6 plantas para ter dentro de casa | Blog Telhanorte
home > Ambientes Internos > 6 plantas para ter dentro de casa

6 plantas para ter dentro de casa

plantas-dentro-de-casa

| Ambientes Internos

 

Tem vontade de ter plantas mas não sabe por onde começar? Selecionamos 6 espécies ótimas para cultivar dentro de casa ou de apartamento

 

A prática da jardinagem está se tornando cada dia mais comum nos lares brasileiros. Ter um jardim dentro de casa ou vasos com plantas espalhados pela residência já é quase que obrigatório para muitas pessoas.

E se você quer fazer parte da turma de apaixonados por plantas mas ainda não sabe por onde começar, fique tranquilo: selecionamos 6 espécies que são super fáceis de cuidar e se adaptam em diversos climas e ambientes internos. Ah, e o melhor: você pode comprar todas essas espécies nas lojas  da Telhanorte!

 

Conheça mais sobre Urban Jungle e traga a natureza para dentro de casa!

 

1. Costela-de-adão

 

costela-de-adao

Costela-de-adão (Foto: Pexels/Reprodução)

 

A costela-de-adão, apelidada de “queijo suíço” por conta dos buracos em suas folhas, abre nossa lista de 7 plantas para ter dentro de casa. Ela se encaixa perfeitamente em vários cômodos da casa e pode ficar do lado de fora também, no quintal ou na varanda.

Por ser uma planta tropical, ela não precisa de tanto sol como outras. Basta uns minutos na luz matutina ou na luz indireta (luz refletida na parede da sala, por exemplo). É importante manter a quantidade de luz correta pois o sol em excesso pode fazer com que suas folhas fiquem amareladas.

Para controlar sua necessidade de água, é bem simples: basta regar duas vezes por semana em meses mais quentes e, em meses mais frios, apenas uma vez ou, até mesmo, a cada 15 dias. Para saber se sua costela-de-adão está precisando de água (ou se está encharcada), basta tocar seu solo e sentir a umidade. Se estiver úmido, espere mais um pouco para regar novamente.

 

2. Palmeira Ráfis

 

palmeira-rafis

Palmeira Ráfis (Foto: Simples Decoração/Reprodução)

 

A Palmeira Ráfis é ideal para ser cultivada em ambientes internos, como salas de estar e de jantar. Essa planta, além de suas funções características — realizar fotossíntese, purificar e refrescar o ar do ambiente… —, é uma ótima opção para decoração. Opte por um vaso que combine com outros objetos do ambiente que a Ráfis irá ficar.

Sua irrigação é bem simples: regue entre uma e duas vezes por semana nos meses quentes e uma vez por semana nos meses frios. Ah, borrifar água nas suas folhas também é uma ótima medida — elas adoram!

Por fim, se você ainda não está convencido(a) com a Palmeira Ráfis, temos uma característica que vai te fazer mudar de ideia. Essa palmeira é vista como uma planta que traz sucesso e riqueza para o local, sendo ideal, além das casas, para escritórios e ambientes de trabalho!

 

3. Areca Bambu (ou Palmeira Areca)

 

palmeira-areca

Palmeira areca (Foto: greenMe/Reprodução)

 

A Areca Bambu, também conhecida como Palmeira Areca, tem sua origem na ilha de Madagascar e é uma das palmeiras mais cultivadas aqui no Brasil. Como o título da matéria sugere, a Areca é uma ótima opção para cultivo dentro de casa, mas também adora o ambiente externo.

Se você optar por deixá-la em algum cômodo interno, saiba que suas folhas continuarão verdes. Agora, caso seja plantada no quintal, no jardim de entrada ou em outras áreas externas que possuem contato direto com o sol, suas folhas ficarão amareladas — mas não se preocupe! Diferente da costela-de-adão, que ter suas folhas amareladas é algo negativo, com a Palmeira Areca está tudo certo!

O controle de rega para a Areca é bem simples: nos períodos secos e quentes, é recomendado regar de duas a três vezes por semana. Quando o tempo estiver mais úmido e frio, uma vez por semana já é o suficiente. Mas lembre-se de sempre checar se a terra está úmida demais ou seca demais para um maior manejo mais assertivo.

Borrifar água em suas folhas também é uma ótima opção, já que, além de refrescá-la, promove a limpeza das folhas e, consequentemente, uma maior absorção da poluição e gases tóxicos do local e devolução de oxigênio para a atmosfera.

 

4. Copo-de-leite

 

copo-de-leite

Copo-de-leite (Foto: Pinterest/Reprodução)

 

Nativo da África do Sul, o copo-de-leite leva esse nome pelo seu formato, que remete a um pequeno copo e pela sua cor branca, que lembra o leite. Apesar da versão branca ser a mais conhecida, essa planta pode ser encontrada em outras cores, como vinho, azul e amarelo, devido à mudanças genéticas feitas durante experimentos.

Assim como a costela-de-adão, por exemplo, o copo-de-leite não gosta de muito sol direto e, em casos de luz excessiva, suas folhas podem ficar amareladas.

Para manter a beleza dessa planta que chama a atenção em qualquer ambiente que esteja inserida, é preciso tomar alguns cuidados em relação à água. Por ser uma planta que, na natureza, brota perto de rios e lagos, ela precisa de um pouco de água a mais do que as citadas acima. Por isso, certifique-se que sua terra esteja sempre úmida (não encharcada para não apodrecer a raiz) e evite molhar as flores e folhas.

 

5. Cactos e Suculentas

 

cactos

Cactos (Foto: Pexels/Reprodução)

 

suculentas

Suculentas (Foto: Pexels/Reprodução)

 

Você sabia que todo cacto é uma suculenta mas nem toda suculenta é um cacto? Pois é!

Conhecidas como plantas de pouca manutenção, as suculentas formam um grupo de plantas e os cactos são uma família que pertence a este grupo. A principal diferença entre as duas espécies é que os cactos desenvolvem espinhos e as suculentas não. Porém, os dois possuem a habilidade de armazenar bastante água em suas folhas (no caso das suculentas) e em seu tronco (quando falamos dos cactos).

Por estarem acostumados a climas secos e áridos, os cactos e as suculentas não precisam de uma rega constante. O ideal é, a cada 15 dias, mais ou menos, encharcá-los de água. Isso mesmo: pode regar até começar a vazar água pelo fundo do vaso! Quando a terra estiver bem úmida, certifique-se que não ficou água acumulada no pratinho do vaso e pronto. Agora, é só ir verificando, com o passar dos dias, como a terra está e molhá-la novamente somente quando estiver bem seca.

Ah, diferente das plantas “convencionais”, os cactos e suculentas precisam de bastante luz solar direta! Só não exagere e deixe-os muito tempo expostos ao sol do meio-dia!

 

6. Samambaia

 

samambaia

Samambaia (Foto: Pexels/Reprodução)

 

As samambaias, diferente dos cactos e suculentas, estão acostumadas com áreas muito úmidas e sombreadas. A luz solar difusa e uma boa ventilação são essenciais para o bom desenvolvimento dessa planta!

Durante o verão, o recomendado é regá-las de duas a três vezes por semana, sempre conferindo a umidade da terra. Já no inverno, diminua a rega. As samambaias, assim como a Areca Bambu, gostam das suas folhas úmidas. Então, sempre que possível, borrife água para deixá-las felizes!

As samambaias, por terem diferentes espécies aqui no Brasil, são ótimas para compor a decoração da casa. O mais comum é pendurar seu vaso rente ao teto e deixá-la pendente, em uma altura que você consiga fazer as manutenções necessárias na planta.

 

Em meio a tantas opções, fica difícil escolher uma só, certo?

Não se preocupe! É possível misturar diferentes plantas dentro de casa e adequá-las para cada ambiente. Para a sala de estar, por exemplo, você pode optar por uma Palmeira Ráfis, que fica ótima também junto a sua colega de família, a Palmeira Areca. Já nos banheiros e lavabos, prefira os cactos e suculentas pequenos, já que eles não ocupam muito espaço na bancada — só não esqueça de levá-los para tomar um solzinho diariamente!

Feita suas escolhas, é hora de visitar as lojas físicas da Telhanorte e correr para comprar suas mais novas moradoras — as plantas! Nossa equipe está preparada para te atender da melhor forma possível!

Confira nossa seção de Jardinagem no site e adquira os produtos para realizar a melhor manutenção sem sair de casa. Fácil assim!

 

Por João Victor Quintino | Edição de Stéphanie Durante