Marques | Edição por Veronicca Fernandes

‘Pintou, Sobrou, Levou’: ação de descarte correto de tintas

tinta-pote-parede-residuo-descarte-correto-reforma

| Reforma

 

Iniciativa conjunta estuda o descarte adequado das sobras de tintas imobiliárias e acessórios de pintura usados

 

Pensando que as tintas, depois de abertas, perdem sua qualidade ao longo do tempo e que os acessórios de pintura costumam ser descartados ao término das obras, um grupo de empresas e entidades setoriais se reuniu para criar o Pintou, Sobrou, Levou, que será realizado de 15 de outubro a 15 de novembro, das 10h às 17h, em quatro pontos de coleta na cidade de São Paulo, direcionado aos consumidores residenciais.

A ação permitirá ao grupo ter um diagnóstico do comportamento do consumidor relativo às sobras de tintas e acessórios de pintura usados. Serão avaliadas, dentro do princípio da economia circular, alternativas para esses resíduos que apresentem viabilidades técnica e econômica.

Os responsáveis por idealizar a ação fazem parte do Grupo de Trabalho (GT) de Destinação de Resíduos de Pintura Imobiliária, composto por especialistas e representantes da Telhanorte Tumelero, entidades setoriais, fabricantes de tinta, acessórios de pintura e embalagens, empresas de pintura, construtoras, incorporadoras, lojistas, áreas de transbordo e triagem, transportadoras de resíduos e empresas de logística reversa.

 

Orientações

A recomendação principal é adotar o consumo consciente das tintas. Deve-se planejar antes de pintar, ou seja, calcular quanto vai usar de tinta, para evitar a sobra. Isso significa dimensionar adequadamente a compra do produto: medir a área a ser pintada e verificar o rendimento do produto para determinar a quantidade necessária.

No site ou no Atendimento ao Cliente dos principais fabricantes, bem como no setor de atendimento das lojas, é possível obter mais informações sobre esse cálculo, assim como na própria embalagem da tinta. Deve-se também comprar os acessórios adequados e na quantidade correta e utilizá-los de forma que durem de acordo com o esperado.

 

Descarte de entulho de obra: como fazer?

 

Nunca se deve descartar sobras de tintas em esgotos (pelo ralo), rios ou terrenos baldios. Se não for utilizar, o melhor caminho – em termos econômicos, ambientais e sociais – é doar o mais rápido possível, a fim de preservar as características das tintas, para uma associação de bairro, igreja, escola, creche, casa de repouso ou instituição social, ou ainda para algum familiar, amigo ou vizinho. Caso precise descartar sobras de tintas e acessórios usados, é importante procurar locais de descarte específico de resíduos da construção civil.

Os interessados podem obter informações sobre como participar, quais os itens que serão recolhidos e todos envolvidos na iniciativa pela página: Pintou, Sobrou, Levou.

 

Serviço:

Pintou, Sobrou, Levou – descarte de tintas, embalagens e acessórios de pintura

Data: 15 de outubro a 15 de novembro de 2021

Horário: das 10h às 17h

Local: 4 lojas na cidade de São Paulo (SP)

 

Endereços:

 

Mais informações:  https://representa.fecomercio.com.br/pintousobroulevou

 

Realização

Abeaço, Abiplast, ABRAFATI, Atlas, Bomix, C&C, Condor Pinceis, Coral, Cyrela, Engelux, FecomercioSP, Ibratin, Imangai, Leroy Merlin, Luca Ambiental, Prolata, Rafa Entulhos, Rafa Resolve, Renotran, Senai, Sincomavi, SindusCon-SP, Suvinil, Telhanorte, Tigre, Tintas MC, Trisul, Universo Tintas.

 

Sobre a Telhanorte Tumelero

Se construir ou reformar faz parte dos seus sonhos, você está no lugar certo. A Telhanorte Tumelero vai te ajudar a fazer desse momento um prazer e não um problema. Somos o homecenter inteligente que oferece a solução completa para pensar, executar, renovar e decorar a sua casa.

Com 48 lojas Telhanorte espalhadas pelos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná; e outras 28 lojas Tumelero no Estado do Rio Grande do Sul, formamos a maior rede varejista de material de construção do país, pertencente ao grupo francês Saint-Gobain.

Nossas lojas – além do Televendas, TelhaZap e dos dois E-Commerces – oferecem a melhor experiência de compra, com qualidade no atendimento, serviços diferenciados e um mix de produtos com mais de 50 mil itens.

Inovamos ao sermos a primeira rede de materiais de construção brasileira a adotar o conceito de home center de proximidade: é a Telhanorte Já!, que leva a gama de um home center comum para lojas de bairro. Também fomos pioneiros em trazer para o Brasil a Pro Telhanorte, um conceito de lojas destinadas à profissionais da construção; e somos a única rede de home center no Brasil com uma loja que funciona 24 horas: a Telhanorte Marginal, no bairro da Água Branca, em São Paulo (SP), que conta com 13 mil metros quadrados e milhares de itens de estoque local.

Como construir uma casa sustentável

casa-sustentavel-verde-natureza-economia-sustentabilidade-energia-consumo-consciente-material

| Construção

 

A preocupação com o meio ambiente é um debate cada vez mais atual e a necessidade de se comprometer com esse assunto também passa pela aprendizagem de como construir uma casa sustentável.

 

Construir uma casa, seja ela no campo ou na cidade, em um condomínio ou não, sempre acarreta em algumas intervenções na natureza.  Diante disso, pensar em como construir uma casa sustentável tem sido cada vez mais o desafio dos arquitetos e engenheiros na hora de planejar e executar uma obra que tenha o menor impacto ambiental e social possível.

 

O que é uma casa sustentável?

Para entender como construir uma casa sustentável, é preciso entender quais aspectos qualificam uma casa como sustentável ou não. Quando se pensa em uma casa sustentável é preciso ter em mente 2 pilares: 

– as intervenções ao meio ambiente durante a obra;

– o uso dos recursos naturais no dia a dia daquela casa. 

Se você não pensar nesses impactos antes de construir, o processo para administrar esses danos ambientais será mais caro e mais complexo.

 

Uma casa sustentável é construída com materiais sustentáveis, que agridem menos o meio ambiente. Durante a obra, é possível aplicar algumas atitudes para amenizar o impacto ambiental, como:

– Reduzir os resíduos das obras: se você aumenta a frequência com que esses resíduos são recolhidos, eles ficarão menos tempo agredindo o solo.

– Utilizar materiais recicláveis: hoje em dia, existem marcas que apostam em materiais recicláveis para construção, evitando que sua casa seja construída com novos materiais que irão poluir mais o meio ambiente.

– Fontes alternativas de energia: aqui, além de utilizar uma energia limpa como energia solar, a longo prazo, essa medida também irá representar uma economia para você.

 

Além das informações listadas acima, há selos que comprovam que uma casa pode ser considerada sustentável: o AQUA-HQE e o Green Building Council.

 

Sugestão de matéria: Aprenda como escolher aquecedor solar: tudo sobre essa fonte de energia alternativa!

 

No entanto, mesmo que ser 100% sustentável seja uma tarefa um pouco mais complexa, é possível minimizar os impactos que você e sua família geram no meio ambiente, a partir do uso das dependências da casa. Essa redução de impacto já representa uma diferença considerável para que a casa seja sustentável. Veja algumas dicas de sustentabilidade abaixo. 

 

3 dicas para ter uma casa sustentável

1. Pense bem na localização

A localização é um dos primeiros pontos a serem observados quando se lista os passos de como construir uma casa sustentável. Nossa dica é não construir a casa próximo a áreas de preservação. Dessa forma, você evita problemas futuros em relação à reserva ambiental.

Além disso, é interessante que a casa fique próximo a pontos de transporte público e lugares que você frequenta no dia a dia: farmácias, padarias, mercados de bairro… Dessa forma, você não precisará utilizar o seu próprio veículo para chegar nos lugares, diminuindo, assim, a emissão de gases poluentes na atmosfera. Caso não seja possível, a dica aqui fica por investir em hortas e preparar a casa para estocar alimentos, para que as compras sejam feitas da forma menos recorrente possível.

 

2. Consumo consciente

Ao pensar em como construir uma casa sustentável, reflita nas formas de economia de luz e água. Como já mencionamos, os painéis solares são um investimento com retorno a longo prazo, mas que diminui consideravelmente o impacto ambiental. Optar por janelas grandes é uma ótima medida também – quanto mais luz entrar nos ambientes, menor a probabilidade de você precisar de uma luz artificial, como as lâmpadas. Dessa forma, o consumo de energia elétrica irá diminuir.

Para a água, a instalação de cisternas que captam a água da chuva também é uma ação sustentável, uma vez que essa água pode ser muito útil para lavar carros, regar plantas, lavar o chão e outras tarefas que não necessitem que ela seja potável. 

 

Leia mais em: Como instalar calha de chuva: aprenda o passo a passo

 

3. Materiais de construção que evitam desperdícios

Na hora de botar a mão na massa,  é preciso tomar algumas precauções para que não haja desperdício de materiais. Durante uma obra, se não houver essa preocupação, é normal ocorrer o desperdício de recursos como água, terra, argamassa, entre outros.

Casas sustentáveis precisam se preocupar com o tipo de material utilizado dentro de suas obras. Confira abaixo alguns tipos sustentáveis que podem ser usados:

 

– Tijolo ecológico: esse material é o melhor tipo de tijolo para construção em obras sustentáveis. Esse modelo tem um processo de fabricação diferente dos tijolos convencionais, já que não passa por um forno e, por isso, não consome madeira ou emite gases poluentes durante sua fabricação. Além disso, ele consome menos insumos como argamassa, concreto e aço, contribuindo para a diminuição da formação de entulho.

– Madeira: é possível utilizar madeira de forma sustentável, desde que ela tenha a certificação de que sua origem seja de locais com práticas florestais dentro da lei. Além disso, alguns materiais com menor impacto como bambu e madeira plástica (reciclável) são ótimas opções para manter a casa sustentável.

– Containers: utilizar esse material como parte da casa ou do projeto é uma excelente forma de reciclar esse material que já foi fabricado com outra finalidade e que, posteriormente, viraria entulho. 

– Cerâmica: pisos e revestimentos de cerâmica são mais ecologicamente corretos em comparação ao mármore. Afinal, as jazidas de argila se recuperam com facilidade, enquanto as de mármore não.

 

Conheça mais em: Revestimento de cerâmica: dicas para a cozinha

 

Agora é só tirar o projeto do papel!

Com as nossas dicas, ter sua casa sustentável tornou-se mais possível, né?! Porém, fazer intervenções, como as citadas acima, podem ser complicadas se você não tiver em mãos os materiais e ferramentas adequados. É aí que a gente entra: a Telhanorte possui um catálogo enorme que pode te auxiliar nesse processo.

Na loja virtual, você encontra tudo o que precisa para sua cozinha e lavanderia, banheiro, área externa, além das melhores marcas de materiais de construção e itens para obras em geral. Acesse nossa sessão Outlet e economize comprando com o cartão da Telhanorte!

 

Conheça os principais tipos de blocos de construção

 

Edição de João Victor Quintino e Vinicius Marques

CASACOR: Dicas de reforma do projeto Alimentação Saudável

casacor-alimentacao-saudavel-brasilandia-projeto

| Cozinha

Conheça a instalação “Alimentação Saudável”, da edição 2020 da CASACOR São Paulo, e veja algumas dicas para aplicar nos espaços da sua casa

 

Nesse ano de 2020, a mostra de Arquitetura, Design de Interiores e Paisagismo CASACOR teve de reinventar seus projetos físicos para algo mais seguro e responsável, por conta das medidas de distanciamento social de enfrentamento à COVID-19. Assim surgiu a exposição Janelas CASACOR, que conta com várias exposições espalhadas por 11 cidades brasileiras. Esses pontos são localizados em espaços públicos e tratam de cômodos inovadores, todos isolados por vitrines para que não hajam aglomerações. O tour interno de cada ambiente poderá ser feito virtualmente, pelo site da exposição Janelas CASACOR.

 

 

Algumas dessas exposições possuem, além do caráter inovador e sustentável, o foco voltado para as comunidades em que estão situadas. É o caso da instalação localizada no bairro da Freguesia do Ó/Brasilândia, no estacionamento de um mercado. O projeto Alimentação Saudável, que contou com apoio da Telhanorte, foi produzido por estudantes e professores do Programa Fau+D Mackenzie Acolhe, e apresenta uma moderna cozinha de uso comunitário montada dentro de um contêiner. Segundo o professor e arquiteto Rodrigo Mindlin Loeb, um dos responsáveis pelo projeto, o espaço, em um segundo momento, será aberto para o uso público. Sua gestão será feita pelo centro comunitário de uma comunidade próxima, Tiro ao Pombo, e nele poderão ocorrer oficinas, encontros e cursos de formação voltados para a área de alimentação. “Isso significou montar uma cozinha operacional, não só uma exposição”, diz Rodrigo. “Então exigiu todo um trabalho de infraestrutura para deixar isso funcionando de verdade”, completa.

 

 

Confira algumas das dicas de materiais e estruturas que estarão presentes na instalação – que ficará exposta do dia 8 de novembro ao 18 de dezembro – e que você pode aplicar na sua reforma!

 

Dicas para a sua casa

 

1. Estruturas de bambu

Além de apresentar uma beleza natural e acolhedora, o bambu é um dos materiais principais da bioconstrução, que consiste na utilização de materiais de baixo impacto ambiental. Na instalação da CASACOR, a empresa Gera Brasil forneceu todo o material necessário para a devida estruturação de bambu, que compôs, junto de outros elementos como o deck de madeira de reflorestamento e o próprio contêiner, o caráter sustentável do projeto. No entanto, você pode buscar por estruturas e peças decorativas de bambu para a sua casa também! Uma cobertura feita à base de bambu em um quintal, por exemplo, pode oferecer sombra, charme e refresco ao seu espaço, além de tornar o ambiente mais agradável e aconchegante.

 

 

2. Bancada em ilha

Ter uma bancada em ilha oferece grande praticidade para a cozinha. Para o projeto do programa Fau+D Acolhe, a bancada será de grande uso quando o espaço estiver aberto para atividades públicas. Mas você sabia que esse tipo de bancada também é ótima para ambientes domésticos? Segundo Rodrigo, tendo uma bancada em ilha dentro de casa, “permite uma interação melhor entre quem está cozinhando, além de poder ter multitarefas sendo realizadas, sem problemas de interferência na circulação.” Os benefícios de uma bancada em ilha na cozinha não se resumem aos afazeres domésticos, mas estão presentes também em festas e encontros caseiros, possibilitando uma maior área de circulação.

 

3. Revestimento termoacústico

Para oferecer ao ambiente maior conforto climático e sonoro, é importante que você invista em um ótimo isolamento termoacústico em forro e paredes – mesmo aquelas internas feitas de drywall. No caso da instalação feita na Brasilândia, entre as paredes de drywall e a estrutura do contêiner, foi instalado um material isolante chamado lã de rocha, mas, segundo Rodrigo, o mesmo efeito de isolamento acústico pode ser obtido utilizando a lã de pet. Já no forro, que é feito, assim como o drywall, de gesso acartonado, foram aplicadas chapas de madeira mineralizada, para criar esse mesmo efeito obtido nas paredes.

 

 

 

Na Telhanorte, você encontra também as placas acústicas Decorsound, Feitas de lã de vidro, são fáceis de instalar e perfeitas para serem utilizadas também como um acabamento decorativo.

 

 

4. Estante de livros na cozinha

Uma outra inspiração bacana que se pode ter da instalação da CASACOR na Brasilândia é a presença de uma estante de livros na cozinha. Além da praticidade de guardar livros de receitas, a estante ajuda a compor um ambiente mais aconchegante para moradores e visitas. Claro, é muito importante que se tome os devidos cuidados para que os livros presentes no móvel não estraguem: manter o ambiente sempre bem ventilado; ter uma boa janela, ou mesmo um exaustor, para que o vapor escape e não vá direto aos livros; e manter uma certa distância entre a estante e o fogão.

Caso esteja procurando por estantes de livros, ou outros móveis e materiais para a sua reforma, visite a loja virtual da Telhanorte.

 

 

 

Por Vinicius Marques | Edição de Stéphanie Durante

Conheça 8 tipos de telha para a casa

telhas-resistencia-chuva-modelos-diferentes-melhor-cobertura-casa-area-externa-cor-ceramica

| Área Externa

Confira nossa lista e descubra os prós e os contras de cada modelo de telha que você pode escolher para a sua casa

 

Mesmo sendo uma das últimas etapas da obra, é fundamental ter em mente o modelo do telhado desejado desde o início do projeto. Afinal, dependendo da solidez da estrutura da casa, você não poderá optar por qualquer tipo de cobertura.

Para não ter surpresas desagradáveis no final da obra, ou custos inesperados, a dica é pesquisar as melhores telhas para coberturas de casas antes mesmo de assentar o primeiro tijolo!

Pensando nisso, preparamos uma lista com algumas das principais telhas existentes no mercado para sua casa e áreas externas. Confira!

 

Telhas para cobertura de casas

1. Telha de cerâmica

Também conhecida como telhas de barro, ela é o tipo mais tradicional de telha da construção civil brasileira. Sua popularidade pode ser explicada pela boa relação custo-benefício e por combinar com os diferentes climas de um país extenso como o nosso. Outra vantagem da cerâmica é que você não gastará muito tempo com limpeza ou manutenção.

Por outro lado, esse tipo de telha é pesado e demandará uma estrutura bem resistente, o que poderá se refletir em um custo total da obra maior.

Há diversos modelos de telhas de cerâmica, como as esmaltadas, que aumentam a resistência e oferecem mais possibilidades de cores. Já para quem quer economizar energia e optar por algo mais sustentável, existem as telhas fotovoltaicas, com painéis solares embutidos em cada peça.

Telha-portuguesa-de-ceramica-39x24cm-10mm-Realeza-vermelha-resinada-Barrobello

Telha portuguesa de cerâmica 39x24cm 10mm Realeza vermelha resinada Barrobello (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

2. Telhas de fibrocimento

A mais querida do Brasil! Depois da proibição do amianto, por seu alto risco à saúde, o fibrocimento virou a principal opção para quem quer gastar pouco.

Além de mais barato, o material também é resistente e leve – ou seja, o fibrocimento não exige uma estrutura muito reforçada para ser instalado – e, por serem maiores, você vai precisar de poucas delas para cobrir uma casa.

No entanto, é exatamente essa leveza que vai exigir maior cuidado na hora da instalação, para evitar problemas com ventanias e chuvas fortes. Vale dizer que, se você seguir as orientações de profissionais e fabricantes corretamente, a capacidade de adequação térmica dessa telha se equivale à das telhas cerâmicas.

Pode ser pintado com tinta acrílica, mas desde que de acordo com as recomendações dos fornecedores.

Telha-ondulada-de-fibrocimento-153x110cm-5mm-Residencial-cinza-Brasilit

Telha ondulada de fibrocimento 153x110cm 5mm Residencial cinza Brasilit (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Veja também: Telha de fibrocimento: tudo o que você precisa saber

 

3. Telhas betuminosas

Feitas de materiais à base de betume, o mesmo presente no asfalto, as telhas betuminosas são muito utilizadas nos Estados Unidos e na Europa. Contudo, a resistência do material e a facilidade de instalação e manutenção também estão conquistando cada vez mais os consumidores brasileiros!

Por conta da qualidade do material, o preço tende a ser superior ao de outras opções. Além disso, por serem maleáveis, essas telhas exigirão uma base bem sólida.

Telha-ondulada-betuminosa-195x96cm-3mm-Stilo-3D-vermelha-Onduline

Telha ondulada betuminosa 195x96cm 3mm Stilo 3D vermelha Onduline (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

4. Telhas metálicas

Os modelos metálicos de telha para cobertura residencial se destacam pela resistência, durabilidade e leveza.

As galvanizadas, feitas com aço e revestidas por alumínio e zinco, têm a vantagem de impedir a corrosão, mas absorvem muito calor.

No quesito isolamento térmico, a melhor opção entre as telhas metálicas são as gravilhadas, com um acabamento em cerâmica.

 

telha-ondulada-metalica

Telha metálica (Foto: Soufer Ind / Reprodução)

 

5. Telhas ecológicas

Uma das alternativas ecologicamente corretas para seu telhado são as telhas de fibra vegetal, produzida a partir de fibra de celulose. Além de sustentável, esse modelo é resistente e de fácil instalação.

Outra opção sustentável, e também muito resistente, são as telhas feitas a partir de garrafas PET.

Telha-cumeeira-de-fibra-vegetal-200x45cm-3mm-vermelha-Onduline

Telha cumeeira de fibra vegetal 200x45cm 3mm vermelha Onduline (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Veja mais: 7 dicas de decoração sustentável

Telhas para cobertura externa

Agora que já vimos as melhores telhas para a cobertura de casas, confira algumas dicas de telhas ideais para a varanda e demais áreas externas.

 

6. Telhas de policarbonato

Quem está à procura de telhas para a cobertura da garagem, por exemplo, encontrará no policarbonato uma opção ideal para iluminar o ambiente e proteger o carro. Afinal, esse material permite a passagem de luz, mas possui proteção contra raios ultravioleta.

Telha-romana-de-policarbonato-41x22cm-2mm-transparente-Atco

Telha romana de policarbonato 41x22cm 2mm transparente Atco (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

7. Telhas de polipropileno

Já o polipropileno é nossa dica para quem busca telhas para a cobertura de varandas ou terraços. Esse modelo é feito de resinas plásticas, muitas vezes oriundas de reciclagem e reutilização.

Ele permite a passagem de iluminação natural e ainda pode ser combinado a outros tipo de telhas, para caprichar na decoração.

 

telha-polipropileno-onda-modelo-plastico-area-externa-resistente

Telha de polipropileno (Foto: Telhas e Cia / Reprodução)

 

8. Telhas de vidro

A cerâmica é o material mais comum nas telhas para cobertura de churrasqueira, mas o vidro é uma opção que vem ganhando força, por permitir a entrada de luz natural.

A grande desvantagem é que esse tipo de telha pode trincar e quebrar com facilidade e exige limpeza frequente para garantir a transparência.

 

Telha-plana-de-vidro-40x21cm-75mm-Texturada-transparente-Ibravir

Telha plana de vidro 40x21cm 7,5mm Texturada transparente Ibravir (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Agora que você já leu sobre as melhores telhas para a cobertura de casas e áreas externas, é hora de visitar a seção de Telhas, Calhas e Rufos do site da Telhanortepara fazer sua escolha. Você também encontrará muitas opções acessórios e acabamentos para construir ou reformar seu telhado.

Acesse nossa loja virtual com milhares de materiais para a construção da sua casa, encontre o modelo mais adequado para sua obra, faça a encomenda e receba tudo no conforto da sua casa!

 

Edição de Vinicius Marques e Murilo Bonício

Diferenças entre chuveiro elétrico e eletrônico

banheiro-chuveiro

| Banheiro

Pela manhã, à tarde ou à noite: o banho é sempre bom! Aprenda as diferenças entre chuveiro elétrico e eletrônico para ter esse momento relaxante

 

Seja para começar o dia animado, para dar uma refrescada no meio do expediente — se você estiver em home office — ou para preparar o corpo para o merecido sono depois de um dia de trabalho, o chuveiro é nosso melhor amigo. Proporcionando diversas opções de temperaturas e saídas de água, você tem um grande aliado no banheiro para renovar as energias e trazer o relaxamento que somente um corpo limpinho pode ter!

O chuveiro da sua casa está cumprindo esse papel? Não? Então é hora de trocá-lo para garantir banhos sempre prazerosos. São muitas as opções no mercado, entre elas, modelos elétricos e eletrônicos. Para saber as diferenças de cada um e acertar na escolha, continue lendo esse artigo!

 

Qual a diferença entre chuveiro elétrico e eletrônico?

Antes de falarmos sobre as diferenças desses modelos, precisamos apontar uma semelhança importante entre os dois: ambos usam a eletricidade para aquecer a água. A diferença entre eles é a forma como a água é aquecida.

Em chuveiros elétricos, existem três opções de regulagem para a resistência — popularmente conhecidas como verão, inverno e desligado, onde a água é: morna, quente e fria, respectivamente. O controle da temperatura é feito pela vazão de uma quantidade de água em cada uma das posições da resistência.

Já nos chuveiros eletrônicos, o controle de temperatura da água é gradativo, sem relação com a quantidade de líquido liberada. Esse controle pode ser feito através de chave, haste, controle remoto ou até mesmo por meio da programação prévia dos padrões preferidos de temperatura.

 

banheiro-chuveiro

Banheiro com chuveiro em destaque (Foto: Zac Gudakov / Unsplash / Reprodução)

 

Por terem preços mais em conta e serem mais fáceis de encontrar, os chuveiros elétricos são predominantes nas casas brasileiras. Entretanto, em algum momento, você pode passar por uma situação desconfortável no banho: a queima da resistência. É um problema bastante comum, especialmente quando há uma mudança frequente na regulagem do aparelho — e do aumento de contas de energia elétrica — no inverno, já que usamos as temperaturas mais quentes, demandando uma potência do chuveiro bem maior que o normal.

Em contrapartida, nos chuveiros eletrônicos o controle sobre a temperatura acontece em razão da possibilidade de regular a potência usada no aparelho. Sendo assim, a possibilidade de economizar energia é maior, porque podemos usar somente a capacidade necessária para aquecer a água.

 

chuveiro-elétrico-Lorenzetti

Chuveiro elétrico multitemperatura Maxi Ducha Branco 5500W 220V branco Lorenzetti (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Chuveiro eletrônico tem resistência?

No tópico anterior, mencionamos um detalhe que pode ser um verdadeiro pesadelo para quem gosta de banhos quentinhos no inverno, mas possui chuveiro elétrico em casa: a queima da resistência. Se esse problema te tira do sério, você já deve estar se perguntando: “o chuveiro eletrônico tem resistência?” A resposta é sim.

No entanto, o principal causador da queima da resistência no chuveiro elétrico não é um motivo para preocupação, quando falamos do chuveiro eletrônico: enquanto o multitemperatura (elétrico) só pode ter seus níveis alterados com o chuveiro desligado, no eletrônico isso pode acontecer tranquilamente enquanto a água cai.

Isso não significa que a resistência do chuveiro eletrônico não possa queimar, porém, isso acontece raramente. O processo para substituição da peça é também bastante semelhante ao dos chuveiros elétricos.

 

chuveiro-eletrônico-Lorenzetti

Chuveiro eletrônico Acqua Duo multitemperatura 7800W 220V branco e cromado Lorenzetti (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Qual chuveiro é mais econômico: elétrico ou eletrônico?

Agora que você já sabe a principal diferença entre os chuveiros elétricos e eletrônicos, certamente vai concordar que o eletrônicos possui mais vantagens, especialmente quando falamos em queima de resistência. No entanto, como o chuveiro é um dos principais equipamentos que aumentam o consumo de energia, você deve estar pensando sobre como economizar na troca dele, por um modelo melhor.

Um chuveiro elétrico, programado com a temperatura inverno, ou seja, a mais quente, utilizará o máximo de sua potência. Já no modo verão, o consumo cai para 65% desse total. Apenas no modo desligado não há consumo de energia.

Em comparação com o anterior, o modelo eletrônico possui uma série de níveis intermediários, que podem trazer um consumo de potência menor e, consequentemente, contas de energia mais baratas.

chuveiro-eletrônico-Lorenzetti

Chuveiro eletrônico Advanced Turbo 7500W 220V branco Lorenzetti (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Vamos falar de exemplos práticos: você está em casa querendo tomar um banho, porém, no chuveiro elétrico só tem três opções: o modo inverno é quente demais, o desligado, por outro lado, muito frio. Provavelmente você terá de optar pelo modo verão, consumindo 65% da potência energética do chuveiro.

Se você tivesse um chuveiro eletrônico, o consumo não seria tão alto, isso porque os modelos contam com opções mais variadas de temperatura, assim você pode chegar no clima desejado mais rapidamente e reduzir o gasto de energia e água, uma vez que não precisará abrir toda a torneira para ter um banho agradável.

Resumidamente, podemos dizer que o chuveiro eletrônico tem mais vantagens. Sua precisão na mistura entre água quente e fria traz economia na conta de luz. Podemos afirmar que é a opção mais econômica para sua casa.

 

 

chuveiro-elétrico-Fame

Chuveiro elétrico Super Quattro 220V 6800W branco Fame (Foto: Acervo / Telhanorte)

 

Como escolher um bom chuveiro eletrônico?

Se, depois de ler este artigo, você decidiu investir em um chuveiro eletrônico, prepare-se para as dicas abaixo.

Reunimos os principais itens para levar em conta antes de escolher o seu!

 

1. Forma de controle da temperatura

Uma das funcionalidades com mais diversidade no mercado de chuveiros eletrônicos é a forma de controle da temperatura. A mais comum delas é a haste encaixada na estrutura do chuveiro — que evita você precisar usar o shampoo, banquinho ou cabo de vassoura para mudar a temperatura —, além de botões, controle remoto, dimmer e por aí vai!

Pesquise as diferentes possibilidades e, principalmente, se o custo-benefício de um controle de temperatura tecnológico vale a pena.

 

2. Estética do aparelho

Pode parecer supérfluo, mas a estética é um dos pontos que devem ser levados em conta antes de escolher o melhor aparelho, especialmente se você preza pela harmonia dos ambientes em sua casa.

Há chuveiros eletrônicos com aparência clássica, designs modernos e opções de cores e funcionalidades diferentes: tudo para garantir que seu banho seja uma experiência agradável e revigorante!

 

3. Posicionamento da marca

Nos dias de hoje, é muito importante encontrar fornecedores que tenham um posicionamento consciente sobre seu impacto no mundo.

Por isso, aproveite o momento de investimento em um aparelho mais econômico para buscar, também, marcas que sejam a favor da sustentabilidade e que ofereçam funcionalidades (como a de personalização da potência de acordo com a temperatura realmente necessária para o banho) benéficas ao meio ambiente.

 

Pronto para escolher seu chuveiro?

Saber qual a diferença entre chuveiro elétrico e eletrônico com certeza impactou em sua escolha futura de aparelhos, não é mesmo? Saber as principais características de cada tipo de equipamento permite uma avaliação mais aprofundada das reais necessidades pessoais em comparação com as funcionalidades oferecidas, além de permitir uma definição consciente e assertiva sobre o melhor produto.

Visite o site da Telhanorte, onde você pode encontrar dezenas de opções de chuveiros eletrônicos com os melhores preços do mercado e ótima qualidade! Se o chuveiro não for a única coisa que você está pensando em mudar na casa, confira também nosso departamento de pisos e revestimentos e também o de banheiro, onde você encontra vasos sanitários, pias e móveis para banheiro! Realize agora o sonho de transformar sua casa em um espaço lindo e aconchegante!

 

Edição de Camila Alexandrino e Vinicius Marques

7 dicas de decoração sustentável para sua casa

casa-sustentável-decoração

| Área Externa

 

Se você está procurando dicas de decoração sustentável para deixar a casa linda e de maneira consciente, chegou ao lugar certo! Saiba mais nessa matéria

 

A proposta no conceito de decoração sustentável é decorar ambientes fazendo uso de produtos e materiais que causem menor impacto à natureza. Para conseguir ambas as coisas, você pode usar e abusar da reciclagem, do reaproveitamento de materiais e, claro, da imaginação. Se você já é a favor dessa abordagem, mas está sem ideias de decorações sustentáveis para a casa, não tem problema! Você chegou ao lugar certo para receber ajuda!

Neste artigo, nós traremos dicas que vão deixar seu lar ainda mais bonito, confortável e funcional, além de contribuir com o meio ambiente de forma positiva.

 

O que significa sustentabilidade?

Do latim sustentare, a palavra sustentabilidade significa apoiar, sustentar, conservar e cuidar. O conceito aborda a relação que temos com a natureza, a maneira como agimos e interagimos com o meio ambiente, e tem como objetivo preservar o planeta e seus recursos naturais, para que não acabem.

Para isso, a sustentabilidade se apoia em três pilares: a preocupação social, ambiental e econômica. Mas o que isso quer dizer, na prática? Ao escolher os itens para compor a decoração sustentável para a sala, quarto, cozinha ou qualquer outro cômodo da casa, você deve pensar:

Em resumo, é fazer escolhas que atendam às suas necessidades, não prejudiquem a natureza e que, de alguma forma, ajudem a preservá-la. Agora que o conceito ficou ainda mais claro, veja estas dicas de decoração sustentável e deixe a casa ainda mais linda, cheia de estilo e personalidade, e tudo sem grandes impactos no meio ambiente!

 

escova-dentes-madeira

Escovas de dente feitas de madeira são menos agressivas para o meio ambiente e ainda fazem uma boa composição no banheiro ou lavabo (Foto: The Humble Co. / Unsplash / Reprodução)

 

7 dicas para uma decoração sustentável

1. Reutilize o que seria descartado

Não há melhor maneira de abrir uma lista com dicas de decoração sustentável do que falando de reaproveitamento.

Sabe aqueles retalhos de tecidos que tem em casa? Eles são perfeitos para criar itens decorativos incríveis. Capas de almofada, tapetes, colchas e cortinas são apenas alguns exemplos do que você pode fazer com esse material.

 

Sugestão de leitura: Confira nossas Dicas para escolher a cortina certa | Veja Como limpar tapete da sala | Não deixe de checar também ideias de Almofadas para decoração

 

Você gosta de tomar um bom vinho para relaxar? Pois saiba que tanto a rolha quanto a garrafa abrem caminhos para ideias de decoração sustentável para casa simplesmente incríveis! As rolhas, por exemplo, podem ser usadas para criar um quadro de recados ou virar uma moldura de porta-retratos. Já as garrafas se tornam lindos vasos para decorar diferentes cômodos, ou mesmo para compor uma bonita mesa de jantar. E uma dica extra: se tiverem rótulos interessantes, não precisa nem tirar. Isso vai dar um toque ainda mais rústico à peça!

 

quadro-rolhas-vinho

Quadro feito inteiramente com rolhas de vinho (Foto: Project Rowhouse / Reprodução)

 

2. Adquira produtos artesanais

Existe uma variedade imensa de produtos artesanais, produzidos com os mais diferentes materiais. Barbante, linha, madeira, vidro, plástico e metal, nas mãos de pessoas talentosas, viram verdadeiras obras de arte. Você pode produzir suas próprias peças com esses materiais e ter algo único e super charmoso em casa!

 

quadro-barbantes

Quadro feito com barbantes (Foto: Etsy / Reprodução)

 

3. Traga o verde para seu lar

Obviamente, na lista de dicas de decoração sustentável para a casa não poderiam faltar as plantas. Além de decorativas, elas deixam o ambiente mais fresco e arejado. Para distribuí-las de uma maneira harmoniosa, a sugestão é criar um jardim vertical com madeira reutilizada ou paletes. Quanto às plantas, as indicadas para ambientes internos são as samambaias, suculentas, filodendros, bromélias e palmeiras.

 

Sugestão de leitura: Mesmo morando em apartamento ou casa pequena, é possível plantar árvores! Conheça 5 espécies de árvores frutíferas para ter em casa!

 

jardim-apartamento

Coloque verde na sua casa com plantas (Foto: Juliana Freitas Paisagismo / Reprodução)

 

4. Tenha um novo olhar para coisas

Se você costuma olhar algo e ver somente a funcionalidade para a qual foi criado, está na hora de mudar esse conceito. Quando se fala em decoração sustentável para sala, quarto, cozinha, banheiro e outros cômodos, a ideia é sair do lugar-comum. Pneus podem se tornar puffs, cabides viram lindos porta-retratos ou porta-chaves e móveis antigos podem ser usados de outra maneira, a exemplo da mesa de cabeceira que pode ser instalada na sala de estar e virar uma mesa de centro.

 

Sugestão de leitura: Aprenda Como construir uma casa sustentável com as dicas dessa matéria | Descubra como usar Puffs quadrados na decoração

 

puff-pneu

Puff feito com pneu (Foto: Blog Arredamento / Reprodução)

 

5. Garimpe peças em diferente lugares

Sempre tem um amigo ou parente que está trocando a mobília, mudando de casa e se desfazendo de algumas peças, ou mesmo modificando a decoração. Com isso, você tem uma excelente oportunidade de conseguir bons itens que podem ser repaginados e aproveitados. O mesmo vale para bazares de entidades beneficentes. Além de encontrar bons produtos, você ainda ajuda uma causa.

 

Sugestão de leitura: Lembre-se de não sair por aí acumulando coisas! Veja as 10 dicas de organização da Marie Kondo para manter a casa harmoniosa!

6. Faça compras conscientes

Mesmo que a ideia central seja o reaproveitamento, sempre vai haver uma peça ou outra que precisa ser comprada. Nesse caso, vale tomar cuidado com o consumismo, adquirindo apenas os produtos que realmente precisa — não se esqueça da máxima “menos é mais”. Além disso, atente-se para a origem dos materiais. Móveis e itens de madeira, por exemplo, somente de reflorestamento, demolição ou certificadas.

 

Sugestão de leitura: Veja nossas sugestões de como escolher Tipos de portas de madeira para colocar em casa e faça uma escolha consciente e sustentável

 

7. Compre produtos eficientes

Fechando a lista de dicas de decoração sustentável, não poderíamos deixar de falar sobre a aquisição de equipamentos eficientes para ajudar a diminuir o consumo de energia elétrica e de água. Um exemplo são os utilizados para a iluminação dos ambientes.

A luz natural deve ser sempre priorizada, porém as luminárias ajudam a compor a decoração e a criar o clima que se deseja ao espaço, deixando-o mais bonito. Nesse caso, é fundamental escolher as lâmpadas certas — as de LED são as que causam menor impacto na natureza e mais contribuem para reduzir o gasto com energia elétrica. O mesmo vale para o consumo de água. É possível encontrar chuveiros e torneiras com lindos designs que complementam o visual, mas que também ajudam a consumir menos água.

 

Sugestão de leitura: Veja como fazer a Iluminação para ambientes da forma correta | Aprenda qual a Quantidade de lâmpadas por m² | Se você quer economizar água, não deixe de conferir essa matéria com as Diferenças entre chuveiro elétrico e eletrônico que está cheia de dicas para você poupar água e dinheiro!

Pronto para uma casa decorada de maneira sustentável?

Aqui, na Telhanorte, você encontra uma variedade de produtos que vão lhe ajudar a ter uma casa mais sustentável, tais como lâmpadas, torneiras e misturadores, chuveiros e duchas, além de outros itens no setor de decoração. Visite nossa loja virtual, escolha o que precisa e compre pelo site, WhatsApp ou televendas. Você também pode contar com o serviço do ajuda ao vivo, onde um profissional irá te orientar como usar o produto!

 

Edição de Camila Alexandrino e Vinicius Marques